20/02/2013

Divino Espírito Santo

vvSANTUÁRIO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

VILA VELHA – ES

Rua Cabo Aylson Simões, 762
Caixa Postal 020240
Cep. 29100-970
Tel. (27) 3329-1266
Fax (27) 3329-9872

e-mail: secretaria@santuariovilavelha.org.br
Arquidiocese de Vitória

Facebookhttps://goo.gl/e3zNZa

A FRATERNIDADE
Frei Djalmo Fuck, guardião e pároco e ecônomo
Frei Clarêncio Neotti, vigário casa e vigário paroquial
Frei Florival Mariano de Toledo, vigário paroquial
Frei Leandro Costa Ramos, a seviço da evangelização
Frei Nazareno José Lüdtke, a serviço da evangelização e animador do SAV local

PADROEIRO
Divino Espírito Santo – Solenidade de Pentecostes (móvel)

EXPEDIENTE PAROQUIAL
Secretaria Paroquial: de 3ª a 6ª feira, das 8h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h30.
Sábado, das 8h00 às 11h30.
Bênçãos – Rádio FM Líder 91.1 – de 2ª a 6ª feira, das 11h50 às 12h05.
“Presença” - Boletim informativo


MISSAS NO SANTUÁRIO

Missas no Santuário: de terça a sábado às 06h30;  Sábado: 06h30 e 17hs (catequese da comunidade).
Domingo: 07h00 e 19h00

1ª quinta-feira do mês: 15hs (missa da saúde).
Missas na Matriz N.Sra. Rosário: 1ª sexta-feira, 19hs
Confissões: de terça a sexta das 08:30h às 11hs e das 14:00h às 16:30h; Sábado, das 08:30h às 11:00h .


HISTÓRIA

Data de fundação da igreja do Rosário: 1753
Rosário é entregue aos franciscanos: 1942
Data de fundação do Santuário do Divino Espírito Santo: 1956
Inauguração deste Santuário: 1968.

A MATRIZ NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO – PRAINHA
Nos tempos de Vasco Fernandes Coutinho (1535), no período colonial, a Igreja tinha pouco movimento pela população local e falta de clérigos, agravada com a transferência da capital para Vitória, em 1551, e a construção do Convento da Penha em 1651.

Seu registro como sede da Paróquia é do século XVIII. A prática religiosa se resumia à páscoa anual, rezas, ladainhas procissões e catequese. Com a vinda de D. Pedro II, em 1860, foi determinado que arranjassem um padre para as celebrações.

No final do século XIX, a Igreja separou-se do Estado, criando o Bispado do Espírito Santo. Surgiram, então, as capelas de Barra do Jucu, Jaguarussu, Ponta da Fruta, Paul, Glória, Ibes, São Torquato, Cobilândia, Boa Vista e Praia da Costa, entre outras.

A Festa do Divino Espírito Santo era um momento de religiosidade muito forte, às vezes acompanhada da Festa da Penha. Foram criadas algumas irmandades e confrarias e o Apostolado da Oração. Os Vicentinos surgiram no início do século 20, convocando os fiéis para o trabalho social de ajuda às pessoas. Em 1940 foi construído o Dispensário São Judas Tadeu, hoje sede social, ao lado da Igreja. Em 1942, a Paróquia foi entregue aos franciscanos da Ordem dos Frades Menores.

Com a inauguração do Santuário, em 1968, as celebrações na Igreja do Rosário foram reduzidas apenas aos finais de semana. Somente em 1974, com a implantação dos círculos bíblicos e do dízimo, é que Comunidade se organizou, criando as equipes de batismo, crisma, casamento, catequese, liturgia e outras. Os ministros da eucaristia são de fundamental importância para as celebrações eucarísticas.

Hoje muitos moradores do centro de Vila Velha voltaram a valorizar o espaço do templo da Matriz, a Igreja Nossa Senhora do Rosário, a igreja da Prainha.

O SANTUÁRIO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

O nosso estado tem o nome de Espírito Santo, porque foi no dia em que a Igreja celebrava a Festa de Pentecostes que, Vasco Fernandes Coutinho aportou na Prainha em 1535, para tomar posse da Capitania Hereditária do Espírito Santo.

Em 1952, tomou posse na Diocese do Espírito Santo, Dom José Joaquim Gonçalves, que teve a inspiração divina de construir em Vila Velha um santuário em honra ao Divino Espírito Santo. D. José confiou a tarefa da construção ao Frei Aniceto Kroker que, por vários motivos, não conseguiu efetuar a compra do terreno. Em 1956, Frei Firmino Matuschek recebeu o encargo de vigário e deu impulso ao projeto traçado por Dom José, adquirindo o terreno da Rua Cabo Aylson Simões, onde foi construído o Santuário, sob sua orientação.

A inauguração e consagração do templo foram realizadas pelo Arcebispo Dom João Batista da Motta e Albuquerque em 21.04.1967, em cerimônia festiva. As explicações das cerimônias ficaram a cargo do capelão da Marinha Pe. Hebert Victor Burns.

O PROJETO

O projeto arquitetônico foi elaborado pelo arquiteto Hélio A. Vianna. O projeto estrutural foi feito pelo engenheiro Valeriano Geotto e a construção pelo construtor Gino Geotto. A igreja, em estilo gótico, mede 24 metros de largura por 60 metros de comprimento e tem capacidade para três mil fiéis. Seus vitrais tem motivos religiosos.

Ao longo dos anos o Santuário passou por diversas reformas, destacando-se o telhado, vitrais, piso e portas laterais. Frei Ladi Antoniazzi continuou os trabalhos de melhoria das instalações em 1995, realizando a mudança do altar principal, instalação de ar condicionado, mudança da casa paroquial, estacionamento pavimentado, novo sistema de som, recuperação dos vitrais, telhados, nova pintura externa e interna, entre outros. Construiu também o prédio anexo do Centro Paroquial, inaugurado em 03.10.2000, com três pavimentos, dois salões, dez salas de reunião, secretaria paroquial, centro administrativo, instalações da Pastoral da Saúde e Farmácia Comunitária.