Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Liturgia diária

dezembro/2021

  • 4ª feira da 1ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 25,6-10

    Naquele dia, 6 o Senhor dos exércitos dará neste monte, para todos os povos, um banquete de ricas iguarias, regado com vinho puro, servido de pratos deliciosos e dos mais finos vinhos. 7 Ele removerá, neste monte, a ponta da cadeia que ligava todos os povos, a teia em que tinha envolvido todas as nações. 8 O Senhor Deus eliminará para sempre a morte, e enxugará as lágrimas de todas as faces, e acabará com a desonra do seu povo em toda a terra; o Senhor o disse. 9 Naquele dia se dirá: “Este é o nosso Deus, esperamos nele, até que nos salvou; este é o Senhor, nele temos confiado: vamos alegrar-nos e exultar por nos ter salvo”. 10 E a mão do Senhor repousará sobre este monte.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 22(23)
    Na casa do Senhor habitarei pelos tempos infinitos.

    O Senhor é o pastor que me conduz; / não me falta coisa alguma. /
    Pelos prados e campinas verdejantes / ele me leva a descansar. /
    Para as águas repousantes me encaminha / e restaura as minhas forças. – R.

    Ele me guia no caminho mais seguro / pela honra do seu nome. /
    Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, / nenhum mal eu temerei. /
    Estais comigo com bastão e com cajado, / eles me dão a segurança! – R.

    Preparais à minha frente uma mesa, / bem à vista do inimigo; /
    com óleo vós ungis minha cabeça, / e o meu cálice transborda. – R.

    Felicidade e todo bem hão de seguir-me / por toda a minha vida; /
    e na casa do Senhor habitarei / pelos tempos infinitos. – R.

     

    Mateus 15,29-37

    Naquele tempo, 29Jesus foi para as margens do mar da Galileia, subiu a montanha e sentou-se. 30Numerosas multidões aproximaram-se dele, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou. 31O povo ficou admirado quando viu os mudos falando, os aleijados sendo curados, os coxos andando e os cegos enxergando. E glorificaram o Deus de Israel. 32Jesus chamou seus discípulos e disse: “Tenho compaixão da multidão, porque já faz três dias que está comigo, e nada tem para comer. Não quero mandá-los embora com fome, para que não desmaiem pelo caminho”. 33Os discípulos disseram: “Onde vamos buscar, neste deserto, tantos pães para saciar tão grande multidão?” 34Jesus perguntou: “Quantos pães tendes?” Eles responderam: “Sete e alguns peixinhos”. 35E Jesus mandou que a multidão se sentasse pelo chão. 36Depois pegou os sete pães e os peixes, deu graças, partiu-os e os dava aos discípulos, e os discípulos, às multidões. 37Todos comeram e ficaram satisfeitos; e encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.

    Palavra da salvação.

    “Jesus cura muitos e multiplica os pães”

    A multiplicação dos pães representa o banquete eucarístico, no qual todos nós somos convidados, pincipalmente os pobres, doentes, desamparados, humildes e todos aqueles que ajudam os necessitados. E entre eles também nós queremos estar. Poucos pães e pouco peixes tornaram matéria de salvação, de milagre, de vida. E ordem de Jesus, de recolher os pedaços que sobraram, lembra-nos o dever de cuidarmos com atenção das pequenas coisas.

    O povo que foi atrás de Jesus para ouvir suas Palavras, levaram coxos, cegos, mudos, aleijados e muitos outros doentes e isso nos traz uma lição. Não basta só apenas procurar Jesus, nem basta segui-lo, mas por mais difícil, por mais pesado que seja, é preciso levar conosco aqueles que ainda não o conhecem, para que Nele encontrem cura e salvação.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª feira da 1ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 26,1-6

    1Naquele dia, cantarão este canto em Judá: “Uma cidade fortificada é a nossa segurança; o Senhor cercou-a de muros e antemuro. 2Abri as suas portas, para que entre um povo justo, cumpridor da palavra, 3firme em seu propósito; e tu lhe conservarás a paz, porque confia em ti. 4Esperai no Senhor por todos os tempos, o Senhor é a rocha eterna. 5Ele derrubou os que habitam no alto, há de humilhar a cidade orgulhosa, deitando-a por terra até fazê-la beijar o chão. 6Hão de pisá-la os pés, os pés dos pobres, as passadas dos humildes”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 117(118)

    Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor!

    Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! / “Eterna é a sua misericórdia!” /
    É melhor buscar refúgio no Senhor / do que pôr no ser humano a esperança; /
    é melhor buscar refúgio no Senhor / do que contar com os poderosos deste mundo! – R.

    Abri-me vós, abri-me as portas da justiça; / quero entrar para dar graças ao Senhor! /
    “Sim, esta é a porta do Senhor, / por ela só os justos entrarão!” /
    Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes / e vos tornastes para mim o salvador! – R.

    “Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, / ó Senhor, dai-nos também prosperidade!” /
    Bendito seja, em nome do Senhor, / aquele que em seus átrios vai entrando! /
    Desta casa do Senhor vos bendizemos. / Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine! – R.

    Mateus 7,21.24-27

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 21“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. 24Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. 26Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!”

    Palavra da salvação.

    “Aquele que faz a vontade de meu Pai entrará no reino dos céus.”

    Nossa Fé tem por fundamento: a Palavra de Deus, porém a fidelidade a ela exige que esta Palavra transforme nossa vida, se converta em ação concreta, para não ficar letra morta.

    A palavra de Deus é a rocha em que devemos construir nossa casa, aonde deve estar a nossa vida, mente, coração, alma, corpo, todo o nosso ser. A Palavra do Senhor vem sempre carregada de vida e misericórdia, que nos traz coragem para enfrentar nossas dificuldades, que força nos momentos de tribulações, mas não basta apenas ler e sim ler e colocar em prática, guardar em nosso coração. É preciso aceitar e cumprir a vontade do Pai, que é uma proposta de salvação, de vida e felicidade. Feliz quem a acolhe e procura vivê-la.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Memória de São Francisco Xavier

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 29,17-24

    17“Dentro de pouco tempo, não se transformará o Líbano em jardim? E não poderá o jardim tornar-se floresta? 18Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro e os olhos dos cegos verão no meio das trevas e das sombras. 19Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor, e os mais pobres dos homens se rejubilarão no santo de Israel. 20Fracassou o prepotente, desapareceu o trapaceiro e sucumbiram todos os malfeitores precoces, 21os que faziam os outros pecar por palavras, e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade, e atacavam o justo com palavras falsas”. 22Isto diz o Senhor à casa de Jacó, ele que libertou Abraão: “Agora, Jacó não mais terá que envergonhar-se nem seu rosto terá que enrubescer; 23quando contemplarem as obras de minhas mãos, hão de honrar meu nome no meio do povo, honrarão o santo de Jacó e temerão o Deus de Israel; 24os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria e os maldizentes concordarão em aprender”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 26(27)
    O Senhor é minha luz e salvação.

    O Senhor é minha luz e salvação; / de quem eu terei medo? /
    O Senhor é a proteção da minha vida; / perante quem eu tremerei? – R.

    Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, / e é só isto que eu desejo: /
    habitar no santuário do Senhor / por toda a minha vida; /
    saborear a suavidade do Senhor / e contemplá-lo no seu templo. – R.

    Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver / na terra dos viventes. /
    Espera no Senhor e tem coragem, / espera no Senhor! – R.

    Mateus 9,27-31

    Naquele tempo, 27partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!” 28Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então, Jesus perguntou-lhes: “Vós acreditais que eu posso fazer isso?” Eles responderam: “Sim, Senhor”. 29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: “Faça-se conforme a vossa fé”. 30E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: “Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo”. 31Mas eles saíram e espalharam sua fama por toda aquela região.

    Palavra da salvação.

    “Dois cegos, crendo em Jesus, são curados.”

    A fé dos dois cegos fez com que eles ficassem curados. Somos cegos e, para conseguir a cura, devemos, assim como os cegos, ter fé e esperança, acreditando sempre no Senhor. Ter a humildade de se colocarmos na estrada e suplicar ao Senhor que passa. Ele espera que abramos o nosso coração.

    Possivelmente quem ouviu os dois cegos que foram curados contando o que tinha acontecido com eles, certamente alguém perguntou quem seria esse homem que faz os cegos enxergarem? A misericórdia de Jesus nos tira a cegueira quando acreditamos Nele e temos fé e esperança. O Evangelho de Jesus tira nossa cegueira, noz faz abrir os olhos e nosso coração.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 1ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 30,19-21.23-26

    19“Povo de Sião, que habitas em Jerusalém, não terás motivo algum para chorar: ele se comoverá à voz do teu clamor; logo que te ouvir, ele atenderá. 20O Senhor decerto dará a todos o pão da angústia e a água da aflição, não se apartará mais de ti o teu mestre; teus olhos poderão vê-lo 21e teus ouvidos poderão ouvir a palavra de aviso atrás de ti: ‘O caminho é este para todos, segui por ele, sem desviar-vos à direita ou à esquerda’. 23Ele te dará chuva para a semente que tiveres semeado na terra, e o fruto da terra será abundante e rico; nesse dia, o teu rebanho pastará em vastas pastagens, 24teus bois e os animais que lavram a terra comerão forragem salgada, limpa com pá e peneira. 25Haverá em toda montanha alta e em toda colina elevada arroios de água corrente, num dia em que muitos serão mortos com o desabamento de seus torreões. 26A lua brilhará como a luz do sol, e o sol brilhará sete vezes mais, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor curar a ferida de seu povo e fizer sarar a lesão de sua chaga”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 146(147A)
    Felizes são aqueles que esperam no Senhor!

    Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, † cantai ao nosso Deus, porque é suave: /
    ele é digno de louvor, ele o merece! / O Senhor reconstruiu Jerusalém /
    e os dispersos de Israel juntou de novo. – R.

    Ele conforta os corações despedaçados, / ele enfaixa suas feridas e as cura; /
    fixa o número de todas as estrelas / e chama a cada uma por seu nome. – R.

    É grande e onipotente o nosso Deus, / seu saber não tem medida nem limites. /
    O Senhor Deus é o amparo dos humildes, / mas dobra até o chão os que são ímpios. – R.

    Mateus 9,35-10,1.6-8

    Naquele tempo, 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doença e enfermidade. 36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” 10,1E, chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. Enviou-os com as seguintes recomendações: 6“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”

    Palavra da salvação.

    “Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas.”

    Jesus tem compaixão da imensa multidão de homens que esperam a libertação e a salvação. Ele espera que nós sejamos sinais de sua compaixão para os necessitados de vida, de esperança, de dignidade e de paz. Ele está presente em meio de nós, o Deus conosco, e espera nossa que nós colaboremos para que Reino se realize.

    A fé, a salvação que recebemos não é um dom exclusivo nosso e não devemos guardá-lo para nós achando que é nosso. Devemos transmitir aos outros, continuar a corrente sem interromper, fazendo também que os outros contribuam para o Reino de Deus. A fé autêntica em Cristo nos faz sair de nós mesmos e irmos ao encontro dos necessitados.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª Domingo do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Baruc 5,1-9

    1Despe, ó Jerusalém, a veste de luto e de aflição e reveste, para sempre, os adornos da glória vinda de Deus. 2Cobre-te com o manto da justiça que vem de Deus e põe na cabeça o diadema da glória do Eterno. 3Deus mostrará teu esplendor, ó Jerusalém, a todos os que estão debaixo do céu. 4Receberás de Deus este nome para sempre: “Paz da justiça e Glória da piedade”. 5Levanta-te, Jerusalém, põe-te no alto e olha para o oriente! Vê teus filhos reunidos pela voz do Santo, desde o poente até o levante, jubilosos por Deus ter-se lembrado deles. 6Saíram de ti, caminhando a pé, levados pelos inimigos. Deus os devolve a ti, conduzidos com honras, como príncipes reais. 7Deus ordenou que se abaixassem todos os altos montes e as colinas eternas e se enchessem os vales para aplainar a terra, a fim de que Israel caminhe com segurança, sob a glória de Deus. 8As florestas e todas as árvores odoríferas darão sombra a Israel, por ordem de Deus. 9Sim, Deus guiará Israel com alegria, à luz de sua glória, manifestando a misericórdia e a justiça que dele procedem.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 125(126)
    Maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria!

    Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar; /
    encheu-se de sorriso nossa boca, / nossos lábios, de canções. – R.

    Entre os gentios se dizia: “Maravilhas / fez com eles o Senhor!” /
    Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria! – R.

    Mudai a nossa sorte, ó Senhor, / como torrentes no deserto. /
    Os que lançam as sementes entre lágrimas / ceifarão com alegria. – R.

    Chorando de tristeza, sairão, / espalhando suas sementes; /
    cantando de alegria, voltarão, / carregando os seus feixes! – R.

    Filipenses 1,4-6.8-11

    Irmãos, 4sempre, em todas as minhas orações, rezo por vós com alegria, 5por causa da vossa comunhão conosco na divulgação do Evangelho, desde o primeiro dia até agora. 6Tenho a certeza de que aquele que começou em vós uma boa obra há de levá-la à perfeição até o dia de Cristo Jesus. 8Deus é testemunha de que tenho saudade de todos vós, com a ternura de Cristo Jesus. 9E isto eu peço a Deus: que o vosso amor cresça sempre mais, em todo o conhecimento e experiência, 10para discernirdes o que é o melhor. E assim ficareis puros e sem defeito para o dia de Cristo, 11cheios do fruto da justiça que nos vem por Jesus Cristo, para a glória e o louvor de Deus.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 3,1-6

    1No décimo quinto ano do império de Tibério César, quando Pôncio Pilatos era governador da Judeia, Herodes administrava a Galileia, seu irmão Filipe, as regiões da Itureia e Traconítide, e Lisânias a Abilene; 2quando Anás e Caifás eram sumos sacerdotes, foi então que a Palavra de Deus foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto. 3E ele percorreu toda a região do Jordão, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados, 4como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías: “Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas. 5Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas, e os caminhos acidentados serão aplainados. 6E todas as pessoas verão a salvação de Deus’”.

    Palavra da salvação.

    “Todas as pessoas verão a salvação de Deus.”

    O Evangelho nos vem chamar para a conversão, para a renovação da vida, excluindo tudo o que impede de chegar perto do Senhor. É um convite para todos batizados a dar testemunho da salvação de libertação em Cristo. Como João Batista sejamos profetas no tempo em que vivemos, profetas do anúncio da verdade de Cristo e da esperança nele.

    Não podemos se acomodar nem mesmo descansar na busca da justiça e da igualdade, da dignidade e da paz para todos os filhos de Deus. Que cada um de nós, em nossas comunidades, tornemos estrelas brilhantes do Natal, indicando o caminho que leva ao encontro de Jesus.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª-feira da 2ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 35,1-10

    1Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 2Germine e exulte de alegria e louvores. Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus. 3Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”. 5Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. 7A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes de água; nas cavernas onde viviam dragões crescerá o caniço e o junco. 8Ali haverá uma vereda e um caminho; o caminho se chamará estrada santa: por ela não passará o impuro, mas será uma estrada reta em que até os débeis não se perderão. 9Ali não existem leões, não andam por ela animais depredadores, nem mesmo aparecem lá; os que forem libertados poderão percorrê-la, 10os que o Senhor salvou voltarão para casa. Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhando em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 84(85)
    Eis que vem o nosso Deus! Ele vem para salvar.

    Quero ouvir o que o Senhor irá falar: / é a paz que ele vai anunciar; /
    a paz para o seu povo e seus amigos, / para os que voltam ao Senhor seu coração. /
    Está perto a salvação dos que o temem, / e a glória habitará em nossa terra. – R.

    A verdade e o amor se encontrarão, / a justiça e a paz se abraçarão; /
    da terra brotará a fidelidade, / e a justiça olhará dos altos céus. – R.

    O Senhor nos dará tudo o que é bom, / e a nossa terra nos dará suas colheitas; /
    a justiça andará na sua frente, / e a salvação há de seguir os passos seus. – R.

    Lucas 5,17-26

    17Um dia Jesus estava ensinando. À sua volta estavam sentados fariseus e doutores da Lei, vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judeia e de Jerusalém. E a virtude do Senhor o levava a curar. 18Uns homens traziam um paralítico num leito e procuravam fazê-lo entrar para apresentá-lo. 19Mas, não achando por onde introduzi-lo devido à multidão, subiram ao telhado e, por entre as telhas, o desceram com o leito no meio da assembleia, diante de Jesus. 20Vendo-lhes a fé, ele disse: “Homem, teus pecados estão perdoados”. 21Os escribas e fariseus começaram a murmurar, dizendo: “Quem é este que assim blasfema? Quem pode perdoar os pecados senão Deus?” 22Conhecendo-lhes os pensamentos, Jesus respondeu, dizendo: “Por que murmurais em vossos corações? 23O que é mais fácil, dizer: ‘Teus pecados estão perdoados’ ou dizer: ‘Levanta-te e anda’? 24Pois, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder de perdoar os pecados” – disse ao paralítico -, “eu te digo: levanta-te, pega o leito e vai para casa”. 25Imediatamente, diante deles, ele se levantou, tomou o leito e foi para casa, louvando a Deus. 26Todos ficaram fora de si, glorificavam a Deus e, cheios de temor, diziam: “Hoje vimos coisas maravilhosas!”

    Palavra da salvação.

    “Hoje vimos coisas maravilhosas!”

    Jesus manifesta duplo poder de que foi investido pelo Pai, poder de curar todas as doenças e de perdoar todos os pecados. Ele concede ao paralitico o que ele esperava, a cura e perdoa seus pecados. O Reino de Deus é, em primeiro lugar, reconciliação com Deus, que nos dá nova chance de vida.
    Quão grande bondade daqueles homens que carregavam o paralitico de qualquer forma até chegar em Jesus, em busca da cura para ele, de sua salvação. Jesus curou o paralitico de seu pecado e de sua enfermidade corporal. E como é repugnante a atitude dos fariseus e mestres da lei, preocupados com o ritualismo e não com a vida.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Memória de Santo Ambrósio

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 40,1-11

    1Consolai o meu povo, consolai-o! – diz o vosso Deus. 2Falai ao coração de Jerusalém e dizei em alta voz que sua servidão acabou e a expiação de suas culpas foi cumprida; ela recebeu das mãos do Senhor o dobro por todos os seus pecados. 3Grita uma voz: “Preparai no deserto o caminho do Senhor, aplainai na solidão a estrada de nosso Deus. 4Nivelem-se todos os vales, rebaixem-se todos os montes e colinas; endireite-se o que é torto e alisem-se as asperezas: 5a glória do Senhor então se manifestará, e todos os homens verão juntamente o que a boca do Senhor falou”. 6Dizia uma voz: “Grita!” E respondi: “O que devo gritar?” A criatura humana é feno, toda a sua glória é como flor do campo; 7seca o feno, murcha a flor, ao soprar o Senhor sobre eles. Sim, o povo é feno. 8Seca o feno, murcha a flor, mas a palavra de nosso Deus fica para sempre. 9Sobe a um alto monte, tu, que trazes a boa-nova a Sião; levanta com força a tua voz, tu, que trazes a boa-nova a Jerusalém, ergue a voz, não temas; dize às cidades de Judá: “Eis o vosso Deus, 10eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina; eis, com ele, sua conquista, eis à sua frente a vitória. 11Como um pastor, ele apascenta o rebanho, reúne, com a força dos braços, os cordeiros e carrega-os ao colo; ele mesmo tange as ovelhas-mães”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 95(96)
    Olhai e vede: o nosso Deus vem com poder!

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! /
    Cantai e bendizei seu santo nome! / Dia após dia anunciai sua salvação. – R.

    Manifestai a sua glória entre as nações / e, entre os povos do universo, seus prodígios! /
    Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!”, / e os povos ele julga com justiça. – R.

    O céu se rejubile e exulte a terra, / aplauda o mar com o que vive em suas águas; /
    os campos com seus frutos rejubilem, / e exultem as florestas e as matas. – R.

    Na presença do Senhor, pois ele vem, / porque vem para julgar a terra inteira. /
    Governará o mundo todo com justiça, / e os povos julgará com lealdade. – R.

    Mateus 18,12-14

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu? 13Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela do que com as noventa e nove que não se perderam. 14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”.

    Palavra da salvação.

    “Deus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos.”

    Nesse Evangelho, revela-se a verdadeira face de Deus, a do pai que não se resigna a perder nenhum de seus filhos, nem mesmo o menor de todos, o mais miserável ou rebelde, mas o procura constantemente e de mil maneiras. Ele não quer perder nenhum.
    Jesus mostra a face de Deus Pai, indo pessoalmente à procura dos pecadores. Pedir perdão com a certeza de obtê-lo em qualquer caso, é uma fuga as próprias responsabilidades, um incentivo ao erro. Porém o perdão não se trata só de passar a esponja e apagar o erro. A misericórdia de Deus não é ingenuidade, mas convite à conversão, convite a praticarmos, de nossa vez, a misericórdia para com nossos irmãos.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Imaculada Conceição de Nossa Senhora

    • Primeira leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Gênesis 3,9-15.20

    9O Senhor Deus chamou Adão, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo, porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”. 13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher Eva, porque ela é a mãe de todos os viventes.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 97(98)
    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios!

    Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! /
    Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.

    O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; /
    recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.

    Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. /
    Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.

    Efésios 1,3-6.11-12

    3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos abençoou com toda a bênção do seu Espírito em virtude de nossa união com Cristo, no céu. 4Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob o seu olhar, no amor. 5Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por intermédio de Jesus Cristo, conforme a decisão da sua vontade, 6para o louvor da sua glória e da graça com que ele nos cumulou no seu bem-amado. 11Nele também nós recebemos a nossa parte. Segundo o projeto daquele que conduz tudo conforme a decisão de sua vontade, nós fomos predestinados 12a ser, para o louvor de sua glória, os que de antemão colocaram a sua esperança em Cristo.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 1,26-38

    Naquele tempo, 26no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” 29Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. 34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

    Palavra da salvação.

    “Eis que conceberás e darás à luz um filho.”

    Deus escolheu Maria para a nobre missão de nos trazer Jesus, o Filho de Deus e nosso salvador. No Evangelho, Deus fala a Maria, através do Anjo Gabriel, dizendo que Ela será a Mãe de Jesus. Maria não se julga digna de ser a mãe de Jesus, mas obedece e acolhe a vontade de Deus. Sem a divindade de Jesus, nada no evangelho teria sentido, seu nascimento nada significaria, e para nós não haveria esperança. Mas pelo sim de Maria, nos veio o Emanuel, o Deus conosco.
    Nela, o Verbo eterno se encarnou e nasceu como Jesus de Nazaré, com uma natureza humana livre de pecado. Que Maria Santíssima, a Imaculada Conceição, nos ajude a renovar constantemente a graça do nosso batismo e nos conduza pelos caminhos da abundante Redenção de seu Filho bendito.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª feira da 2ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 41,13-20

    13Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tomo pela mão e te digo: “Não temas; eu te ajudarei”. 14Não tenhas medo, Jacó, pobre verme, não temais, homens de Israel. Eu vos ajudarei, diz o Senhor e salvador, o santo de Israel. 15Eis que te transformei num carro novo de triturar, guarnecido de dentes de serra. Hás de triturar e despedaçar os montes e reduzirás as colinas a poeira. 16Ao expô-los ao vento, o vento os levará e o temporal os dispersará; exultarás no Senhor e te alegrarás no santo de Israel. 17Pobres e necessitados procuram água, mas não há, estão com a língua seca de sede. Eu, o Senhor, os atenderei, eu, Deus de Israel, não os abandonarei. 18Farei nascer rios nas colinas escalvadas e fontes no meio dos vales; transformarei o deserto em lagos e a terra seca em nascentes de água. 19Plantarei no deserto o cedro, a acácia e a murta e a oliveira; crescerão no ermo o pinheiro, o olmo e o cipreste juntamente, 20para que os homens vejam e saibam, considerem e compreendam que a mão do Senhor fez essas coisas e o santo de Israel tudo criou.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl144(145)
    Misericórdia e piedade é o Senhor! / Ele é amor, é paciência, é compaixão.

    Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu rei, / e bendizer o vosso nome pelos séculos. /
    O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. – R.

    Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, / e os vossos santos com louvores vos bendigam! /
    Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! – R.

    Para espalhar vossos prodígios entre os homens / e o fulgor de vosso reino esplendoroso. /
    O vosso reino é um reino para sempre, / vosso poder, de geração em geração. – R.

    Mateus 11,11-15

    Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 11“Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos céus é maior do que ele. 12Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam. 13Com efeito, todos os profetas e a Lei profetizaram até João. 14E se quereis aceitar, ele é o Elias que há de vir. 15Quem tem ouvidos ouça”.

    Palavra da salvação.

    “Não surgiu nenhum maior do que João Batista.”

    A grandeza de João Batista foi exaltada por Jesus com palavra de admiração. O poder austero e heroico o marcou.
    A missão de João Batista é anunciar o fim do tempo de espera e o início de uma nova história feita por homens novos. Para realizar tal missão estes devem ser renovados no Espírito de Cristo.

    O batismo é destacado por João Batista como sendo o sinal sensível da adesão à fé em Jesus.

    O seguimento de Jesus exige uma atitude de estar sempre a caminho, sem nunca se acomodar no testemunho da fé.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6ª feira da 2ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 48,17-19

    17Isto diz o Senhor, o teu libertador, o santo de Israel: “Eu, o Senhor teu Deus, te ensino coisas úteis, te conduzo pelo caminho em que andas. 18Ah, se tivesses observado os meus mandamentos! Tua paz teria sido como um rio e tua justiça como as ondas do mar; 19tua descendência seria como a areia do mar e os filhos do teu ventre como os grãos de areia; este nome não teria desaparecido nem teria sido cancelado de minha presença”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 1
    Senhor, quem vos seguir terá a luz da vida.

    Feliz é todo aquele que não anda / conforme os conselhos dos perversos; /
    que não entra no caminho dos malvados / nem junto aos zombadores vai sentar-se; /
    mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. – R.

    Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; /
    ela sempre dá seus frutos a seu tempo, † e jamais as suas folhas vão murchar. /
    Eis que tudo o que ele faz vai prosperar. – R.

    Mas bem outra é a sorte dos perversos. † Ao contrário, são iguais à palha seca /
    espalhada e dispersada pelo vento. / Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, /
    mas a estrada dos malvados leva à morte. – R.

    Mateus 11,16-19

    Naquele tempo, disse Jesus às multidões: 16“Com quem vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que gritam para os colegas, dizendo: 17‘Tocamos flauta e vós não dançastes. Entoamos lamentações e vós não batestes no peito!’ 18Veio João, que não come nem bebe, e dizem: ‘Ele está com um demônio’. 19Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: ‘É um comilão e beberrão, amigo de cobradores de impostos e de pecadores’. Mas a sabedoria foi reconhecida com base em suas obras”.

    Palavra da salvação.

    “Não ouvem nem a João nem ao Filho do homem.”

    A sabedoria divina nos faz passar da religião do medo para a religião do amor.

    Jesus, com suas atitudes, provoca o surgimento de uma nova forma de seguimento. Os simples e pobres o seguem de coração aberto e dispostos à conversão em busca da construção do Reino. Os ricos e apegados aos seus cargos o rejeitam abertamente e procuram difamá-lo.

    A realidade ainda hoje não mudou. Jesus continua sendo sinal de contradição para os seus. Enquanto houver injustiça e os cristãos buscarem a superação da mesma, serão sinais de contradição.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 2ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Eclesiástico 48,1-4.9-11

    Naqueles dias, 1o profeta Elias surgiu como um fogo, e sua palavra queimava como uma tocha. 2Fez vir a fome sobre eles e, no seu zelo, reduziu-os a pouca gente. 3Pela palavra do Senhor fechou o céu e de lá fez cair fogo por três vezes. 4Ó Elias, como te tornaste glorioso por teus prodígios! Quem poderia gloriar-se de ser semelhante a ti? 9Tu foste arrebatado num turbilhão de fogo, num carro de cavalos também de fogo; 10tu, nas ameaças para os tempos futuros, foste designado para acalmar a ira do Senhor antes do furor, para reconduzir o coração do pai ao filho e restabelecer as tribos de Jacó. 11Felizes os que te viram e os que adormeceram na tua amizade!

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 79(80)
    Convertei-nos, ó Senhor, / resplandecei a vossa face e nós seremos salvos!

    Ó pastor de Israel, prestai ouvidos. / Vós que sobre os querubins vos assentais. /
    Despertai vosso poder, ó nosso Deus, / e vinde logo nos trazer a salvação! – R.

    Voltai-vos para nós, Deus do universo! † Olhai dos altos céus e observai. /
    Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Foi a vossa mão direita que a plantou; /
    protegei-a, e ao rebento que firmastes! – R.

    Pousai a mão por sobre o vosso protegido, / o filho do homem que escolhestes para vós! /
    E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! / Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! – R.

    Mateus 17,10-13

    Ao descerem do monte, 10os discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da Lei dizem que Elias deve vir primeiro?” 11Jesus respondeu: “Elias vem e colocará tudo em ordem. 12Ora, eu vos digo, Elias já veio, mas eles não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles”. 13Então os discípulos compreenderam que Jesus lhes falava de João Batista.

    Palavra da salvação.

    “Elias já veio, mas não o reconheceram.”

    Jesus identifica Elias com João Batista porque a missão e a coragem de ambos são semelhantes: Enfrentam os poderosos e lhes anunciam a verdade.
    Ambos são a figura do próprio Jesus. Por ser incômodo pagará com a própria vida a coragem de ter dito a verdade aos grandes do seu povo.

    A Palavra de Jesus continua a ressoar pela terra inteira. O “fogo” continua a arder. O Evangelho continua a ser luz e força para aqueles que estão dispostos a anunciar e a dar testemunho de Jesus.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 3º Domingo do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Sofonias 3,14-18

    14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos. O rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. 16Naquele dia se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião; não te deixes levar pelo desânimo! 17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, 18como nos dias de festa”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    S Is 12
    Exultai, cantando alegres, habitantes de Sião, / porque é grande em vosso meio o Deus santo de Israel!

    Eis o Deus, meu salvador, eu confio e nada temo; /
    o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. /
    Com alegria bebereis no manancial da salvação /
    e direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor. – R.

    Invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas, /
    entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime. – R.

    Louvai, cantando, ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, /
    publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! /
    Exultai, cantando alegres, habitantes de Sião, /
    porque é grande em vosso meio o Deus santo de Israel!” – R.

    Filipenses 4,4-7

    Irmãos, 4alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos. 5Que a vossa bondade seja conhecida de todos os homens! O Senhor está próximo! 6Não vos inquieteis com coisa alguma, mas apresentai as vossas necessidades a Deus, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças. 7E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento, guardará os vossos corações e pensamento em Cristo Jesus.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 3,10-18

    Naquele tempo, 10as multidões perguntavam a João: “Que devemos fazer?” 11João respondia: “Quem tiver duas túnicas dê uma a quem não tem; e quem tiver comida faça o mesmo!” 12Foram também para o batismo cobradores de impostos e perguntaram a João: “Mestre, que devemos fazer?” 13João respondeu: “Não cobreis mais do que foi estabelecido”. 14Havia também soldados que perguntavam: “E nós, que devemos fazer?” João respondia: “Não tomeis à força dinheiro de ninguém nem façais falsas acusações; ficai satisfeitos com o vosso salário!” 15O povo estava na expectativa e todos se perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias. 16Por isso, João declarou a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. 17Ele virá com a pá na mão: vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro; mas a palha, ele a queimará no fogo que não se apaga”. 18E ainda de muitos outros modos João anunciava ao povo a Boa-nova.

    Palavra da salvação.

    “Que devemos fazer?”

    Este trecho mostra o modo concreto como se realiza a conversão. A verdadeira conversão deve transformar a relação com Deus nos levando a ir ao encontro do próximo.

    Viver o a amor verdadeiro e praticar a solidariedade são atitudes fundamentais.

    João Batista também apresenta Jesus como juiz que purifica com o Espírito e o fogo, ou que condena a um fogo não purificador.
    Neste tempo do Advento em preparação para o Natal cabe a cada um de nós redescobrir Jesus e seu caminho de felicidade através da vivência verdadeira do Evangelho de Jesus.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Memória de Santa Luzia

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Números 24,2-7.15-17

    Naqueles dias, 2Balaão levantou os olhos e viu Israel acampado por tribos. O espírito de Deus veio sobre ele, 3e Balaão pronunciou seu poema: “Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem os olhos abertos; 4oráculo daquele que ouve as palavras de Deus, que vê o que o Poderoso lhe faz ver, que cai, e seus olhos se abrem. 5Como são belas as tuas tendas, ó Jacó, e as tuas moradas, ó Israel! 6Elas se estendem como vales, como jardins ao longo de um rio, como aloés que o Senhor plantou, como cedros junto das águas. 7A água transborda de seus cântaros, e sua semente é ricamente regada. Seu rei é mais poderoso do que Agag, seu reino está em ascensão”. 15E Balaão continuou pronunciando o seu poema: “Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem os olhos abertos, 16oráculo daquele que ouve as palavras de Deus e conhece os pensamentos do Altíssimo, que vê o que o Poderoso lhe faz ver, que cai, e seus olhos se abrem. 17Eu o vejo, mas não agora; e o contemplo, mas não de perto. Uma estrela sai de Jacó, e um cetro se levanta de Israel”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 24(25)
    Fazei-me conhecer a vossa estrada, ó Senhor!

    Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos / e fazei-me conhecer a vossa estrada! /
    Vossa verdade me oriente e me conduza, / porque sois o Deus da minha salvação. – R.

    Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura / e a vossa compaixão, que são eternas! /
    De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia / e sois bondade sem limites, ó Senhor! – R.

    O Senhor é piedade e retidão / e reconduz ao bom caminho os pecadores. /
    Ele dirige os humildes na justiça, / e aos pobres ele ensina o seu caminho. – R.

    Mateus 21,23-27

    Naquele tempo, 23Jesus voltou ao templo. Enquanto ensinava, os sumos sacerdotes e os anciãos do povo aproximaram-se dele e perguntaram: “Com que autoridade fazes essas coisas? Quem te deu tal autoridade?” 24Jesus respondeu-lhes: “Também eu vos farei uma pergunta. Se vós me responderdes, também eu vos direi com que autoridade faço essas coisas. 25Donde vinha o batismo de João? Do céu ou dos homens?” Eles refletiam entre si: “Se dissermos ‘do céu’, ele nos dirá: ‘Por que não acreditastes nele?’ 26Se dissermos ‘dos homens’, temos medo do povo, pois todos têm João Batista na conta de profeta”. 27Eles então responderam a Jesus: “Não sabemos”. Ao que Jesus também respondeu: “Eu também não vos direi com que autoridade faço essas coisas”.

    Palavra da salvação.

    “Donde vinha o batismo de João?”

    Neste Natal o Menino Jesus deseja limpar o templo de nosso coração e transformar nossas atitudes para testemunharmos a sua presença.
    Devemos perguntar-nos o que Ele encontrará sujo em nosso modo de ser a agir.

    Os carismas dados por Deus à sua Igreja devem ser sempre bem discernidos. Para isso se exige pureza de coração.

    Em todos os tempos, a palavra de Cristo deve constituir o centro do anúncio e meio primordial da evangelização.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Memória de São João da Cruz

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Sofonias 3,1-2.9-13

    Assim fala o Senhor: 1“Ai de ti, rebelde e desonrada, cidade desumana. 2Ela não prestou ouvidos ao apelo, não aceitou a correção; não teve confiança no Senhor nem se aproximou de seu Deus. 9Darei aos povos, nesse tempo, lábios purificados, para que todos invoquem o nome do Senhor e lhe prestem culto em união de esforços. 10Desde além-rios da Etiópia, os que me adoram, os dispersos do meu povo, me trarão suas oferendas. 11Naquele dia, não terás de envergonhar-te por causa de todas as tuas obras com que prevaricaste contra mim; pois eu afastarei do teu meio teus fanfarrões arrogantes, e não continuarás a fazer de meu santo monte motivo de tuas vanglórias. 12E deixarei entre vós um punhado de homens humildes e pobres”. E no nome do Senhor porá sua esperança o resto de Israel. 13Eles não cometerão iniquidades nem falarão mentiras; não se encontrará em sua boca uma língua enganadora; serão apascentados e repousarão, e ninguém os molestará.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 33(34)
    Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

    Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. /
    Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem! – R.

    Contemplai a sua face e alegrai-vos, / e vosso rosto não se cubra de vergonha! /
    Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia. – R.

    Mas ele volta a sua face contra os maus, / para da terra apagar sua lembrança. /
    Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta / e de todas as angústias os liberta. – R.

    Do coração atribulado ele está perto / e conforta os de espírito abatido. /
    Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, / e castigado não será quem nele espera. – R.

    Mateus 21,28-32

    Naquele tempo, disse Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: 28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi. 30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. 31Qual dos dois fez a vontade do pai?” Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. 32Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”.

    Palavra da salvação.

    “João veio, e os pecadores creram nele.”

    Todos somos chamados a trabalhar na vinha do Senhor. Pode nos acontecer que num momento de alegria e entusiasmo nos animamos e prometemos nos comprometer com o trabalho. Noutro momento podemos ser tomados pelo desânimo, pelas críticas, e eu desanime.

    Na verdade, é só Deus que salva. O que nós devemos fazer é nos entregar nas suas mãos e ocupar-nos devidamente nas tarefas que Deus vai mostrando serem necessárias para a construção do seu reino de amor, justiça e caridade.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4ª feira da 3ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra

    Isaías 45,6-8.18.21-25

    6“Eu sou o Senhor, não há outro, 7eu formei a luz e criei as trevas, crio o bem-estar e as condições de mal-estar: sou o Senhor que faço todas essas coisas. 8Céus, deixai cair orvalho das alturas, e que as nuvens façam chover justiça; abra-se a terra e germine a salvação; brote igualmente a justiça: eu, o Senhor, a criei”. 18Isto diz o Senhor que criou os céus, o próprio Deus que fez a terra, a conformou e consolidou; não a criou para ficar vazia, formou-a para ser habitada: “Sou eu o Senhor, e não há outro. 21Acaso não sou eu o Senhor? E não há deus além de mim. Não há um Deus justo e que salve, a não ser eu. 22Povos de todos os confins da terra, voltai-vos para mim e sereis salvos, eu sou Deus e não há outro. 23Juro por mim mesmo: de minha boca sai o que é justo, a palavra que não volta atrás; todo joelho há de dobrar-se para mim, por mim há de jurar toda língua, 24dizendo: Somente no Senhor residem justiça e força”. Comparecerão perante ele, envergonhados, todos os que lhe resistem; 25no Senhor será justificada e glorificada toda a descendência de Israel.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 84(85)
    Que os céus lá do alto derramem o orvalho, / que chova das nuvens o justo esperado!

    Quero ouvir o que o Senhor irá falar: / é a paz que ele vai anunciar; /
    a paz para o seu povo e seus amigos, / para os que voltam ao Senhor seu coração. /
    Está perto a salvação dos que o temem, / e a glória habitará em nossa terra. – R.

    A verdade e o amor se encontrarão, / a justiça e a paz se abraçarão; /
    da terra brotará a fidelidade, / e a justiça olhará dos altos céus. – R.

    O Senhor nos dará tudo o que é bom, / e a nossa terra nos dará suas colheitas; /
    a justiça andará na sua frente / e a salvação há de seguir os passos seus. – R.

    Lucas 7,19-23

    Naquele tempo, João convocou dois de seus discípulos 19e mandou-os perguntar ao Senhor: “És tu aquele que há de vir ou devemos esperar outro?” 20Eles foram ter com Jesus e disseram: “João Batista nos mandou a ti para perguntar: ‘És tu aquele que há de vir ou devemos esperar outro?’” 21Nessa mesma hora, Jesus curou de doenças, enfermidades e espíritos malignos a muitas pessoas e fez muitos cegos recuperarem a vista. 22Então, Jesus lhes respondeu: “Ide contar a João o que vistes e ouvistes: os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa-nova é anunciada aos pobres. 23E feliz é aquele que não se escandaliza por causa de mim!”

    Palavra da salvação.

    “Ide contar a João o que vistes e ouvistes.”

    São João Batista é chamado precursor do Messias porque preparou sua chegada à vida pública. Ele sabia que a missão de Jesus deveria ser revestida de humildade e sem alarde.

    Ao enviar dois de seus discípulos a Jesus, estes retornaram testemunhando que o amor do Mestre se manifestava na cura de doentes e recuperação da vista dos cegos.

    Estes e outros milagres deviam ser entendidos por João e outros seguidores de Jesus como sinais do Reino. Proclama bem-aventurado todo aquele para o qual Jesus não se transforma em ocasião de queda, mas de plena salvação.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 5ª feira da 3ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 54,1-10

    1Alegra-te, ó estéril, que nunca foste mãe, exulta e regozija-te, tu que nunca deste à luz; os filhos da mulher abandonada são mais numerosos do que os filhos da bem-casada, diz o Senhor. 2Alarga o espaço de tua tenda e distende bastante as peles das tuas barracas; usa cordas bem longas e finca as estacas com segurança. 3Farás expansão para um lado e para outro, e tua posteridade receberá em herança as nações que povoarão cidades abandonadas. 4Não tenhas medo, pois não sofrerás afronta alguma; nem te perturbes, pois não tens de que te envergonhar; esquecerás a vergonha sofrida na juventude e não te recordarás mais da humilhação da viuvez. 5Teu esposo é aquele que te criou, seu nome é Senhor dos exércitos; teu redentor, o santo de Israel, chama-se Deus de toda a terra. 6O Senhor te chamou, como a mulher abandonada e de alma aflita; como a esposa repudiada na mocidade, falou o teu Deus. 7Por um breve instante eu te abandonei, mas com imensa compaixão volto a acolher-te. 8Num momento de indignação, por um pouco ocultei de ti minha face, mas com misericórdia eterna compadeci-me de ti, diz teu salvador, o Senhor. 9Como fiz nos dias de Noé, a quem jurei nunca mais inundar a terra, assim juro que não me irritarei contra ti nem te farei ameaças. 10Podem os montes recuar e as colinas abalar-se, mas minha misericórdia não se apartará de ti, nada fará mudar a aliança de minha paz, diz o teu misericordioso Senhor.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 29(30)
    Eu vos exalto, ó Senhor, porque vós me livrastes!

    Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes / e não deixastes rir de mim meus inimigos! /
    Vós tirastes minha alma dos abismos / e me salvastes quando estava já morrendo! – R.

    Cantai salmos ao Senhor, povo fiel, / dai-lhe graças e invocai seu santo nome! /
    Pois sua ira dura apenas um momento, / mas sua bondade permanece a vida inteira; /
    se à tarde vem o pranto visitar-nos, / de manhã vem saudar-nos a alegria. – R.

    Escutai-me, Senhor Deus, tende piedade! / Sede, Senhor, o meu abrigo protetor! /
    Transformastes o meu pranto em uma festa, / Senhor meu Deus, eternamente hei de louvar-vos! – R.

    Lucas 7,24-30

    24Depois que os mensageiros de João partiram, Jesus começou a falar sobre João às multidões: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? 25O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Ora, os que se vestem com roupas preciosas e vivem no luxo estão nos palácios dos reis. 26Então, o que fostes ver? Um profeta? Eu vos afirmo que sim, e alguém que é mais do que um profeta. 27É de João que está escrito: ‘Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o meu caminho diante de ti’. 28Eu vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém é maior do que João. No entanto, o menor no Reino de Deus é maior do que ele”. 29Todo o povo ouviu, e até mesmo os cobradores de impostos reconheceram a justiça de Deus e receberam o batismo de João. 30Mas os fariseus e os mestres da Lei, rejeitando o batismo de João, tornaram inútil para si mesmos o projeto de Deus.

    Palavra da salvação.

    “João é o mensageiro que prepara o caminho do Senhor.”

    Jesus nos indica São João Batista como um exemplo de virtudes. Sua primeira virtude foi a de não se apegar ao dinheiro. Os que usavam roupas finas e se apegavam ao dinheiro eram aqueles que se recusavam a ser batizados, pois o batismo de João era um batismo de penitência, por tanto exigia conversão.

    Os menores do Reino de Deus, antes de todos os discípulos de Jesus, aderiram à sua mensagem e receberam a “marca” de sua fé, isto é, o batismo.
    Apesar de nossa missão não ser igual a de João, devemos imitar suas virtudes. Viver nosso batismo significa imitar Cristo vivendo e anunciando sua Palavra.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 6ª feira da 3ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Gênesis 49,2.8-10

    Naqueles dias, Jacó chamou seus filhos e disse: 2“Juntai-vos e ouvi, filhos de Jacó, ouvi Israel, vosso pai! 8Judá, teus irmãos te louvarão; pesará tua mão sobre a nuca de teus inimigos, se prostrarão diante de ti os filhos de teu pai. 9Judá, filhote de leão: subiste, meu filho, da pilhagem; ele se agacha e se deita como um leão e como uma leoa; quem o despertará? 10O cetro não será tirado de Judá, nem o bastão de comando dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertencem e a quem obedecerão os povos”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 71(72)
    Nos seus dias, a justiça florirá / e paz em abundância, para sempre.

    Dai ao rei vossos poderes, Senhor Deus, / vossa justiça ao descendente da realeza! /
    Com justiça ele governe o vosso povo, / com equidade ele julgue os vossos pobres. – R.

    Das montanhas venha a paz a todo o povo, / e desça das colinas a justiça! /
    Este rei defenderá os que são pobres, / os filhos dos humildes salvará. – R.

    Nos seus dias, a justiça florirá / e grande paz, até que a lua perca o brilho! /
    De mar a mar estenderá o seu domínio, / e desde o rio até os confins de toda a terra! – R.

    Seja bendito o seu nome para sempre! / E que dure como o sol sua memória! /
    Todos os povos serão nele abençoados, / todas as gentes cantarão o seu louvor! – R.

    Mateus 1,1-17

    1Livro da origem de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. 2Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacó; Jacó gerou Judá e seus irmãos. 3Judá gerou Farés e Zara, cuja mãe era Tamar. Farés gerou Esrom; Esrom gerou Aram; 4Aram gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naasson gerou Salmon; 5Salmon gerou Booz, cuja mãe era Raab. Booz gerou Obed, cuja mãe era Rute. Obed gerou Jessé. 6Jessé gerou o rei Davi. Davi gerou Salomão, daquela que tinha sido a mulher de Urias. 7Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; 8Asa gerou Josafá; Josafá gerou Jorão; Jorão gerou Ozias; 9Ozias gerou Jotão; Jotão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; 10Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias. 11Josias gerou Jeconias e seus irmãos, no tempo do exílio na Babilônia. 12Depois do exílio na Babilônia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel; 13Zorobabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliaquim; Eliaquim gerou Azor; 14Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud; 15Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacó. 16Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 17Assim, as gerações desde Abraão até Davi são quatorze; de Davi até o exílio na Babilônia, quatorze; e do exílio na Babilônia até Cristo, quatorze.

    Palavra da salvação.

    Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi.

    Vindo do Pai, o Cristo, se reveste inteiramente das fragilidades humanas, abandona sua condição divina e reata os laços que antes foram perdidos entre Deus Pai e a humanidade pela queda de Adão. Revestindo-se de uma majestade simples nasce da Bem-Aventurada Virgem Maria, no pequeno estábulo de Belém entre o boi e o burro, revelado primeiramente aos pastores de campo. Em sua vinda, Jesus é sinal de esperança para o Povo hebreu que tanto sofria a opressão de um sistema dominado pelo poder romano e de muitas incoerências por parte das autoridades religiosas judaicas, que deviam dar bom exemplo ao Povo.

    O Messias vem de linhagem davídica e assume o trono deixado por Davi. Há muito se aguardava esta revelação para os Filhos de Deus, brilhando a salvação mais uma vez a Israel. Seu reinado, no entanto, nada se assemelha a nenhum outro visto, com um caráter muito mais humilde e serviçal do que dominador e autoritário. Estando no mundo amou os seus até o fim para que a luz brilhasse nas trevas e deixou de herança a entrega total de um Deus que muito amou os seus Filhos.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sábado da 3ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo responsorial
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Jeremias 23,5-8

    5“Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei nascer um descendente de Davi; reinará como rei e será sábio, fará valer a justiça e a retidão na terra. 6Naqueles dias, Judá será salvo e Israel viverá tranquilo; este é o nome com que o chamarão: ‘Senhor, nossa justiça’. 7Eis que virão dias, diz o Senhor, em que já não se usará jurar ‘pela vida do Senhor que tirou os filhos de Israel do Egito’, 8mas sim ‘pela vida do Senhor que tirou e reconduziu os descendentes da casa de Israel desde o país do norte e todos os outros países para onde os expulsara; eles então irão habitar em sua terra’”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 71(72)
    Nos seus dias, a justiça florirá / e paz em abundância, para sempre.

    Dai ao rei vossos poderes, Senhor Deus, / vossa justiça ao descendente da realeza! /
    Com justiça ele governe o vosso povo, / com equidade ele julgue os vossos pobres. – R.

    Libertará o indigente que suplica / e o pobre ao qual ninguém quer ajudar. /
    Terá pena do indigente e do infeliz / e a vida dos humildes salvará. – R.

    Bendito seja o Senhor Deus de Israel, / porque só ele realiza maravilhas! /
    Bendito seja o seu nome glorioso! / Bendito seja eternamente! Amém, amém! – R.

    Mateus 1,18-24

    18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”. 24Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado e aceitou sua esposa.

    Palavra da salvação.

    “Jesus nascerá de Maria, prometida em casamento a José, filho de Davi.”

    Por mais que tivesse o direito a uma vida de luxo e regalias, Jesus, o Filho do próprio Deus, preferiu por escolha livre uma vida simples estando entre os mais simples. Optou por nascer em uma família humilde da menor cidade de Judá, se encarnou no seio da Virgem Maria prometida a José por esposo, ela uma jovem sem dotes extraordinários e ele homem muito justo e dedicado ao serviço de marceneiro. Tendo muitos sonhos queriam formar uma família e aí Deus realiza seu grande projeto. Aos pequeninos é que o Pai revela seus segredos e faz grandes obras. Por sua grande fé o Pai de amor e bondade envia o anjo Gabriel a Virgem, e pelo seu sim humilde e generoso se entrega inteiramente aos braços de Deus.

    A Família de Nazaré é ainda hoje imagem de grande exemplo a tantas outras famílias ao longo da história da civilização, que em sua pequenez e dificuldades lutam por um ideal de paz e seguimento de um Cristo pobre e crucificado. Jesus, Maria e José abençoe a todas as nossas famílias e não permitam que obstáculo algum seja difícil demais para ser enfrentado e que nenhuma pedra seja tão alta que não possa ser transportada.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 4º Domingo do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo
    • Segunda Leitura
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Miqueias 5,1-4

    Assim diz o Senhor: 1“Tu, Belém de Éfrata, pequenina entre os mil povoados de Judá, de ti há de sair aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade. 2Deus deixará seu povo ao abandono, até o tempo em que uma mãe der à luz; e o resto de seus irmãos se voltará para os filhos de Israel. 3Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor e com a majestade do nome do Senhor seu Deus; os homens viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até os confins da terra, 4e ele mesmo será a paz”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 79(80)
    Iluminai a vossa face sobre nós, / convertei-nos para que sejamos salvos!

    Ó pastor de Israel, prestai ouvidos. † Vós que sobre os querubins vos assentais, /
    aparecei cheio de glória e esplendor! / Despertai vosso poder, ó nosso Deus, /
    e vinde logo nos trazer a salvação! – R.

    Voltai-vos para nós, Deus do universo! † Olhai dos altos céus e observai. /
    Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Foi a vossa mão direita que a plantou; /
    protegei-a e ao rebento que firmastes! – R.

    Pousai a mão por sobre o vosso protegido, / o filho do homem que escolhestes para vós! /
    E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! / Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! – R.

    Hebreus 10,5-10

    5 ao entrar no mundo, Cristo afirma: “Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo. 6Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. 7Por isso eu disse: ‘Eis que eu venho. No livro está escrito a meu respeito: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade’”. 8Depois de dizer: “Tu não quiseste nem te agradaram vítimas, oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado” – coisas oferecidas segundo a Lei -, 9ele acrescenta: “Eu vim para fazer a tua vontade”. Com isso, suprime o primeiro sacrifício para estabelecer o segundo. 10É graças a essa vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas.

    Palavra do Senhor.

    Lucas 1,39-45

    39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.

    Palavra da salvação.

    “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?”

    Maria é exemplo de dedicação, doação e missão. Mesmo padecendo dos fardos de uma gravidez, pois trazia em si o Salvador, não mede esforços para ajudar sua amada prima Santa Isabel, que sofre as angústias da gravidez de São João Batista na velhice.

    A Mãe de Deus, por seu sim generoso, doa-se largamente ao projeto do Pai, que deseja estender sua salvação até os confins da terra a todas as nações. Por isso que nossa querida intercessora visita tão frequentemente o seu povo, porque sabe muito bem a aflição que passa seu povo simples, uma vez que também ela tanto sofreu com as desigualdades deste mundo e de seus poderosos.

    Celebrando a Virgem de Guadalupe lembramos os povos indígenas, que tanto padecem as perseguições de uma humanidade que não respeita seus ancestrais valores culturais e áreas de preservação. Rezemos à Santa Mãe de Deus para que volva seu olhar de amor por todos estes povos, para que possam viver em paz longe da ameaça da ganância e do poder dos homens.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • 2ª feira da 4ª Semana do Advento

    • Primeira leitura
    • Salmo
    • Evangelho
    • Sabor da Palavra
    Isaías 7,10-14

    Naqueles dias, 10o Senhor falou com Acaz, dizendo: 11“Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal, quer provenha da profundeza da terra, quer venha das alturas do céu”. 12Mas Acaz respondeu: “Não pedirei nem tentarei o Senhor”. 13Disse o profeta: “Ouvi, então, vós, casa de Davi: será que achais pouco incomodar os homens e passais a incomodar até o meu Deus? 14Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal. Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe porá o nome de Emanuel”.

    Palavra do Senhor.


    Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

    Sl 23(24)
    O Senhor vai entrar, é o rei glorioso!

    Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, / o mundo inteiro com os seres que o povoam; /
    porque ele a tornou firme sobre os mares / e, sobre as águas, a mantém inabalável. – R.

    “Quem subirá até o monte do Senhor, / quem ficará em sua santa habitação?” /
    “Quem tem mãos puras e inocente coração, / quem não dirige sua mente para o crime. – R.

    Sobre este desce a bênção do Senhor / e a recompensa de seu Deus e salvador.” /
    “É assim a geração dos que o procuram / e do Deus de Israel buscam a face.” – R.

    Lucas 1,26-38

    26No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” 29Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. 34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

    Palavra da salvação.

    “Eis que conceberás e darás à luz um filho.”

    Maria, Mãe de Deus e nossa, é grande exemplo de entrega e adesão total às promessas do Pai. Eis o exemplo perfeito a todo cristão oferecido pelo próprio Deus de amor ao mundo: nascer por uma virgem de Belém o Salvador de toda a humanidade. Salvação que se estende pelos séculos eternamente, porque o próprio amor de nosso Pai é eterno.

    O Evangelho se faz imagem da fragilidade humana frente à grandeza de Deus. Mesmo sendo Gabriel enviado à virgem, e este comunicando-a o recado divino, Maria não consegue esconder seu medo e perturbação perante à grande aliança sagrada que lhe é oferecida. Confrontar-se a imagem de Deus é sinal de inquietação para a alma e as fragilidades humanas, pois ao contemplá-lo nossa verdadeira forma é transparecida, como num espelho perfeito.
    Tenhamos por alvo o exemplo da Virgem Mãe, e sejamos, não só neste Natal que se aproxima, mas em todos os dias de nossas vidas dom gratuito e sincero de entrega nas mãos de Deus.

    Reflexão dos Noviços da Província

  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos
  • Sem eventos