Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Padroeiro da OFS é celebrado com festa em Nilópolis

28/08/2012

Notícias

A Fraternidade Nossa Senhora Aparecida de Nilópolis (RJ) celebrou, no último dia 25 de agosto, a solenidade do padroeiro da Ordem Franciscana Secular, São Luís Rei de França. Um grande número de irmãos e irmãs da fraternidade e amigos se reuniram pela manhã na Casa Perfeita Alegria para preparar uma deliciosa feijoada.
Descontraídos, os irmãos da OFS e da JUFRA puderam conversar e trocar experiências sobre o trabalho de educação e cultura que é desenvolvido pelas duas fraternidades através da Casa Perfeita Alegria, localizada na periferia de Nilópolis. O convívio fraterno entre os jovens e os irmãos da OFS no mesmo espaço revigora e fazem atar os nós que os unem no seguimento do Evangelho e na vivência autêntica do carisma franciscano.
No final da tarde, a OFS e a JUFRA participaram da Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Nilópolis, em honra de São Luís Rei de França. A celebração foi presidida pelo assistente espiritual da fraternidade, frei Paulo Santana, ofm.
Em sua homilia, frei Paulo destacou que num mundo carente de referenciais positivos, o nobre exemplo deixado para a história por São Luís Rei de França como soberano de um dos principais tronos da Europa, como pai e seguidor de São Francisco na Ordem Terceira de São Francisco, hoje denominada Ordem Franciscana Secular, é um modelo a ser conhecido e imitado. Frei Paulo ressaltou ainda que a celebração de São Luís marca o início da preparação para a celebração dos 45 anos de vida fraterna da Fraternidade Nossa Senhora Aparecida, no próximo mês de setembro.
No final da celebração, o ministro da fraternidade, Márcio Bernardo Ramos, fez uma breve retrospectiva da vida do santo e leu alguns trechos do Testamento Espiritual de São Luís ao seu filho. O texto apresenta os valores de uma vida santa e penitente vivida no séc. XIII sob a inspiração do movimento penitencial franciscano, e nos brinda com palavras plenas de sabedoria provenientes de um coração santo e evangélico.

São Luís

Vida de São Luís Rei de França

Luís IX de França ou São Luís de França, filho de Luís VIII de França e de Branca de Castela, nasceu em Poissy, França, 25 de Abril de 1214 e morreu em Tunis, Norte de África, em 25 de Agosto de 1270. Foi rei de França de 1226 até à sua morte.
No seu reinado a França viveu um excepcional momento político, económico, militar e cultural, conhecido como o “o século de ouro de São Luís”. Ele é conhecido como o protetor do povo comum, e serviu como mediador de questões e tratados entre outras nações. Luís manteve a paz, diminuiu os impostos e melhorou o sistema legal para que o povo mais simples tivesse acesso às leis e ao sistema legal e foi o patrocinador de vários monumentos arquitetônicos e entusiasticamente construiu ou ajudou a construir casas para a Ordem dos Mendicantes.
Influenciado figura do pai que lhe deu primorosa educação, imprimindo nele grande zelo pela religião. Da mesma forma, mais tarde, Luís interessou-se pela educação humana e cristã dos seus 11 filhos. Ensinava-lhes as orações, o valor da Santa Missa e a necessidade de se fazer penitência. Como exemplo, não permitia que às sextas-feiras fosse usado qualquer coroa ou ornamento na cabeça por ter sido o dia da coroação de espinhos de Jesus Cristo.
São Luis de França deixa um nobre exemplo para a história, pois representava os ideais mais elevados da nobreza medieval. Foi canonizado, em 1297, pelo Papa Bonifácio VIII (1294-1303). No Brasil a cidade de São Luís, no Maranhão, única fundada por franceses, cuja fundação oficial data de 1612. Foi batizada em homenagem ao pequeno Luís XIII e seu ilustre antecessor, o Rei Luís IX.

Carta Testamento de São Luís Rei de França

Caro filho, antes de tudo começo por ensinar-te a amar o Senhor, teu Deus, com todo o coração, com todas as tuas forças, porque sem isso ninguém tem valor.
Filho, deves evitar tudo quando sabes desagradar a Deus, quer dizer, o pecado mortal, de tal forma que prefiras ser atormentado por toda sorte de martírios a cometer um pecado mortal.
Ademais, se o Senhor permitir que te advenha alguma tribulação, deves suportá-la com serenidade e ação de graças. Considera suceder tal coisa em teu proveito e que, talvez, a tenhas merecido. Além disso, se o Senhor te conceder a prosperidade, tens de agradecer-lhe humildemente, tomando cuidado para que nesta circunstância não te tornes pior, por vanglória ou outro modo qualquer, porque não deves ir contra Deus ou ofendê-lo valendo-se de seus dons.
Ouve com boa disposição e piedade o ofício da Igreja e enquanto estiveres no templo, cuida de não vagueares os olhos ao redor, de não falar sem necessidade, mas roga ao Senhor devotamente quer pelos lábios quer pelo coração.
Guarda um coração compassivo para com os pobres, infelizes e aflitos e, quando puderes, auxilia-os e consola-os. Por todos os benefícios que te foram dados por Deus, rende-lhe graças para te tornares digno de receberes maiores. Em relação a teus súditos, sê justo até ao extremo da justiça sem de te desviares para a direita nem para esquerda: e põe-te sempre de preferência da parte do pobre mais do que do rico, até estares bem certo da verdade. Procura com empenho que todos os seus súditos sejam protegidos pela justiça e pela paz, principalmente as pessoas eclesiásticas e religiosas.
Sê delicado e obediente à nossa mãe, a Igreja Romana, ao Sumo Pontífice, como pai espiritual. Esforça-te por remover de teu país todo pecado, sobretudo o da blasfêmia e da heresia.
Ó filho muito amado, dou-te enfim, toda bênção que um pai pode dar a um filho; e toda a Trindade e todos os santos te guardem do mal. Que o Senhor conceda a graça de fazer sua vontade de forma a ser servido e honrado por ti. E assim depois desta vida, iremos juntos vê-lo, amá-lo, louvá-lo sem fim. Amém.
Veja imagens
[nggallery id=229]