Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Nosso coração no Coração de Deus

10/06/2021

                                                                                                Imagem ilustrativa (fonte: Catholic Pictures)

Chegando a Jesus, como os soldados o viram já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um do soldados atravessou-lhe com uma lança o lado, e imediatamente saiu sangue e água (Jo 19,34).

Veremos, nesses textos, o que se entende por “coração”, coração humano. Jesus nos amou de todo o coração, quer dizer, de todas a suas entranhas.
O coração é o centro do organismo humano com especial função de governo dos sentidos superiores e inferiores. É a sede dos sentimentos e de “governo” de todos os atos em que se empenha a personalidade humana. Constitui o centro da pessoa, a raiz de seu ser do qual proveem atitudes que se integram num conjunto psicofisiológico unitário. É o coração que determina os conjunto das forças perceptivas e psíquicas formando um unicum com a dimensão física, espiritual e moral de todas as pessoas. Além dessas importantes funções corpóreas e psíquicas, o coração tem uma função fundamental na constituição espiritual do homem porque é a sede da faculdade que nos remete para o transcendente.

Na linguagem própria da Bíblia, ele representa a morada estritamente interior, o centro mais profundo do homem, o “fundo” no qual moram os ideais mais elevados, as aspirações, a vontade, o conhecimento de si. É também considerado o ponto onde se radica e do qual provém e para o qual converge a vida espiritual, a “sede” com a capacidade de manifestar a realidade espiritual, o sentir espiritual, quer dizer o sentido sobrenatural, a sua consciência moral na qual a Verdade fala. Entra em ti mesmo e lá encontrarás Deus e o Reino, dizem os mestres da espiritualidade, já que Deus colocou no coração do homem o desejo dele. São Lourenço Justiniano afirma: “O Reino de Deus está dentro de nós e, portanto, é dentro do coração que Deus quer morar”.

O órgão com o qual se pode “ver” a Deus é o coração, considerado o lugar da visão suprema, o lugar onde ele concede um desvelamento intuitivo. Somente o coração puro é capaz de perceber interiormente a divindade e ver os benefícios do amor de Deus. A esta forma de conhecimento não se pode chegar racional ou fisicamente, mas com “sentido divino”, adquirido gradativamente com a ajuda da inteligência reorientada segundo sua natureza espiritual e com um modelo de vida conforme o projeto querido por Deus. Como somente os puros de coração podem ver a Deus, assim esses, já neste mundo, podem aproximar-se dos mistérios celestes com alguma compreensão porque o coração puro se dispõe e se abre à graça do Espírito Deus atrai os corações puros para deles tomar posse.

Textos de Jole D’Anna, “La pureza del cuore”, Rivista de Ascetica e Mística, n.2, aprile-giugno 2017


Para refletir e rezar

O “coração” designa o centro mais íntimo, onde toda multiplicidade é ainda uma. Quando dizemos: “Coração de Jesus”, evocamos o que o Cristo em de mais íntimo; que seu centro é repleto do mistério de Deus; dizemos que neste coração – em oposição trágica, assustadora e beatificadora, com todas as nossas experiências de vazio, de nada e de morte – reina o amor infinito por meio do qual o próprio Deus se entrega. Quando dizemos “Coração de Jesus” é isto que cremos e confessamos com todas as forças de nosso próprio coração. Confessamo-lo no sofrimento que tomba sobre nós: nesse momento temos todos os motivos de orientar nosso olhar sobre aquele cujo coração foi traspassado (Karl Ranher).


Frei Almir Guimarães

Free Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
free download udemy paid course
download karbonn firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
lynda course free download