Carisma - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Irmãs Clarissas – Elementos de Formação – III

EMAÚS:  FASCINANTE E INESQUECIVEL

 “Acreditei  que  minha lareira estava apagada, revolvi as cinzas e queimei a  mão”  (Antônio Machado)

 Lucas   24, 13-35

 No meio de vós está alguém que  não conheceis.

João 1, 26

 A  presença do  Ressuscitado é invisível e silenciosa.  Torna-se visível no rosto de um desconhecido, de um peregrino que se torna companheiro improvisado de caminho e fala através da  Escritura. A Bíblia e o outro homem, a Palavra  de Deus contida nas  Escrituras e o rosto do outro, sobretudo do estranho e do pobre,   são lugares por excelência  em que a Presença do Ressuscitado pode encontrar-nos,  recordando-nos o mandamento evangélico:  ama Deus e o teu próximo.

Luciano Manicardi

             Nos  dias  da semana santa e no tempo pascal somos  convidados a percorrer um caminho que vai  de  Jerusalém até  vilarejo  conhecido  pelo nome de Emaús.  Um caminho curto de poucos quilômetros.  Não propriamente uma estrada.  Queremos tentar ver e escutar, avaliar e discernir.  Dois  homens acabrunhados e um encantador  peregrino  que  se associa ao caminho  e não declina o nome.  Semana santa e tempo pascal.  Tempo de  visitar a estalagem de  Emaús, mesmo  com o isolamento decretado devido a um tempo de provação.

“Dois discípulos de  Jesus se afastam de Jerusalém, abandonando o grupo dos seguidores que  fora se formando  em torno de Jesus.  Morto este,  o grupo vai se desfazendo. Sem ele não tem sentido continuar reunidos. O sonho se desvaneceu. Ao morrer  Jesus, morre também a esperança que ele havia  despertado em seu coração”  (Pagola,  Lucas,  Vozes,  p.362).

Quantas vezes já celebramos  a semana santa!   Corremos o risco de  que as coisas aconteçam por acontecer.   Ritos e nada mais. Mecanicamente, rotineiramente.  Quantas maneiras de ver o  Senhor ressuscitado! Algumas nitidamente ingênuas.  Outras por demais  complicadas, fantasiosas e artificiais. Passam os tempos,  a vida se esvai  e  não podemos deixar de viver a graça  de  estar com o Ressuscitado  nesse  tempo que se  chama vida  e dizer,   no  regime da fé,  que vimos e vemos o  Senhor.  Estamos em pleno regime da fé. “Como sois  lentos para crer…” Há uma pergunta a ser respondida: Onde e como a presença do  Ressuscitado pode nos encontrar?

Cléofas e seu companheiro  talvez  tenham estado  a poucos metros  do local onde  “Deus morreu”,  num  louco  desfecho de amor e  no mais denso abandono.   Os dois  deixam o cenário.  Dão as costas a Jerusalém.  Vão na direção de um  vilarejo  que ficou para sempre no coração dos  discípulos de Jesus,  Emaús. Um caminho,  liso ou não, seco ou molhado.  Talvez outros peregrinos e peregrinas voltando de  Jerusalém  um pouco à frente,  um pouco atrás. Os dois caminhavam pausadamente, falando pouco ou nada. Nesses momentos de aperto doído do  coração a  gente costuma falar para si mesmo.  Um diálogo que é mais monólogo.  Sem falar e sem chorar a dor sufoca.

Um peregrino  desconhecido mostra-se  interessado em conversar com os dois, esses dois  com a decepção  cavada no semblante. Esperavam e nada havia acontecido… O  desconhecido  tem vontade conversar  com eles. Seus olhos  não  conseguiam  ver naquele homem nada além de   peregrino meio desinformado dos acontecimentos… Nada mais…

E era ele, aqueles que eles pensavam estar morto… Ali estava. O peregrino evoca as Escrituras… Era fundamental  dar crédito  às  Escrituras… Fazê-las arder dentro do coração. Crer que o Altíssimo estava acompanhando os passos da humanidade…  Desfilaram evocações e evocações…. Abraão,  Moisés, Davi, promessas,  um servo… esperança… ele vem…. Cléofas e seu companheiro  poderiam evitar  esse rosto  triste se tivessem  acolhido  mais profundamente  em seu coração a  Palavra.

“A  intenção do narrador é clara:  Jesus se aproxima  quando os discípulos o recordam e  falam dele.  Torna-se  presente ali onde se comenta  o seu Evangelho,  onde há interesse por sua  mensagem, onde se conversa sobre seu estilo de vida e seu projeto. Não está  Jesus  tão ausente entre nós porque falamos pouco dele?”  (Pagola,  Lucas, p.362).

“Esse  “acendedor”  de ardor ameaça ir embora.   Sua missão havia terminado.   Cleófas e seu companheiro  pedem, no entanto, que ele se digne de  entrar na pousada…  É tarde e  a noite desce.  Há uma súplica  deles que vivemos repetindo:  “Fica conosco,   Senhor,  porque é tarde e o dia  vai declinando”.  Que ele fique em nossa história, nosso mundo,  nossa  Igreja.  Os discípulos sentiram  que algo começava a arder dentro deles.   É tarde e a vida  ia acabando.  Chegamos então ao ponto  da refeição feita em  Emaús.  O reconhecimento de  Jesus foi preparado pelo “ardor”  que neles nascera na lembrança ou explicação das Escrituras. Torna-se mais  claro na fração do pão. O convidado toma o lugar principal  à mesa.  Eram os gestos da Ceia!!!E eles o reconhecem… E o peregrino  desaparece diante dos olhos dos dois…  Os olhos se abriram…o cansaço sumiu  como  um gato assustado. Voltam a Jerusalém… se unem aos outros  que por sua vez andam levando ao fundo do coração as experiências que andaram tendo de  Jesus.  “Os dois contaram o que tinha acontecido no caminho e como tinham  reconhecido Jesus a partir do  pão”.

Tempo pascal.  Tempo de aleluias, ainda que com apertos no coração, nesse tempo sombrio de dores lancinantes, de medo, de mortes,  de urnas funerárias enfileiradas esperando o sepultamento ou a cremação terrível guerra, de um minúsculo  vírus que fez o mundo e a vida parar. Temos vontade dizer  ao Senhor,  que vive perto de nós, que se esconde nas  unidade de tratamento intensivo, que atua pelas mãos de médicos  e de heróis de todo jeito  que estamos  sofrendo muito e que ele tenha piedade de todos nós. 

No meio de vós  está alguém  que  não conheceis! 

“Acreditei  que minha lareira estava apagada, revolvi as cinzas e queimei a mão”.

Premium WordPress Themes Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Premium WordPress Themes Download
Download Premium WordPress Themes Free
free download udemy course
download coolpad firmware
Free Download WordPress Themes
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=

Conteúdo Relacionado