Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Agradecimento pelo restauro da igreja-mãe do Espírito Santo

01/01/2017

Notícias

rosario_221216Texto: Frei Clarêncio Neotti
Fotos: Elder Ferreira

Vila Velha (ES) – Se o Governador cortou a fita de reinauguração da Igreja do Rosário, na Prainha de Vila Velha, no último domingo, se a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo saudou em sons e tons o restauro da igreja mãe de todas as igrejas do Estado, foi na solene missa concelebrada do dia 20 de dezembro à noite que o Santíssimo Sacramento voltou ao antigo tabernáculo e a Comunidade em peso agradeceu a Deus o refazimento de todo o interior e o exterior da igreja levantada em 1535.
O trabalho foi executado pelo Instituto Modus Vivendi, financiado em grande parte pela Vale do Rio Doce. Vale e Modus Vivendi estavam conosco e simbolicamente depositaram na cesta das ofertas os instrumentos de que se serviram no restauro. Alguns minúsculos, mas importantes, porque com eles os e as artistas refizeram os pormenores dos enfeites do barroco singelo.

Não havia espaço nos bancos. Não havia espaço nos corredores. Não havia espaço no coro. Não havia espaço nas escadarias. E todos cantaram o Glória em pleno Advento e ouviram a encenação musicada da Anunciação, o evangelho da liturgia do dia. As donas de celulares se juntaram aos fotógrafos profissionais para registrar o fato histórico, que se anexava aos muitos momentos históricos vividos pela Prainha em seus 481 anos. E a nova iluminação externa subia encosta da Penha acima, por sobre as árvores verdes, e se encontrava com a luz que descia do Convento.

De fato, a igreja da Prainha é privilegiada. Nela rezava e se confessava Frei Pedro Palácios. Nela celebrou o Padre Nóbrega, mais tarde fundador de São Paulo. Nela celebrou, depois de ordenar-se padre, já homem maduro, na Bahia, o Padre São José de Anchieta. Ao lado dela moraram os Franciscanos desde 1942, quando Vila Velha tinha apenas quatro mil habitantes. Hoje com 420 mil, a cidade inteira ainda ressuma o carisma de São Francisco.

A concelebração e a presença do povo deram ao pároco Frei Djalmo a ocasião de agradecer aos benfeitores e restauradores o trabalho executado com toda a técnica moderna e dentro dos prazos previstos. Fazendo a homilia, Frei Clarêncio, concluiu assim: “Tenho certeza de que Nossa Senhora do Rosário exultou de alegria ao voltar ao seu altar e à sua Igreja. E que cada uma de nossas famílias seja uma conta do rosário, que passe e repasse muitas vezes por suas mãos maternais”.

Acompanhe abaixo a homilia de Frei Clarêncio Neotti:

REINAUGURAÇÃO DO ROSÁRIO: MISSA DE AGRADECIMENTO

Esta é uma Missa de ação de graças pelo feliz restauro desta igreja.

Esta Igreja e todas as Igrejas têm sua razão de existir no fato narrado no evangelho de hoje, quando o Filho de Deus assumiu a humanidade e entrou no espaço e no tempo para criar a nova família de Deus na terra. A data, portanto, dentro da novena do Natal, cai bem e muito bem para o nosso agradecimento. Mais que bem, cai de forma perfeita e cabal, porque todos os textos litúrgicos de hoje nos falam do mistério da encarnação e do agradecimento que devemos por este mistério, do qual nasceram todos os outros mistérios, que contemplamos no rosário.

Nós agradecemos o renascimento desta igreja através do restauro que, no ano passado ainda era considerado difícil, se não impossível. O Instituto Modus Vivendi executou aqui um fato quase milagroso. E nós viemos hoje para agradecer o nascimento da nova igreja do Rosário. Nossos olhos, nossos ouvidos, nosso coração, que andaram ansiosos por ver este dia, hoje se assemelham aos olhos, ouvidos e coração de Maria de Nazaré, que escuta a voz do céu: “Alegra-te, porque grandes coisas fez por ti o Senhor!” Nossos olhos contemplam hoje nossa igreja restaurada. E nos alegramos e exultamos de alegria.

Como soa bem às vésperas do Natal a palavra ‘alegria’ e como cai bem em nosso coração o sentimento da alegria. O anjo falou de alegria na Anunciação. Isabel disse que a alegria dela era tanta que até João Batista no útero gritara de alegria. Os anjos anunciaram alegria aos pastores nos campos de Belém. Alegria divina por causa de acontecimentos divinos, como é o Natal. Alegria humana por causa de acontecimentos humanos, como é o caso do restauro desta casa, que é de Deus (e por isso divina) e é nossa (e por isso humana). Como não cantar com Maria o magnificat da alegria?

Esta é a casa de Deus. Esta é a casa de sua Mãe Maria. Esta é a nossa casa. Entremos sempre com confiança nesta nossa casa, onde encontramos nossa Mãe pronta para levar a Deus nossos pedidos, para enxugar nossos lamentos, para nos ajudar a rezar nossa fé embebida na esperança e daqui sair sempre carregados de graças de caridade, de paz, de amor fraterno, de convivência na comunidade.

Vou usar esta oportunidade para saldar um dever de toda a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário. Como Deus sempre age através de seus anjos, o nosso anjo desta vez foi o vereador Joel Rangel, que não mediu esforço religioso e esforço político para conseguir o apoio unânime dos 17 vereadores para que Nossa Senhora do Rosário fosse, por decreto, a Padroeira do Município. Nossa paróquia lhe estava devendo este agradecimento. Estamos felizes em poder expressá-lo nesta noite feita de alegria e ação de graças.

Ainda preciso fazer mais um agradecimento. Não estou pensando na Modus Vivendi. Não estou pensando nos arquitetos e pedreiros. Não estou pensando no governador e na Vale. Todos eles tiveram nosso profundo e muito sincero agradecimento no domingo, ao som do coral e da sinfônica. Mas eu devo um agradecimento a vocês, moradores e comunidade do Rosário pela paciência durante este ano e pela oração que fizeram todos os domingos pelo êxito do restauro. Um agradecimento ao Conselho, que acompanhou de perto o andamento dos trabalhos.

Tenho certeza de que Nossa Senhora do Rosário exultou de alegria ao voltar ao seu altar e à sua igreja. E que cada uma das nossas famílias seja uma conta do rosário, que passe e repasse muitas vezes por suas mãos maternais. Amém!