Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

“Entre o amado e o amante”

28/10/2013

primeira_sextaFrei Almir Ribeiro Guimarães

Jesus no alto da cruz!  Jesus abandonado.  Jesus sozinho.  Jesus e seu coração dilacerado. Jesus que cativa e que ama.  Jesus que pede a resposta de amor numa vida de entrega a ele, de seguimento de seus passos. A devoção ao Coração do Redentor é feita para pessoas que amam de verdade, que sabem dar a vida pelos outros, como esse Amado no alto da cruz.

Quero partilhar com todos um texto de Balduíno de Cantuária (sec.XII)  (L.Horas IV, p. 60). É a fala de Jesus, o Amado,  que busca o amante.  Estamos diante da loucura do amor.

A fala do Amado:

“Ama-me como eu te amo. Conserva-me em tua mente e em tua memória; em tua vontade, em teu suspiro; no gemido e no soluço. Lembra-te ó homem, de que forma te fiz, quando te pus acima das outras criaturas, com que dignidade te enobreci, como te coroei de glória e de honra, coloquei-te pouco abaixo dos anjos, como tudo submeti a teus pés.  Lembra-te não apenas de quanto  fiz por ti, mas quantas crueldades e afrontas  por ti suportei. Reconhece que ages mal  contra mim quando não me amas. Que assim te ama, senão eu?  Quem te criou, senão eu?  Quem te remiu senão eu?”

A fala do Amante:

“Arranca de mim, Senhor, o coração de pedra. Tira o coração de pedra, tira o coração incircunciso;  dá-me um coração novo, coração de carne, coração puro!  Tu, purificador  dos corações e amante dos corações  puros,  apossa-te de coração e nele habita, envolvendo-o e enchendo-o. Tu,  superior ao que tenho de mais alto, interior ao que tenho de mais íntimo!  Tu, forma da beleza e selo da santidade, marca meu coração com tua imagem. Sela meu coração  sob  tua misericórdia, Deus de meu coração e meu quinhão, Deus para sempre (cf. Sl 72,26). Amém”.

O amante contempla o amado do coração dilacerado.  Une-se ao Cristo esposo na solidão e no abandono da cruz:

“O que dá valor redentor ao suplício da cruz é o amor e não o sofrimento. O que salva a humanidade  não é  algum “misterioso” poder salvador  contido no sangue derramado  diante de Deus. Por si mesmo, o sofrimento é mau, não tem nenhuma força redentora. Não agrada a Deus ver Jesus sofrendo. A única coisa que salva no Calvário é o amor  insondável de Deus, encarnado no sofrimento e na morte de seu  Filho. Não há nenhuma força salvadora, a não ser o amor.

O sofrimento continua sendo mau, mas precisamente por isso transforma-se na experiência humana mais sólida e real  para viver e expressar o amor. Por isso, os primeiros cristãos viram em Jesus Crucificado a expressão mais realista e extrema  do amor incondicional de Deus para com a humanidade, o sinal misterioso e insondável de seu perdão, compaixão e ternura redentora.  Somente o amor incrível de Deus pode explicar o que aconteceu na cruz. Somente a sombra luminosa da cruz pôde surgir a transcendental e milagrosa afirmação  cristã: “Deus e amor”.  E isto Paulo intui quando escreve comovido: O Filho do Homem me amou e se entregou por mim”. (Jesus – Aproximação histórica – Vozes, 2010, p. n 520).

Download WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
free download udemy course
download xiomi firmware
Download Premium WordPress Themes Free
udemy paid course free download

Conteúdo Relacionado