Quem somos

Nossos Valores

Somos chamados a evangelizar:

4.1 No seguimento de Jesus Cristo,
como inspiração fundamental de nosso carisma, a partir do batismo e de Francisco. Do desejo de Francisco de segui-lo “mais radicalmente”, a ele que “era Senhor e se aniquilou a si mesmo”, decorre:

a) Vida de oração e devoção;
b) Comunhão de vida em fraternidade;
c) O minorismo como modo de vida, na condição de pequenos, “vis, simples e desprezados” (CCGG Art. 64, 65; Adm 9,1),servos de todos e solidários;
d) Renovação constante e conversão contínuas;
e) A pregação otimista da boa-nova da salvação, centrada em Jesus Cristo, humilde, pobre, crucificado e ressuscitado, e inspirada nas Sagradas Escrituras;
f) A inserção entre os pobres e excluídos e a simplicidade;
g) A reconciliação, a paz, o bem e a justiça com os seres humanos e com toda a natureza;
h) O diálogo com as culturas, dinamizando o ecumenismo.

4.2 Como fraternidade evangelizadora,
primeira característica de nossa identidade franciscana, somos convocados a evangelizar no conjunto do pluralismo da comunhão fraterna, onde se ressalta a co-responsabilidade de todos os irmãos, diante da fidelidade ao evangelho (CCGG Art. 1, §1)

Nesse sentido, todos os Irmãos são convocados a viver a radicalidade evangélica e cada um a seu modo. Todos são co-responsáveis na constituição de fraternidades e fraternidades evangelizadoras (CCGG Art. 45, 46, 79).

4.3 Em comunhão com a Igreja,
devemos ser ciosos do caminho aberto pelo Vaticano II e ultrapassar os compromissos jurídicos, como Francisco que tinha uma fé eclesial, refletida em suas atitudes:

a) Na submissão da Regra à aprovação pelo Papa Honório;
b) Na fé católica como dom de Deus, que precisa ser vivida com alegria (RNB 1,4-5; 2,12; 16.6ss; 19,1-2; RB 1,2-3);
c) Na preocupação de contínua sintonia com a Igreja (CCGG Art. 4, 5 § 2, 83 § 2; GS 4).
Esta comunhão com a Igreja vivida por Francisco, segundo um estilo próprio, caracteriza a identidade franciscana, o nosso carisma.

4.4 Seguindo o modo como Francisco evangelizava.
Devemos levar em conta, em nossos projetos de vida, a proposta mediada por Francisco para o seguimento de Jesus Cristo. É algo específico e fundamental da razão de ser da Ordem e exemplo de vida, de doutrina e de espiritualidade a ser seguido com segurança (Test 15).

Nesse sentido, além da Regra, precisamos conhecer sempre melhor o espírito do fundador e seu projeto de vida. É preciso esforço para pesquisar, compreender, respeitar e seguir seus ensinamentos, expressos em seus escritos e nas demais fontes franciscanas, onde se destacam (CCGG Art. 2 § 2):

a) A espiritualidade contemplativa, retiros em eremitérios, o Espírito Santo como ministro geral da Ordem (2Cel 193);
b) O ir pelo mundo, como itinerantes (como os apóstolos que receberam de Cristo a missão);
c) O espírito missionário, segundo o capítulo 16 da Regra não Bulada;
d) O espírito de cortesia e cordialidade, demonstrando a ternura e a coragem de Nossa Senhora, padroeira da Província;
e) O espírito de plena confiança de filhos amados de Deus, em comunhão com todas as criaturas;
f) A concepção do trabalho como meio de sustento e ocupação;
g) A escolha dos lugares onde ninguém queria estar;
h) O testemunho de vida como menor (prevalecendo sobre atividades, pregações e estruturas), a exemplo do Cristo que se esconde nas espécies eucarísticas (URIBE, 1996, p.60; RB 3; RnB 14).

Desse modo, a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, com todos os seus irmãos, tem como fundamento geral em sua ação evangelizadora o seguimento de Jesus Cristo pobre, crucificado e ressuscitado, como Francisco de Assis o fez:

a) Como menores, buscamos evangelizar e servir preferencialmente os pobres, marginalizados e excluídos, sem ambição de poderes e submissos a todos;
b) Como portadores da paz, do bem e da justiça, visamos dialogar com o ser humano pela reconciliação fraterna, na integridade com todo o universo;
c) Como itinerantes, pobres e penitentes, queremos continuar a mesma missão de Jesus Cristo do anúncio da boa-nova do Reino, pelo testemunho de vida, pela palavra e pelo trabalho, vivendo em fraternidades evangelizadoras.