Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Liturgia diária

junho/2019

  • Sábado da 6ª semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 18,23-28

    23Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia. Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discípulos. 24Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria. Era homem eloquente, versado nas Escrituras. 25Fora instruído no caminho do Senhor e, com muito entusiasmo, falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, embora só conhecesse o batismo de João. 26Então, ele começou a falar com muita convicção na sinagoga. Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-no consigo e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus. 27Como ele estava querendo passar para a Acaia, os irmãos apoiaram-no e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem. Pela graça de Deus, a presença de Apolo aí foi muito útil aos fiéis. 28Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público, demonstrando pelas Escrituras que Jesus é o Messias.

    Palavra do Senhor.

    Sl 46(47)

    O Senhor é o grande rei de toda a terra.

    Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! /
    Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, / o soberano que domina toda a terra. – R.

    Porque Deus é o grande rei de toda a terra, / ao som da harpa acompanhai os seus louvores! /
    Deus reina sobre todas as nações, / está sentado no seu trono glorioso. – R.

    Os chefes das nações se reuniram / com o povo do Deus santo de Abraão, /
    pois só Deus é realmente o Altíssimo, / e os poderosos desta terra lhe pertencem! – R.

    João 16,23-28

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 23“Em verdade, em verdade vos digo, se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa. 25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.

    Palavra da Salvação.

    “O próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus”.

    “Jesus desceu do seio do Pai, de seu trono real, para o útero da Virgem”, diz São Francisco de Assis. E uma vez que Jesus se esvaziou de sua glória, tornando-se semelhante aos homens, não se utilizando de sua natureza com Deus-Pai, foi para nós, seus filhos e irmãos, pudéssemos aprender a amar verdadeiramente.
    Jesus veio para nos ensinar a amar, veio para nos contar como é sua relação com o Pai e o Espírito Santo, para que possamos viver, com nossos irmãos e irmãs, a mesma relação divina, onde cada um se ama e nutre como verdadeiros irmãos espirituais.
    Deixemos nos envolver neste abraço amoroso do nosso Deus, que é Pai, Filho e Espírito. Vivamos relações de acolhida apesar das diferenças e pratiquemos o perdão para que o amor de Cristo brilhe nos nossos irmãos.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Solenidade da Ascensão do Senhor

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • 2ª Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 1,1-11

    1 No meu primeiro livro, ó Teófilo, já tratei de tudo o que Jesus fez e ensinou, desde o começo 2 até o dia em que foi levado para o céu, depois de ter dado instruções, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que tinha escolhido. 3 Foi a eles que Jesus se mostrou vivo depois da sua paixão, com numerosas provas. Durante quarenta dias, apareceu-lhes falando do reino de Deus. 4 Durante uma refeição, deu-lhes esta ordem: “Não vos afasteis de Jerusalém, mas esperai a realização da promessa do Pai, da qual vós me ouvistes falar: 5 ‘João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias’”. 6 Então os que estavam reunidos perguntaram a Jesus: “Senhor, é agora que vais restaurar o reino em Israel?” 7 Jesus respondeu: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com a sua própria autoridade. 8 Mas recebereis o poder do Espírito Santo, que descerá sobre vós para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria, e até os confins da terra”. 9 Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles. Uma nuvem o encobriu, de forma que seus olhos não mais podiam vê-lo. 10 Os apóstolos continuavam olhando para o céu, enquanto Jesus subia. Apareceram então dois homens vestidos de branco, 11 que lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus, que vos foi levado para o céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu”.

    Palavra do Senhor.

    Sl 46(47)

    Por entre aclamações, Deus se elevou, / o Senhor subiu ao toque da trombeta!

    Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! /
    Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, / o soberano que domina toda a terra. – R.

    Por entre aclamações, Deus se elevou, / o Senhor subiu ao toque da trombeta. /
    Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, / salmodiai, ao som da harpa, ao nosso rei! – R.

    Porque Deus é o grande rei de toda a terra, / ao som da harpa acompanhai os seus louvores! /
    Deus reina sobre todas as nações, / está sentado no seu trono glorioso. – R.

    Efésios 1,17-23

    Irmãos, 17o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18 Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos 19 e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente. 20 Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus, 21 bem acima de toda autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa mencionar não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro. 22 Sim, ele pôs tudo sob os seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a cabeça da Igreja, 23 que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 24,46-53

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 46“Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47 e, no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48 Vós sereis testemunhas de tudo isso. 49 Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto”. 50 Então, Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia. Ali ergueu as mãos e abençoou-os. 51 Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu. 52 Eles o adoraram. Em seguida voltaram para Jerusalém com grande alegria. 53 E estavam sempre no templo, bendizendo a Deus.

    Palavra da Salvação.

    “Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu”.

    Jesus é o enviado do Pai, veio ao mundo se fazendo um de nós, nascendo do seio da Virgem Maria e esvaziando-se de sua glória e majestade como Deus, que é e sempre será. Fazendo-se criatura, carregou nossas fragilidades e pecados até sua majestosa entrega no alto da cruz do Calvário.
    Cristo, Deus verdadeiro que, enviado do Pai, abriu-nos à possibilidade do Reino dos céus, libertando a humanidade do orgulho e desobediência. Glorificado pelo Pai, foi elevado aos céus para se assentar em seu trono glorioso, vivendo no amor da perfeita Trindade e intercedendo por nós, seus irmãos. A Ascensão de Jesus ocorre num clima de despedida e bênção. Os discípulos são abençoados e enviados para continuar a missão de Jesus, em seu nome. Confiemo-nos em sua bênção e acolhamos com coragem sua missão.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 2ª feira da 7ª Semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 19,1-8

    1 Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as regiões montanhosas e chegou a Éfeso. Aí encontrou alguns discípulos e perguntou-lhes: 2 “Vós recebestes o Espírito Santo quando abraçastes a fé?” Eles responderam: “Nem sequer ouvimos dizer que existe o Espírito Santo!” 3 Então Paulo perguntou: “Que batismo vós recebestes?” Eles responderam: “O batismo de João”. 4 Paulo disse-lhes: “João administrava um batismo de conversão, dizendo ao povo que acreditasse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus”. 5 Tendo ouvido isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus. 6 Paulo impôs-lhes as mãos, e sobre eles desceu o Espírito Santo. Começaram então a falar em línguas e a profetizar. 7 Ao todo, eram uns doze homens. 8 Paulo foi então à sinagoga e, durante três meses, falava com toda convicção, discutindo e procurando convencer os ouvintes sobre o reino de Deus.

    Palavra do Senhor.

    Sl 67(68)

    Reinos da terra, cantai ao Senhor.

    Eis que Deus se põe de pé e os inimigos se dispersam! / Fogem longe de sua face os que odeiam o Senhor! /
    Como a fumaça se dissipa, assim também os dissipais; † como a cera se derrete ao contato com o fogo, /
    assim pereçam os iníquos ante a face do Senhor! – R.

    Mas os justos se alegram na presença do Senhor, / rejubilam satisfeitos e exultam de alegria! /
    Cantai a Deus, a Deus louvai, cantai um salmo a seu nome! / O seu nome é Senhor: exultai diante dele! – R.

    Dos órfãos ele é pai e das viúvas protetor; / é assim o nosso Deus em sua santa habitação. /
    É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, / quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura. – R.

    João 16,29-33

    Naquele tempo, 29os discípulos disseram a Jesus: “Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. 30Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isso cremos que vieste da parte de Deus”. 31Jesus respondeu: “Credes agora? 32Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só, porque o Pai está comigo. 33Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!”

    Palavra da Salvação.

    “Tende coragem! Eu venci o mundo!”.

    A família de Cristo é única, grande e de várias cores, raças, povos e línguas. Apesar das diferenças, uma coisa a mantém unida no amor: o próprio Jesus. Ele é o alicerce que sustenta toda a Igreja, uma grande rocha que mantém de maneira firme pessoas tão diferentes.

    Nesta semana, nós, como parte da Igreja, somos convidados a nos unir em oração por todos os nossos irmãos cristãos, superando diferenças que nos separam tanto e voltarmos nosso olhar para o Cristo que temos em comum e no qual somos discípulos.

    Disse Jesus: “Há tanto tempo estou convosco e não me conheceis?”. Há muito tempo Cristo está no nosso meio e nós não o enxergamos. Abramos os nossos olhos e contemplemos o Deus glorioso que está ao nosso lado.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 3ª feira da 7ª semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 20,17-27

    Naqueles dias, 17de Mileto, Paulo mandou um recado a Éfeso, convocando os anciãos da Igreja. 18Quando os anciãos chegaram, Paulo disse-lhes: “Vós bem sabeis de que modo me comportei em relação a vós durante todo o tempo, desde o primeiro dia em que cheguei à Ásia. 19Servi ao Senhor com toda a humildade, com lágrimas e no meio das provações que sofri por causa das ciladas dos judeus. 20Nunca deixei de anunciar aquilo que pudesse ser de proveito para vós nem de vos ensinar publicamente e também de casa em casa. 21Insisti com judeus e gregos para que se convertessem a Deus e acreditassem em Jesus, nosso Senhor. 22E agora, prisioneiro do Espírito, vou para Jerusalém sem saber o que aí me acontecerá. 23Sei apenas que, de cidade em cidade, o Espírito Santo me adverte, dizendo que me aguardam cadeias e tribulações. 24Mas de modo nenhum considero a minha vida preciosa para mim mesmo, contanto que eu leve a bom termo a minha carreira e realize o serviço que recebi do Senhor Jesus, ou seja, testemunhar o evangelho da graça de Deus. 25Agora, porém, tenho a certeza de que vós não vereis mais o meu rosto, todos vós entre os quais passei anunciando o reino. 26Portanto, hoje dou testemunho diante de todos vós: eu não sou responsável se algum de vós se perder, 27pois não deixei de vos anunciar todo o projeto de Deus a vosso respeito”.

    Palavra do Senhor.

    Sl 67(68)

    Reinos da terra, cantai ao Senhor.

    Derramastes lá do alto uma chuva generosa, / e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes; /
    e ali vosso rebanho encontrou sua morada; / com carinho preparastes essa terra para o pobre. – R.

    Bendito seja Deus, bendito seja cada dia / o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos! /
    Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador; / o Senhor, só o Senhor, nos poderá livrar da morte! – R.

    João 17,1-11

    Naquele tempo, 1Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique a ti 2e, porque lhe deste poder sobre todo homem, ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe confiaste. 3Ora, a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo. 4Eu te glorifiquei na terra e levei a termo a obra que me deste para fazer. 5E agora, Pai, glorifica-me junto de ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse. 6Manifestei o teu nome aos homens que tu me deste do meio do mundo. Eram teus, e tu os confiaste a mim, e eles guardaram a tua palavra. 7Agora eles sabem que tudo quanto me deste vem de ti, 8pois dei-lhes as palavras que tu me deste, e eles as acolheram e reconheceram verdadeiramente que eu saí de ti e acreditaram que tu me enviaste. 9Eu te rogo por eles. Não te rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10Tudo o que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu. E eu sou glorificado neles. 11Já não estou no mundo, mas eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti”.

    Palavra da Salvação.

    “Pai, glorifica o teu Filho”.

    Sendo elevado para a glória de Deus, Jesus não deixa seus filhos desamparados, mas roga ao Pai por todos, para que, mesmo estando como cordeirinhos no meio de lobos, não estejam indefesos. O Espírito Santo enviado por Deus aos seus fiéis é o grande defensor e escudo para enfrentarmos os perigos deste mundo.
    Como os filhos do Pai que somos, não tenhamos medo de encarar nossas feras e inimigos. É preciso coragem para levar a termo as obras de Deus, sendo a oração nossa grande força diante dos obstáculos da vida. Imitemos cada vez mais nosso modelo, o próprio Filho de Deus, que se encarnou e, com toda a certeza, nenhuma dificuldade na vida será grande demais que não possa ser superada.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 4ª feira da 7ª semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Memória de São Bonifácio, mártir

    Atos 20,28-38

    Naqueles dias, Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso: 28“Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como guardas para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho. 29Eu sei, depois que eu for embora, aparecerão entre vós lobos ferozes, que não pouparão o rebanho. 30Além disso, do vosso próprio meio aparecerão homens com doutrinas perversas que arrastarão discípulos atrás de si. 31Por isso, estai sempre atentos: lembrai-vos que durante três anos, dia e noite, com lágrimas, não parei de exortar a cada um em particular. 32Agora, entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça, que tem poder para edificar e dar a herança a todos os que foram santificados. 33Não cobicei prata, ouro ou vestes de ninguém. 34Vós bem sabeis que estas minhas mãos providenciaram o que era necessário para mim e para os que estavam comigo. 35Em tudo vos mostrei que, trabalhando desse modo, se deve ajudar os fracos, recordando as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais alegria em dar do que em receber’”. 36Tendo dito isso, Paulo ajoelhou-se e rezou com todos eles. 37Todos, depois, prorromperam em grande pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam 38aflitos, sobretudo por lhes haver ele dito que não tornariam a ver-lhe o rosto. E o acompanharam até o navio.

    Palavra do Senhor.

    Sl 67(68)

    Reinos da terra, cantai ao Senhor.

    Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, / confirmai esse poder que por nós manifestastes /
    a partir de vosso templo, que está em Jerusalém. / Para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes! – R.

    Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos! † Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos. /
    Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa. – R.

    Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens. / Sobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade! /
    Em seu templo ele é admirável e a seu povo dá poder. / Bendito seja o Senhor Deus, agora e sempre. Amém, amém! – R.

    João 17,11-19

    Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo: 11“Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. 12Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. 13Agora, eu vou para junto de ti e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. 14Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do maligno. 16Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 17Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. 18Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. 19Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade”.

    Palavra da Salvação.

    “Para que eles sejam um assim como nós somos um”.

    Nesta passagem, do evangelho de São João, nos é apresentada a lógica de Cristo, sua novidade e visão a favor da unidade. Em sua oração, Ele roga ao Pai por todos os seus discípulos, os que foram ou virão a ser, para que vivam numa união tal que seja reflexo da própria relação íntima da Santíssima Trindade.
    Todos os cristãos devem ser sinais de um vínculo inseparável do amor de Deus na realidade caótica dos nossos tempos modernos. Por mais desafiadoras que as dificuldades possam parecer, a sociedade deve encontrar em todos os discípulos de Jesus, pelo seu modo de vida e testemunho da ressureição, uma grande fonte inspiradora de vida e poço abundante das águas purificadoras do Pai.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 5ª feira da 7ª semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 22,30; 23,6-11

    Naqueles dias, 30querendo saber com certeza por que Paulo estava sendo acusado pelos judeus, o tribuno soltou-o e mandou reunir os chefes dos sacerdotes e todo o conselho dos anciãos. Depois fez trazer Paulo e colocou-o diante deles. 23,6Sabendo que uma parte dos presentes eram saduceus e a outra parte eram fariseus, Paulo exclamou no conselho dos anciãos: “Irmãos, eu sou fariseu e filho de fariseus. Estou sendo julgado por causa da nossa esperança na ressurreição dos mortos”. 7Apenas falou isso, armou-se um conflito entre fariseus e saduceus, e a assembleia se dividiu. 8Com efeito, os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito, enquanto os fariseus sustentam uma coisa e outra. 9Houve, então, uma enorme gritaria. Alguns doutores da lei, do partido dos fariseus, levantaram-se e começaram a protestar, dizendo: “Não encontramos nenhum mal neste homem. E se um espírito ou anjo tivesse falado com ele?” 10E o conflito crescia cada vez mais. Receando que Paulo fosse despedaçado por eles, o comandante ordenou que os soldados descessem e o tirassem do meio deles, levando-o de novo para o quartel. 11Na noite seguinte, o Senhor aproximou-se de Paulo e lhe disse: “Tem confiança. Assim como tu deste testemunho de mim em Jerusalém, é preciso que sejas também minha testemunha em Roma”.

    Palavra do Senhor.

    Sl 15(16)

    Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

    Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! / Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor”. /
    Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, / meu destino está seguro em vossas mãos! – R.

    Eu bendigo o Senhor, que me aconselha / e até de noite me adverte o coração. /
    Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, / pois, se o tenho a meu lado, não vacilo. – R.

    Eis por que meu coração está em festa, † minha alma rejubila de alegria /
    e até meu corpo no repouso está tranquilo; / pois não haveis de me deixar entregue à morte /
    nem vosso amigo conhecer a corrupção. – R.

    Vós me ensinais vosso caminho para a vida; † junto a vós, felicidade sem limites, /
    delícia eterna e alegria ao vosso lado! – R.

    João 17,20-26

    Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: 20“Pai santo, eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra; 21para que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste. 22Eu dei-lhes a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um: 23eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste como me amaste a mim. 24Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. 25Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci e estes também conheceram que tu me enviaste. 26Eu lhes fiz conhecer o teu nome e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles e eu mesmo esteja neles”.

    Palavra da Salvação.

    “Para que eles cheguem à unidade perfeita”.

    Jesus nos revela a vontade do Pai: que todos sejam um. Todos. Homens e mulheres, jovens e idosos, de todas as culturas e nações sejam congregados e unidos em Deus no amor. Da mesma forma que Jesus está unido ao Pai pelo amor, desde antes da criação do universo. É assim que Deus sonhou que o homem estivesse unido a Ele. Um sonho de comunhão no amor.
    Mas esta unidade e comunhão com Deus foi ferida e rompida pelo pecado. O homem se afastou do amor de Deus, se afastou da origem e fonte da vida, do amor, e de todo o bem, por sua própria vontade. Tornando a sua existência conflituosa consigo mesma, com os outros homens, com a criação e com Deus.
    Cristo veio curar o homem do pecado, e o levar de volta a Deus, através da sua morte e ressurreição. Todo o cristão é amado pelo Pai para o amor em Jesus, para receber e dar esse amor, para ser testemunha deste amor ao mundo, para anunciar e revelar a todos, como Jesus o fez, que o nome de Deus é Amor.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 6ª feira da 7ª semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 25,13-21

    Naqueles dias, 13o rei Agripa e Berenice chegaram a Cesareia e foram cumprimentar Festo. 14Como ficassem alguns dias aí, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: “Está aqui um homem que Félix deixou como prisioneiro. 15Quando eu estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra ele e pediram-me que o condenasse. 16Mas eu lhes respondi que os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação. 17Eles vieram para cá e, no dia seguinte, sem demora, sentei-me no tribunal e mandei trazer o homem. 18Seus acusadores compareceram diante dele, mas não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que eu pudesse suspeitar. 19Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de um certo Jesus que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo. 20Eu não sabia o que fazer para averiguar o assunto. Perguntei então a Paulo se ele preferia ir a Jerusalém, para ser julgado lá. 21Mas Paulo fez uma apelação para que a sua causa fosse reservada ao juízo do augusto imperador. Então ordenei que ficasse preso até que eu pudesse enviá-lo a César”.

    Palavra do Senhor.

    Sl 102(103)

    O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / e todo o meu ser, seu santo nome! /
    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! – R.

    Quanto os céus por sobre a terra se elevam, / tanto é grande o seu amor aos que o temem; /
    quanto dista o nascente do poente, / tanto afasta para longe nossos crimes. – R.

    O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, / e abrange o mundo inteiro seu reinado. /
    Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, / valorosos que cumpris as suas ordens. – R.

    João 21,15-19

    Jesus manifestou-se aos seus discípulos 15e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”. 16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo, quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”. 19Jesus disse isso significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

    Palavra da Salvação.

    “Apascenta os meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas”.

    Diante do amor de Deus, que faz de tudo para nos alcançar, quebrando todas as barreiras, como a da incredulidade e do medo, e mesmo do pecado e da morte, somos provocados a lhe dar uma resposta.
    Ele não quer respostas prontas de formulário. Jesus quer ouvir do nosso coração uma resposta sincera. Ele não quer impor uma resposta. Ele não condena nem rejeita. Ele é bom para com todos, porque ele é bom. Ele ama a todos, porque Ele é amor. Essa é a resposta que Ele espera, o nosso amor. Amor por Ele, e, também amor aos seus amados, os seus filhos, nossos irmãos, todos os homens e mulheres que Ele ama igualmente. Jesus não exige a resposta, Ele a espera com paciência e amor.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Sábado da 7ª Semana da Páscoa

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 28,16-20.30-31

    16 Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava. 17Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou-lhes: “Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro e, assim, fui entregue às mãos dos romanos. 18Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. 19Mas os judeus se opuseram, e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. 20É por isso que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel”. 30Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam, 31pregando o reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.

    Palavra do Senhor.

    Sl 10 (11)

    Ó Senhor, quem tem reto coração / há de ver a vossa face.

    Deus está no templo santo / e no céu tem o seu trono; /
    volta os olhos para o mundo, / seu olhar penetra os homens. – R.

    Examina o justo e o ímpio / e detesta o que ama o mal. / Porque justo é nosso Deus, /
    o Senhor ama a justiça. / Quem tem reto coração / há de ver a sua face. – R.

    João 21,20-25

    Naquele tempo, 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: “Senhor, quem é que te vai entregar?” 21Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: “Senhor, o que vai ser deste?” 22Jesus respondeu: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que te importa isso? Tu, segue-me!” 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?” 24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.

    Palavra da Salvação.

    “Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro”.

    Enquanto Pedro recebe a missão de apascentar o rebanho de Deus, a Igreja, e de dar a sua vida a ela, o discípulo amado, que nós identificamos como João Evangelista, tem outra missão que Deus lhe reservou: de escrever o Evangelho da vida de Jesus para que fique guardada sua memória e todas as comunidades cristãs possam ter acesso ao conhecimento da vida e mistério de Jesus. Essa missão não se realizou somente pela força e sabedoria do Evangelista, mas, ao mesmo modo do ministério de Pedro como pastor da igreja nascente; pela graça e ação do Espirito Santo.
    Portanto, o Evangelho não é obra de mãos humanas, mas obra do Espírito realizado através do trabalho do Evangelista. O Evangelho é a Palavra de Deus, é o próprio Cristo que se comunica a nós sua vontade e sua vida à nossa vida. É neste mesmo Espírito que nós sabemos, igual aos primeiros discípulos, que o testemunho é verdadeiro. Esta verdade vai se revelando a nós na medida em que nos abrimos à ação do Espírito. E conhecendo cada vez mais a Jesus, se faz cada vez mais necessário ser como Ele é. Tornamo-nos seus seguidores, seus imitadores, e cada um de acordo com a sua missão se torna construtor do Reino.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Solenidade de Pentecostes

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • 2ª Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Atos 2,1-11

    1 Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. 3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. 5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. 6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. 7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciar as maravilhas de Deus na nossa própria língua!”

    Palavra do Senhor.

    Sl 103(104)

    Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor! / Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! /
    Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras! / Encheu-se a terra com as vossas criaturas! – R.

    Se tirais o seu respiro, elas perecem / e voltam para o pó de onde vieram. /
    Enviais o vosso espírito e renascem, / e da terra toda a face renovais. – R.

    Que a glória do Senhor perdure sempre, / e alegre-se o Senhor em suas obras! /
    Hoje, seja-lhe agradável o meu canto, / pois o Senhor é a minha grande alegria! – R.

    1 Coríntios 12,3-7.12-13 (Leitura opcional: Rm 8,8-17)

    Irmãos, 3ninguém pode dizer: “Jesus é o Senhor”, a não ser no Espírito Santo. 4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. 5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. 6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. 7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. 12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. 13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.

    Palavra do Senhor.

    João 20,19-23

    19 Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. 20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. 21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

    Palavra da Salvação

    “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo!”.

    Em algum momento de nossa vida, sentimos um vazio, uma inquietação, algo que falta em nossa vida. Uma falta de paz. Este desejo de nos saciarmos de algo que faz falta ao nosso ser, e que não conseguimos saciar por coisa alguma, é o Espírito Santo, presente nos homens por terem sido feitos à semelhança de Deus que é Espírito. É o próprio Espírito que tem sede de Deus em nós.
    Ao darmos ouvidos a este apelo do Espírito e buscarmos Deus com sinceridade, este desejo de Deus cresce cada vez mais, despertando em nós a necessidade de Deus em nossa vida e que ela seja guiada por Ele. Encontramos este guia e caminho em Jesus, que distribui a todos os que nele creem o Espírito Santo.
    O Espírito Santo nos torna confiantes para reconhecermos Deus como Pai e capazes de amar os nossos irmãos com o amor de Jesus, e de perdoar com este mesmo amor. É com este Espírito que Jesus envia aqueles que nele creem e seguem, para serem artífices da paz, agentes de reconciliação, homens e mulheres que estabelecem laços de fraternidade e comunhão. Eles mesmos se tornam outros Cristos no mundo.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 2ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Memória da Bem-Aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja

    Gênesis 3,9-15.20 (ou At 1,12-14).

    Depois que Adão comera do fruto da árvore, 9o Senhor Deus o chamou, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”. 13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes.

    Palavra do Senhor.

    Sl 86(87)

    Dizem coisas gloriosas da cidade do Senhor.

    O Senhor ama a cidade / que fundou no monte santo; / ama as portas de Sião /
    mais que as casas de Jacó. – R.

    Dizem coisas gloriosas / da cidade do Senhor. / De Sião, porém, se diz: † “Nasceu nela todo homem; /
    Deus é sua segurança”. – R.

    Deus anota no seu livro, † onde inscreve os povos todos: / “Foi ali que estes nasceram”. /
    E por isso todos juntos / a cantar se alegrarão; / e, dançando, exclamarão: / “Estão em ti as nossas fontes!” – R.

    João 19,25-34

    Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. 28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”. 29Havia ali uma jarra de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. 32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

    Palavra da Salvação.

    “Este é o teu filho. Esta é a tua mãe”.

    Maria, em seu amor de mãe, permaneceu junto da cruz de seu filho. Aquela que em nome de toda a humanidade deu o sim para a salvação de Deus, e teve a missão de criar e cuidar do Salvador; vai continuar esta mesma missão de gerar e cuidar.
    Na cruz, Jesus proclama que como Maria foi sua mãe, ela também vai ser mãe para todos os seus discípulos. Ela se faz presente na vida de cada cristão, intercedendo por aqueles que seu Filho tanto ama.
    Maria é a Mãe da Igreja. Sua missão sempre foi – e sempre será – a de ajudar a cultivar a vida espiritual daqueles que creem em Jesus. Nessa maternidade espiritual, ela ajuda a fazer Jesus nascer e crescer na vida do cristão, através de sua poderosa intercessão e por seu exemplo de vida. Ela deixou exemplos de escuta, acolhida e meditação da Palavra de Deus. Exemplo também de serviço, intercessão e de fidelidade.
    Ela permanece junto deles, especialmente nos momentos de dor e de cruz, para que pela graça de Deus, Ele as receba e acolha os seus sofrimentos e as transforme nas suas mais preciosas alegrias, como na manhã da Ressurreição.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 3ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Memória de São Barbabé

    Atos 11,21-26; 13,1-3

    Naqueles dias, 21 muitas pessoas acreditaram no evangelho e se converteram ao Senhor. 22 A notícia chegou aos ouvidos da Igreja que estava em Jerusalém. Então enviaram Barnabé até Antioquia. 23 Quando Barnabé chegou e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fiéis ao Senhor, com firmeza de coração. 24 É que ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E uma grande multidão aderiu ao Senhor. 25 Então Barnabé partiu para Tarso, à procura de Saulo. 26 Tendo encontrado Saulo, levou-o a Antioquia. Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja e instruíram uma numerosa multidão. Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de cristãos. 13,1 Na Igreja de Antioquia havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo. 2 Um dia, enquanto celebravam a liturgia em honra do Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. 3 Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo e deixaram-nos partir.

    Palavra do Senhor.

     

    Sl 97(98)

    O Senhor fez conhecer seu poder salvador, / e às nações, sua justiça.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa / e da cítara suave! /Aclamai, com os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o nosso rei! – R.

    Mateus 10,7-13

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7 “Em vosso caminho, anunciai: ‘O reino dos céus está próximo’. 8 Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9 Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11 Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12 Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13 Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz”.

    Palavra da Salvação.

    “De graça recebestes, de graça deveis dar!”.

    “Feliz foi Barnabé, Santo de Deus, que mereceu ser contado entre os apóstolos. Era na verdade um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé”, diz a antífona de entrada da memória de São Barnabé Apóstolo que celebramos, com toda a Igreja, no dia de hoje. Esta apreciação, extraída dos Atos dos Apóstolos, a seu respeito nos mostra como era exemplar seu testemunho e porque uma grande multidão aderiu ao Senhor com sua exortação (At 11,24). Estas qualidades levaram este homem a vender suas propriedades e juntar-se aos apóstolos em sua missão de anunciar que “o Reino dos Céus está próximo” e oferecer de graça aquilo que de graça recebemos. Somente num espírito de gratidão por termos recebido preciosos dons de Deus sem os merecermos, nos sentiremos movidos a nos doar e entrega-los em generosa oblação aos irmãos como São Barnabé o fez.
    Um exemplo de simplicidade, doação e de adesão a Cristo é o que nos deixa São Barnabé.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 4ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 3,4-11

    Irmãos, 4é por Cristo que temos tal confiança perante Deus, 5não porque sejamos capazes, por nós mesmos, de ter algum pensamento como de nós mesmos, mas essa nossa capacidade vem de Deus. 6Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 7Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés por causa do seu fulgor, ainda que passageiro, 8quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito? 9Pois, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério a serviço da justificação. 10Realmente, em comparação com uma glória tão eminente, já não se pode chamar glória o que então tinha sido glorioso. 11Pois, se o que era passageiro foi marcado de glória, muito mais glorioso será o que permanece.

    Palavra do Senhor.

    Sl 98(99)

    Santo é o Senhor nosso Deus!

    Exaltai o Senhor nosso Deus † e prostrai-vos perante seus pés, /
    pois é santo o Senhor nosso Deus! – R.

    Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. † E também Samuel invocava seu nome, /
    e ele mesmo, o Senhor, os ouvia. – R.

    Da coluna de nuvem falava com eles. † E guardavam a lei e os preceitos divinos /
    que o Senhor nosso Deus tinha dado. – R.

    Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus, † porque éreis um Deus paciente com eles, /
    mas sabíeis punir seu pecado. – R.

    Exaltai o Senhor nosso Deus † e prostrai-vos perante seu monte, /
    pois é santo o Senhor nosso Deus! – R.

    Mateus 5,17-19

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a lei e os profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade eu vos digo, antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no reino dos céus. Porém quem os praticar e ensinar será considerado grande no reino dos céus”.

    Palavra da Salvação.

    “Não vim para abolir a Lei, mas para dar-lhe pleno cumprimento”.

    O anúncio que Jesus faz do Reino dos Céus não é novo, não é uma nova ideia apresentada ao povo judeu, mas Jesus quer ampliar a ótica da interpretação da Lei que o povo de Israel já recebeu e pratica, para uma vivência mais profunda e espiritual, sem alterar “uma vírgula sequer”.

    Jesus ensina a vivência da Lei pela graça que plenifica o seu cumprimento e faz acontecer o Reino dos Céus aqui e agora. Não que sejamos capazes por nós mesmos – como diz São Paulo na primeira leitura – mas que essa capacidade vem de Deus através do Espírito da vida comunicado por Jesus e que é os óculos da Lei para aquele que, querendo ser grande no Reino dos Céus, a pratica e ensina fielmente.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 5ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Memória de Santo Antônio de Pádua

    2 Coríntios 3,15-4,1.3-6

    Irmãos, 15até o dia de hoje, quando os israelitas leem os escritos de Moisés, um véu cobre o coração deles. 16Mas, todas as vezes que o coração se converte ao Senhor, o véu é tirado. 17Pois o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor, aí está a liberdade. 18Todos nós, porém, com o rosto descoberto, contemplamos e refletimos a glória do Senhor e assim somos transformados à sua imagem, pelo seu Espírito, com uma glória cada vez maior. 4,1Não desanimamos no exercício deste ministério que recebemos da misericórdia divina. 3E se o nosso evangelho está velado, é só para aqueles que perecem que ele está velado. 4O deus deste mundo cegou a inteligência desses incrédulos, para que eles não vejam a luz esplendorosa do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 5De fato, não nos pregamos a nós mesmos, pregamos a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós, apresentamo-nos como servos vossos, por causa de Jesus. 6Com efeito, Deus que disse: “Do meio das trevas brilhe a luz” é o mesmo que fez brilhar a sua luz em nossos corações, para tornar claro o conhecimento da sua glória na face de Cristo.

    Palavra do Senhor.

    Sl 84(85)

    A glória do Senhor habitará em nossa terra.

    Quero ouvir o que o Senhor irá falar: † é a paz que ele vai anunciar; / a paz para o seu povo e seus amigos. /
    Está perto a salvação dos que o temem, / e a glória habitará em nossa terra. – R.

    A verdade e o amor se encontrarão, / a justiça e a paz se abraçarão; /
    da terra brotará a fidelidade, / e a justiça olhará dos altos céus. – R.

    O Senhor nos dará tudo o que é bom, / e a nossa terra nos dará suas colheitas; /
    a justiça andará na sua frente / e a salvação há de seguir os passos seus. – R.

    Mateus 5,20-26

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da lei e dos fariseus, vós não entrareis no reino dos céus. 21Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal’. 22Eu, porém, vos digo, todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de tolo será condenado ao fogo do inferno. 23Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar e ali te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa a tua oferta ali, diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. 25Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. 26Em verdade eu te digo, dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

    Palavra da Salvação.

    “Todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo”.

    Antônio de Pádua ingressou na Ordem dos Frades Menores aos vinte e cinco anos de idade. Muito simples de coração, assumiu dentro da Ordem, funções humildes além da pregação. Dotado de muito conhecimento teológico e amor pelos pobres, voltou suas pregações contra a desigualdade e a injustiça social e a favor dos marginalizados e oprimidos.

    Santo Antônio seguiu fielmente os ensinamentos de Jesus como vemos no Evangelho de hoje em que Jesus pede para que a justiça de seus discípulos seja maior que a dos líderes do mundo. Santo Antônio viveu uma vida em favor da paz e da justiça do Reino, da comunhão e da reconciliação e defendeu até o último instante de sua vida o direito de igualdade entre todos.

    A sua devoção é uma das mais populares da Igreja e, principalmente, no Brasil com os devocionais pães abençoados e a bênção de Santo Antônio geralmente dada às terças-feiras, que são sinais que devem nos recordar a caridade e a amor desse Santo homem de Deus.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 6ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 4,7-15

    Irmãos, 7trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. 8Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; 9perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; 10por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. 11De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. 12Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós. 13Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, 14certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. 15E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus.

    Palavra do Senhor.

    Sl 115(116B)

    Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.

    Guardei a minha fé, mesmo dizendo: / “É demais o sofrimento em minha vida!” /
    Confiei quando dizia na aflição: / “Todo homem é mentiroso! Todo homem!” – R.

    É sentida por demais pelo Senhor / a morte de seus santos, seus amigos. /
    Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, † vosso servo que nasceu de vossa serva; /
    mas me quebrastes os grilhões da escravidão! – R.

    Por isso oferto um sacrifício de louvor, / invocando o nome santo do Senhor. /
    Vou cumprir minhas promessas ao Senhor / na presença de seu povo reunido. – R.

    Mateus 5,27-32

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 27“Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo, todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ir para o inferno. 31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo, todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”.

    Palavra da Salvação.

    “Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração”.

    Jesus segue comentando e ensinando a partir da Lei, assim, em cada um de seus discursos Ele começa dizendo “Ouvistes o que foi dito…”. Assim, tomando como fundamento a passagem da Lei a ser discutida “Não cometerás adultério”, em seguida Ele ressignifica a interpretação da Lei dando um sentido mais profundo e intenso, ampliando o seu sentido normativo para um sentido espiritual. Por isso, Ele diz “Eu, porém, vos digo…”, ou seja, eu interpreto o cerne do mandamento, voltando os olhos não apenas para o ato do adultério, mas o desejo de cometê-lo que o precede, “Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração”.

    Os mandamentos são a vontade de Deus manifesta aos homens e servem como guia e luz para o seu povo. O que os norteia é o amor de Deus que é Pai e quer instruir seu povo no caminho do seu amor. Jesus nada altera da Lei, mas mostra-nos o amor de Deus por detrás de cada mandamento.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Sábado da 10ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 5,14-21

    Irmãos, 14o amor de Cristo nos pressiona, pois julgamos que um só morreu por todos e que, logo, todos morreram. 15De fato, Cristo morreu por todos, para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 16Assim, doravante, não conhecemos ninguém conforme a natureza humana. E, se uma vez conhecemos Cristo segundo a carne, agora já não o conhecemos assim. 17Portanto, se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo. 18E tudo vem de Deus, que, por Cristo, nos reconciliou consigo e nos confiou o ministério da reconciliação. 19Com efeito, em Cristo, Deus reconciliou o mundo consigo, não imputando aos homens as suas faltas e colocando em nós a palavra da reconciliação. 20Somos, pois, embaixadores de Cristo, e é Deus mesmo que exorta através de nós. Em nome de Cristo, nós vos suplicamos: deixai-vos reconciliar com Deus. 21Aquele que não cometeu nenhum pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele nós nos tornemos justiça de Deus.

    Palavra do Senhor.

    Sl 102(103)

    O Senhor é indulgente, é favorável.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / e todo o meu ser, seu santo nome! /
    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! – R.

    Pois ele te perdoa toda culpa / e cura toda a tua enfermidade; /
    da sepultura ele salva a tua vida / e te cerca de carinho e compaixão. – R.

    O Senhor é indulgente, é favorável, / é paciente, é bondoso e compassivo. /
    Não fica sempre repetindo as suas queixas / nem guarda eternamente o seu rancor. – R.

    Quanto os céus por sobre a terra se elevam, / tanto é grande o seu amor aos que o temem; /
    quanto dista o nascente do poente, / tanto afasta para longe nossos crimes. – R.

    Mateus 5,33-37

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33“Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso’, mas ‘cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo, não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande rei. 36Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. 37Seja o vosso ‘sim’ sim e o vosso ‘não’ não. Tudo o que for além disso vem do maligno”.

    Palavra da Salvação

    “Eu vos digo: não jureis de modo algum”.

    O Evangelho de hoje nos convida a uma decisão, sem desculpas, sem titubeios e sem considerações. Jesus nos pede uma resposta objetiva às transformações que o mundo precisa passar para se configurar ao Reino dos Céus.

    Eliminando as alternativas de fuga para não assumir com fidelidade a proposta do Reino Ele diz “seja o vosso sim: sim, e o vosso não: não” por que “tudo o que for além disso vem do Maligno”, que causa divisão e que se opõe à comunhão com Deus. Jesus exorta para que não sejamos indecisos, acomodados e abertos às alternativas do Maligno de colocar a responsabilidade de nossas escolhas em outras coisas jurando por isso ou por aquilo como que fazendo dessas coisas fiadores das nossas escolhas.

    Por isso a interpretação da Lei se volta a essa afirmação “Eu vos digo: não jureis de modo algum”. Aquele que assume a proposta do Reino dos Céus se entrega à comunhão com Deus, reconhece que tudo vem dele e dá testemunho de sua escolha.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Santíssima Trindade

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • 2ª Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Provérbios 8,22-31

    Assim fala a sabedoria de Deus: 22“O Senhor me possuiu como primícias de seus caminhos, antes de suas obras mais antigas; 23desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes das origens da terra. 24Fui gerada quando não existiam os abismos, quando não havia os mananciais das águas, 25antes que fossem estabelecidas as montanhas, antes das colinas fui gerada. 26Ele ainda não havia feito as terras e os campos nem os primeiros vestígios de terra do mundo. 27Quando preparava os céus, ali estava eu; quando traçava a abóbada sobre o abismo, 28quando firmava as nuvens lá no alto e reprimia as fontes do abismo, 29quando fixava ao mar os seus limites – de modo que as águas não ultrapassassem suas bordas – e lançava os fundamentos da terra, 30eu estava ao seu lado como mestre de obras; eu era seu encanto, dia após dia, brincando, todo o tempo, em sua presença, 31brincando na superfície da terra e alegrando-me em estar com os filhos dos homens”.

    Palavra do Senhor.

    Sl 8

    Ó Senhor nosso Deus, como é grande / vosso nome por todo o universo!

    Contemplando estes céus que plasmastes / e formastes com dedos de artista; /
    vendo a lua e estrelas brilhantes, / perguntamos: “Senhor, que é o homem, /
    para dele assim vos lembrardes / e o tratardes com tanto carinho?” – R.

    Pouco abaixo de Deus o fizestes, / coroando-o de glória e esplendor; /
    vós lhe destes poder sobre tudo, / vossas obras aos pés lhe pusestes. – R.

    As ovelhas, os bois, os rebanhos, / todo o gado e as feras da mata; /
    passarinhos e peixes dos mares, / todo ser que se move nas águas. – R.

    Romanos 5,1-5

    Irmãos, 1justificados pela fé, estamos em paz com Deus, pela mediação do Senhor nosso, Jesus Cristo. 2Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus. 3E não só isso, pois nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a constância, 4a constância leva a uma virtude provada, a virtude provada desabrocha em esperança; 5e a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

    Palavra do Senhor.

    João 16,12-15

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará. 14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso disse que o que ele receberá e vos anunciará é meu”.

    Palavra da Salvação

    “Tudo o que o Pai possui é meu. O Espírito Santo receberá do que é meu e vo-lo anunciará”.

    Neste Domingo, celebramos a Santíssima Trindade: a perfeita comunhão entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo; um só Deus em três pessoas. Um dos modos de melhor compreendermos o mistério da Santíssima Trindade é olhá-lo como o amoroso abraço entre o Pai e o Filho; e o Espírito Santo sendo como o próprio abraço formando a comunidade perfeita.

    A Trindade não só se abraça, mas abraça toda a criação. Deus, o Criador veio até nós por meio do Filho, o Redentor; e permanece conosco por meio do Espírito Santo, o Abraço Santificador.

    Somos santificados por meio do Espírito e nos tornamos templos vivos deste mistério trinitário. Ele nos revela a verdade. Ele nos conduz à plena verdade. Sejamos, pois, anunciadores desta verdade.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 2ª feira da 11ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 6,1-10

    Irmãos, 1como colaboradores de Cristo, nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus, 2pois ele diz: “No momento favorável, eu te ouvi e, no dia da salvação, eu te socorri”. É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação. 3Não damos a ninguém nenhum motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja desacreditado. 4Mas em tudo nos recomendamos como ministros de Deus, com muita paciência, em tribulações, em necessidades, em angústias, 5em açoites, em prisões, em tumultos, em fadigas, em insônias, em jejuns, 6em castidade, em compreensão, em longanimidade, em bondade, no Espírito Santo, em amor sincero, 7em palavras verdadeiras, no poder de Deus, em armas de justiça, ofensivas e defensivas, 8em honra e desonra, em má ou boa fama; considerados sedutores, sendo, porém, verazes; 9como desconhecidos, sendo, porém, bem conhecidos; como moribundos, embora vivamos; como castigados, mas não mortos; 10como aflitos, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo muitos; como quem nada possui, mas tendo tudo.

    Palavra do Senhor.

    Sl 97

    O Senhor fez conhecer a salvação.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /
    Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /
    recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /
    Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    Mateus 5,38-42

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 38“Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ 39Eu, porém, vos digo, não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! 40Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! 41Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! 42Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado”.

    Palavra da Salvação.

    “Eu vos digo: não enfrenteis quem é malvado”.

    Sempre com mais facilidade, vomita-se ódio e violência sobre o ódio e a violência já existentes. Pois bem, como cristãos, nossa referência será sempre o Evangelho. Se alguém lhe bater na face, oferece-lhe o outro lado; ou se forçar-lhe a caminhar um quilômetro, caminhe dois com ele. Foi o que Jesus fez e é o que Ele pede a nós ao dizer: “amai-vos uns aos outros como eu vou amei”. Ele amou a humanidade pecadora. Ele amou aqueles que O cuspiam na face, que O chicoteavam, que O pregaram numa cruz.

    Do alto da cruz, Ele rezou ao Pai para que perdoasse os seus assassinos (certo que aqui estamos inclusos quando nos deleitamos em nossos vícios e pecados) dizendo que não sabiam o que estavam fazendo. Ele amou e perdoou.

    Reagir com violência está longe de ser algo que Jesus nos pediria. Ele nos ofereceu a vida, a misericórdia e o perdão. Deste modo, como cristãos, bem sabemos como agir frente às adversidades.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 3ª feira da 11ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 8,1-9

    1Irmãos, queremos levar ao vosso conhecimento a graça de Deus que foi concedida às Igrejas da Macedônia. 2Com efeito, em meio a grandes tribulações que as provaram, a sua extraordinária alegria e extrema pobreza transbordaram em tesouros de liberalidade. 3Eu sou testemunha de que esses irmãos, segundo os seus recursos e mesmo além dos seus recursos, por sua própria iniciativa 4e com muita insistência, nos pediram a graça de participar da coleta em favor dos santos de Jerusalém. 5E, indo além de nossas expectativas, colocaram-se logo à disposição do Senhor e também à nossa, pela vontade de Deus. 6Por isso solicitamos a Tito que, assim como a iniciou, ele leve a bom termo entre vós essa obra de generosidade. 7E como tendes tudo em abundância – fé, eloquência, ciência, zelo para tudo e a caridade de que vos demos o exemplo –, assim também procurai ser abundantes nesta obra de generosidade. 8Não é uma ordem que estou dando; mas é para testar a sinceridade da vossa caridade que eu lembro a boa vontade de outros. 9Na verdade, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo: de rico que era, tornou-se pobre por causa de vós, para que vos torneis ricos por sua pobreza.

    Palavra do Senhor.

    Sl 145(146)

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

    Bendirei ao Senhor toda a vida, / cantarei ao meu Deus sem cessar! – R.

    É feliz todo homem que busca † seu auxílio no Deus de Jacó / e que põe no Senhor a esperança. /
    O Senhor fez o céu e a terra, † fez o mar e o que neles existe. / O Senhor é fiel para sempre. – R.

    Faz justiça aos que são oprimidos; † ele dá alimento aos famintos, /
    é o Senhor quem liberta os cativos. – R.

    O Senhor abre os olhos aos cegos, / o Senhor faz erguer-se o caído, /
    o Senhor ama aquele que é justo. / É o Senhor quem protege o estrangeiro. – R.

    Mateus 5,43-48

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo, amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! 45Assim vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

    Palavra da Salvação.

    “Amai os vossos inimigos”.

    A lógica de Jesus e do seu Evangelho será sempre a do amor. É isso que ele nos pede no Evangelho de hoje; que amemos não só nossos amigos, mas também nossos inimigos e nos recorda que somente assim nos tornaremos autênticos filhos de Deus Pai que está no céu. Nos recorda também que Deus faz cair a chuva sobre os justos e os injustos, faz nascer o sol para os maus e para os bons. Deus ama a humanidade inteira sem distinção.

    Deus é perfeito. Seu amor para conosco é perfeito. E Jesus conclui: “Sede perfeitos como vosso Pai que está nos céus é perfeito”. Ele nos chama a perfeição na prática do amor, da misericórdia e do perdão. Nos chama a sermos filhos perfeitos de um Pai que é Perfeito.

    Amar como Deus ama exige de nós a iniciativa de derrubarmos os muros do preconceito, da discriminação. Exige de nós encarar os desafios com esperança com um amor aberto a todos.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 4ª feira da 11ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 9,6-11

    Irmãos, 6“quem semeia pouco colherá também pouco, e quem semeia com largueza colherá também com largueza”. 7Dê cada um conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar nem constrangimento, pois Deus “ama quem dá com alegria”. 8Deus é poderoso para vos cumular de toda sorte de graças, para que, em tudo, tenhais sempre o necessário e ainda tenhais de sobra para toda obra boa, 9como está escrito: “Distribuiu generosamente, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”. 10Aquele que dá a semente ao semeador e lhe dará o pão como alimento, ele mesmo multiplicará as vossas sementes e aumentará os frutos da vossa justiça. 11Assim, ficareis enriquecidos em tudo e podereis praticar toda espécie de liberalidade, que, através de nós, resultará em ação de graças a Deus.

    Palavra do Senhor.

    Sl 111(112)

    Feliz aquele que respeita o Senhor!

    Feliz o homem que respeita o Senhor / e que ama com carinho a sua lei! /
    Sua descendência será forte sobre a terra, / abençoada a geração dos homens retos! – R.

    Haverá glória e riqueza em sua casa, / e permanece para sempre o bem que fez. /
    Ele é correto, generoso e compassivo, / como luz brilha nas trevas para os justos. – R.

    Ele reparte com os pobres os seus bens, † permanece para sempre o bem que fez, /
    e crescerão a sua glória e seu poder. – R.

    Mateus 6,1-6.16-18

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus. 2Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo, eles já receberam a sua recompensa. 3Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, 4de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. 5Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo, eles já receberam a sua recompensa. 6Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa. 16Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo, eles já receberam a sua recompensa. 17Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que os homens não vejam que tu estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.

    Palavra da Salvação.

    “Teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.

    No Evangelho de hoje, Jesus nos alerta contra hipocrisia em que facilmente caímos, ainda que nossas ações sejam boas. Jesus cita os exemplos da esmola, da oração e do jejum: que ao pô-los em prática não sejamos como os hipócritas que chamam a atenção para si.

    Nossa busca pelo bem, pelas boas obras, pela vivência do evangelho deve sempre ser uma resposta de amor e nunca um meio de promoção pessoal, onde entrelinhas ou, às vezes, explicitamente, afirmamos sermos os “bons”, os “melhores”, os mais “generosos” que os demais de nossa comunidade.

    Agindo assim nós mesmos já nos recompensamos pelo bem que fizemos, mas ao contrário devemos esperar a recompensa do alto e no silêncio das nossas ações confiar que Deus, nosso Pai, que vê o que está escondido e silencioso, nos dará a sua recompensa.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • 2ª Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Gênesis 14,18-20

    Naqueles dias, 18Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho e, como sacerdote do Deus altíssimo, 19abençoou Abrão, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus altíssimo, criador do céu e da terra! 20Bendito seja o Deus altíssimo, que entregou teus inimigos em tuas mãos!” E Abrão entregou-lhe o dízimo de tudo.

    Palavra do Senhor.

    Sl 109(110)

    Tu és sacerdote eternamente, / segundo a ordem do rei Melquisedeque!

    Palavra do Senhor ao meu Senhor: / “Assenta-te ao lado meu direito /
    até que eu ponha os inimigos teus / como escabelo por debaixo de teus pés!” – R.

    O Senhor estenderá desde Sião † vosso cetro de poder, pois ele diz: /
    “Domina com vigor teus inimigos. – R.

    Tu és príncipe desde o dia em que nasceste; † na glória e esplendor da santidade, /
    como o orvalho, antes da aurora, eu te gerei!” – R.

    Jurou o Senhor e manterá sua palavra: † “Tu és sacerdote eternamente, /
    segundo a ordem do rei Melquisedeque!” – R.

    1 Coríntios 11,23-26

    Irmãos, 23o que eu recebi do Senhor, foi isso que eu vos transmiti: na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão 24e, depois de dar graças, partiu-o e disse: “Isto é o meu corpo, que é dado por vós. Fazei isto em minha memória”. 25Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança, em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória”. 26Todas as vezes, de fato, que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, estareis proclamando a morte do Senhor, até que ele venha.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 9,11-17

    Naquele tempo, 11Jesus acolheu as multidões, falava-lhes sobre o reino de Deus e curava todos os que precisavam. 12A tarde vinha chegando. Os doze apóstolos aproximaram-se de Jesus e disseram: “Despede a multidão, para que possa ir aos povoados e campos vizinhos procurar hospedagem e comida, pois estamos num lugar deserto”. 13Mas Jesus disse: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Eles responderam: “Só temos cinco pães e dois peixes. A não ser que fôssemos comprar comida para toda essa gente”. 14Estavam ali mais ou menos cinco mil homens. Mas Jesus disse aos discípulos: “Mandai o povo sentar-se em grupos de cinquenta”. 15Os discípulos assim fizeram, e todos se sentaram. 16Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, elevou os olhos para o céu, abençoou-os, partiu-os e os deu aos discípulos para distribuí-los à multidão. 17Todos comeram e ficaram satisfeitos. E ainda foram recolhidos doze cestos dos pedaços que sobraram.

    Palavra da Salvação.

    “Todos comeram e ficaram satisfeitos”.

    Ao celebrarmos o Santíssimo Corpo e Sangue do Senhor, fazemos um desdobramento da quinta-feira Santa; dia em que Jesus instituiu a Eucaristia. Fazemos memória da doação, da entrega total de Jesus Cristo ao Pai para a salvação da humanidade.

    O Evangelho que a liturgia propõe para esta solenidade é a multiplicação dos pães. Com cinco pães e dois peixes, foram alimentados cerca de cinco mil homens. Jesus não desampara aqueles que O buscam. Distribui o pão àquela multidão faminta e a deixa satisfeita. Tamanha multidão não tinha somente fome de pão, mas também fome de Deus; por isso seguiam Jesus e se alimentavam também de sua Palavra.

    Hoje celebramos o sacrifício redentor de Cristo na forma do pão partilhado e do cálice do seu sangue, que é a nova eterna Aliança. Ele não nos desampara; o pão e o vinho tornar-se-ão seu Corpo e Sangue, sinal permanente de Deus-Amor que se fez homem, que se fez pão. Contemplemos tamanho mistério deste amor-doação.

    Reflexão feita pelos noviços

  • 6ª feira da 11ª semana do Tempo Comum

    • 1ª Leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    2 Coríntios 11,18.21-30

    Irmãos, 18já que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei. 21O que outros ousam dizer em vantagem própria, eu também o digo a meu respeito, embora fale como insensato. 22São hebreus? Eu também. São israelitas? Eu também. São da descendência de Abraão? Eu também. 23São servos de Cristo? Como menos sensato, digo: eu ainda mais. De fato, muito mais do que eles: pelos trabalhos, pelas prisões, pelos açoites sem conta. Muitas vezes, vi-me em perigo de morte. 24Cinco vezes, recebi dos judeus quarenta açoites menos um. 25Três vezes, fui batido com varas. Uma vez, fui apedrejado. Três vezes, naufraguei. Passei uma noite e um dia no alto-mar. 26Fiz inúmeras viagens, com inúmeros perigos: perigos de rios, perigos de ladrões, perigos da parte de meus compatriotas, perigos da parte dos pagãos, perigos na cidade, perigos em lugares desertos, perigos no mar, perigos por parte de falsos irmãos. 27Trabalhos e fadigas, inúmeras vigílias, fome e sede, frequentes jejuns, frio e nudez! 28E sem falar de outras coisas, a minha preocupação de cada dia, a solicitude por todas as igrejas! 29Quem é fraco, que eu também não seja fraco com ele? Quem é escandalizado, que eu não fique ardendo de indignação? 30Se é preciso gloriar-se, é de minhas fraquezas que me gloriarei!

    Palavra do Senhor.

    33(34)

    O Senhor liberta os justos de todas as angústias!

    Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. /
    Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem! – R.

    Comigo engrandecei ao Senhor Deus, / exaltemos todos juntos o seu nome! /
    Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu / e de todos os temores me livrou. – R.

    Contemplai a sua face e alegrai-vos, / e vosso rosto não se cubra de vergonha! /
    Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia. – R.

    Mateus 6,19-23

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 19“Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e os ladrões assaltam e roubam. 20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem nem os ladrões assaltam e roubam. 21Porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. 22O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. 23Se o teu olho está doente, todo o teu corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão”.

    Palavra da Salvação.

    “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”.

    Neste dia em que fazemos memória de São Luís Gonzaga, um jovem religioso jesuíta que morreu vitimado por uma doença, contraída por causa do serviço prestado em favor do próximo, o Evangelho nos pede para acumularmos tesouros no céu e não na terra, ou seja, pede que façamos o bem, que amemos o próximo, que a exemplo de São Luís sejamos capazes de ter um coração voltado para Deus e que estejamos sempre prontos ao serviço do próximo.

    Breve é a nossa estadia sobre a terra. Breve é a duração dos tesouros que aqui podemos acumular, mas eterna é a felicidade daqueles que com Deus partilham a vida. Eterna é a alegria daqueles que sabem e buscam doar a sua vida em favor dos irmãos.

    Reflexão feita pelos noviços

  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos