Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

África e Brasil: grande potencial, grandes desafios

16/06/2018

Notícias


São Paulo (SP) – Neste sábado, 16/06, o Conselho Plenário da Ordem (CPO) chegou ao seu quinto dia de encontro. Neste dia, foi momento da Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB) apresentar seu relatório. Também a Conferencia da África fez sua apresentação, encerrando assim esta parte do CPO, onde os frades ouviram e partilharam as diversas realidades mundiais onde estão presentes. “Cada Conferência partilhou suas realidades todos os dias, em várias sessões, duas ou três por dia, sobre a realidade dos Frades Menores nas Conferências, sempre levando em consideração a realidade política, eclesial e a presença dos Frades Menores em cada local”, conta Frei Alvaci Mendes da Luz, da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Pela CFMB, estão presentes, além de Frei Alvaci, Frei Wellington Jean, da Província Santo Antônio e Frei Fabiano Satler, da Província Santa Cruz.

“Nossa Conferência chamou a atenção dos frades para a realidade política, ecológica, econômica e das juventudes no nosso país”, afirmou Frei Alvaci. Ele contou que a apresentação despertou o interesse dos frades do mundo todo, que fizeram várias perguntas, sobretudo no trabalho com os mais empobrecidos, as comunidades eclesiais de base e a atuação dos franciscanos no país.

Sobre a apresentação da CMFB, o site da Ordem afirma que a “vasta região da Amazônia se converteu em um cenário de cooperação e missão interprovincial. O trabalho dos frades na Amazônia demonstra a opção preferencial pelos pobres, através da vivência do ministério entre os usuários de drogas, campesinos, pessoas abandonadas e indígenas. Os representantes do Brasil abordaram uma ampla gama de questões, incluindo o papel dos frades leigos na Ordem e o aumento do neo-clericalismo, a tentativa dos frades de permanecerem junto aos pobres, mesmo quando o compromisso é julgado negativamente como socialista, os movimentos pentecostais e a busca de novas formas de viver o ministério nas grandes cidades”.

A Conferência Africana partilhou com os frades sua realidade e apresentou vários desafios, como o sincretismo religioso, a falta de maturidade na vivência da fé, a AIDS, instabilidade política e social. “A África está composta por mais de 50 países, com muitos idiomas e culturas e, por isso, vive várias realidades diferentes”, disse Frei Alfigio Tunha, Custódio do Zimbábue.

Na semana que vem, os participantes do CPO se dedicam a discernir tudo aquilo que ouviram nesta semana, para que assim possam chegar a um sentimento compartilhado do que o Espírito está dizendo aos frades hoje. Na tarde de sábado e no domingo, os frades terão momentos de descanso, lazer e turismo pela região.

Érika Augusto, com informações de Frei Alvaci Mendes da Luz