Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Ministro Geral: “Mais do que unir estruturas, queremos dar alma ao que fazemos”

22/03/2022

Notícias

São Paulo (SP) – O Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, Frei Massimo Fusarelli, não pôde estar presente na 1ª Assembleia Ampliada da nova Conferência Franciscana do Brasil e do Cone Sul, que teve início nesta terça-feira, 21 de março, na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, e vai até o dia 25 de março. Mas por vídeo, Frei Massimo viu a apresentação das 12 Províncias e Custódias que fazem parte da entidade e deixou uma mensagem aos 77 frades participantes.

Ele falou de sua alegria ao saudar a todos e explicou que não haveria tempo suficiente para estar presente no evento, mas prometeu falar aos frades na manhã desta quarta-feira. “Esta primeira assembleia de vossa Conferência Brasileira e Cone Sul é muito importante, porque nós não só queremos unir estruturas, mas queremos dar alma ao que fazemos, aos nossos encontros e à nossa animação. Também a nossa presença em toda a Ordem é cada vez mais internacional, interprovincial e intercultural”, disse. “A leitura dos sinais dos tempos nos provocam a unir energias e a imaginar, num futuro próximo, nossas entidades também em nível internacional, não só local e nacional. Estou seguro que vocês, irmãos do Brasil e do Cone Sul, já estão trabalhando especialmente para isso”, enfatizou.

Antes, os participantes da Assembleia se encontraram, às 7 horas, na Capela para a Santa Missa, presidida pelo atual presidente da Conferência, o argentino Frei Daniel Fleitas, que frisou o momento novo que vive a entidade. “Bem-vindos a todos nesta primeira Assembleia que, como todo nascimento, dá um passo novo dentro Igreja, da Ordem, tem expectativas e sonhos, projetos e esperanças. E no contexto da esperança, as leituras de hoje, a partir da proposta de Francisco, nos convidam a um novo olhar a nós mesmos, à forma de vida, à Ordem e à vida religiosa”, destacou.

“É provável que nós, em nossas províncias, em nossas entidades, tenhamos muitíssimo que agradecer à história, mas eu gostaria de animá-los neste tempo presente de nossa história, este tempo presente que se inicia com as mesmas palavras de Francisco: ‘sejam peregrinos, sejam forasteiros em busca de novo sentido, novos horizontes'”, disse, lembrando que a confiança que animou Francisco pode animar os frades agora.

“A confiança que nos animará a construir projetos novos, a confiança que nos animará a recuperar intuições, a confiança que nos animará a construir juntos este espaço novo de animação. Francisco dizia a seus irmãos: mantenham-se familiarmente juntos. Cada um de nós traz uma experiência cultural distinta, uma experiência familiar distinta, cada um tem uma experiência diferente de olhar a vida, a história. O grande desafio da Igreja de nosso tempo, da Ordem é a comunhão. O Papa está exigindo como fundamental para este tempo a sinodalidade. Ter a sinodalidade, ter a comunhão. É necessário reconhecer que as relações humanas são complexas, o trabalho é complexo, o trabalho em projetos comuns é complexo. Contudo, para nós, a única motivação na esperança de construir juntos a comunhão é a confiança”, ensinou.

Ele animou os frades lembrando que todos foram chamados para estarem aqui. “A experiência de nossa vocação é sempre o chamado, é sempre uma intuição de Deus, o sonho de Deus para nós, para a Ordem, para a Igreja, para a humanidade. O chamado pertence a Deus, não pertence a nós. A nós cabe a ousadia de responder, a ousadia de seguir o caminho como Jesus nos propõe. Jesus nos convocou, com nossa história, a construirmos juntos o próprio sonho, a continuar o sonho de Deus para a humanidade, a expulsar o mal e curar os enfermos. Aqui está, de alguma maneira, o projeto de evangelização. Cada um é chamado a expulsar o mal e curar a doenças de nosso tempo”, convidou. “Deus está aqui, presente no meio de nós, porque somos o Reino de Deus. Somos a experiência de esperança para o nosso tempo”, acrescentou.

O novo estatuto e o resgate histórico das antigas Conferência dos Frades Menores do Brasil e do Cone Sul dominaram as reflexões do dia. A CFMB foi erigida pelo Ministro Geral com o consentimento do seu Definitório em 1963, iniciando em 1964 a Primeira Assembleia. Já a Conferência do Cone Sul teve sua primeira Assembleia Constitutiva em 16 de dezembro de 1967 e seus Estatutos foram aprovados pelo Definitório geral em 16 de julho de 1970.

No dia 13 de maio de 2020, depois de suprimir a antiga Conferência do Cone Sul, passou suas três entidades para integrarem a CFMB que, por este fato, deixou de ter âmbito brasileiro e passou a denominar-se Conferência dos Ministros Provinciais do Brasil e do Cone Sul. “A Conferência é uma instância de representatividade, de comunicação e de colaboração, de modo a promover o bem comum da Ordem no Brasil e no Cone Sul, respeitando-se a autonomia de cada entidade”, explicou o Definidor Geral Frei César Külkamp.

Desta forma, por causa da pandemia e do Capítulo Geral em 2021, só agora a Conferência conseguiu se reunir em Assembleia, a instância máxima de natureza deliberativa e consultiva, composta por todos os membros da Conferência, isto é, Provinciais e Custódios, e por ser Ampliada, ela reúne outros frades que estão à frente das Secretarias e Serviços de cada entidade.

   (clique nas imagens para aumentá-las)

Cada uma das 12 entidades participantes da Conferência – nove do Brasil, duas da Argentina e uma do Chile – fez uma apresentação histórica e atual de sua presença em solo brasileiro, argentino, chileno e paraguaio.

Com a nova organização, os serviços ficaram sem referências e muitos projetos foram prejudicados seja por este motivo ou pela pandemia. A realização da Assembleia é importante para dar impulso na retomada da missão e evangelização, considerando a formação e a animação vocacional.

 

O dia terminou com um momento celebrativo pedindo paz no mundo e fazendo memória dos falecidos pela Covid-19. Os frades se reuniram no centro do pátio da Casa de Eventos, com o sol se pondo às 6 horas, para cantar a “Oração de São Francisco”.

Os 77 frades presentes no local chegaram ontem à tarde, mas cada um precisou fazer o teste rápido Covid-19. Depois do jantar, os participantes foram acolhidos pela Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição (CIIC), fundada por Santa Paulina, pelo Ministro Provincial da Província da Imaculada Conceição, Frei Paulo Roberto Pereira, e pelo presidente da Conferência, Frei Daniel Fleitas.


Moacir Beggo