Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 17/10/2018

Nossa lei deve ser a misericórdia

28ª Semana do Tempo Comum

Memória de Santo Inácio de Antioquia

sabor_171018Lc 11,42-46


“Ai de vós, fariseus, que pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus.” (Lc 11,42)


O Evangelho de hoje nos mostra Jesus repreendendo os que praticam a injustiça e a opressão ao povo, que usam de medidas falsas para enganar os outros.

Assim, Jesus critica todos os doutores da lei e os fariseus pelo seu modo de proceder. Eram pessoas que se mostravam justas, primeiros no cumprimento de preceitos, de pagamentos de dízimos, mas eram indiferentes quanto ao amor e caridade para com o próximo. Por isso, Cristo repreende-os.

De fato, eram pessoas egoístas, que montavam cargas para os outros sem eles mesmos colocarem nos seus ombros. Hoje somos nós, cristãos, que podemos correr o risco de ser pessoas presas à leis e preceitos como os doutores da lei e os fariseus, quando agimos de maneira diferente com os irmãos dentro ou fora da comunidade, em nossos lares, trabalho e quando optamos pela injustiça ao invés da justiça.

Hoje a Igreja faz memória de Santo Inácio Antioquia. Foi, pois, o sucessor de São Pedro na igreja de Antioquia onde os cristãos receberam pela primeira vez este mesmo nome. Ficou como prisioneiro em Roma e sofreu o martírio no Coliseu, onde foi lançado às feras no ano de 107. Que seu testemunho nos inspire a sermos pessoas mais comprometidas com o Reino.

Reflexão feita pelos noviços