Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

6ª feira da 2ª semana do Advento

  • Primeira leitura
  • Salmo
  • Evangelho
  • Sabor da Palavra
Memória de Santa Luzia

Isaías 48,17-19

17 Isto diz o Senhor, o teu libertador, o santo de Israel: “Eu, o Senhor teu Deus, te ensino coisas úteis, te conduzo pelo caminho em que andas. 18 Ah, se tivesses observado os meus mandamentos! Tua paz teria sido como um rio, e tua justiça como as ondas do mar; 19 tua descendência seria como a areia do mar, e os filhos do teu ventre como os grãos de areia; este nome não teria desaparecido nem teria sido cancelado de minha presença”.

Palavra do Senhor.

Sl 1

Senhor, quem vos seguir terá a luz da vida.

Feliz é todo aquele que não anda / conforme os conselhos dos perversos; /
que não entra no caminho dos malvados / nem junto aos zombadores vai sentar-se; /
mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. – R.

Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; /
ela sempre dá seus frutos a seu tempo, † e jamais as suas folhas vão murchar. /
Eis que tudo o que ele faz vai prosperar. – R.

Mas bem outra é a sorte dos perversos. † Ao contrário, são iguais à palha seca /
espalhada e dispersada pelo vento. / Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, /
mas a estrada dos malvados leva à morte. – R.

Mateus 11,16-19

Naquele tempo, disse Jesus às multidões: 16 “Com quem vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que gritam para os colegas, dizendo: 17 ‘Tocamos flauta e vós não dançastes. Entoamos lamentações e vós não batestes no peito!’ 18 Veio João, que não come nem bebe, e dizem: ‘Ele está com um demônio’. 19 Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizem: ‘É um comilão e beberrão, amigo de cobradores de impostos e de pecadores’. Mas a sabedoria foi reconhecida com base em suas obras”.

Palavra da Salvação.

“Não ouvem nem a João nem ao Filho do homem”.

Como somos incapazes de reconhecer o bem que mora ao nosso lado, entregues a preconceitos ou valores pequenos que nos prendem e reduzem nossos horizontes. Ao passar por este mundo criado, o Filho de Deus sofreu muitas dores, uma delas foi a rejeição. Muitos não acreditaram na salvação que se encarnou para o bem de toda a humanidade. Se por Adão todos padecemos no pecado, em Cristo fomos salvos de uma vez por todas e se abriram as portas do céu e a salvação do nosso Deus, que unicamente por amor a sua criação assim o fez.

Precisamos sair do conforto da hipocrisia, para que o sopro do Espírito do Senhor possa converter nosso coração. Neste tempo de Advento, somos chamados a abandonar velhas práticas e nos transformarmos em novos cristãos, que desejam acima de tudo que a Boa-nova de Cristo penetre cada vez mais fundo em nossas almas.

Reflexão feita pelos noviços.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.