Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

“Que esta Festa de hoje também nos ajude a fazermos do Evangelho a nossa forma de vida”, pede Frei Mário

13/06/2022

Notícias

São Paulo (SP) – No Convento e Santuário São Francisco, no centro de São Paulo (SP), a Festa de Santo Antônio chega a “rivalizar” com a do Padroeiro. Os dois santos queridos da Ordem Franciscana recebem todo o carinho do povo nesta região central de São Paulo. Todo ano, nem bem o dia amanhece e os devotos e fiéis do santo franciscano já batem à porta da histórica Igreja do Convento. As missas começaram bem cedo, às 7h. Foi dia de bênção, distribuição do pão, venda do bolo e do lírio, além de barracas com comidas típicas e itens religiosos. As duas barracas mais procuradas, do pão e do bolo, tinham filas enormes.

Frei Mário Tagliari, guardião da Fraternidade e Reitor do Santuário, presidiu a Missa das 10 horas e falou do momento de graça que vive o Convento do largo São Francisco. “Estamos num ano de graça neste Santuário. Exatamente no dia 17 de setembro, dia das Chagas de São Francisco, nós celebraremos 375 anos da construção deste Convento São Francisco. Também estamos celebrando 200 anos da morte de Frei Galvão, querido frade desta Província da Imaculada Conceição do Brasil. E aqui, neste convento, nesta igreja, que ele viveu por 60 anos. Toda a sua vida viveu aqui. Ele saía para pregar, construir, evangelizar, mas voltava aqui”, explicou o celebrante, que teve como concelebrante Frei Leandro Costa, do Santuário Frei Galvão de Guaratinguetá.

“Foi ele que construiu o Convento da Luz. Por que digo isso na Festa de Santo Antônio?”, perguntou o frade. “Para tentarmos entender o que é esse movimento franciscano que tocou de perto o cônego agostiniano Fernando Martins de Bulhões, português, professor em Coimbra”, explicou. Segundo Frei Mário, Fernando foi tocado pelo exemplo dos cinco frades que passaram em Portugal com destino para o Marrocos, para pregar o Evangelho, anunciar a Cristo aos muçulmanos. “Mas lá foram martirizados. Seus corpos passaram novamente pelo convento agostiniano e tocou ainda mais Fernando, que tomou a decisão de ser frade e anunciar o Evangelho, mesmo correndo o risco do martírio”, disse.

Contudo, os planos de Deus para Antônio foram diferentes e ele foi parar no Sul da Itália, onde ele teve alegria de conhecer São Francisco de Assis, num dos Capítulo das Esteiras com 5 mil frades. “Ali, Frei Antônio conhece São Francisco e é enviado com os frades para o Norte da Itália, onde inicia a sua vida de pregação. Ali, ele sente o desafio de alimentar as pessoas pobres, que não tinham o que comer. E assim Santo Antônio foi se tornando conhecido pela pregação do Evangelho, mas feita na forma de atos concretos de vida. Quantos milagres ele operou com sua intercessão, devolvendo a fé, a vida e a esperança!”, recordou Frei Mário.

“Essa é a mística que Santo Antônio busca em São Francisco, que não é nada mais que a mística do Evangelho”, observa o frade, referindo ao Evangelho de hoje, quando Jesus envia os discípulos. “São Francisco fica tocado com este envio missionário e toma uma decisão que muda o rumo de sua vida: ‘É isso que eu quero, é isso que eu desejo’. E passa reconstruir a vida das pessoas. É esse Evangelho que toca a vida de Santo Antônio”, ressalta Frei Mário.

“Que esse movimento franciscano, que é viver o Evangelho como forma de vida, também toque o nosso coração, nos ajude, nos incentive a termos coragem de romper com tantas situações que nos distanciam uns dos outros, que nos levam a querer fazer o mal para o outro. Diante de tanta fome, de tanta injustiça, que nós tenhamos a coragem de sermos Trombeta do Evangelho”, disse, referindo ao aumento de pessoas em situação de rua na cidade de São Paulo, como comprovou o censo da Secretaria de Assistência Social, que calcula mais de 31 mil pessoas morando na rua. Falou do trabalho do Serviço Franciscano de Solidariedade que ajuda amenizar esse drama, mas essa “ajuda pode se multiplicar”, acredita o frade.

                                                            (toque nas imagens para ampliá-las)

“Que esta Festa de hoje também nos ajude a fazermos do Evangelho a nossa forma de vida”, completou.

As atividades deste dia 13 contaram com bênçãos dos freis durante todo o dia.


Moacir Beggo e Lucas A. Santos (fotos)