Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Após 61 anos, Angelus será na Praça São Pedro

14/08/2015

Notícias

papa14

Cidade do Vaticano – O Papa Francisco recitará a Oração mariana do Angelus neste sábado (15), solenidade da Assunção de Nossa Senhora, da janela do apartamento pontifício, que dá para a Praça São Pedro. É a primeira vez, desde que Pio XII deu início ao tradicional encontro dominical com os fiéis em 1954, que um Pontífice passa o Ferragosto (do latim: Feriae Augusti, Festa da Assunção de Maria celebrada pelos italianos no dia 15 de agosto. É também ponto de partida das férias na Itália) em Roma. O gesto se repetirá no dia seguinte, domingo 16, quando a Igreja no Brasil celebrará essa solenidade.

O Angelus deste feriado normalmente é rezado na Residência de verão de Castel Gandolfo, salvo ausência do Pontífice por motivo de viagem, como aconteceu diversas vezes com João Paulo II e mesmo com o Papa Francisco em 2014, quando da visita à Coreia.

Em 15 de agosto de 2013, no entanto, Bergoglio dirigiu-se à Castel Gandolfo especialmente para rezar o Angelus, precedido pela celebração de uma missa e acompanhado por uma pequena multidão, que lotava a Praça diante da Residência papal. O Papa Francisco, de fato, esteve poucas vezes em Castel Gandolfo desde o início de seu pontificado, optando por passar suas “férias” na Casa Santa Marta, no Vaticano.

Nesta quinta-feira (13/08), o Papa Francisco tuitou: “Maria é cheia de graça. Ela nos oferece um refúgio seguro no momento da tentação”.

Em 13 agosto do ano passado, teve início a viagem apostólica do Papa Francisco à República da Coreia por ocasião da VI Jornada da Juventude Asiática. Na Solenidade da Assunção de 2014, Francisco presidiu a missa no World Cup Stadium, em Daejeon, na Coreia do Sul. Naquela ocasião, o Pontífice disse:

“Hoje, ao venerar Maria, Rainha do Céu, dirigimo-nos a Ela como Mãe da Igreja na Coreia para Lhe pedir que nos ajude a ser fiéis à liberdade régia que recebemos no dia do batismo; que guie os nossos esforços para transformar o mundo segundo o plano de Deus; e que torne a Igreja neste país capaz de ser, de uma forma mais plena, fermento do Reino de Deus na sociedade coreana.”

Francisco convidou os cristãos coreanos a serem “uma força generosa de renovação espiritual em todas as esferas da sociedade”, a combaterem “o fascínio do materialismo que sufoca os autênticos valores espirituais e culturais e também o espírito de desenfreada competição que gera egoísmo e conflitos”, a rejeitarem “modelos econômicos desumanos que criam novas formas de pobreza e marginalizam os trabalhadores, bem como a cultura da morte que desvaloriza a imagem de Deus, o Deus da vida, e viola a dignidade de cada homem, mulher e criança”.

“Ao celebrar esta festa, unimo-nos a toda a Igreja espalhada pelo mundo e olhamos para Maria como Mãe da nossa esperança”, concluiu o Papa naquela ocasião.