Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

6º dia da Oitava do Natal

  • Primeira leitura
  • Salmo
  • Evangelho
  • Sabor da Palavra

1 João 2,12-17

12 Eu vos escrevo, filhinhos: os vossos pecados foram perdoados por meio do seu nome. 13 Eu vos escrevo, pais: vós conheceis aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevo, jovens: vós vencestes o maligno. 14 Já vos escrevi, filhinhos: vós conheceis o Pai. Já vos escrevi, jovens: vós sois fortes, a Palavra de Deus permanece em vós, e vencestes o maligno. 15 Não ameis o mundo nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai. 16 Porque tudo o que há no mundo – as paixões da natureza, a concupiscência dos olhos e a ostentação da riqueza – não vem do Pai, mas do mundo. 17 Ora, o mundo passa, e também a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

Palavra do Senhor.

S 95 (96)

O céu se rejubile e exulte a terra!

Ó família das nações, dai ao Senhor, † ó nações, dai ao Senhor poder e glória, /
dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! – R.

Oferecei um sacrifício nos seus átrios, † adorai-o no esplendor da santidade, /
terra inteira, estremecei diante dele! – R.

Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!” † Ele firmou o universo inabalável, /
e os povos ele julga com justiça. – R.

Lucas 2,36-40

Naquele tempo, 36 havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. 37 Depois ficara viúva e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38 Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. 39 Depois de cumprirem tudo, conforme a lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40 O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

Palavra da Salvação.

“Pôs-se a falar do menino a todos que esperavam a libertação de Jerusalém”.

A idade de Ana, uma mulher viúva de 84 anos que passava seus dias no Templo, servindo a Deus com jejuns e orações, lhe permitiram cultivar tal intimidade com Deus em sua busca espiritual que desenvolvera a sensibilidade para reconhecer seus sinais em sua vida. Ao entrar no Templo naquele dia e se deparar com Jesus, o Menino Deus, não tivera dúvidas em reconhecê-lo como o Messias esperado e passou a louvar a Deus pela plenitude dos tempos que se desenrolava diante de seus olhos: o amor se encarnou e isso precisa ser anunciado!

Nosso encontro com Deus também deve ser marcado pela mesma alegria demonstrada por Ana em seu encontro com Jesus. Que nossa participação nas celebrações da comunidade, nossas orações pessoais ou simples encontro com os irmãos e irmãs revelem tal sensibilidade e desejo de que Deus seja anunciado e amado por ser Deus Conosco!

Reflexão feita pelos noviços.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.