Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Liturgia diária

maio/2024

  • 4ª-feira da 5ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    Atos 15,1-6

    Naqueles dias, 1chegaram alguns da Judeia e ensinavam aos irmãos de Antioquia, dizendo: “Vós não podereis salvar-vos se não fordes circuncidados, como ordena a Lei de Moisés”. 2Isso provocou muita confusão, e houve uma grande discussão de Paulo e Barnabé com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnabé e alguns outros fossem a Jerusalém para tratar dessa questão com os apóstolos e os anciãos. 3Depois de terem sido acompanhados pela comunidade, Paulo e Barnabé atravessaram a Fenícia e a Samaria. Contaram sobre a conversão dos pagãos, causando grande alegria entre todos os irmãos. 4Chegando a Jerusalém, foram recebidos pelos apóstolos e anciãos e narraram as maravilhas que Deus tinha realizado por meio deles. 5Alguns dos que tinham pertencido ao partido dos fariseus e que haviam abraçado a fé levantaram-se e disseram que era preciso circuncidar os pagãos e obrigá-los a observar a Lei de Moisés. 6Então, os apóstolos e os anciãos reuniram-se para tratar desse assunto.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 121(122)
    Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

    Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!” /
    E agora nossos pés já se detêm, / Jerusalém, em tuas portas. – R.

    Jerusalém, cidade bem edificada / num conjunto harmonioso; /
    para lá sobem as tribos de Israel, / as tribos do Senhor. – R.

    Para louvar, segundo a lei de Israel, / o nome do Senhor. /
    A sede da justiça lá está / e o trono de Davi. – R.

    João 15,1-8

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1“Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. 2Todo ramo que em mim não dá fruto, ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto ainda. 3Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei. 4Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto se não permanecerdes em mim. 5Eu sou a videira, e vós os ramos. Aquele que permanece em mim, e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6Quem não permanecer em mim será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados. 7Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. 8Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos”.

    Palavra da salvação.

  • Santo Atanásio

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 15,7-21

    Naqueles dias, 7depois de longa discussão, Pedro levantou-se e falou aos apóstolos e anciãos: “Irmãos, vós sabeis que, desde os primeiros dias, Deus me escolheu do vosso meio para que os pagãos ouvissem de minha boca a palavra do Evangelho e acreditassem. 8Ora, Deus, que conhece os corações, testemunhou a favor deles, dando-lhes o Espírito Santo como o deu a nós. 9E não fez nenhuma distinção entre nós e eles, purificando o coração deles mediante a fé. 10Então, por que vós agora colocais Deus à prova, querendo impor aos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós mesmos tivemos força para suportar? 11Ao contrário, é pela graça do Senhor Jesus que acreditamos ser salvos, exatamente como eles”. 12Houve então um grande silêncio em toda a assembleia. Depois disso, ouviram Barnabé e Paulo contar todos os sinais e prodígios que Deus havia realizado, por meio deles, entre os pagãos. 13Quando Barnabé e Paulo terminaram de falar, Tiago tomou a palavra e disse: “Irmãos, ouvi-me: 14Simão acaba de nos lembrar como, desde o começo, Deus se dignou tomar homens das nações pagãs para formar um povo dedicado ao seu nome. 15Isso concorda com as palavras dos profetas, pois está escrito: 16‘Depois disso, eu voltarei e reconstruirei a tenda de Davi que havia caído; reconstruirei as ruínas que ficaram e a reerguerei, 17a fim de que o resto dos homens procure o Senhor com todas as nações que foram consagradas ao meu nome. É o que diz o Senhor, que fez essas coisas, 18conhecidas há muito tempo’. 19Por isso, sou do parecer que devemos parar de importunar os pagãos que se convertem a Deus. 20Vamos somente prescrever que eles evitem o que está contaminado pelos ídolos, as uniões ilegítimas, comer carne de animal sufocado e o uso do sangue. 21Com efeito, desde os tempos antigos, em cada cidade Moisés tem os seus pregadores, que o leem todos os sábados nas sinagogas”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 95(96)
    Anunciai as maravilhas do Senhor / entre todas as nações.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, † cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! /
    Cantai e bendizei seu santo nome! – R.

    Dia após dia anunciai sua salvação, † manifestai a sua glória entre as nações /
    e entre os povos do universo seus prodígios! – R.

    Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!” † Ele firmou o universo inabalável, /
    ois os povos ele julga com justiça. – R.

    João 15,9-11

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena”.

    Palavra da salvação.

    “Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor.”

    Estimados irmãos, animados pelas palavras do Mestre, saíamos ao encontro de Sua plena alegria. Não nos afastemos pela inobservância, mas cultivemos o seu amor guardando os seus mandamentos, pois se assim o fizermos – como também Ele o fez, porque diz: “assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor”- permaneceremos em seu amor, como Ele permanece no amor do Pai.

    Sigamos o nobre exemplo de Santo Atanásio, bispo e doutor da Igreja, que apesar de perseguido e exilado por fazer-se intrépido defensor da fé, não se deixou sucumbir negligenciando a observância dos mandamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas guardando-os consolava-se na fé de que participaria com o Cristo da plena alegria.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Santos Filipe e Tiago

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    1Coríntios 15,1-8

    1Irmãos, quero lembrar-vos o Evangelho que vos preguei e que recebestes, e no qual estais firmes. 2Por ele sois salvos, se o estais guardando tal qual ele vos foi pregado por mim. De outro modo, teríeis abraçado a fé em vão. 3Com efeito, transmiti-vos, em primeiro lugar, aquilo que eu mesmo tinha recebido, a saber: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; 4que foi sepultado; que, ao terceiro dia, ressuscitou, segundo as Escrituras; 5e que apareceu a Cefas e, depois, aos Doze. 6Mais tarde, apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma vez. Destes, a maioria ainda vive e alguns já morreram. 7Depois, apareceu a Tiago e, depois, apareceu aos apóstolos todos juntos. 8Por último, apareceu também a mim, como a um abortivo.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 18(19)
    Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.

    Os céus proclamam a glória do Senhor, / e o firmamento, a obra de suas mãos; /
    o dia ao dia transmite esta mensagem, / a noite à noite publica esta notícia. – R.

    Não são discursos nem frases ou palavras, / nem são vozes que possam ser ouvidas; /
    seu som ressoa e se espalha em toda a terra, / chega aos confins do universo a sua voz. – R.

    João 14,6-14

    Naquele tempo, Jesus disse a Tomé: 6“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. 7Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conheceis e o vistes”. 8Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!” 9Jesus respondeu: “Há tanto tempo estou convosco e não me conheces, Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: ‘Mostra-nos o Pai’? 10Não acreditas que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras. 11Acreditai-me, eu estou no Pai, e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa dessas mesmas obras. 12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço e fará ainda maiores do que estas, pois eu vou para o Pai. 13E o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei”.

    Palavra da salvação.

    “Quem me viu, viu o Pai.”

    Irmãos, o presente Evangelho deseja comunicar-nos a compreensão da perfeita comunhão entre o Pai e o Filho. Perfeição esta que Ele anseia por fazer conosco e Ele, a exemplo da anterior.

    Dá-nos a compreender o redentor: “o Pai serve-se do Filho, comunica-se por Ele e através dEle realiza as suas obras”. Em seguida pede-nos que acreditemos, ao menos, por causa destas mesmas obras.

    Não façamos como Felipe – o apóstolo, que juntamente com Thiago recebe os louvores da Igreja no dia de hoje por seus méritos em Cristo – e  às pressas peçamos, sem compreender as palavras do Mestre, ofendendo-o por desejar contemplar o Pai sem reconhecê-lo no Filho, que por tanto tempo esteve junto deles e, por seu turno, permanece no meio de nós. Peçamos, ao contrário, humildemente, com a certeza que nos dá de que seremos atendidos, a graça de, imbuídos do seu Santo Espírito, reconhecermos verdadeiramente em seu semblante humano-divino, a perfeita imagem e semelhança do Pai.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 5ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 16,1-10

    Naqueles dias, 1Paulo foi para Derbe e Listra. Havia em Listra um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia, crente, e de pai grego. 2Os irmãos de Listra e Icônio davam bom testemunho de Timóteo. 3Paulo quis então que Timóteo partisse com ele. Tomou-o consigo e circuncidou-o, por causa dos judeus que se encontravam nessas regiões, pois todos sabiam que o pai de Timóteo era grego. 4Percorrendo as cidades, Paulo e Timóteo transmitiam as decisões que os apóstolos e anciãos de Jerusalém haviam tomado. E recomendavam que fossem observadas. 5As Igrejas fortaleciam-se na fé e, de dia para dia, cresciam em número. 6Paulo e Timóteo atravessaram a Frígia e a região da Galácia, pois o Espírito Santo os proibira de pregar a Palavra de Deus na Ásia. 7Chegando perto da Mísia, eles tentaram entrar na Bitínia, mas o Espírito de Jesus os impediu. 8Então atravessaram a Mísia e desceram para Trôade. 9Durante a noite, Paulo teve uma visão: na sua frente, estava de pé um macedônio que lhe suplicava: “Vem à Macedônia e ajuda-nos!” 10Depois dessa visão, procuramos partir imediatamente para a Macedônia, pois estávamos convencidos de que Deus acabava de nos chamar para pregar-lhes o Evangelho.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 99(100)
    Aclamai o Senhor, ó terra inteira.

    Aclamai o Senhor, ó terra inteira, † servi ao Senhor com alegria, / ide a ele, cantando jubilosos! – R.

    Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, † ele mesmo nos fez e somos seus, / nós somos seu povo e seu rebanho. – R.

    Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, † sua bondade perdura para sempre, / seu amor é fiel eternamente! – R.

    João 15,18-21

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 18“Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim. 19Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence. Mas, porque não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia. 20Lembrai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior que seu senhor’. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós. Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. 21Tudo isso eles farão contra vós por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

    Palavra da salvação.

    “O servo não é maior que o seu Senhor”.

    O Evangelho de hoje é um aviso: o mundo tentará impedir aqueles que proclamarem o Cristo. São João, no princípio de seu escrito, fala-nos da Luz que veio para os seus, mas os seus não o acolheram. Aqui, o próprio Cristo o afirma: odiaram a Ele, também odiarão os seus enviados. Isto, contudo, pertence à dinâmica do assemelhar-se ao Mestre: se o mundo vos odeia, sabei que primeiro odiou a mim. A promoção do Evangelho, o Reino do Amor e de serviço, perpassa pela cruz diária, como o Senhor passou. A ressurreição se manifesta após a dor: eis a exigência do discipulado. O quanto somos capazes de ceder de nós pelo projeto divino? Mas atentemos que, embora o mundo nos persiga, também são muitos os que guardam a Palavra e os frutos, é por eles que o Senhor nos chama a partilhar da sua Boa-Nova.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6º Domingo da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 10,25-26.34-35.44-48

    25Quando Pedro estava para entrar em casa, Cornélio saiu-lhe ao encontro, caiu a seus pés e se prostrou. 26Mas Pedro levantou-o, dizendo: “Levanta-te. Eu também sou apenas um homem”. 34Então, Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença”. 44Pedro estava ainda falando quando o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a palavra. 45Os fiéis de origem judaica, que tinham vindo com Pedro, ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo fosse derramado também sobre os pagãos. 46Pois eles os ouviam falar e louvar a grandeza de Deus em línguas estranhas. Então Pedro falou: 47“Podemos, por acaso, negar a água do batismo a estas pessoas que receberam, como nós, o Espírito Santo?” 48E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Eles pediram, então, que Pedro ficasse alguns dias com eles.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 97(98)
    O Senhor fez conhecer a salvação / e revelou sua justiça às nações.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /
    Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /
    recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /
    Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    1 João 4,7-10

    Caríssimos, 7amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. 8Quem não ama não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor. 9Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. 10Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados.

    Palavra do Senhor.

    João 15,9-17

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena. 12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. 14Vós sois meus amigos se fizerdes o que eu vos mando. 15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.

    Palavra da salvação.

    “Deus é amor”

    Deus é Amor. Tudo é e está criado e posto por Deus por causa do amor. O Verbo se fez carne por amor. Padeceu e foi sepultado por amor. Ressuscitou e deu-nos nova vida por amor. O homem foi criado para o amor. A identidade de Deus e do homem, feito sua imagem e semelhança, está no amor. Para o cristão, existe um modelo perfeito de amor dado por um homem: o de Jesus Cristo. Amou-nos até a cruz, deu a vida por nós, como ele mesmo anunciou: Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. Nós somos seus amigos, pois Ele mesmo nos amou por primeiro, nos escolheu e deu sua vida por nós. Se damos valor à sua amizade e a queremos, devemos amar. Para São João, só nasceu de Deus e O conhece aquele que ama. Mas amar a quem ou a que? Cristo é claro: amai-vos uns aos outros. E como? Assim como eu vos amei. Portanto, o quanto temos sido capazes de amar? De morrer pelo amigo? O amor é exigente, mas só nele a vida encontra plenitude. Porque todo Bem de Deus se manifesta pelo amor e é pelo tanto com que nos amamos que nos assemelhamos em Jesus.

                                                                 Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª-feira da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 16,11-15

    11Embarcamos em Trôade e navegamos diretamente para a ilha de Samotrácia. No dia seguinte, ancoramos em Neápolis, 12de onde passamos para Filipos, que é uma das principais cidades da Macedônia e que tem direitos de colônia romana. Passamos alguns dias nessa cidade. 13No sábado, saímos além da porta da cidade para um lugar junto ao rio, onde nos parecia haver oração. Sentados, começamos a falar com as mulheres que estavam aí reunidas. 14Uma delas chamava-se Lídia; era comerciante de púrpura, da cidade de Tiatira. Lídia acreditava em Deus e escutava com atenção. O Senhor abriu o seu coração para que aceitasse as palavras de Paulo. 15Após ter sido batizada, assim como toda a sua família, ela convidou-nos: “Se vós me considerais uma fiel do Senhor, permanecei em minha casa”. E forçou-nos a aceitar.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 149
    O Senhor ama seu povo de verdade.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / e o seu louvor na assembleia dos fiéis! /
    Alegre-se Israel em quem o fez, / e Sião se rejubile no seu rei! – R.

    Com danças glorifiquem o seu nome, / toquem harpa e tambor em sua honra! /
    Porque, de fato, o Senhor ama seu povo / e coroa com vitória os seus humildes. – R.

    Exultem os fiéis por sua glória / e, cantando, se levantem de seus leitos /
    com louvores do Senhor em sua boca. / Eis a glória para todos os seus santos. – R.

    João 15,26-16,4

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 26“Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. 16,1Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. 2Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. 3Agirão assim porque não conheceram o Pai nem a mim. 4Eu vos digo isso para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora”.

    Palavra da salvação.

    “A vossa fé não seja abalada ”.

    Novamente, o Cristo não oculta que seu seguimento trará dificuldades. Tentarão perseguir e até matar os seus. Diante disso, podemos ter a fé abalada, entristecer diante dos obstáculos no cumprimento da vontade de Deus. Mas a fé deve ser um fundamento de confiança em Deus. Quem é maior, o servo ou o Senhor? Se cremos, mesmo que soframos quedas e derrotas, nada pode nos manter sepultados: Cristo ressuscitou. E é uma promessa do ressuscitado: aqueles que com Ele permanecem terão o Espírito da Verdade. Neste Espírito devemos nos mover em amor que é capaz de tirar o bem até das piores situações.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 3ª-feira da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 16,22-34

    Naqueles dias, 22a multidão dos filipenses levantou-se contra Paulo e Silas; e os magistrados, depois de lhes rasgarem as vestes, mandaram açoitar os dois com varas. 23Depois de açoitá-los bastante, lançaram-nos na prisão, ordenando ao carcereiro que os guardasse com toda a segurança. 24Ao receber essa ordem, o carcereiro levou-os para o fundo da prisão e prendeu os pés deles no tronco. 25À meia-noite, Paulo e Silas estavam rezando e cantando hinos a Deus. Os outros prisioneiros os escutavam. 26De repente, houve um terremoto tão violento, que sacudiu os alicerces da prisão. Todas as portas se abriram e as correntes de todos se soltaram. 27O carcereiro acordou e viu as portas da prisão abertas. Pensando que os prisioneiros tivessem fugido, puxou da espada e estava para suicidar-se. 28Mas Paulo gritou com voz forte: “Não te faças mal algum! Nós estamos todos aqui”. 29Então o carcereiro pediu tochas, correu para dentro e, tremendo, caiu aos pés de Paulo e Silas. 30Conduzindo-os para fora, perguntou: “Senhores, que devo fazer para ser salvo?” 31Paulo e Silas responderam: “Crê no Senhor Jesus e sereis salvos tu e todos os de tua família”. 32Então Paulo e Silas anunciaram a Palavra do Senhor ao carcereiro e a todos os da sua família. 33Na mesma hora da noite, o carcereiro levou-os consigo para lavar as feridas causadas pelos açoites. E, imediatamente, foi batizado junto com todos os seus familiares. 34Depois fez Paulo e Silas subirem até sua casa, preparou-lhes um jantar e alegrou-se com todos os seus familiares por ter acreditado em Deus.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 137(138)
    Ó Senhor, me estendeis o vosso braço e me ajudais.

    Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, / porque ouvistes as palavras dos meus lábios! /
    Perante os vossos anjos vou cantar-vos / e ante o vosso templo vou prostrar-me. – R.

    Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, / porque fizestes muito mais que prometestes; /
    naquele dia em que gritei, vós me escutastes / e aumentastes o vigor da minha alma. – R.

    Estendereis o vosso braço em meu auxílio / e havereis de me salvar com vossa destra. /
    Completai em mim a obra começada; / ó Senhor, vossa bondade é para sempre! /
    Eu vos peço: não deixeis inacabada / esta obra que fizeram vossas mãos! – R.

    João 16,5-11

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 5“Agora, parto para aquele que me enviou e nenhum de vós me pergunta ‘para onde vais?’ 6Mas, porque vos disse isso, a tristeza encheu os vossos corações. 7No entanto, eu vos digo a verdade: é bom para vós que eu parta; se eu não for, não virá até vós o Defensor; mas, se eu me for, eu vo-lo mandarei. 8E quando vier, ele demonstrará ao mundo em que consistem o pecado, a justiça e o julgamento: 9o pecado, porque não acreditaram em mim; 10a justiça, porque vou para o Pai, de modo que não mais me vereis; 11e o julgamento, porque o chefe deste mundo já está condenado”.

    Palavra da salvação.

    “Se eu não for, não virá até vós o Defensor”

    Hoje nosso Senhor aparece antecipando aos seus discípulos o que em breve seria a sua despedida deste mundo. Faz parte do plano salvífico, segundo o anúncio dos profetas, a sua partida para o céu para nos mostrar as consequências do pecado, o rosto da justiça divina e a condenação que o Pai nos imporá. Mas, ao contrário do que podemos intuir, no seu infinito amor e misericórdia, ele deixa conosco o Espírito Santo, paráclito, que nos acompanhará assim que assumirmos o compromisso fiel de cultivar a nossa fé. Sejamos felizes e esperançosos de ter um Deus que está sempre ao nosso lado em todos os momentos de nossas vidas.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4ª-feira da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 17,15.22-18,1

    Naqueles dias, 15os que conduziram Paulo levaram-no até Atenas. De lá, voltando, transmitiram a Silas e Timóteo a ordem de que fossem ter com ele o mais cedo possível. E partiram. 22De pé, no meio do areópago, Paulo disse: “Homens atenienses, em tudo eu vejo que vós sois extremamente religiosos. 23Com efeito, passando e observando os vossos lugares de culto, encontrei também um altar com esta inscrição: ‘Ao Deus desconhecido’. Pois bem, esse Deus que vós adorais sem conhecer é exatamente aquele que eu vos anuncio. 24O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe; sendo Senhor do céu e da terra, ele não habita em santuários feitos por mãos humanas. 25Também não é servido por mãos humanas, como se precisasse de alguma coisa; pois é ele que dá a todos vida, respiração e tudo o mais. 26De um só homem ele fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, tendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites de sua habitação. 27Assim fez, para que buscassem a Deus e para ver se o descobririam, ainda que às apalpadelas. Ele não está longe de cada um de nós, 28pois nele vivemos, nos movemos e existimos, como disseram alguns dentre vossos poetas: ‘Somos da raça do próprio Deus’. 29Sendo, portanto, da raça de Deus, não devemos pensar que a divindade seja semelhante a ouro, prata ou pedra, trabalhados pela arte e imaginação do homem. 30Mas Deus, sem levar em conta os tempos da ignorância, agora anuncia aos homens que todos e em todo lugar se arrependam, 31pois ele estabeleceu um dia em que irá julgar o mundo com justiça por meio do homem que designou diante de todos, oferecendo uma garantia, ao ressuscitá-lo dos mortos”. 32Quando ouviram falar da ressurreição dos mortos, alguns caçoavam e outros diziam: “Nós te ouviremos falar disso em outra ocasião”. 33Assim Paulo saiu do meio deles. 34Alguns, porém, uniram-se a ele e abraçaram a fé. Entre eles estava também Dionísio, o areopagita, uma mulher chamada Dâmaris e outros com eles. 18,1Paulo deixou Atenas e foi para Corinto.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 148
    Da vossa glória estão cheios o céu e a terra.

    Louvai o Senhor Deus nos altos céus, / louvai-o no excelso firmamento! /
    Louvai-o, anjos seus, todos louvai-o, / louvai-o, legiões celestiais! – R.

    Reis da terra, povos todos, bendizei-o, / e vós, príncipes e todos os juízes; /
    e vós, jovens, e vós, moças e rapazes, / anciãos e criancinhas, bendizei-o! – R.

    Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos, / porque somente o seu nome é excelso! /
    A majestade e esplendor de sua glória / ultrapassam em grandeza o céu e a terra. – R.

    Ele exaltou seu povo eleito em poderio, / ele é o motivo de louvor para os seus santos. /
    É um hino para os filhos de Israel, / este povo que ele ama e lhe pertence. – R.

    João 16,12-15

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará. 14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso disse que o que ele receberá e vos anunciará é meu”.

    Palavra da salvação.

    “O Espírito da Verdade vos conduzirá à plena verdade.”

    Hoje o Espírito Santo apresenta-se como a pessoa que permanece ao nosso lado naquela dualidade de intermediação entre o pastor supremo e o seu rebanho. É a verdade revelada que acompanha a nossa caminhada. Ele é o mensageiro que nos permite compreender o plano da salvação em todo o seu esplendor. A nossa ambição de conhecimento tem muitas vezes a sua origem em querer explicar fenômenos e manifestações racionais de fé na nossa experiência pessoal, mas o próprio Jesus adverte os seus discípulos de que a compreensão humana é limitada. Portanto, estejamos todos os dias abertos de coração e de mente para sermos destinatários da graça do Espírito infundida na nossa alma e para podermos deixar-nos guiar por Aquele que nunca esquece a sua Igreja.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª-feira da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 18,1-8

    Naqueles dias, 1Paulo deixou Atenas e foi para Corinto. 2Aí encontrou um judeu chamado Áquila, natural do Ponto, que acabava de chegar da Itália, e sua esposa, Priscila, pois o imperador Cláudio tinha decretado que todos os judeus saíssem de Roma. Paulo entrou em contato com eles. 3E, como tinham a mesma profissão – eram fabricantes de tendas -, Paulo passou a morar com eles e trabalhavam juntos. 4Todos os sábados, Paulo discutia na sinagoga, procurando convencer judeus e gregos. 5Quando Silas e Timóteo chegaram da Macedônia, Paulo dedicou-se inteiramente à Palavra, testemunhando diante dos judeus que Jesus era o Messias. 6Mas, por causa da resistência e blasfêmias deles, Paulo sacudiu as vestes e disse: “Vós sois responsáveis pelo que acontecer. Eu não tenho culpa; de agora em diante, vou dirigir-me aos pagãos”. 7Então, saindo dali, Paulo foi para a casa de um pagão, um certo Tício Justo, adorador do Deus único, que morava ao lado da sinagoga. 8Crispo, o chefe da sinagoga, acreditou no Senhor com toda a sua família; e muitos coríntios que escutavam Paulo acreditavam e recebiam o batismo.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 97(98)
    O Senhor fez conhecer seu poder salvador / perante as nações.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /
    Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /
    recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /
    Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    João 16,16-20

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16“Pouco tempo ainda e já não me vereis. E outra vez pouco tempo e me vereis de novo”. 17Alguns dos seus discípulos disseram então entre si: “O que significa o que ele nos está dizendo: ‘Pouco tempo e não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis de novo’, e: ‘Eu vou para junto do Pai’?” 18Diziam, pois: “O que significa esse pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer”. 19Jesus compreendeu que eles queriam interrogá-lo; então, disse-lhes: “Estais discutindo entre vós porque eu disse: ‘Pouco tempo e já não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis’? 20Em verdade, em verdade vos digo, vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará. Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”.

    Palavra da salvação.

    “Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. ”

    Queridos irmãos, esta página do Senhor saúda-nos com um episódio do segundo Evangelho de São João de forma muito direta. Ele anuncia a sua morte e ressurreição aos seus discípulos de uma forma tão espontânea que aqueles que o acompanham durante a sua passagem por este mundo ainda não o compreendem. É a revelação pascal sobre sua partida e seu retorno triunfante. A mesma mensagem que se renova no nosso itinerário diário. É um apelo de fé naquele que derrotou a morte e volta para nos levar pela mão, com a sua mensagem de esperança e alegria. Agora desfrutamos da graça da sua redenção. Que possamos, portanto, vivê-la alegremente e com a esperança de que permanecerá em nós até o final dos tempos. Paz e bem!

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6ª-feira da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 18,9-18

    Estando Paulo em Corinto, 9uma noite o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus. 12Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”. 14Paulo ia tomar a palavra quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15Mas, como é questão de palavras, de nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16E Galião mandou-os sair do tribunal. 17Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencreia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 46(47)
    O Senhor é o grande rei de toda a terra.

    Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! /
    Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, / o soberano que domina toda a terra. – R.

    Os povos sujeitou ao nosso jugo / e colocou muitas nações aos nossos pés. /
    Foi ele que escolheu a nossa herança, / a glória de Jacó, seu bem-amado. – R.

    Por entre aclamações Deus se elevou, / o Senhor subiu ao toque da trombeta. /
    Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, / salmodiai, ao som da harpa, ao nosso rei! – R.

    João 16,20-23

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Em verdade, em verdade vos digo, vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo. 22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente, e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23Naquele dia, não me perguntareis mais nada”.

    Palavra da salvação.

     “Ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.”

    “Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”. Essas palavras, proferidas pelo Cristo aos apóstolos, revelam-nos como é a vida de quem segue os caminhos do Senhor. Há angústias, semelhantes a da mulher em dores de parto, citada no Evangelho. Mas, acima das dores está a alegria de saber que somos amados por Deus e protegidos por Aquele que tanto nos ama. Um ilustre exemplo disso é o apóstolo Paulo que em Corinto é consolado por Deus: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, porque eu estou contigo”.

    Sendo assim, semelhantemente a Paulo, o próprio Deus,  pede-nos que tenhamos coragem ao aderir os seus caminhos; embora aparentemente seja dificílimo ou desconfortável, Deus nos dá a certeza que estará conosco em Todos os momentos de nossa vida, isso se O seguirmos e O buscarmos durante toda nossa vida com fé e coragem.

    Portando, saibamos nós, batizados em Cristo, suportar as dores e as angústias do cotidiano por amor Àquele que tanto nos amou. Só poderemos alcançar a alegria que vem de Deus, se suportamos tudo por amor a Cristo, afinal, assim como não há morte e ressurreição sem a cruz, também não haverá alegria sem as dores e os sofrimentos.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 6ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 18,23-28

    23Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia. Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discípulos. 24Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria. Era homem eloquente, versado nas Escrituras. 25Fora instruído no caminho do Senhor e, com muito entusiasmo, falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, embora só conhecesse o batismo de João. 26Então, ele começou a falar com muita convicção na sinagoga. Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-no consigo e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus. 27Como ele estava querendo passar para a Acaia, os irmãos apoiaram-no e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem. Pela graça de Deus, a presença de Apolo aí foi muito útil aos fiéis. 28Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público, demonstrando pelas Escrituras que Jesus é o Messias.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 46(47)
    O Senhor é o grande rei de toda a terra.

    Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! /
    Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, / o soberano que domina toda a terra. – R.

    Porque Deus é o grande rei de toda a terra, / ao som da harpa acompanhai os seus louvores! /
    Deus reina sobre todas as nações, / está sentado no seu trono glorioso. – R.

    Os chefes das nações se reuniram / com o povo do Deus santo de Abraão, /
    pois só Deus é realmente o Altíssimo, / e os poderosos desta terra lhe pertencem! – R.

    João 16,23-28

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 23“Em verdade, em verdade vos digo, se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa. 25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.

    Palavra da salvação.

    “O Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes.”

    Na primeira leitura lemos a respeito de Apolo, um judeu versado nas escrituras, que, embora conhecesse apenas o batismo de João, soube reconhecer que Cristo é o messias e, com fé, anunciou-O ao povo, em público e com convicção daquilo que estava afirmando.

    Jesus diz aos discípulos que aquele que acreditar e o amar, igualmente o Pai o amará e tudo dará do que for pedido em seu nome. Assim, a liturgia de hoje está nos mostrando que é através da fé que Deus irá agir em nossa vida; é através da fé que alcançaremos o que almejarmos e nos tornaremos pessoas melhores, graças aos dons de Deus, a nós confiados.

    Irmãos e irmãs, por meio da fé, façamos como Apolo e nos aproximemos desta comunhão divina entre o Pai e o filho. A cultivemos em nossos pedidos e orações, acreditando sempre em sua providência.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Ascensão do Senhor

    • Primeira Leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 1,1-11

    1No meu primeiro livro, ó Teófilo, já tratei de tudo o que Jesus fez e ensinou, desde o começo 2até o dia em que foi levado para o céu, depois de ter dado instruções, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que tinha escolhido. 3Foi a eles que Jesus se mostrou vivo depois da sua paixão, com numerosas provas. Durante quarenta dias, apareceu-lhes falando do Reino de Deus. 4Durante uma refeição, deu-lhes esta ordem: “Não vos afasteis de Jerusalém, mas esperai a realização da promessa do Pai, da qual vós me ouvistes falar: 5‘João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias’”. 6Então os que estavam reunidos perguntaram a Jesus: “Senhor, é agora que vais restaurar o reino em Israel?” 7Jesus respondeu: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com a sua própria autoridade. 8Mas recebereis o poder do Espírito Santo, que descerá sobre vós para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria e até os confins da terra”. 9Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles. Uma nuvem o encobriu, de forma que seus olhos não podiam mais vê-lo. 10Os apóstolos continuavam olhando para o céu, enquanto Jesus subia. Apareceram então dois homens vestidos de branco, 11que lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus, que vos foi levado para o céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 46(47)
    Por entre aclamações Deus se elevou, / o Senhor subiu ao toque da trombeta!

    Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! /
    Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, / o soberano que domina toda a terra. – R.

    Por entre aclamações Deus se elevou, / o Senhor subiu ao toque da trombeta. /
    Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, / salmodiai, ao som da harpa, ao nosso rei! – R.

    Porque Deus é o grande rei de toda a terra, / ao som da harpa acompanhai os seus louvores! /
    Deus reina sobre todas as nações, / está sentado no seu trono glorioso. – R.

    Efésios 1,17-23

    Irmãos, 17o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos 19e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente. 20Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus, 21bem acima de toda autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa nomear não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro. 22Sim, ele pôs tudo sob os seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a cabeça da Igreja, 23que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal.

    Palavra do Senhor.

    Marcos 16,15-20

    Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”. 19Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu e sentou-se à direita de Deus. 20Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam.

    Palavra da salvação.

    “Foi levado ao céu e sentou-se à direita de Deus.”

    Caríssimos irmãos e irmãs, na liturgia de hoje celebramos a ascensão de nosso Senhor Ressuscitado. Na primeira leitura vemos Jesus, que após quarenta dias de suas aparições, envia o Espírito sobre os discípulos para que eles, ao receberem o poder do Espírito Santo, sejam testemunhas de Cristo à toda criação.

    Jesus enfatiza aos discípulos dando-lhes a seguinte ordem: “Não vos afasteis de Jerusalém” e em sequência, diz: “João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias”. Neste momento Jesus eleva a condição dos discípulos concedendo-lhes a sabedoria e a capacitação para edificar a Igreja sob o auxílio do Espírito Santo; tornando-os testemunhas do Cristo vivo e ressuscitado, em Jerusalém, à toda criação, a fim de que cheguemos todos juntos à unidade da fé.

    Assim, Jesus Cristo plenifica a sua Igreja ao tornar-se a Cabeça da igreja, que é seu próprio corpo. Ademais, Jesus afirma: “Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado.” Deste modo crer requer uma ação, e esta ação está em buscar, aderir e anunciar o reino de Deus, na fé que o Senhor irá nos iluminar com o Espírito Santo em cada ação que fizermos.

    Portanto, caríssimos, a vocação que recebemos hoje é a de anunciar e testemunhar, com nossa vida, à criação, com fé e coragem, o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, com toda humildade, mansidão, paciência e amor; guardando a unidade através da paz, na certeza que em Cristo, somos um só corpo e um só espírito.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª-feira da 7ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 19,1-8

    1Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as regiões montanhosas e chegou a Éfeso. Aí encontrou alguns discípulos e perguntou-lhes: 2“Vós recebestes o Espírito Santo quando abraçastes a fé?” Eles responderam: “Nem sequer ouvimos dizer que existe o Espírito Santo!” 3Então Paulo perguntou: “Que batismo vós recebestes?” Eles responderam: “O batismo de João”. 4Paulo disse-lhes: “João administrava um batismo de conversão, dizendo ao povo que acreditasse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus”. 5Tendo ouvido isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus. 6Paulo impôs-lhes as mãos, e sobre eles desceu o Espírito Santo. Começaram então a falar em línguas e a profetizar. 7Ao todo, eram uns doze homens. 8Paulo foi então à sinagoga e, durante três meses, falava com toda convicção, discutindo e procurando convencer os ouvintes sobre o Reino de Deus.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 67(68)
    Reinos da terra, cantai ao Senhor.

    Eis que Deus se põe de pé e os inimigos se dispersam! / Fogem longe de sua face os que odeiam o Senhor! /
    Como a fumaça se dissipa, assim também os dissipais, † como a cera se derrete ao contato com o fogo, /
    assim pereçam os iníquos ante a face do Senhor! – R.

    Mas os justos se alegram na presença do Senhor, / rejubilam satisfeitos e exultam de alegria! /
    Cantai a Deus, a Deus louvai, cantai um salmo a seu nome! / O seu nome é Senhor: exultai diante dele! – R.

    Dos órfãos ele é pai e das viúvas protetor; / é assim o nosso Deus em sua santa habitação. /
    É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, / quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura. – R.

    João 16,29-33

    Naquele tempo, 29os discípulos disseram a Jesus: “Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. 30Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isso cremos que vieste da parte de Deus”. 31Jesus respondeu: “Credes agora? 32Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só, porque o Pai está comigo. 33Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!”

    Palavra da salvação.

    “Tende coragem! Eu venci o mundo!”

    “Sobre eles desceu o Espírito Santo”. Primeiramente recebemos o batismo que nos dá o perdão dos pecados e a adesão ao Cristo, agora com a vinda do Espírito Santo, somos renovados no vigor e na sabedoria, para uma plena comunhão com o Criador, unindo-nos a Ele através do espírito que nos guia nos caminhos de Deus. Paulo impôs as mãos aos que acreditaram, e sobre eles desceu o Espírito Santo; possibilitando-lhes falar em línguas e profetizar. “Eis que vem a hora – e já chegou-” eis, meus irmãos e irmãs, o tempo de anunciar a palavra de Deus, não somente em palavras, mas, principalmente, em testemunho de vida. A liturgia nos desperta para que, após recebermos o Espírito Santo, hajamos segundo o modo de ser de Cristo, com coragem, pois o caminho é repleto de tribulações, mas se permanecermos no amor de Cristo, com Ele, iremos vencer as adversidades e alcançar a vida eterna.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • São Matias

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 1,15-17.20-26

    15Naqueles dias, Pedro levantou-se no meio dos irmãos e disse: 16“Irmãos, era preciso que se cumprisse o que o Espírito Santo, por meio de Davi, anunciou na Escritura sobre Judas, que se tornou o guia daqueles que prenderam Jesus. 17Judas era um dos nossos e participava do mesmo ministério. 20De fato, no livro dos Salmos está escrito: ‘Fique deserta a sua morada, nem haja quem nela habite!’ E ainda: ‘Que outro ocupe o seu lugar!’ 21Há homens que nos acompanharam durante todo o tempo em que o Senhor Jesus vivia no meio de nós, 22a começar pelo batismo de João, até o dia em que foi elevado ao céu. Agora, é preciso que um deles se junte a nós para ser testemunha da sua ressurreição”. 23Então eles apresentaram dois homens: José, chamado Barsabás, que tinha o apelido de Justo, e Matias. 24Em seguida, fizeram esta oração: “Senhor, tu conheces os corações de todos. Mostra-nos qual destes dois escolheste 25para ocupar, neste ministério e apostolado, o lugar que Judas abandonou para seguir o seu destino!” 26Então tiraram a sorte entre os dois. A sorte caiu em Matias, o qual foi juntado ao número dos onze apóstolos.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 112(113)
    O Senhor fez o indigente assentar-se com os nobres.

    Louvai, louvai, ó servos do Senhor, / louvai, louvai o nome do Senhor! /
    Bendito seja o nome do Senhor, / agora e por toda a eternidade! – R.

    Do nascer do sol até o seu ocaso, / louvado seja o nome do Senhor! /
    O Senhor está acima das nações, / sua glória vai além dos altos céus. – R.

    Quem pode comparar-se ao nosso Deus, † ao Senhor, que no alto céu tem o seu trono /
    e se inclina para olhar o céu e a terra? – R.

    Levanta da poeira o indigente / e do lixo ele retira o pobrezinho, /
    para fazê-lo assentar-se com os nobres, / assentar-se com os nobres do seu povo. – R.

    João 15,9-17

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11E eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena. 12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. 14Vós sois meus amigos se fizerdes o que eu vos mando. 15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.

    Palavra da salvação.

    “Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi”.      

    Paz e bem! Hoje celebramos a festa do apóstolo Matias, aquele que Deus mesmo escolheu para se juntar aos Onze e ocupar o lugar de Judas Iscariotes. O número doze é simbolicamente importante para a tradição apostólica, pois também representa a restauração do povo de Deus em Jesus. A primeira leitura, dos Atos dos Apóstolos, conta-nos esse episódio. Pedro, recorrendo aos Salmos, pede ao Senhor um outro para ocupar o lugar de Judas. Por meio da oração, os Apóstolos pedem ao Senhor para mostrar-lhes aquele que Ele mesmo escolheu para ser testemunha da sua Ressurreição.

    No Evangelho de hoje, Jesus pede para seus discípulos permanecerem no seu amor. “Como meu pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor.” E nos ensina que se guardarmos os seus mandamentos, permaneceremos no seu amor. Então nos dá um mandamento: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei”. Jesus nos ensina o caminho do amor mútuo. Não ensinou nada de doutrinas teóricas, nada de ensinamentos esotéricos, nada de exigências complicadas, de difícil aplicação! Tudo se resumia no mandamento do amor. Por quê?  A missão de Jesus baseava-se em revelar o Pai como caminho de vida eterna. E fez isso ensinando o caminho do amor. Onde existe o amor e a caridade, Deus aí está. Assim como o Apóstolo Matias compreendeu este amor e serviu com alegria, que possamos também compreender este amor e servir com alegria nos irmãos e irmãs.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4ª-feira da 7ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 20,28-38

    Naqueles dias, Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso: 28“Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como guardas para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho. 29Eu sei, depois que eu for embora, aparecerão entre vós lobos ferozes, que não pouparão o rebanho. 30Além disso, do vosso próprio meio aparecerão homens com doutrinas perversas que arrastarão discípulos atrás de si. 31Por isso, estai sempre atentos: lembrai-vos que durante três anos, dia e noite, com lágrimas, não parei de exortar a cada um em particular. 32Agora, entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça, que tem poder para edificar e dar a herança a todos os que foram santificados. 33Não cobicei prata, ouro ou vestes de ninguém. 34Vós bem sabeis que estas minhas mãos providenciaram o que era necessário para mim e para os que estavam comigo. 35Em tudo vos mostrei que, trabalhando desse modo, se deve ajudar os fracos, recordando as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais alegria em dar do que em receber’”. 36Tendo dito isso, Paulo ajoelhou-se e rezou com todos eles. 37Todos, depois, prorromperam em grande pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam 38aflitos, sobretudo por lhes haver ele dito que não tornariam a ver-lhe o rosto. E o acompanharam até o navio.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 67(68)
    Reinos da terra, cantai ao Senhor.

    Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, / confirmai esse poder que por nós manifestastes /
    a partir de vosso templo, que está em Jerusalém. / Para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes! – R.

    Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos! † Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos. /
    Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa. – R.

    Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens. / Sobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade! /
    Em seu templo ele é admirável e a seu povo dá poder. / Bendito seja o Senhor Deus, agora e sempre. Amém, amém! – R.

    João 17,11-19

    Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo: 11“Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. 12Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. 13Agora, eu vou para junto de ti e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. 14Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do maligno. 16Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 17Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. 18Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. 19Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade”.

    Palavra da salvação.

    “Para que eles sejam um assim como nós somos um”.      

    Paz e bem! No Evangelho de hoje, o apelo à unidade esteve presente nas últimas palavras de Jesus. A insistência neste tema, quando falava aos discípulos pouco antes da Paixão, dá-lhe relevância especial. O mestre intuía a dificuldade de se manterem unidos, assim que partisse. A ambição pelo poder geraria divisões. A incapacidade de perdoar criaria rivalidades. A falta de solidariedade causaria situações incompatíveis com os valores do Reino. Por isso, ele rezava ao Pai “guarda-os em teu nome”. Diante do risco de se perderem com sua partida, Jesus pede ao Pai que seus discípulos sejam um, assim como o Senhor cumpre até o fim a vontade de Deus, permanecendo unido a Ele, do mesmo modo Ele pede que seus discípulos façam a vontade do Pai. A unidade é sinal da presença do próprio Deus.  Que possamos ser bons ouvintes da Palavra de Deus, mas não apenas ouvir com os ouvidos, mas ouvir com o coração. Que possamos viver a unidade com o nosso irmão e irmãs no dia a dia!

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª-feira da 7ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 22,30; 23,6-11

    Naqueles dias, 30querendo saber com certeza por que Paulo estava sendo acusado pelos judeus, o tribuno soltou-o e mandou reunir os chefes dos sacerdotes e todo o conselho dos anciãos. Depois fez trazer Paulo e colocou-o diante deles. 23,6Sabendo que uma parte dos presentes eram saduceus e a outra parte eram fariseus, Paulo exclamou no conselho dos anciãos: “Irmãos, eu sou fariseu e filho de fariseus. Estou sendo julgado por causa da nossa esperança na ressurreição dos mortos”. 7Apenas falou isso, armou-se um conflito entre fariseus e saduceus, e a assembleia se dividiu. 8Com efeito, os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito, enquanto os fariseus sustentam uma coisa e outra. 9Houve, então, uma enorme gritaria. Alguns doutores da Lei, do partido dos fariseus, levantaram-se e começaram a protestar, dizendo: “Não encontramos nenhum mal neste homem. E se um espírito ou anjo tivesse falado com ele?” 10E o conflito crescia cada vez mais. Receando que Paulo fosse despedaçado por eles, o comandante ordenou que os soldados descessem e o tirassem do meio deles, levando-o de novo para o quartel. 11Na noite seguinte, o Senhor aproximou-se de Paulo e lhe disse: “Tem confiança. Assim como tu deste testemunho de mim em Jerusalém, é preciso que sejas também minha testemunha em Roma”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 15(16)
    Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

    Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! / Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor”. /
    Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, / meu destino está seguro em vossas mãos! – R.

    Eu bendigo o Senhor, que me aconselha / e até de noite me adverte o coração. /
    Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, / pois, se o tenho a meu lado, não vacilo. – R.

    Eis por que meu coração está em festa, † minha alma rejubila de alegria /
    e até meu corpo no repouso está tranquilo; / pois não haveis de me deixar entregue à morte /
    nem vosso amigo conhecer a corrupção. – R.

    Vós me ensinais vosso caminho para a vida; † junto a vós, felicidade sem limites, /
    delícia eterna e alegria ao vosso lado! – R.

    João 17,20-26

    Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: 20“Pai santo, eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra; 21para que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste. 22Eu dei-lhes a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um: 23eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste como me amaste a mim. 24Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. 25Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci e estes também conheceram que tu me enviaste. 26Eu lhes fiz conhecer o teu nome e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles e eu mesmo esteja neles”.

    Palavra da salvação.

    “Para que eles cheguem à unidade perfeita”.

    Paz e bem! Em continuação ao Evangelho de ontem, Jesus hoje roga ao Pai não só pelos discípulos, mas também por aqueles que creem e ainda pelos que vão crer nEle pela Palavra. E pede ao Pai para que todos sejam um. A fim que o mundo creia que Deus enviou Jesus ao mundo, Jesus pede ao Pai: “aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver.” Jesus não quer perder nem um dos seus filhos. Assim como ontem ele pedia que o Pai guardasse seus discípulos, hoje Ele pede ao Pai que todos os que estão com Ele permaneçam unidos até o fim. Que possamos observar este grande pedido de Jesus de permanecer no seu amor e, principalmente, na unidade com os irmãos e irmãs, para que cheguemos à unidade perfeita.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6ª-feira da 7ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 25,13-21

    Naqueles dias, 13o rei Agripa e Berenice chegaram a Cesareia e foram cumprimentar Festo. 14Como ficassem alguns dias aí, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: “Está aqui um homem que Félix deixou como prisioneiro. 15Quando eu estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra ele e pediram-me que o condenasse. 16Mas eu lhes respondi que os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação. 17Eles vieram para cá e, no dia seguinte, sem demora, sentei-me no tribunal e mandei trazer o homem. 18Seus acusadores compareceram diante dele, mas não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que eu pudesse suspeitar. 19Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de um certo Jesus que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo. 20Eu não sabia o que fazer para averiguar o assunto. Perguntei então a Paulo se ele preferia ir a Jerusalém, para ser julgado lá. 21Mas Paulo fez uma apelação para que a sua causa fosse reservada ao juízo do augusto imperador. Então ordenei que ficasse preso até que eu pudesse enviá-lo a César”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 102(103)
    O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / e todo o meu ser, seu santo nome! /
    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! – R.

    Quanto os céus por sobre a terra se elevam, / tanto é grande o seu amor aos que o temem; /
    quanto dista o nascente do poente, / tanto afasta para longe nossos crimes. – R.

    O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, / e abrange o mundo inteiro seu reinado. /
    Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, / valorosos que cumpris as suas ordens. – R.

    João 21,15-19

    Jesus manifestou-se aos seus discípulos 15e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”. 16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo, quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”. 19Jesus disse isso significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

    Palavra da salvação.

    “Apascenta os meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas”.

    No Evangelho de hoje, Pedro faz a sua profissão de amor a Jesus Cristo.

    Por três vezes o discípulo diz ao Senhor que o ama e essa tríplice afirmação a Jesus, que por três vezes lhe pergunta se ele o amava, remete às três vezes que Pedro o negou.

    Pedro, que por três vezes nega a Jesus, agora por três vezes afirma a Ele o seu amor. Três vezes, na Bíblia, significa “acima do superlativo”, como no “Santo, Santo, Santo” na visão que o profeta Isaías teve dos Serafins que, adorando ao Senhor, diziam que Ele é três vezes Santo (mais do que santíssimo). Pedro, então, nega a Jesus mais do que superlativamente e, agora, superlativamente declarará a Ele o seu amor.

    Para demonstrar esse amor, Jesus lhe pede para assumir uma missão: Apascentar suas ovelhas. Isso mostra que é cuidando do povo de Deus que o pastor (o Bispo, o Presbítero) desse povo ama o Cristo.

    Muito podemos nos alegrar por ver nesse Evangelho o cuidado de Cristo por seu povo. Ele não o deixou sem pastor. Pedro, amando Seu Senhor, faria de tudo pelo que é dEle, não abandonando suas ovelhinhas, mas dando sua vida por elas e NÃO permitindo que, com sua morte, elas ficassem sem um sucessor à altura que continuasse a missão.

    Creiamos que não somos como ovelhas sem pastor, e que Cristo por nós deu Sua Vida para que, com Ele, aprendêssemos a dar a vida uns pelos outros.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 7ª semana da Páscoa

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 28,16-20.30-31

    16Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava. 17Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou-lhes: “Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro e, assim, fui entregue às mãos dos romanos. 18Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. 19Mas os judeus se opuseram, e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. 20É por isso que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel”. 30Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam, 31pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 10(11)
    Ó Senhor, quem tem reto coração / há de ver a vossa face.

    Deus está no templo santo / e no céu tem o seu trono; /
    volta os olhos para o mundo, / seu olhar penetra os homens. – R.

    Examina o justo e o ímpio / e detesta o que ama o mal. / Porque justo é nosso Deus, /
    o Senhor ama a justiça. / Quem tem reto coração / há de ver a sua face. – R.

    João 21,20-25

    Naquele tempo, 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: “Senhor, quem é que te vai entregar?” 21Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: “Senhor, o que vai ser deste?” 22Jesus respondeu: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que te importa isso? Tu, segue-me!” 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?” 24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.

    Palavra da salvação.

    “Jorrarão rios de Água Viva””.

    Dando continuidade ao relato do Evangelho de ontem, onde Pedro por três vezes afirma que ama a Jesus, Este indica a Pedro com que morte ele glorificaria a Deus e, em seguida, é interrogado por esse discípulo acerca do que aconteceria a João, o discípulo amado. Jesus responde: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que te importa isso? Tu, segue-me!”

    Com isso, aprendemos que aquele que segue a Jesus não deve ficar se perguntando o que acontecerá ao outro, não deve ficar se dizendo “por que a Cruz dele parece ser mais leve do que a minha?”. Quem ama a Jesus e deseja segui-lo, deve ter como alegria o próprio seguimento de Cristo, que é nosso Deus e Nossa Vida.

    Que Deus nos ajude por Sua Graça a acolher o Seu Amor e Seu Chamado. Que nos ajude a sermos generosos na nossa entrega a Ele e que, com Sua Graça, NÃO fiquemos nos comparando com o irmão ou vivendo com ciúmes dele por uma razão ou outra. Nós somos de Jesus e Ele faz de cada um de nós o que Ele quer.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Pentecostes

    • Primeira Leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Atos 2,1-11

    1Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. 3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. 5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. 6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. 7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus na nossa própria língua!”

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 103(104)
    Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor! / Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! /
    Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras! / Encheu-se a terra com as vossas criaturas! – R.

    Se tirais o seu respiro, elas perecem / e voltam para o pó de onde vieram. /
    Enviais o vosso espírito e renascem, / e da terra toda a face renovais. – R.

    Que a glória do Senhor perdure sempre, / e alegre-se o Senhor em suas obras! /
    Hoje, seja-lhe agradável o meu canto, / pois o Senhor é a minha grande alegria! – R.

    1 Coríntios 12,3-7.12-13

    Irmãos, 3ninguém pode dizer: “Jesus é o Senhor”, a não ser no Espírito Santo. 4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. 5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. 6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. 7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. 12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. 13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.

    Palavra do Senhor.

    João 20,19-23

    19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. 20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. 21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

    Palavra da salvação.

    “Assim como o Pai me enviou, também vos envio: Recebei o Espírito Santo”

    Hoje, dia de Pentecostes, celebramos a Nova Criação.

    Antes da Terra ser povoada, o Espírito Santo pairava sobre a face das águas. Isso significa que a manifestação do Espírito está diretamente ligada com a criação do mundo. Do mesmo modo, com a descida do Espírito Santo, a terra é renovada ao ser povoada com aqueles que renasceram em Jesus Cristo, o Novo Adão.

    Em Pentecostes, o Espírito Santo desce e em vários idiomas os discípulos começam a falar das maravilhas de Deus. Esse fenômeno ocorre, segundo Santo Agostinho, para manifestar a universalidade da Igreja de Cristo que, em diversos idiomas, proclama as maravilhas do Senhor aos diversos povos da Terra.

    “Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da Terra toda a face renovai”, diz o Salmo de hoje. Em Pentecostes, a Terra é renovada com o nascimento do Cristo, a Cabeça, e Seu Corpo, que é a Igreja. Ambos formam o Cristo total.

    O Reino de Deus que está entre nós será anunciado aos quatros cantos da Terra na força do Santo Espírito de Deus. Sem esse Espírito, ninguém pode reconhecer verdadeiramente o senhorio de Cristo, como diz a segunda leitura. É por esse Espírito que Cristo é proclamado e reconhecido, e para que o Reino de Deus cresça, é dada a manifestação do Espírito a cada um tendo em vista o Bem Comum.

    Eis a renovação da Terra: o derramar do Espírito Santo. A partir de agora, Deus NÃO apenas está conosco: Ele está em nós.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Virgem Maria, Mãe da Igreja

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Gênesis 3,9-15.20

    Depois que Adão comera do fruto da árvore, 9o Senhor Deus o chamou, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”. 13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes.

    Palavra do Senhor.

    Leitura opcional: Atos 1,12-14.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 86(87)
    Dizem coisas gloriosas da cidade do Senhor.

    O Senhor ama a cidade / que fundou no monte santo; / ama as portas de Sião /
    mais que as casas de Jacó. – R.

    Dizem coisas gloriosas / da cidade do Senhor. / De Sião, porém, se diz:
    † “Nasceu nela todo homem; / Deus é sua segurança”. – R.

    Deus anota no seu livro, † onde inscreve os povos todos: / “Foi ali que estes nasceram”. /
    E por isso todos juntos / a cantar se alegrarão; / e, dançando, exclamarão: / “Estão em ti as nossas fontes!” – R.

    João 19,25-34

    Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. 28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”. 29Havia ali uma jarra de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. 32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

    Palavra da salvação.

    “Este é o Teu filho. Esta é a tua mãe”.

    Completados cinquenta dias de Pentecostes, celebramos a memória da Bem-Aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, memória que foi instituída recentemente pelo Papa Francisco.

    Na primeira leitura, temos Eva como mãe de todo ser vivente. Na segunda, temos Maria como mãe de Cristo e de todos os seus seguidores, pois na figura de João, a quem Jesus entregou sua mãe, está cada um de nós. Ali, Cristo nos dá sua própria mãe. A partir disso, podemos entender que Maria é mãe do Novo Adão e de todos os que nEle são redimidos; isso siginifica que Maria é mãe da Nova humanidade, é a Nova Eva, a Nova Mulher de um Novo Gênese, que se inicia com a encarnação de Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Que possamos acolher a mãe de Jesus, conscientes de que estamos acolhendo o próprio Cristo, pois, além de tantos dons preciosíssimos que Ele nos deu como a Eucaristia, o Espírito Santo, a Igreja, Deus, o céu, a Vida Eterna, recebemos dEle a sua própria mãe.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 3ª-feira da 7ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Tiago 4,1-10

    Caríssimos, 1de onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? 2Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. 3Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres. 4Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que pretende ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus. 5Ou julgais ser em vão que a Escritura diz: “Com ciúme anela o espírito que nos habita”? 6Mas ele nos dá uma graça maior. Por isso, a Escritura diz: “Deus resiste aos soberbos, mas concede a graça aos humildes”. 7Obedecei, pois, a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios. 9Ficai tristes, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria em desalento. 10Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 54(55)
    Confia teus cuidados ao Senhor, / e ele há de ser o teu sustento!

    É por isso que eu digo na angústia: † “Quem me dera ter asas de pomba / e voar para achar um descanso! /
    Fugiria, então, para longe / e me iria esconder no deserto. – R.

    Acharia depressa um refúgio † contra o vento, a procela, o tufão”. /
    Ó Senhor, confundi as más línguas. – R.

    Dispersai-as, porque na cidade † só se vê violência e discórdia! /
    Dia e noite circundam seus muros. – R.

    Lança sobre o Senhor teus cuidados, / porque ele há de ser teu sustento /
    e jamais ele irá permitir / que o justo para sempre vacile! – R.

    Marcos 9,30-37

    Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”. 32Os discípulos, porém, não compreendiam essas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “O que discutíeis pelo caminho?” 34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior. 35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” 36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles e, abraçando-a, disse: 37“Quem acolher em meu nome uma destas crianças é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher está acolhendo não a mim, mas àquele que me enviou”.

    Palavra da salvação.

    “O Filho do Homem vai ser entregue…

    Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último. ”

    A presença Pascal de Cristo ainda permanece com seu odor, como vemos hoje, com a presença de Jesus no meio de nós, que está e estará sempre na dinâmica da entrega, do serviço. Para nós, seus seguidores, devemos aprender a partir do modo de ser de Jesus.

    O ápice da liturgia de Deus, isto é, do serviço, da doação, que Deus realizou pela humanidade com o sacrifício do filho de Deus morto na cruz, foi puro ato de amor para nossa salvação. Esse serviço ainda continua se realizando na liturgia eucarística que celebramos.

    A grandiosidade não se encontra em ser o melhor, o maior ou ser o primeiro, mas, como discípulos e seguidores de Jesus, em buscar ter o mesmo Espírito de humildade e amor d’Ele a serviço de todos, em especial aos que mais sofrem.

    Que o Espírito Santo e a Virgem Maria, Mãe da Igreja, nos ensinem e ajudem a sermos verdadeiros seguidores de Jesus!

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4ª-feira da 7ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Tiago 4,13-17

    Caríssimos, 13e agora, vós que dizeis: “Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, passaremos ali um ano, negociando e ganhando dinheiro”. 14No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! Com efeito, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece. 15Em vez de dizer: “Se o Senhor quiser, estaremos vivos e faremos isto ou aquilo”, 16vós vos gloriais de vossas fanfarronadas. Ora, toda arrogância desse tipo é um mal. 17Assim, aquele que sabe fazer o bem e não o faz incorre em pecado.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 48(49)
    Felizes os humildes de espírito, / porque deles é o Reino dos Céus!

    Ouvi isto, povos todos do universo, / muita atenção, ó habitantes deste mundo; /
    poderosos e humildes, escutai-me, / ricos e pobres, todos juntos, sede atentos! – R.

    Por que temer os dias maus e infelizes / quando a malícia dos perversos me circunda? /
    Por que temer os que confiam nas riquezas / e se gloriam na abundância de seus bens? – R.

    Ninguém se livra de sua morte por dinheiro / nem a Deus pode pagar o seu resgate. /
    A isenção da própria morte não tem preço; / não há riqueza que a possa adquirir /
    nem dar ao homem uma vida sem limites / e garantir-lhe uma existência imortal. – R.

    Morrem os sábios e os ricos igualmente; † morrem os loucos e também os insensatos /
    e deixam tudo o que possuem aos estranhos. – R.

    Marcos 9,38-40

    Naquele tempo, 38João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue”. 39Jesus disse: “Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim. 40Quem não é contra nós é a nosso favor”.

    Palavra da salvação.

    “Quem não é contra nós é a nosso favor. ”

    Os discípulos proíbem os outros de “expulsarem os demônios” em nome de Jesus por não o seguirem, como se o nome de Jesus fosse algum privilégio pessoal somente dado aos “verdadeiros discípulos” d’Ele.

    As palavras de Jesus não são um mero ato de tolerância superficial. Pesquisemos e constatemos quantos cristãos no mundo promovem o bem e a libertação dos males que circundam a vida humana.

    O nome de Jesus não deve ser causa de brigas e divisões, mas de unidade, de fraternidade, de amor e de paz. Devemos ser colaboradores no bem, pois somos filhos de um mesmo Pai e irmãos em Jesus Cristo.

    Pela intercessão de Santa Rita de Cassia, que teve um amor sacrificial a Jesus durante toda a sua vida, peçamos que Deus nos ajude a superar as barreiras institucionais, e que, unidos pelo nome de Jesus, sejamos verdadeiros irmãos na vivência do bem e promoção da paz.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª-feira da 7ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Tiago 5,1-6

    1E agora, ricos, chorai e gemei, por causa das desgraças que estão para cair sobre vós. 2Vossa riqueza está apodrecendo, e vossas roupas estão carcomidas pelas traças. 3Vosso ouro e vossa prata estão enferrujados, e a ferrugem deles vai servir de testemunho contra vós e devorar vossas carnes, como fogo. Amontoastes tesouros nos últimos dias. 4Vede, o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos, que vós deixastes de pagar, está gritando, e o clamor dos trabalhadores chegou aos ouvidos do Senhor todo-poderoso. 5Vós vivestes luxuosamente na terra, entregues à boa-vida, cevando os vossos corações para o dia da matança. 6Condenastes o justo e o assassinastes; ele não resiste a vós.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 48(49)
    Felizes os humildes de espírito / porque deles é o Reino dos Céus.

    Este é o fim do que espera estultamente, / o fim daqueles que se alegram com sua sorte; /
    são um rebanho recolhido ao cemitério, / e a própria morte é o pastor que os apascenta. – R.

    São empurrados e deslizam para o abismo. † Logo seu corpo e seu semblante se desfazem, /
    e entre os mortos fixarão sua morada. / Deus, porém, me salvará das mãos da morte /
    e junto a si me tomará em suas mãos. – R.

    Não te inquietes quando um homem fica rico / e aumenta a opulência de sua casa; /
    pois, ao morrer, não levará nada consigo, / nem seu prestígio poderá acompanhá-lo. – R.

    Felicitava-se a si mesmo enquanto vivo: / todos te aplaudem, tudo bem, isso que é vida! /
    Mas vai-se ele para junto de seus pais, / que nunca mais e nunca mais verão a luz. – R.

    Marcos 9,41-50

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 41“Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42E se alguém escandalizar um destes pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço. 43Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na vida sem uma das mãos do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga.(44) 45Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na vida sem um dos pés do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48‘onde o verme deles não morre e o fogo não se apaga’. 49Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros”.

    Palavra da salvação.

    “É melhor entrar na vida sem uma das mãos do que tendo as duas, ir para o inferno.”

    Hoje, o evangelista Marcos nos traz alguns ditos de Jesus que requerem de nós um pouco de atenção: toda ajuda aos que, em nome de Cristo, são caridosamente auxiliados, não ficarão sem recompensa. Por isso, devemos tomar cuidado com toda a possibilidade de escândalos. É um contratestemunho ferir de alguma forma os preferidos do Reino, isto é, os pequenos, os mais fragilizados e marginalizados; os humildes e pobres que creem. Por isso, é preferível que “cortemos as mãos e arranquemos o olho”, isto é, retirar nossos males pela raiz, mas, para isso seremos provados, “salgados pelo fogo”, purificados para nos tornarmos mais agradáveis a Deus, pelo “sal” do entusiasmo apostólico e a paz fraterna.

    Que o Espírito Divino nos torne cada vez mais abertos ao dom da conversão, e  que demonstremos o verdadeiro sabor da doutrina de Jesus na caridade e na paz.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6ª-feira da 7ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Tiago 5,9-12

    9Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está às portas. 10Irmãos, tomai por modelo de sofrimento e firmeza os profetas, que falaram em nome do Senhor. 11Reparai que consideramos como bem-aventurados os que perseveraram. Ouvistes falar da perseverança de Jó e conheceis o êxito que o Senhor lhe deu – pois o Senhor é rico em misericórdia e compassivo. 12Sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outra forma de juramento. Antes, que o vosso “sim” seja sim e o vosso “não”, não. Então não estareis sujeitos a julgamento.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 102(103)
    O Senhor é indulgente, é favorável.

    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / e todo o meu ser, seu santo nome! /
    Bendize, ó minha alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! – R.

    Pois ele te perdoa toda culpa / e cura toda a tua enfermidade; /
    da sepultura ele salva a tua vida / e te cerca de carinho e compaixão. – R.

    O Senhor é indulgente, é favorável, / é paciente, é bondoso e compassivo. /
    Não fica sempre repetindo as suas queixas / nem guarda eternamente o seu rancor. – R.

    Quanto os céus por sobre a terra se elevam, / tanto é grande o seu amor aos que o temem; /
    quanto dista o nascente do poente, / tanto afasta para longe nossos crimes. – R.

    Marcos 10,1-12

    Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do rio Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2Alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher. 3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fariseus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu esse mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne. 9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!” 10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto. 11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.

    Palavra da salvação.

    “O que Deus uniu, o homem não separe.”

    No Evangelho, os Fariseus, para testar Jesus por meio da lei, questionam Jesus sobre o matrimônio; não com a intenção de aprenderem a vivê-lo melhor, mas para conhecer sua opinião acerca do divórcio.  Em sua sabedoria, o filho de Deus  leva em consideração a problemática conjugal do divórcio, com sua consequente repercussão social, no seu tempo e o porquê de Moises o ter permitido: “Foi por causa da dureza do vosso coração…”

    Estamos cada vez mais sendo poluídos pelo utilitarismo, também no matrimônio. Enquanto me sacia o ego, continuamos juntos, mas, quando surgem as dificuldades, não procuramos superá-las como Cristo fez pela Igreja, amando-a até a morte.

    O matrimônio não está a serviço dos desejos pessoais, mas do “ser uma só carne”, isto é, superarmos juntos as diferenças e dificuldades que a vida trará, a exemplo do amor de Jesus Cristo, em mútua doação.

    Que a Sagrada Família ajude os casais a se encontrarem no amor de Cristo, para que a união seja de comprometimento e de amor por toda a vida.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 7ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Tiago 5,13-20

    Caríssimos, 13se alguém dentre vós está sofrendo, recorra à oração. Se alguém está alegre, entoe hinos. 14Se alguém dentre vós estiver doente, mande chamar os presbíteros da Igreja, para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. 15A oração feita com fé salvará o doente, e o Senhor o levantará. E se tiver cometido pecados, receberá o perdão. 16Confessai, pois, uns aos outros os vossos pecados e orai uns pelos outros para alcançar a saúde. A oração fervorosa do justo tem grande poder. 17Assim Elias, que era um homem semelhante a nós, orou com insistência para que não chovesse, e não houve chuva na terra durante três anos e seis meses. 18Em seguida tornou a orar, e o céu deu a chuva e a terra voltou a produzir o seu fruto. 19Meus irmãos, se alguém de vós se desviar da verdade e um outro o reconduzir, 20saiba este que aquele que reconduz um pecador desencaminhado salvará da morte a alma dele e cobrirá uma multidão de pecados.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 140(141)
    Minha oração suba a vós como incenso!

    Senhor, eu clamo por vós, socorrei-me; / quando eu grito, escutai minha voz! /
    Minha oração suba a vós como incenso, / e minhas mãos, como oferta da tarde! – R.

    Ponde uma guarda em minha boca, Senhor, / e vigias às portas dos lábios! /
    A vós, Senhor, se dirigem meus olhos, / em vós me abrigo: poupai minha vida! – R.

    Marcos 10,13-16

    Naquele tempo, 13traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. 14Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: “Deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o Reino de Deus é dos que são como elas. 15Em verdade vos digo, quem não receber o Reino de Deus como uma criança não entrará nele”. 16Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos.

    Palavra da salvação.

    “Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele.”

    No Evangelho de hoje, vemos Jesus dizer aos seus discípulos que eles deveriam deixar que viessem a Ele todas as crianças, pois o Reino dos Céus é dos que são como elas.

    Durante a nossa estadia aqui na Terra, conforme os anos vão passando, vamos nos ocupando com tantas responsabilidades que nos esquecemos daquilo que é essencial.  Entretanto, contamos com o exemplo de nossas crianças que, vivendo sem maldade e com sua inocência, ajudam-nos a perceber que o essencial da vida é o Amor.

    Ser como criança é não permitir que a maldade do mundo e do nosso próprio ego entre em nossos corações. Ser merecedor do Reino dos Céus é entender o que verdadeiramente importa, é descobrir que o essencial para a nossa vida é o Amor, e como já nos disse o apóstolo: “Deus é Amor! ” (1Jo 4,8). Ser como criança não é ser imaturo, mas ter uma fé concreta, na certeza de que só Deus basta.

    Que aprendamos então a ter um coração como o das crianças, que saibamos dizer não ao nosso orgulho e a maldade do mundo e a viver em busca do que é essencial. Que nos aproximemos cada vez mais de Cristo, deixando com que Ele nos abrace, nos ensine e nos abençoe. E assim nos tornaremos merecedores do Seu Reino.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Santíssima Trindade

    • Primeira Leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Deuteronômio 4,32-34.39-40

    Moisés falou ao povo, dizendo: 32“Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra, e investiga de um extremo ao outro dos céus se houve jamais um acontecimento tão grande ou se ouviu algo semelhante. 33Existe, porventura, algum povo que tenha ouvido a voz de Deus falando-lhe do meio do fogo, como tu ouviste, e tenha permanecido vivo? 34Ou terá jamais algum deus vindo escolher para si um povo entre as nações por meio de provações, de sinais e prodígios, por meio de combates, com mão forte e braço estendido, e por meio de grandes terrores, como tudo o que por ti o Senhor vosso Deus fez no Egito, diante de teus próprios olhos? 39Reconhece, pois, hoje, e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima no céu e cá embaixo na terra e que não há outro além dele. 40Guarda suas leis e seus mandamentos que hoje te prescrevo, para que sejas feliz, tu e teus filhos depois de ti, e vivas longos dias sobre a terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 32(33)
    Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança.

    Reta é a Palavra do Senhor, / e tudo o que ele faz merece fé. / Deus ama o direito e a justiça, /
    transborda em toda a terra a sua graça. – R.

    A Palavra do Senhor criou os céus, / e o sopro de seus lábios, as estrelas. /
    Ele falou e toda a terra foi criada, / ele ordenou e as coisas todas existiram. – R.

    Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem / e que confiam, esperando em seu amor, /
    para da morte libertar as suas vidas / e alimentá-los quando é tempo de penúria. – R.

    No Senhor nós esperamos confiantes, / porque ele é nosso auxílio e proteção! /
    Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / da mesma forma que em vós nós esperamos! – R.

    Romanos 8,14-17

    Irmãos, 14todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Abá, ó Pai! 16O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus. 17E, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele.

    Palavra do Senhor.

    Mateus 28,16-20

    Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 17Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram. 18Então, Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”.

    Palavra da salvação.

    “Ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”

    O Evangelho de hoje narra o episódio em que, após a ressurreição, Jesus se aproxima dos seus discípulos e lhes diz: ide e fazei discípulos entre todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, assegurando-lhes: “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”.

    Ao dizer que estará conosco todos os dias, Jesus, o Filho, assim como em Pentecostes, nos envia O Espírito Santo, que como nos diz São Fulgêncio: “… é a unidade do Pai e do Filho e ao mesmo tempo o Espírito do Pai e do Filho”.

    Celebrar a Santíssima Trindade é celebrar a unidade de natureza, igualdade e amor, o único e verdadeiro Deus. É entender, pela fé, a unanimidade da ação de três Pessoas Divinas na obra santificadora daqueles que creem.

    Que com a ajuda do Pai, do Filho e do Espírito Santo, possamos fortalecer a nossa fé cada dia mais, adentrar no mistério da Santíssima Trindade e nos deixar ser envolvidos pelo Pai que nos criou, o Filho que nos remiu e o Espírito que nos consola e santifica.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª-feira da 8ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    1 Pedro 1,3-9

    3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo 4para uma esperança viva, para uma herança incorruptível, que não estraga, que não se mancha nem murcha e que é reservada para vós nos céus. 5Graças à fé e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. 6Isso é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. 7Desse modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória no dia da manifestação de Jesus Cristo. 8Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 110(111)
    O Senhor se lembra sempre da Aliança.

    Eu agradeço a Deus de todo o coração / junto com todos os seus justos reunidos! /
    Que grandiosas são as obras do Senhor, / elas merecem todo o amor e admiração! – R.

    Ele dá o alimento aos que o temem / e jamais esquecerá sua Aliança. /
    Ao seu povo manifesta seu poder, / dando a ele a herança das nações. – R.

    Enviou libertação para o seu povo, / confirmou sua aliança para sempre. /
    Seu nome é santo e é digno de respeito, / permaneça eternamente o seu louvor. – R.

    Marcos 10,17-27

    Naquele tempo, 17quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” 18Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. 19Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!” 20Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. 21Jesus olhou para ele com amor e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!” 22Mas, quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. 23Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!” 24Os discípulos se admiravam com essas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” 26Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” 27Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”.

    Palavra da salvação.

    “Para Deus tudo é possível”

    No Evangelho de hoje, um jovem rico, pergunta a Jesus: “Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna? ”. Olhando para ele com amor, Jesus responde que o primeiro passo para segui-Lo é observar os Mandamentos, e pede mais: que o jovem, venda tudo o que tem e dê aos pobres. O Jovem vai embora triste por não conseguir se desprender de seus bens e Jesus adverte os seus discípulos dizendo que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus, porém, para Deus nada é impossível.

    O verdadeiro e profundo seguimento de Jesus requer o desapego e o desprendimento de nossas riquezas, principalmente das riquezas que trazemos em nossos corações, sendo elas, tudo aquele que nos impede de seguir os Mandamentos do Senhor em sua plenitude. Como por exemplo, a riqueza do amor próprio exacerbado, que nos leva ao egoísmo, a vanglória, que nos faz querer ser melhor do que os outros, nos impedindo de amar e colocar Deus em primeiro lugar.

    Mas ainda com as nossas riquezas, assim como Jesus olhou com amor para aquele jovem rico, ele nos dirige o mesmo olhar e nos chama a segui-Lo e, mesmo quando às vezes não nos achamos dignos e ricos demais, Jesus nos lembra que para Deus tudo é possível, pois a salvação é para todos.

    Tendo conhecimento disso, Santo Agostinho de Cantuária, desapegando-se de suas pequenas riquezas, foi enviado como apóstolo da fé para as ilhas britânicas, onde converteu o rei de Kent e o seu povo, pobres e ricos, ao Evangelho, tornando-se o primeiro bispo e pai da Igreja inglesa. Hoje, dia que a igreja comemora a sua memória, peçamos a sua intercessão, para que assim como ele, saibamos responder o olhar de amor que Jesus nos dirige todos os dias e segui-Lo no solícito desapego e na confiança de que Ele é o bem maior e único.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 3ª-feira da 8ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    1 Pedro 1,10-16

    Caríssimos, 10esta salvação tem sido objeto das investigações e meditações dos profetas. Eles profetizaram a respeito da graça que vos estava destinada. 11Procuraram saber a que época e a que circunstâncias se referia o Espírito de Cristo, que estava neles, ao anunciar com antecedência os sofrimentos de Cristo e a glória consequente. 12Foi-lhes revelado que, não para si mesmos, mas para vós, estavam ministrando essas coisas que agora são anunciadas a vós por aqueles que vos pregam o Evangelho em virtude do Espírito Santo, enviado do céu; revelações essas que até os anjos desejam contemplar! 13Por isso, aprontai a vossa mente; sede sóbrios e colocai toda a vossa esperança na graça que vos será oferecida na revelação de Jesus Cristo. 14Como filhos obedientes, não modeleis a vossa vida de acordo com as paixões de antigamente, do tempo da vossa ignorância. 15Antes, como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos, também vós, em todo o vosso proceder. 16Pois está na Escritura: “Sede santos, porque eu sou santo”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 97(98)
    O Senhor fez conhecer seu poder salvador / perante as nações.

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /
    Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /
    recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /
    Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    Marcos 10,28-31

    Naquele tempo, 28começou Pedro a dizer a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. 29Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, 30receberá cem vezes mais agora, durante esta vida – casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições -, e, no mundo futuro, a vida eterna. 31Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros”.

    Palavra da salvação.

    “E muitos que agora são os últimos serão os primeiros.”

    O Evangelho de hoje narra o episódio em que Pedro diz a Jesus que eles deixariam tudo para segui-Lo. Jesus responde dizendo que aqueles que deixaram tudo por Ele e pelo Evangelho receberão ainda nessa vida cem vezes mais e no futuro herdarão a vida eterna, pois aqueles considerados os últimos, serão os primeiros.

    Em uma sociedade onde somos impulsionados a querer e a estar sempre em primeiro lugar, Jesus nos apresenta uma nova proposta. Ele que veio para fazer nova todas as coisas, nos inspira a ir na contramão do que o mundo prega. Escolher seguir a Cristo é escolher ser o último, o menor, é ser humilde nas pequenas e grandes coisas, na certeza de que mesmo nas dificuldades e tensões, seremos recompensados ainda nessa vida e na futura.

    Que saibamos intuir cada vez mais em nossos corações a humildade que Cristo nos ensina em seu Evangelho, para que todas às vezes que a sabedoria do mundo quiser nos colocar em primeiro lugar, possamos responder, pela fé e pela razão que queremos ser os últimos, pois queremos seguir a Cristo. Que o Espírito de Amor desça sobre nós e nos ajude a sermos merecedores da grande recompensa que é a vida eterna!

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4ª-feira da 8ª Semana do TC

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    1 Pedro 1,18-25

    Caríssimos, 18sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, 19mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito. 20Antes da criação do mundo, ele foi destinado para isso, e neste final dos tempos ele apareceu por amor de vós. 21Por ele é que alcançastes a fé em Deus. Deus o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim a vossa fé e esperança estão em Deus. 22Pela obediência à verdade, purificastes as vossas almas para praticar um amor fraterno sem fingimento. Amai-vos, pois, uns aos outros de coração e com ardor. 23Nascestes de novo, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, mediante a Palavra de Deus, viva e permanente. 24Com efeito, “toda carne é como erva, e toda a sua glória como a flor da erva; secou-se a erva, cai a sua flor. 25Mas a Palavra do Senhor permanece para sempre”. Ora, essa Palavra é a que vos foi anunciada no Evangelho.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 147
    Glorifica o Senhor, Jerusalém!

    Glorifica o Senhor, Jerusalém! / Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! /
    Pois reforçou com segurança as tuas portas / e os teus filhos em teu seio abençoou. – R.

    A paz em teus limites garantiu / e te dá como alimento a flor do trigo. /
    Ele envia suas ordens para a terra, / e a palavra que ele diz corre veloz. – R.

    Anuncia a Jacó sua palavra, / seus preceitos, suas leis a Israel. /
    Nenhum povo recebeu tanto carinho, / a nenhum outro revelou os seus preceitos. – R.

    Marcos 10,32-45

    Naquele tempo, 32os discípulos estavam a caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia na frente. Os discípulos estavam espantados e aqueles que iam atrás estavam com medo. Jesus chamou de novo os Doze à parte e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele: 33“Eis que estamos subindo para Jerusalém e o Filho do Homem vai ser entregue aos sumos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos. 34Vão zombar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo. E depois de três dias, ele ressuscitará”. 35Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir”. 36Ele perguntou: “O que quereis que eu vos faça?” 37Eles responderam: “Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda quando estiveres na tua glória!” 38Jesus então lhes disse: “Vós não sabeis o que pedis. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber? Podeis ser batizados com o batismo com que vou ser batizado?” 39Eles responderam: “Podemos”. E ele lhes disse: “Vós bebereis o cálice que eu devo beber e sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado. 40Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. É para aqueles a quem foi reservado”. 41Quando os outros dez discípulos ouviram isso, indignaram-se com Tiago e João. 42Jesus os chamou e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. 43Mas, entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande seja vosso servo; 44e quem quiser ser o primeiro seja o escravo de todos. 45Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos”.

    Palavra da salvação.

    “Quem quiser ser grande seja vosso servo; e quem quiser ser o primeiro seja o escravo de todos.”

     Hoje o Evangelho nos convida a viver a humildade. Quantas vezes queremos ser servidos, agraciados, elogiados e requisitados… O que é ser grande e o primeiro? Se pode ser grande no amor ao próximo sem ter reservas, e ser o primeiro a servir aos outros sem esperar nada em troca.

    Realmente, ser grande e o primeiro perante os homens é, na verdade, ser pequeno e o último diante de Deus. Aquele que é grande em ser servo de todos e o primeiro a querer servir sem esperar nada em troca é o mais semelhante a Jesus Cristo. Sendo grande Ele se fez pequeno servidor, sendo o primogênito de toda criatura, se fez o último dos homens, morrendo como o pior dos pecadores.

    Que graça, irmãos, é sermos semelhantes a Jesus! Que graça é sermos servos e humildes e ainda ter Jesus como companheiro e guia à Jerusalém Celeste!

    Que Deus nos dê esta graça: ter o mesmo espírito de Jesus e servir ao próximo com amor.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

    • Primeira Leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Êxodo 24,3-8

    Naqueles dias, 3Moisés veio e transmitiu ao povo todas as palavras do Senhor e todos os decretos. O povo respondeu em coro: “Faremos tudo o que o Senhor nos disse”. 4Então Moisés escreveu todas as palavras do Senhor. Levantando-se na manhã seguinte, ergueu ao pé da montanha um altar e doze marcos de pedra pelas doze tribos de Israel. 5Em seguida, mandou alguns jovens israelitas oferecer holocaustos e imolar novilhos como sacrifícios pacíficos ao Senhor. 6Moisés tomou metade do sangue e o pôs em vasilhas, e derramou a outra metade sobre o altar. 7Tomou depois o livro da aliança e o leu em voz alta ao povo, que respondeu: “Faremos tudo o que o Senhor disse e lhe obedeceremos”. 8Moisés, então, com o sangue separado, aspergiu o povo, dizendo: “Este é o sangue da aliança que o Senhor fez convosco, segundo todas estas palavras”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 115(116)
    Elevo o cálice da minha salvação, / invocando o nome santo do Senhor.

    Que poderei retribuir ao Senhor Deus / por tudo aquilo que ele fez em meu favor? /
    Elevo o cálice da minha salvação, / invocando o nome santo do Senhor. – R.

    É sentida por demais pelo Senhor / a morte de seus santos, seus amigos. /
    Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, † que nasceu de vossa serva; /
    mas me quebrastes os grilhões da escravidão! – R.

    Por isso oferto um sacrifício de louvor, / invocando o nome santo do Senhor. /
    Vou cumprir minhas promessas ao Senhor / na presença de seu povo reunido. – R.

    Hebreus 9,11-15

    Irmãos, 11Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Através de uma tenda maior e mais perfeita, que não é obra de mãos humanas, isto é, que não faz parte desta criação, 12e não com o sangue de bodes e bezerros, mas com o seu próprio sangue, ele entrou no santuário uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna. 13De fato, se o sangue de bodes e touros, e a cinza de novilhas espalhada sobre os seres impuros, os santifica e realiza a pureza ritual dos corpos, 14quanto mais o sangue de Cristo purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo, pois, em virtude do Espírito eterno, Cristo se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima sem mancha. 15Por isso, ele é mediador de uma nova aliança. Pela sua morte, ele reparou as transgressões cometidas no decorrer da primeira aliança. E, assim, aqueles que são chamados recebem a promessa da herança eterna.

    Palavra do Senhor.

    Marcos 14,12-16.22-26

    12No primeiro dia dos Ázimos, quando se imolava o cordeiro pascal, os discípulos disseram a Jesus: “Onde queres que façamos os preparativos para comeres a Páscoa?” 13Jesus enviou então dois dos seus discípulos e lhes disse: “Ide à cidade. Um homem carregando um jarro de água virá ao vosso encontro. Segui-o 14e dizei ao dono da casa em que ele entrar: ‘O Mestre manda dizer: onde está a sala em que vou comer a Páscoa com os meus discípulos?’ 15Então ele vos mostrará, no andar de cima, uma grande sala, arrumada com almofadas. Aí fareis os preparativos para nós!” 16Os discípulos saíram e foram à cidade. Encontraram tudo como Jesus havia dito e prepararam a Páscoa. 22Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, tendo pronunciado a bênção, partiu-o e entregou-lhes, dizendo: “Tomai, isto é o meu corpo”. 23Em seguida, tomou o cálice, deu graças, entregou-lhes, e todos beberam dele. 24Jesus lhes disse: “Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos. 25Em verdade vos digo, não beberei mais do fruto da videira até o dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus”. 26Depois de terem cantado o hino, foram para o monte das Oliveiras.

    Palavra da salvação.

    “Onde queres que façamos os preparativos para comeres a Páscoa?”

     Hoje celebramos a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo. No texto evangélico deste dia, Jesus responde aos seus discípulos onde eles iriam preparar a ceia, dizendo: um homem carregando um jarro de água irá ao vosso encontro, vós devereis segui-lo e então ele vos mostrará uma sala no andar de cima.

    Mas, fazendo uma analogia, que sala no andar de cima seria melhor para receber o Senhor senão a alma humana? Esta que está na parte superior do homem e foi feita para acolher a Sua presença. E quem seria o homem carregando um jarro de água senão o Espírito Santo? Este que pairava sobre as águas e aparece no Seu batismo. É ele quem nos indica a sala para o Banquete do Cordeiro.

    Ora, talvez não tenhamos entrado ainda na sala para deixá-la digna de Jesus. Porém, o Espírito Santo nos mostrará o seu caminho, isto é, para dentro de cada um de nós, templos vivos de Deus. Então, a sala será limpa com as águas das orações que o Espírito inspirar: contrição dos pecados, temor de Deus, a fé em Deus, a esperança em Deus, o amor a Deus…

    E quando finalmente a sala estiver pronta e o Senhor pronunciar as sagradas palavras “Isto é o meu Corpo. Isto é o meu Sangue”, através da pessoa do sacerdote, então poderemos recebê-Lo dignamente no local dedicado ao Senhor, onde cearemos com Ele. Seremos um só com Ele, assim como o Filho é um com o Pai.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Visitação de Nossa Senhora

    • Primeira Leitura
    • Salmo Responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Sofonias 3,14-18

    14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. 16Naquele dia se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! 17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, 18como nos dias de festa. Afastarei de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl Is 12
    O Santo de Israel é grande entre vós.

    Eis o Deus, meu salvador, eu confio e nada temo; † o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. /
    Com alegria bebereis do manancial da salvação. – R.

    E direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor, † invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas, /
    entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime. – R.

    Louvai, cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, /
    publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! / Exultai, cantando alegres, habitantes de Sião, /
    porque é grande em vosso meio o Deus santo de Israel!” – R.

    Lucas 1,39-56

    39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-Poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem. 51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

    Palavra da salvação.

    “A criança pulou de alegria no meu ventre”

    Hoje, Nossa Senhora visita sua prima, santa Isabel, e leva com Ela Jesus. A sua saudação transmite uma alegria evangélica à Isabel e a João Batista no seu ventre. Que alegria podemos sentir quando recebemos uma visita de Jesus! Seja na missa ou em algum acontecimento do dia, ou sendo um encontro favorável ou que nos cause confronto, é sempre uma alegria. E que grande alegria seria se também nós pudéssemos ter Jesus em nossos corações, estarmos intimamente unidos a Ele para evangelizar como fez Nossa Senhora, levando Jesus para a alegria do outro.

    Peçamos a intercessão de Maria para que o Espírito Santo forme em cada um de nós a imagem de Jesus Cristo para que assim possamos evangelizar levando a alegria da Sua presença na vida de todos que encontrarmos no dia de hoje.

    Reflexão dos Noviços da Província