O CarismaNotícias › 27/02/2015

Agora, Sala Franciscana chega ao PR e SC

fidencio

O Ministro Provincial Frei Fidêncio Vanboemmel

Nesta segunda-feira, dia 02, o Programa Sala Franciscana passa a ser transmitido também pelas Rádios Celinauta, de Pato Branco (PR), Coroado, de Curitibanos (SC), e Mirandela, de Nilópolis (RJ). Com esta expansão, o programa começa a chegar em quase todos os estados nos quais a Província Franciscana da Imaculada Conceição está presente, com exceção do Espírito Santo.

Criado com o objetivo de oferecer uma programação de rádio com característica franciscana, com formação, informação e devoção, o Programa Sala Franciscana tem ainda como objetivo promover a comunhão entre as diferentes expressões evangelizadoras da Província pela via da comunicação. E é por este motivo que, nesta nova fase, o programa vai trazer quadros específicos, como o “USF em Foco”, produzido e apresentado pela equipe de comunicação da Universidade São Francisco, o “Solidariedade em Ação”, de responsabilidade do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), o “Juventude e Vocação”, do Serviço de Animação Vocacional (SAV) e a “Dica de leitura da Editora Vozes”.

Nesta entrevista, o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, comenta o significado deste novo passo da Província da Imaculada em sua Frente de Evangelização da Comunicação.

O que significa esta expansão da Sala Franciscana, que passa a ser transmitida agora por cinco emissoras?

Frei Fidêncio – O programa entra no seu terceiro ano, foi premiado pela CNBB e, neste momento, já tem maturidade para ampliar os seus limites, alcançado assim praticamente todos os estados em que a Província está presente, com exceção do Espírito Santo. É uma forma de nos sentirmos mais próximos e ligados ao povo presente nas diferentes regiões que o Senhor confiou à nossa Província. Além do ponto de vista territorial, o programa também acena para a busca da comunhão entre as nossas diferentes Frentes de Evangelização, tendo em vista que conta com a participação do Serviço de Animação Vocacional, da Editora Vozes, da Universidade São Francisco, do Pró-Vocações e Missões Franciscanas e de muitos de nossos confrades envolvidos em diferentes trabalhos.

Em termos de divulgação do carisma franciscano, quais são os ganhos deste novo passo?

Frei Fidêncio – São Francisco pedia que seus frades fossem, como ele, Arautos do Grande Rei. É a possibilidade de levarmos o alegre anúncio da encarnação a cada vez mais pessoas, reforça o espírito de comunhão entre os fades e o povo, abre espaços para a divulgação da Boa Nova de Jesus Cristo. É a possibilidade de entrarmos em contato com ouvintes de outras pertenças religiosa e de sermos, como São Francisco, praticantes e incentivadores do diálogo e da convivência pacífica.

E que vantagens o rádio traz para a divulgação da mensagem do Evangelho?

Frei Fidêncio – A Igreja foi uma das precursoras da presença no rádio, tanto para divulgar os valores e as doutrinas, mas também prestando importantes serviços à comunidade, como na área da educação, da saúde e da cultura. Depois, o clima de intimidade que o veículo cria, a proximidade que promove entre as pessoas e o fato de ser o único companheiro de muitos que vivem na solidão tornam o rádio um ambiente extremamente humanizado onde podemos cultivar e fazer crescer os valores humanos, cristãos e franciscanos que brotam do Evangelho de Cristo.

O fato também de o programa agora ser produzido e editado pela Rádio Celinauta de Pato Branco, emissora franciscana, também pode ser considerado um avanço?

Frei Fidêncio – Precisamos agradecer muito à Rádio 9 de Julho que, desde a estreia do programa tem oferecido todo apoio técnico e de pessoal para que o programa fosse levado ao ar. Também agradecemos à Rádio Imperial de Petrópolis, que está conosco nesta parceria. Envolver mais diretamente o nosso pessoal da Rádio Celinauta, de Pato Branco é, sem dúvida, um passo importante para nossa presença na Comunicação. É a realização do sonho de termos nossos colaboradores leigos também mais engajados na produção de conteúdos que dizem da nossa espiritualidade. O bom jornalismo, a comunicação de qualidade, comprometida com a transformação das pessoas e do mundo, tudo isso faz parte do exercício evangelizador. Mas evangelizar é também nos ocupar dos valores que para nós são preciosos enquanto seguidores de Francisco de Assis.