Vida CristãMeditação diária › 10/04/2018

Prática religiosa com raízes no coração

Frase para refletir:

“Quando você rezar, entre no seu quarto, feche a porta, e reze ao seu Pai ocultamente; e o seu Pai, que vê o escondido, recompensará você” (Evangelho de Mateus 6,6).

orarNosso ato de louvor a Deus deve vir do coração, caso contrário trará nossa condenação. Na sociedade do tempo de Jesus, o centro da ostentação era ser visto como uma pessoa piedosa, ou seja, alguém que cumpre suas obrigações para com Deus. Então faziam questão de serem vistos praticando o jejum, a esmola, a oração, enfim os preceitos religiosos. E para isso preferiam praticar em lugares de destaque que desse maior visibilidade, e as pessoas pudessem comentar reconhecendo sua religiosidade.

Jesus chama a atenção que tudo isso está errado, nada disso tem valor diante de Deus. Só tem valor a prática religiosa que tiver raízes no coração, ou seja, provenientes do nosso amor a Deus e ao próximo. As coisas de Deus devem ser santas, isto é, praticadas com respeito e muito amor, caso contrário, torna-se uma profanação, e de certa forma, um grande desrespeito. Como se déssemos um escárnio no rosto de Deus. Isto é tão sério que São Paulo escreve aos Coríntios, em sua primeira carta, falando sobre o corpo e sangue de Cristo na Eucaristia, que ele diz: “porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem” (1 Coríntios 11:29,30). As consequências virão mais cedo ou mais tarde, no tempo de Deus.

Bom dia! Bom trabalho!

Reflexão feita por José Irineu Nenevê


Links:
Facebook: http://www.facebook.com/bomdiaebomtrabalho
Leia o Livro: BOM DIA E BOM TRABALHO, sabedoria para todos os dias. Ed VOZES.