Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Dia da Proclamação de República

14/11/2014

Frei Luiz Iakovacz

No dia 15 de novembro comemoramos o 125º ano da República Brasileira. Esta palavra tem sua origem no latim (res publica = coisa pública). No transcorrer da história, recebeu vários enfoques, mas sua essência sempre permaneceu a mesma: “Administração de um bem público”.

Hoje, República consiste num “sistema de governo no qual o chefe de Estado é eleito pelo povo em voto secreto e livre, e o mandato dura determinado espaço de tempo” (Enciclopédia Wikipédia).

Os ideais republicanos já estavam presentes nos movimentos da Inconfidência Mineira e Tiradentes (1788-1789) e da Revolução Farroupilha (1835-1845). Entre tantos motivos que provocaram a mudança do regime político, um dos principais foi a Guerra do Paraguai (1864-1870). Ela endividou o país, juntamente com uma inflação alta.

Nesta guerra, os militares robusteceram os ideais republicanos e defendiam o fim da escravidão; não aceitavam que os escravos, depois de lutarem na guerra, continuassem na mesma situação. Quando foi assinada a Lei Áurea, os fazendeiros, também, se revoltaram porque perderam a mão-de-obra. Mas, o pior de tudo, era que o exército não tinha autonomia e dependia, sempre, do Imperador. Este mandava e desmandava, até dentro da Igreja, e prendeu os Bispos de Olinda e de Belém (1872) porque seguiam as orientações do Vaticano e não as do Império.

Tudo isso, somado a outros motivos, fez com que o Marechal Deodoro da Fonseca coordenasse um “levante político militar”, no dia 15 de novembro de 1889, instaurando a República e extinguindo a Monarquia que vinha governando o Brasil desde 1822.

Jesus era judeu, e morou em seu país, Israel. Desde seu nascimento até a morte, sua vida esteve envolvida em ações políticas. Deveria ter nascido em Nazaré, mas, por causa do recenseamento do imperador romano César Augusto, os pais precisaram ir a Belém onde se completaram os dias do parto (Lc 2,1-7). Ainda criança, foi ameaçado de morte por Herodes e fugiu para o Egito (Mt 2,13-18). Ao voltar, foi morar longe da Judéia porque este Estado estava sendo governado por Arquelau, filho de Herodes (Mt 3,19-23). Quando adulto, novamente, foi ameaçado de morte por outro Herodes, o Antipas. Jesus não se intimidou; chamou-o de “raposa” e deixou este recado: aconteça o que acontecer, não iria mudar seu jeito de trabalhar e pregar (Lc 13,31-35). Foi preso no Monte das Oliveiras, por soldados romanos (Jo 18,1-14). Foi julgado e condenado à morte por dois tribunais: um religioso, Sinédrio (Mt 26,57-68) e o civil, Pôncio Pilatos (Mt 27, 11-26). Foi sepultado, mas Deus O ressuscitou. O apóstolo Pedro, ao ser preso, falou, de maneira contundente, às autoridades religiosas: “… vocês mataram o Príncipe da Paz, mas Deus O ressuscitou e disso nós somos testemunhas” (At 3, 15).

Se, realmente, testemunharmos Jesus Cristo – seremos a esperança de que um “outro mundo é possível”.

Download WordPress Themes Free
Premium WordPress Themes Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Best WordPress Themes Free Download
lynda course free download
download redmi firmware
Download Premium WordPress Themes Free
udemy course download free

Conteúdo Relacionado