Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

4ª feira da 10ª semana do Tempo Comum

  • 1ª Leitura
  • Salmo
  • Evangelho
  • Sabor da Palavra

2 Coríntios 3,4-11

Irmãos, 4é por Cristo que temos tal confiança perante Deus, 5não porque sejamos capazes, por nós mesmos, de ter algum pensamento como de nós mesmos, mas essa nossa capacidade vem de Deus. 6Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 7Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés por causa do seu fulgor, ainda que passageiro, 8quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito? 9Pois, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério a serviço da justificação. 10Realmente, em comparação com uma glória tão eminente, já não se pode chamar glória o que então tinha sido glorioso. 11Pois, se o que era passageiro foi marcado de glória, muito mais glorioso será o que permanece.

Palavra do Senhor.

Sl 98(99)

Santo é o Senhor nosso Deus!

Exaltai o Senhor nosso Deus † e prostrai-vos perante seus pés, /
pois é santo o Senhor nosso Deus! – R.

Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. † E também Samuel invocava seu nome, /
e ele mesmo, o Senhor, os ouvia. – R.

Da coluna de nuvem falava com eles. † E guardavam a lei e os preceitos divinos /
que o Senhor nosso Deus tinha dado. – R.

Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus, † porque éreis um Deus paciente com eles, /
mas sabíeis punir seu pecado. – R.

Exaltai o Senhor nosso Deus † e prostrai-vos perante seu monte, /
pois é santo o Senhor nosso Deus! – R.

Mateus 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a lei e os profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade eu vos digo, antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no reino dos céus. Porém quem os praticar e ensinar será considerado grande no reino dos céus”.

Palavra da Salvação.

“Não vim para abolir a Lei, mas para dar-lhe pleno cumprimento”.

O anúncio que Jesus faz do Reino dos Céus não é novo, não é uma nova ideia apresentada ao povo judeu, mas Jesus quer ampliar a ótica da interpretação da Lei que o povo de Israel já recebeu e pratica, para uma vivência mais profunda e espiritual, sem alterar “uma vírgula sequer”.

Jesus ensina a vivência da Lei pela graça que plenifica o seu cumprimento e faz acontecer o Reino dos Céus aqui e agora. Não que sejamos capazes por nós mesmos – como diz São Paulo na primeira leitura – mas que essa capacidade vem de Deus através do Espírito da vida comunicado por Jesus e que é os óculos da Lei para aquele que, querendo ser grande no Reino dos Céus, a pratica e ensina fielmente.

Reflexão feita pelos noviços