Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

A Oração de São Francisco de Assis

28/09/2010

Frei Vitório Mazzuco

A oração é uma necessidade do espírito. É o momento onde deixamos de lado as ocupações e damos mais atenção à nossa interioridade. Pela oração colocamos em plena comunhão a nossa dimensão humana e divina. Podemos buscar no Evangelho inúmeras situações onde o próprio Jesus está dedicando o seu tempo à oração, fazendo dela a força principal do seu Reino. Francisco de Assis, seguidor e imitador de Jesus Cristo, também se faz homem-oração. Rezava muito, com paixão, com disciplina. Sua oração é muito despojada, simples, direta, espontânea, repetitiva, mas era sempre um fazer oração, um rezar como trabalho de espírito. Através da oração, Francisco firmava cada momento sua conversão e se orientava pelos caminhos de Deus. Por ela deixava fluir uma torrente de louvor, gratidão e admiração. Para Francisco, rezar é dialogar, pensar e tocar o Deus da Vida! Francisco foi um homem original porque muito amou. Os apaixonados são muito criadores e criativos! Assim, ele se expõe diante de Deus: tocando as raízes da Vida! Assim chegou melhor às Obras.

FRANCISCO DE ASSIS: HOMEM FEITO ORAÇÃO
Diz Tomás de Celano, biógrafo de São Francisco, na sua Vita II: “Quando rezava nos matos e nos lugares desertos, enchia os bosques de gemidos, derramava lágrimas por toda parte, batia no peito e, achando-se mais escondido que num esconderijo, conversava muitas vezes em voz alta com o seu Deus. Respondia ao juiz, fazia pedidos ao pai, conversava com o amigo, brincava com o esposo. Transformado não só em orante mas na própria oração, unia a atenção e o afeto num único desejo que dirigia ao Senhor” (2Cel 95). Este texto de Celano nos lembra que, para rezar, é preciso considerar a bondade de Deus colocada em destaque na sua Paternidade. Rezar é ser filho que pede ao pai. É saber encontrar gosto em pedir, em saborear as palavras das preces. Rezar é considerar Deus em todo lugar, hora e tempo. É abandonar-se nos braços da Providência. Rezar é fazer do próprio coração uma aconchegante morada do Senhor. É colocar todo o ser na prece: corpo e alma, todas as potencialidades do humano para dizer o Senhor.

FAZEI-ME UM INSTRUMETO DA TUA PAZ!
Não é em meio a tensões, conflitos, intranqüilidade, que dizemos as melhores palavras e tomamos as melhores decisões. Nenhum projeto bom nasce de uma cabeça quente. O tempo de Francisco não era um tempo tão diferente do nosso. Havia também o rumor das Cruzadas, a luta contra os muçulmanos, os mercadores e comerciantes crescendo e criando a agitação do consumo, o dinheiro vai aparecendo como força. Os pobres, os doentes que não podem mais produzir, vão conhecendo o desprezo. Havia luta pelo poder entre Imperador e Papa… No meio da efervescência da Idade Média, Francisco reza no silêncio de São Damião, nos bosques, nas cavernas, nos ermos. É preciso buscar o sossego da prece para conviver com os conflitos. Onde buscaremos o espírito que necessitamos para solucionar problemas? Na paz com Deus e na interioridade de cada um. Quem vai mais à paz de si mesmo realiza mais a paz social. A humanidade, como todo organismo vivo, tem seus momentos de crise. No meio desta crise, aprendamos a rezar na conquista da paz.

ONDE HOUVER ÓDIO QUE EU LEVE O AMOR!
O que é o amor? Diante de algo tão grande sentimos o limite de nossas palavras para defini-lo. Mas sabemos que é um impulso, é um sentimento, é uma sensação divina que transforma maravilhosamente as pessoas, que traz vontade de viver, de olhar-se na ternura, de compartilhar a vida, de assemelhar-se. É uma energia que eleva o humano para além dele mesmo, dá vigor aos fracos, coragem aos indecisos e saúde aos que carregam algum mal. Quando sentiu que seu tempo conhecia o ódio, Francisco saiu gritando: “O Amor não é amado!” Porém, não ficou apenas no grito, mas encarnou o amor. Percebeu como Deus ama e começou a amar a vida e os irmãos do jeito de Deus. Amar é ser generoso, é doação total. Francisco captou tudo isto nos dons da criação, do universo. Aprendeu a falar com a pessoa amada e percebeu a Revelação do Amor. Amar é seguir e imitar o Amado, e Francisco fez deste amor Encarnação. Fez o Bem que redime; e soube sofrer com os que escolheu para amar. Francisco fez do Amor Cruz e Eucaristia!

ONDE HOUVER OFENSA QUE EU LEVE O PERDÃO!
Aprendamos com o belo espírito franciscano a viver em paz com nossos semelhantes! Como isto ajuda-nos a encarar a vida! Nós sabemos que hoje temos de conviver com desgraças e ofensas, com gostos diversos, antipatias, interesses contrários, podre política, calúnia, corrupção, disputas, desatenções, conflitos, amarguras. E no meio disso tudo, quanta ofensa que dói! Francisco de Assis aprendeu que, mais do que uma lei cristã, perdoar é uma necessidade. Ódio, rancor, vingança, desgosto, nos trazem apenas sentimentos negativos. Perdoar é um santo remédio para as nossas crises. Perdoar é desenterrar a bondade que está oculta em si e no outro. O perdão desarma o inimigo. Perdoar enriquece, vence a mesquinhez, supera o amor-próprio e nos lança para o outro. Perdoar é ir além dos limites da nossa generosidade. Perdoar é enfrentar o mal com as armas do bem. Perdoar é treinar a esquecer mais facilmente o mal que nos foi feito. O perdão é o fruto maior do Amor! No meio dos conflitos do seu tempo, Francisco não viveu o ódio, mas a Paz e o Bem.

ONDE HÁ DESESPERO, QUE EU LEVE A ESPERANÇA!
Faz parte do espírito franciscano lutar contra o pessimismo! Hoje tantos que possuem juventude e energia, talento e tantas possibilidades, colocam na cabeça que, não conseguem nada na vida, curtem as tendências do mal, consultam cartomantes, entregam para os profissionais de vidência o seu destino. E, assim, vão vivendo uma certa insegurança, uma certa insatisfação; preferem pagar para ouvirem palavras de estímulos do que lutar com as próprias forças para se motivarem para a vida. Não é por aí!
Desespero e desânimo se vence com o esforço perseverante de dizer: “Eu posso! Eu sou capaz!” Sem a paixão pela vontade de querer acertar, a vida se paralisa. Quem vive a esperança está sempre caminhando e não fica lamentando-se à beira do caminho. A esperança nos dá forças para fazermos grandes e pequenas coisas; traz serenidade de espírito; leva a olhar mais objetivamente às coisas do mundo. Ela é a certeza de conseguir o desejado; a alegria do coração. É dizer sempre: “Espero que Sim!”

Download WordPress Themes Free
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Nulled WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
free online course
download mobile firmware
Free Download WordPress Themes
lynda course free download