Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Primeira Assembleia Eclesial e a consciência de discípulos missionários em saída

20/07/2021

                                    Foto: Festa da Padroeira de Guadalupe – Twitter / Proteção Civil da Cidade do México.

Robson Ribeiro de Oliveira Castro

Estamos nos preparando para a Primeira Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, que tem como lema “Somos todos discípulos missionários em saída”, que será realizada de 21 a 28 de novembro de 2021, presencialmente no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, e de forma remota em outros lugares da América Latina e do Caribe.

Os objetivos principais desta Assembleia são reanimar a Igreja de uma nova forma, apresentando uma proposta reformadora, um envolvimento de toda a Igreja, não somente os bispos, com uma metodologia representativa, inclusiva e participativa.

Ser um marco eclesial que possa relançar os grandes temas que ainda estão em vigor e que surgiram em Aparecida (2007). Reconectar as cinco Conferências Gerais do Episcopado Latino-americano e do Caribe, ligando o Magistério Latino-americano ao Magistério do Papa Francisco e apontando três marcos: da II Conferência do CELAM, ocorrida em Medellín à V Conferência do CELAM em Aparecida (SP); de Aparecida à Querida Amazônia (exortação apostólica pós-sinodal de 2020); e de Querida Amazônia ao Jubileu de Guadalupe em 2031 e da Redenção em 2033.

A Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe incentiva a organização de espaços de escuta, cujas informações serão confidenciais, também pelas plataformas virtuais, tendo em conta a situação da pandemia na América Latina e Caribe. Espera-se que, a partir desse encontro sejam delineados os caminhos pastorais para todo o povo de Deus latino-americano e caribenho tendo em vista dois eventos importantes: os 500 anos do Evento de Guadalupe em 2031 e os 2000 anos do Evento Redentor de Jesus Cristo em 2033.

Francisco reconhece que é necessário dar ouvido a todos os membros da Igreja e que é preciso observar a função do poder dentro da instituição e sua real condição de escuta frente aos desafios da realidade do povo.

A convocação do Papa Francisco é clara e direta. É o momento de caminharmos juntos, viver a Sinodalidade. É um desafio que a Igreja na América Latina e do Caribe deve aceitar, pois é um momento de escuta e propõe um olhar para planejar e viver o futuro da Igreja. Diante desta questão, é urgente dar voz e vez às lideranças de leigos e leigas, fazer a Igreja viver a comunhão visível em sua plenitude.

Essa Assembleia Eclesial é o lugar aonde o povo em saída conseguirá caminhar junto. É o momento de todo o povo de Deus se fazer ouvir; não é uma convocação para os bispos somente, mas para todo o Povo de Deus.

Francisco convoca a participação de todos os homens e mulheres de boa vontade para que juntos possamos mostrar a face de uma Igreja que é viva e celebra em comunidade. Uma consulta ampla, a partir de baixo. Ele reconhece que é necessário e urgente dar ouvido a todos os membros da Igreja e escutar os desafios da realidade do povo.

Para tanto, uma Igreja que escuta e vive seu protagonismo passa, primeiramente, pela escuta de todo o povo de Deus que, no prontificado de Francisco, tornou-se algo central. Ele deseja um protagonismo de toda a Igreja, sem se restringir à hierarquia, e sim reforçando a dignidade de cada um.

Contudo, encontra ainda algumas barreiras e dificuldades que, aos poucos, vão sendo transpostas no desejo de transformar as consciências e as estruturas. Por isso, Francisco é enfático e, nesta Assembleia Eclesial, deseja-se resgatar o Documento de Aparecida que ficou adormecido, guardado e restrito a um grupo da Igreja. Para tanto, almeja-se observar alguns aspectos importantes, como a Sinodalidade, a Colegialidade e a Conversão Integral, de Aparecida à Laudato Si’. Assim, a Igreja se torna mais atual quando escuta seu povo e coloca em prática as necessidades de cada um em seu contexto.

Em continuidade com as Conferências Gerais do Episcopado Latino-Americano, desde Medellín até Aparecida, utilizou-se o método pastoral de “ver”, “julgar” ou “iluminar” e “agir”, como indica o Documento de Aparecida: “este método implica contemplar a Deus com os olhos da fé através de sua Palavra revelada e o contato vivificador dos Sacramentos, a fim de que, na vida cotidiana, vejamos a realidade que nos circunda à luz de sua providência e a julguemos segundo Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, e atuemos a partir da Igreja, Corpo Místico de Cristo e Sacramento universal de salvação, na propagação do Reino de Deus”. (DAp 19).

Esperamos que essas reflexões sejam uma ajuda para o diálogo e o discernimento pessoal e comunitário, suscitando muitas contribuições do Povo de Deus na escuta mútua e nas deliberações comuns em preparação da Primeira Assembleia Eclesial.

Em 2007, o horizonte da V Conferência Episcopal era claro: encorajar os cristãos, de qualquer estado ou condição, a crescer no seguimento de Jesus Cristo através de um caminho de formação integral que permita o desenvolvimento da sua dimensão missionária. Este impulso encontra as suas motivações na intenção de reforçar a identidade do discípulo num contexto plural de “confusão generalizada” (cf. DAp 10), em que cada cristão é confrontado diariamente para discernir e renovar a sua opção por Jesus Cristo. (cf. DAp 14).

Em suma, o discípulo de Jesus Cristo mostra-se autenticamente como tal quando assume a missão e o destino do Mestre, comunicando a sua Vida e colocando-se ao seu serviço na plenitude do que ela significa.

Tenhamos plena confiança na audácia do Espírito que nos exorta a percorrer novos caminhos e nos tornarmos cada vez mais discípulos missionários. Caminhemos como Povo de Deus em direção à Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, encontrando formas e momentos para celebrar a presença de Deus nas nossas vidas. Assim, é preciso observar a realidade de uma escuta autêntica, sem preconceitos e livre do poder que corrompe.

A Primeira Assembleia Eclesial deseja ser uma expressão genuína de uma presença que abrace as esperanças e anseios de todos os que fazem a Igreja, Povo de Deus. Contudo, esse processo de escuta, de forma sinodal, será a base para guiar os passos futuros de uma Igreja mais nazarena e simples.

Diante desta realidade, agora é a sua vez! Vamos juntos participar e seguir em frente como verdadeiros discípulos missionários. Não tenhamos medo de fazer a diferença, devemos ter coragem de aceitar os desafios e assumir a verdadeira conversão integral que nos propõe o Documento de Aparecida. Por isso, não deixe de participar, somos convocados e chamados a ser discípulos missionários em saída.


Robson Ribeiro de Oliveira Castro Chaves é mestre em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), em BH, professor de teologia no Instituto Teológico Franciscano (ITF), em Petrópolis (RJ) e membro do Conselho Regional de Formação (CRF) – LESTE II do CNLB.

Free Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Download Nulled WordPress Themes
udemy course download free
download intex firmware
Free Download WordPress Themes
download udemy paid course for free

Conteúdo Relacionado