Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Pentecostes e seis símbolos em At 2,1-13

26/05/2023

Representação do Espírito Santo na Basílica São Pedro, Wikipédia

O encontro do ontem com o hoje à espera do amanhã!

Frei Jacir de Freitas Faria [1]

Na celebração de Pentecostes, convido você viajar no imaginário dos símbolos que compõem essa festa judaica e cristã. Em Jerusalém, celebrava-se a “Festa das Semanas”, isto é, de Pentecostes, sete semanas mais um dia, ou seja, 50 dias depois da Páscoa dos judeus. Pentecostes, em grego, significa quinquagésimo. Era o dia 06 do mês de Sivan (no nosso calendário: 22 de maio), Jerusalém estava repleta de peregrinos. Todos teriam trazido as primeiras colheitas para serem ofertadas no Templo de Jerusalém.

A peregrinação até Jerusalém teria sido linda. Imagine grupos de pessoas caminhando juntos com cestos de uva, trigo, azeitonas, tâmaras, mel, e sendo acolhidos em Jerusalém ao som de harpa, flauta e recitação de Salmos. Todos carregavam dentro de si o desejo de agradecer a Deus pelas primeiras colheitas, e de comemorar o dom da Torá (Lei), dada ao povo no monte Sinai. Comemorar o recebimento da Torá era o mesmo que afirmar: “no dia de sua revelação eu também estava lá” (Dt 5, 24). Hoje, nós, os cristãos, podemos dizer o mesmo: “no dia de Pentecostes, eu também estava lá.”

O ontem da promessa de Jesus, a de enviar o Espírito Santo como Defensor, estava prestes a se realizar. Ninguém podia imaginar o que iria acontecer. Em Jerusalém estavam todos. E todos presenciaram a vinda do Espírito Santo, carregada de símbolos que marcariam para sempre a comunidade cristã, formada por judeus, gregos e tantos outros povos.

Símbolo é tudo aquilo que nos une a algo. Pentecostes acontece ao embalo de seis símbolos, a saber:

1. Casa em Jerusalém

A vinda do Espírito Santo ocorre, segundo a tradição, em uma casa de dois andares, em Jerusalém, cidade situada no monte Sião. Esses dois detalhes evocam claramente o monte Sinai, local onde Moisés recebeu os Dez Mandamentos. Estavam reunidos todos no mesmo lugar (At 2,1).

2. Vento forte. “E de repente, veio do céu um barulho, como o de um vento forte, que ressoou por toda a casa onde se encontravam” (At 2,2). O vento evoca a teofania, isto é, a manifestação de Deus que ocorreu com Moisés, no Sinai. Ex 19,18 diz que quando Moisés recebeu as tábuas da Lei, “todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor havia descido sobre ele no meio de chamas. O fumo que se elevava era como o de um forno, e todo o monte estremecia violentamente.” Em Pentecostes, trata-se da violência do Espírito que leva a comunidade a ser profética e missionária.

3. Falar em línguas. A comunidade de Lucas substitui voz, que aparece na narrativa do Sinai, para língua. Esses termos são semelhantes e ambos se referem à Palavra. A Palavra é a presença de Deus. Língua e linguagem têm o mesmo sentido no texto. Alguém fala e outro entende. São os apóstolos começam a falar nos vários idiomas presentes em Jerusalém. O milagre de Pentecostes consiste no fato de que todos entendem os apóstolos na sua própria língua e cultura. É o mesmo que dizer: a evangelização se realiza com sucesso. Falar numa língua que ninguém entende não tem sentido nenhum. Pentecostes nos ensina que devemos falar a linguagem do evangelho, pois língua é diferente de linguagem. Língua é o idioma (português, inglês etc.). Linguagem é a comunicação de um modo de pensar, por exemplo, linguagem jurídica, médica, teológica etc. Dependendo do ambiente, usamos certo de tipo de linguagem. O grande segredo de Pentecostes é que os apóstolos falavam a linguagem do reino de Deus que Jesus havia ensinado para eles. Também vale ressaltar que Pentecostes não é o contrário de Babel (Gn 11,1-9). Nos dois casos, trata-se de linguagem.

4.De fogo. O fogo é modo apocalíptico para dizer que Deus se manifestou (Ex 3,2-3). Deus acompanha o povo pelo deserto numa coluna de fogo que iluminava a noite (Ex 13,20-22). Deus desce para falar com o povo e Moisés no Sinai por meio de um fogo (Ex 19,18). Em Atos dos Apóstolos o Espírito Santo é o fogo da Palavra de Jesus que deve ser anunciada pelos seus seguidores.

5.Multidão. Estavam em Jerusalém: “partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia, a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos, judeus ou prosélitos, cretenses e árabes” (At 2,9-11). A multidão simboliza o povo no deserto que recebeu as tábuas da Lei. Em Pentecostes eram três mil, número não exato, e provinham de 12 povos e 3 regiões. Um novo povo de Deus surge!

6. Estão embriagados de vinho doce. Essa acusação simboliza os que não estão abertos ao novo da comunidade cristã. Eles acusam os apóstolos e a mulheres que estavam com eles, no Cenáculo, de estarem bêbados com o vinho doce que tinham guardado, pois estariam delirando. A simbologia do vinho diz muito. Jesus, o melhor vinho da festa de Caná (Jo 2,1-11), continuaria na comunidade dos apóstolos, com a vinda do Espírito Santo. Vinho novo era produzido em Pentecostes. O Espírito Santo é, agora, o vinho novo de Pentecostes que renova, embriaga a todos e todas as coisas.

Pentecostes tem relação direta com a narrativa do Sinai, quando o povo recebe os Dez Mandamentos. Um novo Sinai estava acontecendo na comunidade cristã de Jerusalém, por meio do Espírito Santo, prometido por Jesus. Pentecostes passa a ser o batismo da comunidade cristã, chamada a evangelizar. Mais do que um dado histórico, Pentecostes é uma profissão de fé. Sem Pentecostes, a Páscoa (Passagem) de Jesus não estaria completa. Igualmente, a nossa Páscoa!

De símbolo em símbolo a nossa vida segue em direção ao tempo que se renova sempre, ainda que pareça ser o mesmo. Roguemos ao Espírito Santo que transforme os nossos corações endurecidos pelas nossas atitudes não condizentes com o evangelho. Vem Espírito Santo e renova nossa fé! Dai-nos o dom de não mais ofender a natureza, os animais e o nosso semelhante. Dai-nos o dom da fraternidade que partilha o pão. Dai-nos o dom infinito capaz de promover a justiça social e ambiental. Vem Espírito Santo e renove a nossa alegria e a nossa esperança! Vem Espírito Santo e tire do marasmo e da desilusão todos aqueles que estão cansados de viver!

Deus, Trindade de Amor, que o ontem de Sua revelação a Moisés, atualizado no hoje da vinda do Espírito Santo, renove sempre o nosso ser, na certeza de que o amanhã de nossas vidas será melhor que o hoje! Amém! Amém! Amém!


[1]Doutor em Teologia Bíblica pela FAJE (BH). Mestre em Ciências Bíblicas (Exegese) pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma. Professor de Exegese Bíblica. É membro da Associação Brasileira de Pesquisa Bíblica (ABIB). Sacerdote Franciscano. Autor de dez livros e coautor de quinze. Youtube: Frei Jacir Bíblia e Apocrifos. https://www.youtube.com/channel/UCwbSE97jnR6jQwHRigX1KlQ

Download Nulled WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
Download Premium WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
free download udemy course
download xiomi firmware
Premium WordPress Themes Download
free download udemy paid course