Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Conferência dos Frades Menores do Brasil

Conferência dos Frades Menores do Brasil

A Ordem dos Frades Menores é dividida mundialmente em Conferências, que segundo os seus Estatutos Gerais lembram que é preciso ter presente a proximidade geográfica, o número de províncias e outras entidades, sua língua e cultura, de tal forma, porém, que seja constituída por um mínimo de cinco membros.

A Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB) é composta pela Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil, com sede em Recife (PE), a mais antiga do Brasil; Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, com sede em São Paulo (SP), a segunda mais antiga do Brasil; Província Franciscana da Santa Cruz, em Belo Horizonte (MG); Província Franciscana de São Francisco de Assis, em Porto Alegre (RS); Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora, em Campo Grande (MS); Província do Santíssimo Nome de Jesus, em Anápolis (GO); Custódia São Benedito da Amazônia, em Santarém (PA); Província Franciscana Nossa Senhora da Assunção, em Bacabal (MA); e Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus, em São José do Rio Preto (SP).

Ainda segundo os Estatutos, a Conferência de Ministros Provinciais, Custódios e presidentes de outras entidades é de grande importância para promover a unidade, a coordenação e a cooperação na vida e na missão da Ordem.

As principais tarefas e faculdades das Conferências são:

1. Unir entre si as entidades que formam a Conferência, a fim de que trabalhem juntas para o bem comum dos irmãos e, respectivamente, das demais realidades da Ordem.

2. Ajudar o Ministro Geral e seu Definitório no governo e na animação de toda a Ordem.

3. Refletir com o Ministro Geral e seu Definitório sobre a ereção, união e supressão das Províncias, Custódias e das outras entidades no próprio território, e colaborar na execução das decisões.

4. Colaborar na formação inicial e permanente e na vida e missão dos irmãos no próprio território; promover, com o Ministro Geral e seu Definitório, a atividade apostólica e a evangelização missionária e, ao mesmo tempo, apoiar a difusão e a implantação da Ordem.

5. Estudar o progresso e as principais dificuldades e questões existentes no âmbito da Conferência e comunicar ao Ministro Geral os remédios aplicados.

6. Ajudar, com pessoas e com meios materiais, as Províncias, Custódias, Federações ou Fundações da Conferência que se encontrem em dificuldade por falta de irmãos, ou por sua idade avançada, ou por incapacidade de atuar num determinado serviço, ou por pobreza.

7. Estudar os temas que devem ser tratados no Capítulo geral ou no Conselho plenário da Ordem e, oportunamente, transmitir as próprias conclusões ou propostas ao Ministro Geral.

8. Redigir os Estatutos peculiares da Conferência e, se parecer oportuno, os Estatutos Comuns para as Províncias, Custódias, Federações e Fundações de seu território.

9. Fomentar e cultivar o relacionamento e a cooperação com a hierarquia eclesiástica local e com os outros institutos religiosas.

A cada dois anos o Definitório Geral se reúne com os presidentes de todas as Conferências para examinar o estado delas. O presidente da Conferência, por sua vez, é eleito por todos os membros da Conferência que têm voto deliberativo.

A Ordem dos Frades Menores

A Ordem dos Frades Menores é constituída por frades que, incorporados às Províncias e Custódias, são governados pelo Ministro geral com seu Definitório. A Regra dos Frades Menores, confirmada pelo Papa Honórioo III (1223) é o fundamento da vida e da legislação da Ordem. As Províncias e as Custódias autônomas são governadas, respectivamente, pelo Ministro Provincial e seu Definitório ou pelo Custódio e seu Conselho, eleitos pelo Capítulo Provincial ou Custodial. A Ordem dos Frades Menores é composta de frades, clérigos ou leigos, que, em virtude da profissão franciscana, gozam dos mesmos direitos e estão sujeitos aos mesmos deveres.

No dia 21 de maio de 2015, foi eleito em Capítulo Geral como Ministro Geral e sucessor de número 120 de São Francisco o norte-americano Frei Michael Anthony Perry, que reside na Cúria Geral em Roma.

Os Definidores Gerais para a América Latina, incluindo a Conferência dos Frades Menores do Brasil, são o brasileiro Frei Valmir Ramos e o mexicano Frei Ignacio Ceja.

Além da América Latina e Caribe, os Frades Menores estão presentes em 120 países – assim distribuídos em Conferências: África e Médio Oriente; América setentrional; Ásia-Oceania; Europa ocidental; Europa oriental.

Conheça o Definidor brasileiro na Cúria

No dia 15 de julho de 2021, quando a Ordem dos Frades Menores celebra a festa litúrgica de São Boaventura de Bagnoregio (1217-1274) e esta Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil celebrou seus 346 anos de existência, o Ministro Provincial, Frei César Külkamp, foi eleito, com 91 votos (dos 116 votantes) para servir como Definidor Geral para a América Latina.

Frei César é natural de Ituporanga, onde nasceu no dia 26 de maio de 1969. É filho de Reinilda e Fredolino Külkamp. Vestiu o hábito franciscano na Ordem dos Frades Menores em 11 de janeiro de 1988 e se tornou professo solene em 24 de setembro de 1993. Foi ordenado presbítero no dia 16 de dezembro de 1995.

Frei César formou-se em Filosofia, pelo Instituto Filosófico São Boaventura e Universidade São Francisco, e Teologia, pelo Instituto Teológico Franciscano (ITF) e Pedagogia na Universidade Católica de Petrópolis (UCP), títulos obtidos em 1995. Depois concluiu, em 2000, o mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e a pós-graduação em Administração de Empresas pela Faculdade Getúlio Vargas.

Aos 52 anos, Frei César tem uma história de dedicação à educação e à formação religiosa franciscana. Tanto que assumiu a direção pedagógica do Colégio “Canarinhos” de Petrópolis em 1994, onde ficou até o final de 2000. No final deste ano, foi transferido para Agudos, onde assumiu como reitor e orientador o Seminário Santo Antônio. Em 2003 foi eleito para o primeiro mandato como Definidor (2004-2006), assumindo também a função de secretário para a Formação e Estudos e vice-mestre no Postulantado Frei Galvão (Guaratinguetá).

No Capítulo Provincial de 2006, foi reeleito Definidor para o triênio 2007-2009.Em 2007, fez o curso de formadores da OFM, no mês de maio, em Roma, e deste ano até 2010, foi Secretário de Formação da CFMB. Acumulou as funções de guardião da Fraternidade de Rondinha e Secretário para a Formação e Estudos. Mas no Capítulo de 2009, ele seria mais uma vez confirmado como Definidor até o ano de 2012, também acumulando a função de Secretário para a Formação e Estudos e Mestre para os professos temporários no tempo de Teologia em Petrópolis.

No Capítulo de 2012, Frei César continuou como Secretário para a Formação e Estudos, assumindo também como guardião da Fraternidade do Sagrado, em Petrópolis. Foi Visitador Geral da Custódia Franciscana das Sete Alegrias em 2010 e 2014 e Secretário de Evangelização da CFMB de 2015 a 2018. Voltou a ser Visitador Geral, desta vez da Custódia São Benedito da Amazônia em 2016.

Em 2016 foi eleito novamente Definidor, mas ficou por pouco tempo no cargo, pois foi eleito Vigário Provincial. O Vigário anterior, Frei Evaristo Spengler, fora nomeado bispo. Frei César também desempenhou a função de Secretário da Evangelização antes de ser eleito Ministro Provincial, no Capítulo Provincial de 2018. Neste mesmo ano, em julho, Frei César foi eleito presidente da Conferência Brasileira dos Frades Menores, mandato que terminou no começo deste mês.

Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil

Situada nos estados de: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco,
Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

Endereço da Sede:
Rua do Imperador II, 206
Bairro Santo Antônio
CEP: 50010-240
Recife – PE
Tel: (81) 3424-4556
Site: www.ofmsantoantonio.org/

HISTÓRICO

O estabelecimento definitivo dos Franciscanos no Brasil deu-se em 1585. Já anteriormente tinham sido feitos pedidos neste sentido aos Provinciais de Portugal. Talvez esta situação continuasse por muito tempo, se o Ministro Geral Frei Francisco Gonzaga não empenhasse a sua autoridade para este fim, depois de ter recebido do Governador Jorge de Albuquerque Coelho o pedido formal e endossado pelo Rei Filipe II, da Espanha, sob cujo domínio se achava Portugal desde 1580, para fundar um convento em Olinda.

Depois de longos e necessários preparativos, os frades fundadores partiram de Lisboa no dia primeiro de janeiro de 1585, e aportaram no Recife, a doze de abril do mesmo ano. Na festa de São Francisco, a quatro de outubro do corrente ano, passaram a residir na casa oferecida pela viúva Dona Maria Rosa Leitão, conservando-se para o Convento o título da capela anexa, que era de Nossa Senhora das Neves.

A mudança dos frades para o convento definitivo foi a mais solene possível. Comparecem pessoas ilustres como o Vigário Geral com o clero, o Governador em exercício, a nobreza e o povo em massa.

Assim começou a existir no Brasil o primeiro convento da Ordem dos Frades Menores, que se tornou a casa-mãe da Província de Santo Antônio, da qual nasceu a da Imaculada Conceição.

O Decreto de 13 de março de 1584, com que o Ministro Geral da Ordem Franciscana instituiu a Custódia de Santo Antônio do Brasil, conferia ao Superior Frei Melquior de Santa Catarina autorização e licença para fundar conventos onde lhe parecesse necessário e receber noviços à Ordem. Frei Melquior, na época com quarenta e um anos de idade, dotado de grande inteligência e firmeza de caráter, em pouco tempo deu provas de que o Ministro Geral escolhera o homem adequado para a execução de uma obra que exigia grande competência.

Frei Melquior exerceu o cargo de Custódio durante nove anos. Neste período fundou cinco conventos:
(1585) – Convento de Nossa Senhora das Neves, em Olinda.
(1587) – Convento de São Francisco, na Bahia. (1588) – Convento de Santo Antônio, em Igaraçú.
(1589) – Convento de Santo Antônio, na Paraíba.
(1591) – Convento de São Francisco, em Vitória.
A expansão dos franciscanos em terras brasileiras obedecia a várias finalidades. O Ministro Geral desejava a sua Ordem radicada no Brasil e reforçada pelos filhos da terra. O governo colonial queria ocupar os Frades Menores na catequese e pacificação dos silvícolas; os colonos procuravam-nos para a assistência espiritual e celebração solene das festas religiosas.

A fundação do Convento do Rio de Janeiro está, de certo modo, relacionada com a do Convento de Vitória. Foi na mesma época e no mesmo lugar, Bahia, que o Custódio Frei Melchior recebeu a missiva do Governador Salvador Correia de Sá, na qual pedia a fundação do Convento do Rio de Janeiro, como já tinha recebido de Vitória.

Quando Frei Antônio dos Mártires e Frei Antônio das Chagas foram enviados para Vitória, receberam também a Ordem de, em tempo oportuno, seguirem até o Rio de Janeiro para conseguirem o local e escritura para o futuro convento. Não consta em que dia partiram de Vitória e chegaram ao Rio de Janeiro. Mas já no dia 28 de fevereiro de 1592, receberam a escritura de um terreno ao pé do Morro do Castelo, no lado voltado para o mar, onde existia uma ermida dedicada a Santa Luzia. Satisfeitos com a garantia do terreno, retiraram-se novamente para Vitória, prometendo a fundação do convento para um futuro próximo, pois no momento a Custódia não possuía o pessoal necessário.

De fato, durante os próximos quinze anos, a Custódia não realizou nenhuma fundação nova. Tratou de solidificar os primeiros cinco conventos. Somente em fins de 1606, quando o quinto Custódio, Frei Leonardo de Jesus, reuniu em Olinda a cúpula da Custódia, resolveu-se dar início à fundação do Convento do Rio de Janeiro.

O Custódio escolheu quatro religiosos e embarcou com eles ao Rio de Janeiro, onde chegaram no dia 28 de fevereiro de 1607. Não foi, porém, no lugar anteriormente doado, mas sim no morro chamado então do Carmo, que recebeu do Governador Martim Afonso de Sá e Oficiais da Câmara, por escritura de 19 de abril de 1607 e passou a ser chamado, Morro de Santo Antônio. Somente em 1608 foi lançada a pedra fundamental do convento definitivo.

As obras de construção realizaram-se tão rapidamente, que no dia 07 de fevereiro de 1615 a comunidade se transferiu para o novo convento, sob a direção do primeiro guardião Frei Antônio do Calvário eleito no Capítulo realizado aos 15 de outubro de 1614. A igreja, porém, que é atualmente a mais antiga do Rio de Janeiro, só foi concluída em 1620.

O Convento de Santo Antônio foi o mais importante da parte sul da Província. Por isso, quando esta parte foi elevada à Custódia, e mais tarde à Província da Imaculada Conceição, foi escolhido para sua sede. Foi também o único convento que jamais caiu em completo abandono em conseqüência do irreversível desaparecimento de religiosos ceifados pela morte.

Depois da fundação dos conventos do Rio de Janeiro, do Recife e de Ipojuca, cujas construções foram resolvidas na mesma data e aos quais se deu o mesmo nome: Convento de Santo Antônio, durante vinte e três anos não houve novas fundações de conventos, porque o Governo Metropolitano as proibira, por um decreto assinado no dia16 de outubro de 1609. Esta proibição só deixou de existir no dia 28 de novembro de 1624, quando um alvará régio liberou novas fundações para todo o futuro e sem exigência de licença da Câmara e do Governador Geral.

Desapareceu pois, o entrave que impedia a expansão da Ordem Franciscana no Brasil; surgiu, porém, um outro e muito grave, a Invasão Holandesa, primeiramente na Bahia, no dia 10 de maio de 1624 e que durou até 01 de maio de 1625, e depois a de Pernambuco que se deu em 16 de fevereiro de 1630 e durou até 26 de janeiro de 1654, quando os holandeses finalmente assinaram o Tratado de Rendição.

É evidente que nas zonas ocupadas, influenciadas e ameaçadas pelos invasores, os Franciscanos sofressem todo tipo de perseguição, sendo expulsos dos conventos de Pernambuco e da Paraíba. Apesar disso não esmoreceram. Continuaram a fundar conventos em lugares menos ameaçados. Sem dúvida, esta situação deve ter favorecido o surgimento de conventos na parte sul da Custódia. Pois desde 1629 a 1650, foram fundados nove, cinco deles na parte que mais tarde passou a formar a Custódia da Imaculada Conceição.

É curioso que justamente nesta época a Custódia se empenhou em conseguir a independência jurídica da Província a que pertencia. Alegava vários motivos para justificá-la: em grande maioria os Custódios eleitos vinham de Portugal e não conheciam o ambiente do Brasil; as viagens de ida e volta causavam muitas despesas; a correspondência demorava demais; difícil ao Prelado exercer devidamente as atividades devido ao território tão vasto, desde a Paraíba até São Paulo; a Custódia já possuía elementos humanos competentes para qualquer cargo.

Para tratar do assunto Frei Pantaleão Batista foi nomeado procurador e seguiu para Portugal. Lá encontrou séria oposição da Província, mas não desanimou. Prosseguiu viagem a Roma e conseguiu que o Ministro Geral Frei João de Nápoles assinasse no dia 18 de abril de 1647 o decreto que dava definitiva independência à Custódia de Santo Antônio no Brasil.

No dia 27 de maio de 1651 celebrou-se o Capítulo Geral em Roma, no Convento de Ara Coeli, no qual foi eleito Ministro Geral Frei Pedro Manero. O mesmo Capítulo resolveu elevar a Custódia de Santo Antonio no Brasil à Província, se a Santa Sé não determinasse o contrário. Mas, a Sagrada Congregação, mal informada por adversários, não só não aprovou a resolução, mas determinou que a Custódia revertesse à dependência da Província de Portugal. Os defensores da causa tiveram que lutar muito para desfazerem as intrigas que não partiram, ao menos oficialmente, dos responsáveis pela Província. Finalmente, conseguiram esclarecer os equívocos e alcançaram a ereção da Província de Santo Antônio no Brasil, cuja bula tem a data de 24 de agosto de 1657.

Assim como a Província da Imaculada, a Província de Santo Antônio foi restaurada pelos alemães da Província Santa Cruz da Saxônia.

Veja também: http://www.franciscanosne.com/

Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Situada nos estados de: Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo,
Paraná e Santa Catarina.

Endereço da Sede:
Rua Borges Lagoa, 1209
3º andar
Vila Clementino
São Paulo – SP
CEP: 04038-033

Fone: (11) 5576-7900
Fax: (11) 5576-7905
Email: ofmimac@franciscanos.org.br
Site: franciscanos.org.br

Província Franciscana de São Francisco de Assis

Situada no estado do: Rio Grande do Sul.

Endereço da Sede:
Centro de Formação Monte Alverne
Av: Juca Batista, 330
Bairro Ipanema
CEP: 91770-000
Porto Alegre – RS
Site: www.franciscanos-rs.org.br

HISTÓRICO

1900 – 7 de maio, chegada ao Rio de Janeiro dos fundadores do Comissariado da Santa Cruz, hoje província: Frei Burges (1º comissário provincial) e Frei Frederico Voorvelt – holandeses.
1926 – Estende-se o Comissariado ao Rio Grande do Sul (Bela Vista do Fão)
1966 – 22 de fevereiro, é criada a Custódia São Francisco de Assis, desmembrada Santa Cruz (MG), com sede em Porto Alegre.
1971 – 29 de março, a Custódia é transformada em Vicariato.
1976 – 4 de outubro, torna-se do Vicariato São Francisco de Assis em Província São Francisco de Assis do Brasil

Província Franciscana de Santa Cruz

Situada nos estados de: Minas Gerais.

Endereço: 
Sede Provincial
Praça S.Francisco das Chagas, 195
Bairro: Carlos Prates
Belo Horizonte/MG – CEP: 30.710-350
Fone: (31) 3469 5500
E-mail:  secretaria@ofm.org.br
Site: ofm.org.br

HISTÓRICO

A história da Província Santa Cruz começa com a chegada de fundadores ao Rio de Janeiro, em 1900. A Província dos Santos Mártires Gorcumienses, da Holanda, enviava três frades – Adalberto Woolderink, Gonzaga Governeur e Oto Vervoort para o então criado Comissariado Imaculada Conceição, que teve como primeira residência no estado de Minas Gerais a cidade histórica de Ouro Preto, em 1903.

Em 1926, o Comissariado foi estendido ao Rio Grande do Sul, e em 1936 foi estendido ao extremo Sul da Bahia, através das cidade dês Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri. A criação da Província Santa Cruz se deu em 1950. A partir desta data, passou a atuar independente da Província dos Mártires Gorcumienses.

Em 1976 houve o desmembramento do Rio Grande do Sul, que formou a Província São Francisco de Assis. Com isso, a Província de Santa Cruz passou a ocupar uma área de 586.852 km2 (7% do território brasileiro), ocupando e evangelizando uma área de 19 milhões de habitantes. Neste espaço, destaque para a grande região metropolitana de Belo Horizonte, com 4,7 milhões de habitantes.

 

Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora

Situada nos estados de: Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Endereço da Sede:
Convento de São Francisco
Rua 14 de Julho, 4213
CEP: 79010-470
Campo Grande – MS
Tel.: (67) 3356-7565
Site: https://franciscanosmtms.org/ 

HISTÓRICO

Em janeiro de 1937, a Província da Imaculada Conceição do Brasil cedeu a área dos atuais Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul como terra de missão à Província Franciscana de Santa Isabel da Turíngia, em Fulda. O Ministro Provincial da Turíngia, Frei Vicenz Rock, com seu Definitório, aceitou no dia 2 de março de 1937 a oferta e o antigo estado do Mato Grosso foi escolhido como novo campo de atividade missionária.

Aos 29 de junho de 1937 aconteceu o solene envio dos quatro primeiros missionários para a nova terra de Missão. Foram os Freis Eucário Schmitt, Antônio Schwenger, Wolfram Passmann e Francisco Brugger, todos sacerdotes.

Atualmente, a Custódia ocupa uma área total de 1.264.965,6 Km² para uma população de 4.582.354. A sede da Custódia fica em Campo Grande.

A Custódia desenvolve os seguintes trabalhos sociais: Centro de Saúde São Francisco, Capelania do Hospital São Julião, Centro Social de Rio Brilhante e Projeto Porciúncula.

Província Franciscana do Santíssimo Nome de Jesus

Situada nos estados de: Goiás e Tocantins.

Endereço:
Sede Provincial 
Convento São Francisco de Assis
Av. São Francisco, 363, B. Jundiaí – Anápolis, Goiás – 75110-810
Telefax: (62)3327-0497
E-mail: ofmgoias@terra.com.br
Site: http://fradesfranciscanos.com.br/

HISTÓRICO

O Comissariado do Santíssimo Nome de Jesus foi criado no dia 17 de julho de 1943. Imediatamente foram selecionados 14 frades entre os voluntários que se apresentaram. Eram 9 sacerdotes e 5 irmãos leigos.
Em 2004, a Vice-Província se tornou Província, contando hoje com: 40 frades professos perpétuos; 09 professos temporários; 03 noviços; 10 postulantes e 04 aspirantes

A atuação dos frades se estende em 10 guardianatos: 8 paróquias, 06 escolas; 3 emissoras de rádio, 3 projetos sociais educativos para crianças e adolescentes. Nas escolas, os frades atuam como agentes de pastoral, ficando a administração com leigos ou religiosas.

A Província tem uma casa de acolhida de vocacionados, uma de Postulantado, o Noviciado interprovincial (juntamente com a Custódia do Sagrado Coração e das Sete Alegrias de Nossa Senhora) e uma casa de Pós-noviciado.

Hoje em dia, os agentes de pastoral estrangeiros que vêm atuar no Brasil costumam fazer curso no CENFI em Brasília, introduzido pelo Comissariado do SS. Nome de em Jesus 1960. Funcionou dois anos em Anápolis e depois foi transferido para Petrópolis. Frei João Batista Vogel esteve na sua direção desde o início até fins de 1964. Hoje é órgão ligado à CNBB.

Comunicação – Atualmente a Província possui as Rádios São Francisco AM e FM em Anápolis e Rádio Cultura de Catalão AM.

Província Franciscana Nossa Senhora da Assunção

Situada nos estados de: Maranhão e Piauí.

Endereço da Sede:
Rua Magalhães de Almeida, 955
Caixa Postal 02
Cep: 65.700-000 | Bacabal-MA
Telefone: (99) 3621-1558
Emails: curiaprovincial@franciscanosmapi.org.br
Site: http://franciscanosmapi.org.br/

HISTÓRICO

A história da Província Nossa Senhora da Assunção, nos estados do Maranhão e Piauí, começou em 1952, com a chegada aos estados de quatro frades para criar a Missão Franciscana, depois recebeu o reforço de mais dez franciscanos.

Em 1964, a Missão foi elevada à condição de Fundação Nossa Senhora da Assunção. Em 1965, tornou-se Custódia e, com 52 frades, passou a ser vice-província em 1992. Com 70 frades, tornou-se finalmente Província no dia 8 de dezembro de 2004.

Atualmente a Província tem 59 frades, sendo 51 professos solenes,7 professos temporários e 1 postulante. Dos 51 professos solenes, nove frades têm profissão laical. Dois estudantes estão concluindo Teologia, um diácono e 29 presbíteros. A faixa etária desta Província: 8 frades com 70 ou mais anos; 8 na faixa de 65-69 anos; 6 na faixa 50 a 65 anos; 13 na faixa de 40-49; 17 na faixa de 30-39 anos; e 15 na faixa 20-29 anos. Apenas dois com 19 anos. Portanto, a média de idade fica em torno de 44 anos.

A Província tem 5 paróquias, sendo que somente uma delas abrange 4 municípios e é composta de 116 comunidades.

Pequeno resumo:
1952: Envio dos 4 frades pioneiros para Maranhão e Piauí.
1952: Envio de mais 10 frades
1964: A Missão é elevada a Fundação
1965: Elevada a Custódia
1992: (06.01.1991) Vice-Província mais ou menos 52 frades.
2004: (08.12.2004): torna-se província 70 frades

Custódia Franciscana São Benedito da Amazônia

Situada nos estados de: Pará, Amazonas, Amapá, Roraima, Rondônia e Acre.

Endereço da Sede:
Av. São Sebastião, 517
Cx. Postal: 191
CEP 68.100-970
Fones: (93) 3523-4651 e 3522-2344
Email: csbamazonia@gmail.com
Santarém – Pará
Site: http://franciscanosamazonia.org.br/

HISTÓRICO

Com uma presença centenária na Amazônia, os Frades Menores, seguem sua vocação no fluir dos rios desta abençoada região. Na história da Custódia se pode contar gerações de irmãos que, vindos de fora ou nativos, testemunham a mensagem do Evangelho no chão amazônico.

Em março de 1990, o Ministro Geral Frei João Vaughn erigiu uma nova entidade franciscana autônoma na Amazônia, transformando a Custódia do Sagrado Coração de Jesus em vice-Província São Benedito da Amazônia. Frei Miguel Kellett foi eleito como primeiro Ministro Provincial da nova entidade e a dirigiu até o primeiro Capítulo Provincial, realizado em janeiro de 1993, quando foi eleito um novo governo para a vice-Província. O objetivo principal da ereção da nova vice-Província fazia parte da política do Governo Geral da Ordem dos Frades Menores, durante a década de oitenta e começo da década de noventa, de erigir novas entidades nas áreas de missão da Ordem, a fim de incrementar a fundação e implantação da Ordem nestas áreas.

E nesses 31 anos, a Custódia tem buscado ser fiel às suas raízes franciscanas e amazônicas. Do passado ao presente, o Pobrezinho de Assis e os povos dessa terra querida são a força e companhia para que os frades possam vencer os ‘banzeiros’ dos tempos. “E aqui estamos, para partilhar da nossa vida e missão. Contar e guardar com amor nossa memória é o que queremos comunicar”, revela Frei Fábio Melo Vasconcelos, frade da Custódia São Benedito que atualmente reside em Petrópolis e cursa o 2º ano de Teologia.

A Amazônia não é só uma realidade, mas é uma multiplicidade de encontros, de cidades, de vilas. “E nos encontramos imersos nessa imensa diversidade. Os frades residem tanto no Oeste como no extremo Leste da região. Ao longo dos rios, nas capitais e cidade dos interiores podemos viver a vida franciscana”, explicou.

As fraternidades da Custódia estão três estados da denominada Amazônia legal. Amazonas, Pará e Roraima. Pode-se encontrar os frades menores nos seguintes locais: Boa Vista,RR (Fraternidade interprovincial Conferência dos Frades Menores do Brasil CFMB); Itaituba, PA; Missão São Francisco do Rio Cururú (PA); Monte Alegre (PA); Óbidos (PA); Santarém (PA): Cúria Custodial e Postulantado Kabiará em Manaus (AM) – Juniorato e Frades em Estudos fora da Custódia em Petrópolis(RJ) e Chicago (Illinois, EUA).

Em todos esses lugares onde os frades estão só desejam uma coisa: testemunhar o Evangelho em pobreza, obediência, sem nada de próprio e em castidade. “Que nesses caminhos da Amazônia nos acompanhe sempre a força divina que une os povos e culturas para que vivamos como anunciadores da paz”, deseja Frei Fábio.

Semear a espiritualidade franciscana é espalhar no mundo um outro modo de pensar e agir. A espiritualidade franciscana é itinerante, não está presa a um lugar somente. A história, o carisma e a força da figura de Francisco e de seus seguidores abraçam o mundo todo e dialogam com os mais diversos ambientes.

Por sua vez, a Amazônia é um berço, uma mãe que acolhe tantos que aqui chegam, e São Francisco aqui se instalou por meio dos seus seguidores e seguidoras. Todas as marcas da espiritualidade franciscana brilham e refletem no profundo contexto amazônico. Uma sintonia entrelaça está imensa floresta com os vales da Úmbria. “A encarnação, a cruz e a ressurreição, eixos do carisma franciscano, resplandecem nas dores, alegrias e esperanças da nossa gente. É isso que queremos compartilhar com todos, uma espiritualidade franciscana enraizada no coração da irmã e mãe Amazônia”, destacou.

CUSTÓDIA EM NÚMEROS

A Custódia São Benedito da Amazônia conta com 38 frades menores franciscanos. Desses 38 religiosos, 6 são de votos temporários, 2 noviços e 30 de votos solenes. Além desses 38, a Custódia tem 3 frades de outras entidades que moram em Roraima (RA) e conta ainda com 8 postulantes neste ano de 2021.

Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus

Situada nas regiões Oeste e Norte do São Paulo.

Endereço da Sede:
Residência Franciscana São Francisco de Assis
Rua Alberto Naffah, 70
Residencial Mançor Daud
Cep. 15.070-510
Tel: (17) 3215-31-80
E-mail: custodiascj@uol.com.br
Site: http://www.ofmscj.com.br/

HISTÓRICO

A pedido do bispo D. Antônio Augusto de Assis, a Província de São Pedro Apóstolo de Nápoles aceitou enviar missionários para a Diocese de Jaboticabal, no Interior de São Paulo. No dia 2 de abril de 1947, partiam do Porto de Nápoles, na Itália, dez frades missionários, que foram recebidos na paróquia do Bom Jesus de Guaraci (SP). A segunda foi a de São João Bastista de Olímpia e, sem seguida, a de Nossa Senhora da Abadia de Cajobi.

Os frades missionários abriram um seminário em Bastos no início dos anos 50 e, em seguida, iniciaram a construção do Seminário Nossa Senhora de Fátima em Mirassol. Deste trabalho de formação, saiu o primeiro religioso brasileiro da Custódia: Frei Francisco de Medeiros.

Atualmente, a Custódia tem nove fraternidades e 42 professos. Desde o início, os frades voltaram seu trabalho para a população mais pobre, especialmente as crianças e adolescentes. Devido a isso, a Custódia tem um rede muito grande de trabalhos sociais.

Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Olímpia (Apae e Creche da Imaculada), na Paróquia Sagrado Coração de Jesus (2 instituições sociais), Educandário Santo Antônio (Ensino em período integral – Apoio sócio-educativo – Apoio às famílias), Casa de Santa Clara em Bebedouro Atendimento: 20 crianças, 30 famílias, Linhas de Ação: Abrigo infantil, Apoio às famílias, Prevenção ao abandono e maus tratos ou violência), Paróquia Nossa Senhora de Lourdes de Garça (1 instituição social); Patronato Juvenil Garcense (200 – crianças e adolescentes. Linhas de Ação: Projetos de apoio sócio-educativo e sócio-familiar), Paróquia N. Sra de Lourdes de Marília (2 – Ações Sociais – Alimentação aos moradores de rua – Mutirão p/ Superação da Miséria e da Fome e Casa de Teologia); Paróquia Sto. Antônio Maria Claret de Ribeirão Preto (Distribuição de alimentos in natura – Parceira com prefeitura – Ass. Social – Atendimento médico e farmácia gratuitos); Paróquia São Judas Tadeu de Franca (– Instituição Social Creche Maternal São Francisco de Assis – Farmácia gratuita); Creche Maternal São Francisco de Assis – 80 crianças atendidas Atendimento em Período Integral – Apoio Sócio-Pedagógico.

A Custódia e a Província do Santíssimo Nome de Jesus fazem uma nova experiência em termos de formação com o Noviciado Interprovincial na Cidade de Catalão, em Goiás.