Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Um dia histórico no Noviciado de Rodeio

16/01/2022

Notícias

 Rodeio (SC) – O Noviciado Franciscano de Rodeio (SC), viveu neste sábado (15/01) um dia histórico em seus mais de 120 anos de fundação (15 de junho de 1900). Como definiu o Ministro Provincial, Frei Paulo Pereira, a partir deste ano não é mais o Noviciado da Província da Imaculada Conceição que tem início, mas o Noviciado que vai acolher os jovens neste tempo da formação da Conferência dos Frades Menores do Brasil e do Cone Sul.

Essa experiência teve beleza, simbolismo e simplicidade na manhã deste sábado, quando se iniciou com a Celebração Eucarística, às 6h30, e na sequência a Oração das Laudes, com o rito de Admissão dos Noviços 2022. Treze jovens foram acolhidos num clima de muita alegria: Almiro Luna Xavier, Erick Eduardo dos Santos, Felipe Miguel Fiamoncini, Felipe Zaros Granusso, Filipo Carpi Girão, Francisco Barbosa Mouzinho Junior, Lucas Alfredo Teston, Paulo Vitor da Silva, Samuel Cavalcanti do Amaral, Vilmar José Bittencourt Júnior e Yure de Oliveira Telles Souza, da Província da Imaculada; Evandro Siqueira, da Província São Francisco de Assis (RS); e Mateo Esteban Martinez Mikulic, da Província Argentina São Francisco Solano.

Presente na celebração, representando a Província São Francisco de Assis, o Ministro Provincial Frei Marino Pedro Rhoden, e representando a Província São Francisco Solano, o Secretário da Formação e Estudos, Frei Fernando Ferrario. Este momento de acolhida teve início quando o Mestre do Postulantado, Frei Walter de Carvalho Júnior, que acompanhou esta turma durante o ano de 2021, em Guaratinguetá-SP, chamou um a um os noviços, que responderam: “Eis-me aqui!”. Eles, então, fizeram o pedido ao Ministro Provincial, e foram aceitos. Em seguida, num dos momentos mais belos e significativos da cerimônia, o Ministro Provincial abençoou os hábitos e os entregou a cada um. As vestes da provação são talhadas em forma de cruz, em sinal de maior adesão ao seguimento de Cristo. Com ajuda de um grande número de frades que veio a Rodeio para esta celebração, os noviços vestiram os hábitos na sacristia e retornaram ao presbitério da Igreja São Francisco de Assis, onde assinaram o livro de Atas de Admissão ao Noviciado da Ordem dos Frades Menores. A oração terminou com a bênção de São Francisco.

                                  PRESBITÉRIO ANTES DA VESTIÇÃO

 PRESBITÉRIO DEPOIS DA VESTIÇÃO

No final deste ano, esses noviços estarão aptos para fazer a Primeira Profissão na Ordem Franciscana. No hábito que agora vestem, o cordão ainda não tem os três nós, que simbolizam os conselhos evangélicos (obediência, pobreza e castidade). Esse hábito é temporário e eles ganharão o definitivo na Primeira Profissão, quando concluírem este tempo de provação.

A partir desta celebração, esses jovens estão sob a orientação do novo Mestre Frei Samuel Ferreira de Lima e da Fraternidade do Noviciado. Frei Samuel, depois de ser mestre por nove anos no Noviciado, retorna a esta missão.

A EXORTAÇÃO DE FREI PAULO

Os textos bíblicos escolhidos para a Eucaristia deste dia são sinais evidentes do cuidado de Deus por nós. Ao celebrar o início do ano do noviciado fomos brindados com o trecho do Primeiro livro de Samuel (1Sm 9,2-10) que relata a unção de Saul. Ele havia sido incumbido por seu pai de ir ao campo encontrar as jumentas que se tinham dispersado. Determinado, Saul se dedica à tarefa recebida, mas não logra êxito. No entanto, no decorrer da missão se encontra com Samuel que o identifica como o escolhido pelo Senhor para reinar sobre o povo. Saul então é ungido pelo profeta e se torna rei.

A partir do relato bíblico torna-se evidente que devemos ter nosso olhar focado na missão que recebemos; a ela devemos nos dedicar com empenho e determinação. É isso que nos cabe e exige nosso esforço. Entretanto, não podemos resistir se no caminho o olhar de Deus nos encontrar e nos indicar outra direção. Deus nos conhece, sabe das nossas fragilidades e potencialidades também, cuida de nós com zelo, nele podemos confiar. Assim como Saul, podemos sair pelos campos a procurar jumentas perdidas e, ao voltar, traremos conosco a unção e a realeza, escolha de Deus para nós.

O texto do Evangelho (Mc 2, 13-17) narra a vocação de Mateus; mais que isso, o trecho selecionado fala da escolha de Jesus e essa é a ênfase que quero dar. Jesus é quem escolhe e diz: “segue-me”. Jesus tem escolhas claras. Nós, que ousamos fazer escolhas a partir das escolhas de Jesus, também devemos ter a mesma clareza. O mestre de Nazaré afirma: “Não são os sãos que precisam de médico”. Essa afirmação não pode ser esquecida: estar ao lado dos doentes, dos pecadores, dos frágeis… essa é a escolha de Jesus e deverá ser também a nossa. Só assim nossa opção pela vida religiosa, pela vida religiosa franciscana, terá sentido.

A ENTREGA DO HÁBITO FRANCISCANO

             NA SACRISTIA, CONFRADES AJUDAM NOVIÇOS NA VESTIÇÃO  

“Será fecunda a nossa caminhada, nós que já estamos na estrada por mais tempo, e será fecunda a caminhada desses que hoje vão iniciar o noviciado na vida franciscana se todos nós nos ajudarmos a viver a nossa escolha, a partir da escolha clara, nítida, de Jesus, o nosso Mestre”, acrescentou.

Frei Paulo lembrou que dois frades jubilandos vão formar a Fraternidade deste ano. Frei Claudino Dalmago, que celebra 50 anos de vida religiosa, e Frei Miguel da Cruz, que celebra 25 anos de vida religiosa. Frei Paulo brincou dizendo que Frei Claudino fez um “postulantado de 11 anos para conseguir fazer o seu noviciado”. Frei Claudino residiu esses anos no Postulantado Frei Galvão de Guaratinguetá e será vice-mestre agora em Rodeio.

            (clique nas imagens para ampliá-las)

Segundo Frei Paulo, todo ano se repete essa cerimônia de admissão e, muito mais do que qualquer outra frente de missão da Fraternidade, a repetição é muito evidente: repetição dos ambientes, dos horários, das refeições, dos trabalhos, das orações. “Mas cada vez é sempre novo”. Ele lembrou que o relógio também é sempre repetição, mas no intervalo de 24 horas acontecem “experiências marcantes, experiências fortes, experiências que transformam a nossa vida”. “Acolham, irmãos noviços, essa graça. É o tempo da graça. O tempo cronológico pode ser enfadonho na repetição, mas o da graça se dá no vigor totalmente novo. Então é o tempo da graça”.

“Os irmãos que são admitidos ao Noviciado são também os noviços da pandemia. Muitos de vocês iniciaram a caminhada nesse tempo que desconcertou os relacionamentos no mundo inteiro. São os noviços de máscara, os noviços da pandemia. É uma novidade desconcertante”, situou Frei Paulo.

ASSINATURA DO LIVRO DE ATAS DO NOVICIADO

 (clique nas imagens para ampliá-las)

Segundo ele, numa entrevista do ex-presidente do Uruguai, José Mujica, um grande humanista e uma grande liderança latino-americana, dizia que o ano de 2021 foi o do fim da humanidade. “A pandemia que poderia ter sido um evento de restauração da essência do ser humano, porque foi um problema de dimensões universais, que atingiu a todos, negros, brancos, amarelos e que atingiu todos os países do mundo, ricos e pobres. Sofremos na mesma intensidade da doença. Então, a partir disso poderia ter surgido uma humanidade nova, um novo jeito de organizar a vida no planeta. Jogamos fora esta oportunidade. Ainda que com sinais evidentes de solidariedade, aqui e acolá, os sinais importantes de cuidado pela natureza, sobretudo pela vida humana, jogamos fora essa oportunidade e sobrou aos pobres a morte. Sobrou aos países pobres a recessão. Sobrou a nós, brasileiros, a triste marca de mais de 600 mil vidas perdidas. Então, ele dizia que a humanidade faliu, acabou. Mas, certamente, ele não vê o mundo com esse olhar pessimista e nós não podemos ter esse olhar de falência. Sim, quanto maior for a escuridão, mais nítida deverá ser a busca do nosso olhar. E por isso me alegro pela decisão de vocês, noviços da pandemia, não pela falência do mundo, mas pelo revigoramento do desejo do ser humano. A partir de Jesus Cristo e de suas ações, a partir da graça desse tempo que estamos vivendo. Então, nós nos alegramos todos, tenho certeza e a Província de São Francisco Solano e a Província de São Francisco de Assis, as Províncias de nossa Conferência Brasileira e do Cone Sul hoje têm os olhos voltados para Rodeio e se deixam revigorar pela decisão vocacional que vocês estão assumindo. Recebam a nossa gratidão”, completou.

O MESTRE QUE CAMINHA JUNTO

No final da celebração, Frei Paulo entregou os noviços aos cuidados do Mestre Frei Samuel e da Fraternidade, composta por Frei Josemberg Aranha, o guardião; Frei Miguel da Cruz, o pároco; Frei Claudino Dal’Mago, vice-mestre; Frei José Bertoldi, atendente conventual.

Frei Samuel não esperava ser chamado para esta missão que cumpriu de 2010 a 2018. “Ainda estou meio anestesiado”, contou. Mas ele está pronto para viver esta nova experiência, tendo em vista o “noviciado interprovincial”. “Será um tempo de aprendizado. A gente vai conversar com as outras entidades para construir um itinerário conjunto. Vamos dizer assim que é uma experiência-piloto, onde vamos aprendendo a aproximar o que é que é comum nas entidades provinciais para fazer um caminho único. Então, sinto-me assim um pouco aprendiz”, disse, mas reconhece que a experiência adquirida o deixa mais tranquilo, além de destacar a importância da equipe formadora do Noviciado.

Com esses anos de caminhada, Frei Samuel define o papel do mestre de maneira muito simples: “Ele é aquele que acompanha, que motiva, aponta direção para que cada um possa ir se descobrindo e se desenvolvendo na sua escolha, na sua motivação e na sua clareza”.

Para Frei Samuel, é um trabalho artesanal. “É um exercício que exige paciência, que vai ganhando clareza num caminho de fé e de espiritualidade. Isso não é um curso. O noviço vai amadurecer a própria visão e o caminho de como ser religioso no caminho de São Francisco de Assis. Os textos de São Francisco falam para nós da experiência dele e apontam meios e elementos, que são valores constitucionais, e que vamos atualizar para o nosso tempo, para a nossa época, para a nossa vida”, explicou.

Para Frei Samuel, o noviço deve ter abertura para viver essa experiência nas coisas simples. “Fazer essa experiência de Deus nas coisas mais singelas, mais cotidianas. Francisco fazia isso, porque era um homem prático. Não era um homem de teorias. Ou seja, à medida que a gente vai aprendendo na vivência de cada dia, nas pequenas coisas, no trabalho, no exercício de ser fraterno, no entender a própria humanidade, descobre-se abrindo à ação de Deus, que vai nos transformando. A gente pensa que vai mudar alguma coisa. Não vai mudar nada. É Deus que muda em nós à medida que a gente se abre para a graça”, destacou.

CONFIANÇA

O Ministro Provincial Frei Marino Pedro Rhoden destacou a acolhida da Província da Imaculada. “Quero expressar a alegria e a total confiança no processo formativo desta entidade, na qual estamos nos integrando, e queremos continuar o processo de construção desse noviciado interprovincial para podermos assim somar. Muito obrigado pela acolhida e contem com nossas orações”, disse.

Frei Fernando leu uma carta do Ministro Provincial, Frei Daniel Alejandro Fleitas Zeni, da Província Argentina: “Nossa vida só tem sentido em Jesus e o Noviciado é tempo para se encantar por Jesus. Gostaria de agradecer do fundo do coração pela acolhida do nosso irmão Mateo. O início do Noviciado é sempre uma ação de graças ao Senhor da história, que continua a nos cativar com uma proposta do Evangelho. Queremos, como São Francisco, construir uma fraternidade de irmãos, onde todos se sintam convidados. Queremos como São Francisco de Assis anunciar que o perdão é a paz possível. Que nenhum leproso do nosso tempo deve sair sem ser visto diante de nossos olhos. Obrigado ao Mestre e a cada formador pelo seu tempo, pela dedicação, pelo seu testemunho. Obrigado à Fraternidade pela sua presença e aos irmãos noviços, desejo um ano de graça e minhas orações”.


Moacir Beggo