Cultura franciscanaNotícias › 17/08/2018

Franciscanos transformam vagões de trem em convento

vagao_170818 830

Quando pensamos em um convento, imaginamos uma construção formada por claustro, pátios, capela e outros espaços. Este não é o caso de um grupo de frades franciscanos no Sul da Itália, que adaptou vagões de trem para o uso religioso.

O convento dos Frades Menores Renovados, conhecido como “A estação da alma”, está localizado no bairro de Scampia, uma das regiões mais perigosas e pobres da cidade de Nápoles, Itália.

No local, há cinco vagões que são utilizados como claustro, capela e espaços comuns. Também há um jardim, um contêiner, que foi adaptado para receber as visitas e uma oficina.

O superior do convento, Frei Carlo, disse ao jornal “Corriere del Mezzogiorno” que estes vagões “foram doados pela Ferroviária Estatal, que os colocou com gruas no terreno, que foi doado por um morador local.

“Nós não escolhemos viver nos vagões, não foi algo programado. Quando chegamos aqui, esperávamos contêineres e enquanto aguardávamos, adaptamos estes vagões abandonados, que datam da década de 40. Era uma situação provisória, mas que se converteu em nosso estilo de vida”, disse à rede de televisão italiana Rai1 outro grupo de frades.

Segundo Frei Carlo, os oito religiosos da comunidade não tem recursos próprios. “Não temos dinheiro, sobrevivemos graças a generosidade dos napolitanos que nos trazem comida e dividimos o que nos resta com os necessitados”.

“O trem representa o caminho itinerante, mas também a simplicidade e a precariedade”, afirmou o superior ao portal“Famiglia Cristiana”.

“Com estes valores buscamos recuperar a espiritualidade e os ensinamentos de São Francisco. Também como viajamos constantemente, porque nada é nosso, não podemos fixar raízes em nada”, acrescentou.

Como parte de seu apostolado, os Frades Menores Renovados colaboram com uma paróquia local, onde celebram missas, visitam hospitais, presídios e casas.

“Aqui sempre nos visitam, vem e pegam o que serve para elas. Também alguns de nossos frades caminham pelo bairro e conhecem a realidade das pessoas da região. Nós tratamos de dar consolo e falar com eles. Especialmente buscamos escutá-los e fazer com que eles vejam a vida com olhos mais cristãos”, expressou o superior da comunidade.

Frei Carlo disse ao “Corriere del Mezzogiorno” que no bairro de Scampia “a degradação e o envolvimento com o crime é muito intenso. No entanto, muitos fiéis estão dispostos a sair desta realidade e nos buscam para ter consolo. Alguns gostariam de sair do ‘sistema’, mas poucos conseguem, porque já estão muito envolvidos”.

A Ordem dos Frades Menores Renovados está presente em outras partes da Itália e em países como Colômbia e Tanzânia. Eles não estão ligados à Ordem dos Frades Menores.

Fonte: ACIPrensa

Confira reportagem em italiano: