Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

‘Ôh! Mundo tão desigual, tudo é tão desigual!’

05/09/2018

grito_060918 830
Élio Gasda [1]

7 de setembro deveria ser uma festa democrática para comemorar a independência do Brasil. Mas não, é dia de colocar a “boca no trombone”. Esse ano acontece o 24º Grito dos Excluídos que tem como lema: “Desigualdade gera violência: basta de privilégios!” A manifestação, que desde 1995 tem como máxima “A vida em primeiro lugar”, é carregada de simbolismo. Não tem dono! Seu partido são os pobres, os negros, as mulheres, os trabalhadores, os índios, os LGBTI+, as periferias. O espaço é a rua, sinônimo de pluralidade, ecumenismo, comprometimento, profecia e luta! O grito não é de patriotismo passivo. O que se quer é uma cidadania ativa para a construção de uma sociedade justa, solidária, plural. É dia de denunciar essa estrutura excludente que nega a vida e abraça a ganância. “Denúncia profética a serviço da esperança” (Laudato Si’, 76).

Esse Grito acontece em um momento trágico da vida nacional. Políticas de austeridade são criminosas. O Estado mínimo gera diversos tipos de violência. Destrói políticas públicas, queima patrimônios nacionais. No último domingo, um acervo estimado em 20 milhões de itens virou cinzas. Assim como o emprego e o saneamento básico, a educação e a saúde, o transporte e a segurança. Um desgoverno incendiário. Congelou os gastos em políticas sociais por 20 anos. Territórios, rios, matas estão sendo destruídos com sua permissão. Políticas afirmativas, como o Estatuto da Criança e do Adolescente, Estatuto do Idoso, Prouni, Ciências sem Fronteiras, viraram cinzas. Há 28 milhões de trabalhadores desempregados. Um Brasil em chamas.

Um país em ruínas que desrespeita a vida e a dignidade do seu povo. Nossa história é marcada pela violência contra povos indígenas, negros e quilombolas, pobres, mulheres e juventudes das periferias. Segundo dados do 12º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), lançado em agosto, em 2017 foram assassinadas 63.880 pessoas: 175 por dia – 7 por hora. 64 mil é mais do que os 58 mil americanos mortos na Guerra do Vietnã. Enquanto isso, psicopatas juntam mãozinhas inocentes para ensinar a atirar.

A desigualdade mata e estrupa mulheres! Em 2017, 4.539 foram assassinadas. Mais de 60 mil estupros foram registrados. Como crime subnotificado, estima-se que menos de 10% das ocorrências sejam denunciadas à polícia, o total de casos pode chegar a 500 mil. Um a cada minuto. 68% dos registros de estupro no SUS são de menores até 13 anos. Dados aterrorizantes!

Marielle Franco, assassinada no início do ano, simboliza esse vínculo entre desigualdade e violência: mulher LGBT, negra, mãe e moradora da favela da Maré. Pré-conceito mata! Relatório do Grupo Gay da Bahia aponta para 445 assassinatos de LGBTI+ em 2017. A ganância pela terra mata! Segundo relatório do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) em 2016, 118 índios foram assassinatos violentamente e 735 crianças indígenas até cinco anos morreram por causas diversas, como desnutrição.

Somente relações igualitárias que respeitem a diversidade de gênero, cultural, racial, religiosa garantem a paz social. É preciso resistir ao oligopólio da comunicação que defende os interesses do sistema financeiro e das elites que lucram à custa do povo. “Enquanto os benefícios de uns poucos crescem exponencialmente, a maioria está ficando distante do bem-estar de uma minoria feliz” (Evangelii Gaudium, 56).

Todo um povo está sendo excluído! O Grito é por uma nação que garanta dignidade à população. É luta por atenção aos pequenos produtores, à indústria nacional, à educação pública gratuita e de qualidade. É bandeira na defesa e fortalecimento do SUS, do desenvolvimento da pesquisa e da ciência. Também pelo direito à cultura, à moradia, à terra, ao trabalho, à alimentação. A luta é por um Estado alicerçado na justiça social a serviço da vida. É luta pela “casa comum”: “Não pode haver terra, não pode haver teto, não pode haver trabalho se não temos paz e se destruímos o planeta” (Papa Francisco).

A rua é um espaço de luta. Na rua derruba-se o racismo, o machismo, a homofobia. Todos juntos e misturados na defesa de um projeto de sociedade onde todos caibam. “É possível desenvolver uma nova capacidade de sair de si mesmo rumo ao outro […]. A superação do individualismo possibilita uma mudança relevante na sociedade” (Laudato Si’, 208). “Somos a semente, ato, mente e voz. Magia!” (Gonzaguinha).

O desgoverno ilegítimo que congela gastos em pesquisas fechou acordo com o STF concedendo um reajuste de 16,38% para o judiciário federal. O salário da “Justiça” de R$ 33,7 mil (atuais) ultrapassará R$ 39 mil no próximo ano. A previsão de reajuste do salário mínimo para 2019 é de 3,3%. De R$954,00 passará para R$998,00. Verba usada no Museu Nacional em 2018 equivale a 2 minutos de despesas do Poder Judiciário. Apenas um ano do gasto com salário de juízes no Brasil equivale a todo o investimento que o país faz em Ciência e Tecnologia durante 4 anos. Com os 50 milhões escondidos nas malas do Geddel daria para manter o Museu por 100 anos. O deputado foi absolvido… pelo Judiciário. A Câmara Federal gasta 563 mil reais para lavar os carros dos parlamentares. O valor é quase três vezes superior ao destinado ao Museu Nacional, um dos mais importantes do mundo.

Descoberto em Lagoa Santa (MG), o crânio de Luzia, mulher mais antiga da América Latina, foi a principal vítima do incêndio. O crânio serve para proteger o cérebro quando se tem um. Acéfalos vivem apenas para encher os bolsos. Não se importam com a destruição de crânios, de vidas e da nação.

[1]* Élio Gasda é doutor em Teologia, professor e pesquisador na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE). Autor de: Trabalho e capitalismo global: atualidade da Doutrina social da Igreja (Paulinas, 2001); Cristianismo e economia (Paulinas, 2016).

Fonte: Dom Total

Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Download WordPress Themes Free
download udemy paid course for free
download intex firmware
Download Premium WordPress Themes Free
download udemy paid course for free