Frei Gabriel: “Cristo veio até nós por amor, e no mesmo amor queremos ir a Ele”

11/06/2023

A 341ª edição da Trezena e Festa do Convento Santo Antônio do Largo da Carioca, no Rio de Janeiro, chegou, neste domingo (11/06), ao décimo segundo dia, e a pregação de Frei Gabriel Dellandrea, na Eucaristia, às 10h, teve como tema: “Santo Antônio: um religioso como exemplo de sim a Deus!”. Frei Guido Scottini foi o concelebrante e a música ficou a cargo de Robson Almeida Alves.

Frei Gabriel abriu sua homilia repetindo esta frase de Santo Antônio que, segundo ele, pode ajudar a entender o Evangelho e toda a liturgia de hoje: “Cristo veio para ti, para poderes ir a Ele”.

Segundo ele, esta é a frase que, talvez, resume todos os ensinamentos de Santo Antônio. “A sua vida foi apresentar o Cristo que veio até nós para nos mostrar o caminho que é Ele. O caminho de vida e de realização”, disse.

Referindo-se à primeira leitura, o pregador destacou a frase de Oseias: “Eu quero misericórdia e não sacrifícios”. “Oseias estava percebendo que o povo que frequentava o templo fazia orações e ritos, mas não se deixava transformar pelos ritos. Por isso, Oseias diz: ‘Vocês são como orvalho que cedo se desfaz’ Nós mudamos a nossa vida, nos convertemos, porque sentimos a misericórdia de Deus em nós e, por isso, nos colocamos na dinâmica do seu amor. Se a nossa fé for só formalismo, que é sacrifício chato e sem sentido, cheio de rituais vazios e só para cumprir o preceito, não há mudança de coração”, enfatizou o frade.

Frei Gabriel lembrou que Jesus veio aos pecadores, que, cativados por sua palavra, querem segui-Lo. Então, ele vai ao encontro de Mateus e o chama. “Esse homem era um cobrador de impostos. Vocês gostariam de ter entre vocês alguém que viesse aqui, pegasse o dinheiro, levasse embora, sem saber para onde? Esse era Mateus. Ninguém gostava muito dele. Mas Jesus o chama, porque percebe que no seu coração está o desejo de se entregar a algo grandioso. Por isso, Jesus fala: ‘Segue-me’. E ali tem duas situações interessantes: Mateus está sentado e quando Jesus o chama, ele se levanta. A posição de ficar de pé tem a mesma raiz da palavra ‘ressuscitar’. Mateus se levanta, fica de pé, assume a posição de ressuscitar, ter uma vida nova”, explicou.

“Por isso, Jesus vem dizer que quer apresentar a misericórdia e não o sacrifício. Não o sacrifício só pelo sacrifício, mas o sacrifício acompanhado da misericórdia. Por isso, fazemos sacrifícios de mudar o nosso modo de vida para corresponder ao amor de Deus. E não podemos achar que Deus nos ama porque fazemos isso ou aquilo. Se for assim, Ele nem vai querer amar mais a gente, pois ao mesmo tempo que acertamos, nós erramos”, acentua.

.

“Embora nós não nos achemos dignos disso, ele nos ama, pois sua essência é amar e não porque merecemos por nossos atos que ele nos ame. E por isso, Ele veio até nós para podermos ir até Ele”, insistiu.

Nessa dinâmica, Antônio, como religioso, diz um sim generoso a Deus. “São muitos os modos de vida como nós podemos servir a Deus, mas Santo Antônio escolheu ser um religioso consagrado, um franciscano, a quem temos a graça de chamar de confrade. Por isso, Antônio dedica-se anos ao apostolado, aos estudos, à pobreza, à fraternidade. Antônio percebe que Cristo veio lhe chamar, apesar de suas faltas e pecados. Vê que foi atingido por um amor que não olha a miséria humana”, observou. Segundo ele, o movimento precisa ser também inverso: “Se Ele veio para ti, deves ir a Ele! Cristo nos dá a possibilidade de estarmos com Ele”.

Para o frade, estar com Ele é se abrir a um sim generoso para a nossa vida e vocação. “Poder ir a Ele significa buscar uma vida de conversão onde queremos assumir o modo de ser, de pensar, de agir como o de Cristo. Não importa qual o modo de vida que levamos, se demos um sim generoso a Deus, nós queremos fazer o que o seu Filho fez. Ele veio até nós por amor, e no mesmo amor queremos ir a Ele”, reforçou.

Terminou lembrando que o Pe. Zezinho tem uma inspiração que nos ajuda a irmos até Jesus, na mesma dinâmica de Antônio, quando ele dá a receita para como devemos ser felizes: “Amar como Jesus amou/ sonhar como Jesus sonhou/ pensar como Jesus pensou/ viver como Jesus viveu/ sentir o que Jesus sentia / sorrir como Jesus sorria/ e ao chegar ao fim do dia/ se que eu dormiria muito mais feliz”.

(toque nas imagens para ampliá-las)

“Se nós conseguirmos colocar esses verbos em prática, já estaremos com ele. Que Santo Antônio nos ajude a irmos até Jesus, assim como ele foi!”, pediu.

No encerramento da Trezena, nesta segunda-feira (12/6), no dia dos Namorados, o tema é “Santo Antônio: o Santo do mundo inteiro!” nas Missas das 12h e 18h.

IMAGEM PEREGRINA:
O ENCONTRO COM O CRISTO E COM CLARA DE ASSIS

O Ministro Provincial da Província da Imaculada Conceição, Frei Paulo Roberto Pereira, acompanhou a imagem Peregrina neste domingo no Cristo Redentor e no Convento das Clarissas, na Gávea.

Num belo dia de céu azul, a imagem chegou às 8h no Santuário do Cristo Redentor! Recebido com carinho por turistas e devotos. Além de receber os pãezinhos, muitas pessoas pediram para receber a benção individual dos frades. Frei Gustavo Medella, em breve reflexão, agradeceu pelo carinho especial que a equipe do Santuário do Cristo Redentor tem dedicado ao Convento Santo Antônio e aos frades. No dia 13 de junho, será celebrada uma missa especial, às 11h, em honra a Santo Antônio, aos pés do Cristo Redentor.

Na Eucaristia, às 11 horas, na Gávea, presidida por Frei José Pereira, o Ministro Provincial deu a seguinte mensagem: “Nosso universo, o mundo todo, espera que nós floresçamos onde Deus nos plantar. Ou seja, onde nós estivermos, que sejamos instrumentos da ação de Deus. Que sejamos livres para servir a Deus. É esta oportunidade que vem junto com os frades do Convento Santo Antônio, Frei Gustavo Medella, Frei Cláudio Broca e Frei José Pereira, e nós temos a oportunidade de, nesses dias da Trezena, peregrinar com Santo Antônio. Aliás, Santo Antônio foi o grande pregador e, na sua época, a pregação se dava de cidade em cidade. E, então, a imagem de Santo Antônio está passando por diversos lugares desta cidade que insiste em ser Maravilhosa. Apesar de tantos desmandos, o Rio de Janeiro tem um povo maravilhoso, congrega um povo maravilhoso. A maior beleza desta terra, certamente, é o seu povo. Então, que nós honremos isso e que Santo Antônio traga as bênçãos do céu e da terra para que a gente viva as maravilhas do Senhor. E que nós possamos externá-las onde quer que estejamos. Que possamos externar a alegria de servir ao Senhor e de anunciar o seu Evangelho como fez Santo Antônio”.

A Imagem Peregrina nem bem descansou e, no final da tarde, seguiu para a Comunidade da Rocinha, na Paróquia de Nossa Senhora da Boa Vigem. Com a igreja lotada, o Ministro Provincial, Frei Paulo Roberto Pereira, e os frades da Fraternidade carregaram a imagem até o presbitério. Frei Gabriel Dellandrea, o pregador da Trezena no Convento, presidiu a Eucaristia, a sua primeira Missa (ele foi ordenado presbítero no último dia 20 de maio) nesta Paróquia tão cara para ele, pois foi ali que fez pastoral como estudante de Teologia.

No encerramento da Trezena, nesta segunda-feira, dia 12 de junho, a Imagem Peregrina visita o Palácio Guanabara, do Governo do Estado, às 14 horas.

O BOLO DE SANTO ANTÔNIO

Já é uma tradição, e bastante difundida, o bolo de Santo Antônio nas Fraternidades e Paróquias franciscanas, especialmente as dedicadas ao Santo franciscano. É, sem dúvida, um dos momentos mais aguardados nas festividades de Santo Antônio. Além da qualidade e sabor, no seu recheio vem um ingrediente especial: as medalhinhas. Segundo a tradição, quem encontrar uma delas irá casar em breve ou alcançará uma graça por intercessão do santo. Para aqueles que já são casados, encontrar a medalha é sinal de prosperidade na união.

A equipe (da esq. para dir): Rosimar, Frei Walter, Shayana, Aldaiza, Lucia, Dirce, Andrea, Kerginaldo e Filomena.

No Convento Santo Antônio, o reforço para fazer este saboroso e tradicional bolo, veio de Nilópolis, na Baixada Fluminense. O guardião Frei Walter Ferreira Junior, conhecendo bem as qualidades das “boleiras” da Comunidade de Santa Rita, onde foi pároco, convidou um grupo de mulheres para preparar o Bolo de Santo Antônio, que vai ser vendido no dia do Santo.

(toque nas imagens para ampliá-las)

Dirce Jacintho da Silva Delfino, aos 74 anos, esbanja disposição. Viúva, cuida da netinha para a filha trabalhar. “A sorte que nesses dias meu genro trabalha à noite e poderá ficar com ela. Assim poderei ficar aqui. Eu sempre trabalhei na igreja, desde a fundação da Comunidade de Santa Rita”, contou.

Filomena Danello trouxe sua experiência e capacitação que adquiriu em 20 anos trabalhando com bolos, doces e salgados. “Uma vez fiquei sabendo que a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Nilópolis, precisava e, desde então eu estou lá”, disse.

Segundo ela, estão sendo preparadas 8 tábuas de bolos, contendo cada uma, 11 bolos e um total de 400 medalhinhas. Depois da pandemia, os bolos passaram a ser vendidos em embalagens transparentes e isso ajudou bastante. “Antes, os bolos tinham decorações com imagens de santos e as pessoas escolhiam os seus preferidos, atrasando bastante o trabalho. Hoje, essa mudança veio para ficar”, acredita.

PROGRAME-SE

No dia 13 de junho, dia do Santo, serão celebradas missas a partir das 6h, com bênçãos, distribuição dos pães e barracas com todas as comidas típicas das comemorações juninas. A expectativa é de que um grande número de fiéis, tanto do Rio quanto de outras localidades, passe pelo Convento neste período de Trezena e Festa.

As Missas e bênçãos no Convento Santo Antônio terão os seguintes horários: 6h, 8h, 10h, 12h, 15h e 18h, ficando para as 11h a Missa de Santo Antônio no Santuário do Cristo Redentor, com bênção e distribuição dos pães.


Equipe de Comunicação da Província da Imaculada

Premium WordPress Themes Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=
download huawei firmware
Download WordPress Themes
free download udemy paid course

Conteúdo Relacionado