Vocacional - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

A espiritualidade franciscana a partir da Santíssima Trindade

03/03/2020

Ao longo dos séculos surgiram várias formas de viver o Evangelho consoante o contexto social, econômico, e cultural na vida do povo. Porém, o que sempre permanece como essencial é a vida de conversão que todo batizado leva por toda a vida. A forma com que essa vida de conversão, de busca de Deus, é exercida é chamada de espiritualidade. A espiritualidade cristã é sempre trinitária, pois toda a ação da Igreja é feita ao Pai pelo Filho no Espírito Santo.

S. Francisco de Assis fez um caminho muito peculiar e próprio de conversão evangélica durante sua vida, e a esse itinerário chamou de vida de penitência, o que quer dizer conversão mesmo, levando-nos ao original da vida cristã. Levar uma vida de penitência é buscar a Deus sempre, morrer pra si e deixar viver o Sumo Bem. Essa forma de penitência, no entanto, não é meramente individual; na ótica franciscana, é vivida na experiência da fraternidade.

A espiritualidade franciscana acentua a dimensão fraterna da busca de Deus. Expressa um dos mais estupendos mistérios de Deus – a vida Trinitária. Francisco foi um homem que buscava em todos os seus escritos realçar a Trindade a partir vida. Na Carta ao Fiéis exclama: “Como é honroso ter no céu um Pai santo e grandioso! Como é santo ter tal esposo, consolador, belo e admirável! Como é santo e amável ter tal irmão e um filho agradável, humilde, pacífico, doce, amável e, sobre todas as coisas, desejável: Nosso Senhor Jesus Cristo que entregou sua vida por suas ovelhas!”

Francisco tem um modo fraterno de ver Deus como comunidade. Ele não fala de Deus Uno e Trino, mas, Trino e Uno. Acentua que a Trindade é unidade porque é comunidade. Por isso que a dimensão de Deus-comunidade é latente na espiritualidade franciscana.

Quando Francisco fala de Nossa Senhora, coloca-a na relação com a Trindade. Tomemos a belíssima Antífona de Nossa Senhora do ofício da Paixão: “Santa Virgem Maria, entre as mulheres do mundo, não nasceu nenhuma semelhante a ti, ó filha e serva do altíssimo e sumo Rei e Pai celeste, mãe de nosso santíssimo Senhor Jesus Cristo, esposa do Espírito Santo.”

A Virgem Maria está na relação com a Trindade. Sua vida foi marcada por uma relação geradora de vida em Deus. Ela é a nova Eva, mãe de todo o ser vivente, sendo criatura, sendo mãe de Deus.

Francisco viveu transparecendo essa compreensão trinitária muito concretamente. Contemplava o Pai celeste que escolhera em lugar de seu pai terrestre. Amava Jesus Cristo, o Filho, com profunda reverência nos mistérios da Encarnação, da Eucaristia, e da Paixão. Desejava o Espírito Santo com amor esponsal, e queria que fosse o Ministro Geral da Ordem; “devem desejar possuir o Espírito do Senhor e seu santo modo de operar” (RB, VIII,9).

Francisco, homem católico; eclesial; cristocêntrico; fraterno; cósmico; e trinitário! Buscava o Pai, por Cristo, no Espírito Santo. Frei Alberto Beckäuser escreveu: “Um autêntico herdeiro da tradição litúrgica”.

Francisco, que rico legado deixou a nós, seus filhos! Viver em fraternidade é ser expressão do “rosto Trinitário de Deus” na Igreja e no mundo! Celebremos a solenidade da Santíssima Trindade com o coração jubiloso, e conscientes que esse mistério perpassa toda a nossa forma de vida.

Frei Lucas Moreira Almeida, OFM

Para continuar a reflexão:

• BECKÄUSER, Alberto.
A espiritualidade do Franciscano secular: exemplo e proposta de Francisco de Assis/ Petrópolis: Vozes, 2015

• AMORIM, Guedes de.
Francisco de Assis, renovador da humanidade, biografia/ Lisboa: Paulus, 2015

• BOAVENTURA de Bagnoregio.
Escritos Filosóficos-Teológicos. / Porto Alegre: EDIPUCSRS, 1998.

Download WordPress Themes Free
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes Free
lynda course free download
download intex firmware
Premium WordPress Themes Download
free download udemy course

Conteúdo Relacionado