Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Natal de Jesus em Negras – Uma crônica bíblica

20/12/2017

Northeast Drought

Frei Jacir Faria (*)

Certa feita, quando estive no Ceará, no Nordeste do Brasil, eu conheci o Natal. Ele era magro que dava dó. Esquelético, as costelas de Adão sobressaíam como uma boca aberta gritando por piedade. Também era pobre e silencioso, como o sertão que o acolheu. Eu lhe perguntei: “Natal, onde ocorreu seu nascimento?” E ele, com uma voz trêmula, respondeu-me: “Ocê num sabe? Foi aqui em Negras, neste sertão do Ceará”. Então pensei se não seria Belém o lugar do nascimento de Jesus, pois foi por Ele que Deus é e nos dá a Salvação? Não! Bem, mas estou mais inclinado a acreditar que Jesus nasceu mesmo foi em Nazaré, nome que significa ‘Aquela que guarda a encarnação’, que é Jesus. Porém, algo é certo: naquele momento, entendi que o nascimento do Salvador só podia ser ali mesmo, em Negras, lugar onde a luz do sol e as estrelas da noite de 24 de dezembro clareiam sem piedade. Onde não há neve nem o trenó do Papai-Noel do norte do mundo. Enfim, onde não há nada! Eu resolvi chamar esse homem de Natal. Não faz diferença! Conheço tantos homens com esse nome!

Negra e branca vida de quem passa fome e sede, à espera de Baltazar, Melchior e Gaspar, com suas ofertas de ouro, incenso e mirra para os grandes do lugar e alguns vinténs para os tantos Natais, estirados à beira do caminho. Pobre gente, gente pobre que nasceu em Negras, em Belém, nas cavernas e nas grutas escavadas nas rochas, nos morros das cidades violentas. Favelas, em que Deus edificou Sua morada, para anunciar e denunciar a eterna perseguição dos Herodes às crianças, que (coitadas!) nem ainda nasceram e já têm o atestado de óbito pronto. O primeiro escrivão que encontrar uma delas vai lhe entregar esse documento sem titubear.

Após os meios devaneios, arrisquei ainda outra pergunta: “Natal, qual é seu sonho?” E ele, de forma elegante (não sei por que cargas-d’água, em um lugar onde a lembrança da chuva é miúda), respondeu-me: “Eu quero ir para o Sudeste do Brasil”.

Naquele momento, eu me lembrei do também nordestino Luiz Gonzaga (1912-1989), o eterno Rei do Baião. Natural de Exu, no sertão de Pernambuco, quando estava no Sudeste, ele eternizou o sofrimento de seu povo com músicas inesquecíveis como Asa-Branca, ave que bateu asas do sertão porque faltava tudo. Foi também naquele momento que compreendi que o Natal queria renascer, ter a certeza de vida em outro lugar, em que a fartura, embora não sendo tão abundante para a maioria das pessoas, adia a morte das pessoas carentes. Ele queria vida. Mal sabia que esse sonho é também longínquo para tantos Natais que migraram para o Sudeste e continuam sem nascer.

Foi aí que, distante de minha terra, me veio à memória a lembrança de Fernando Sabino (1923-2004), um quase conterrâneo meu das Minas Gerais, do ainda Belo Horizonte. Certa feita, esse poeta disse: “Quando eu era criança, os mais velhos perguntavam: ‘o que você quer ser quando crescer?’ Agora que sou grande e velho, já não me fazem esta pergunta. Se ela me fosse feita novamente, eu responderia que gostaria de ser menino”. É também dele a frase: “Quando eu morrer, quero me encontrar com São Francisco de Assis. Eu serei tão íntimo dele, que ele me chamará de Nandinho e eu o chamarei de Chiquinho”.

Sonha Fernando, sonha Natal de Negras, que um dia o mundo será melhor. O Natal nascerá de novo. São Francisco de Assis (1182-1226), aquele que criou o presépio para perpetuar o Natal de Jesus, continua nos ensinando a arte de viver e conhecer a celebração natalina do mistério e da encarnação. Eterno mistério, perene fascínio. Natal é ser a criança de Sabino, a asa-branca sonhadora de Gonzaga, a quimera impossível do pobre de Negras. Sonha Fernando, sonha Natal de Ne- Também é Jesus renascendo em Belém, em Nazaré, em toda a humanidade, ávida de justiça e fraternidade universal. Enfim, Natal é Natal! Não sei mais o que dizer…


(*) Frei Jacir de Freitas Faria, OFM
Escritor e mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma www.bibliaeapocrifos.com.br
O MENSAGEIRO DE SANTO ANTÔNIO

Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
free download udemy paid course
download lava firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
free download udemy course

Conteúdo Relacionado