Carisma - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Natureza de Francisco e o sopro do Evangelho

Encontro do Evangelho com a história

Éloi Leclerc, frade francês, escreveu muitos textos sobre “seu” Francisco de Assis, seu e nosso. A figura do Poverello foi seu campo de pesquisa e seu grande tema, diria mesmo sua paixão. Um dos seus livros fundamentais foi, certamente, “Francisco de Assis. O retorno ao Evangelho”, publicado pela Vozes e CEFEPAL, infelizmente esgotado. No epílogo desta obra o frade, falecido no começo deste século, disserta sobre o encontro do Evangelho com a história. Esse tema era muito querido de Marie-Dominique Chenu, teólogo dominicano. Achava este que Francisco era grande por ter enxertado o evangelho na história de seu tempo. Na primeira parte de seu epílogo, Leclerc fala da rica natureza de Francisco e o sopro do Evangelho. Tento colocar aqui o essencial do texto. O texto é minha base e não o transcrevo letra a letra.
Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM

Rica natureza de Francisco

♥ Trata-se de um fato incontestável. Lendo o primeiros biógrafos do santo tem-se uma impressão irresistível: uma personalidade original e criativa, um ser dinâmico, cheio de claridade. Sai dele uma irradiação de plenitude de vida, ao mesmo tempo simples, forte e nova. É alguém que nos leva para caminhos ainda não percorridos. Com ele a vida retoma o perfume das origens. Traço fundamental desta personalidade sem paralelo é uma capacidade extraordinária de se comunicar com os seres, um poder sempre renovado de deixar-se maravilhar, de acolhimento, de devotamento, em resumo uma hospitalidade de espírito e de coração que o torna atento a todas as criaturas.

♥  Tomás de Celano faz esta observação: “Os sentimentos naturais de seu coração eram suficientes para torná-lo fraterno a toda criatura”. Louis Lavel tinha razão ao escrever: “Talvez nunca tenha havido consciência mais aberta do que a de Francisco, mais delicada nem mais vivamente vibrante a todos os toques que lhe vinham da natureza, dos outros santos e de Deus”. Georges Duby, grande historiador: “De parceria com Cristo, foi Francisco o grande herói da história cristã. Pode-se afirmar sem exagero que o que resta de cristianismo vivo provém diretamente dele”.

O sopro do Evangelho
♥ O sopro do Evangelho, penetrando nesta rica natureza, liberou todas as suas potencialidades. A conversão não quebrou nada da personalidade de Francisco. Pode acontecer que um excessivo ascetismo quebre o ‘natural’ de uma pessoa. Esta pode se tornar meio avessa às realidades visíveis e tangíveis. Nada disso aconteceu com Francisco. Tudo o que era precioso em sua natureza continua a vibrar sob a mão de Deus. Mesmo a riqueza afetiva, o sentimento estético e o lirismo criador. A conversão nada secou.

♥ Sua conversão foi essencialmente comunhão com uma pessoa viva, com Jesus Cristo. Unindo-se a esta pessoa Francisco pode ver suas potencialidades liberadas do que ainda podia ser acanhado. A natural hospitalidade de seu espírito e de seu coração se abriram às dimensões do mundo. O beijo do leproso é o mais emblemático desta abertura. A partir de então sua comunhão com as criaturas seria universal.

Concluindo

♥ “Diante da pessoa de Jesus, atitude de Francisco é toda de amor. Poderia ser de curiosidade, de interesse, de temor, mas não. É toda gratidão, assombro, encanto. Cristo lhe aparece na capelinha de São Damião, crucificado, mendigo, pedindo-lhe ajuda, a alma de Francisco fica verdadeiramente e para sempre “colada” à pessoa de Jesus” (Frei David Azevedo, São Francisco, Fé e Vida, Ed. Franciscana de Portugal, p.22).


Imagem: Francisco de Zurbarán (1598–1664) 

Download Best WordPress Themes Free Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
udemy paid course free download
download lava firmware
Free Download WordPress Themes
free online course

Conteúdo Relacionado