Vida CristãSantos franciscanos › 23/03/2018

Bem-aventurado Marcos de Montegallo

Sacerdote da Primeira Ordem (1425-1496). Gregório XVI aprovou seu culto em 20 de setembro de 1839.

Marcos nasceu em 1425 em Fonditore, povoado de Montegallo, onde seu pai Claro de Marchio, havia se retirado há alguns anos para fugir das facções violentas que assolaram o Ascoli Piceno. Ele retornou a esta cidade para facilitar os estudos de Marcos, que logo ingressou na Universidade de Perugia, e daí para Bolonha, onde obteve o doutorado em Direito e Medicina. Em Ascoli exerceu durante um tempo a profissão médica. Para atender aos desejos de seu pai em 1451 ele se casou com Clara Tibaldeschi, mulher nobre, com quem viveu em continência. Com a morte de seu pai no ano seguinte, por acordo comum, o casal abraçou a vida religiosa. Ela foi recebida pelas Irmãs Clarissas do Mosteiro de Santa Clara das Damas Pobres em Ascoli e ele ingressou no Convento dos Frades Menores da Fabriano.

Fez o noviciado em Fabriano, foi superior em San Severino, logo começou a missão de pregador, sob a orientação do grande confrade e companheiro São João de Marcas. As feridas principais de seu século foram a guerra civil e da usura (agiotagem), praticada principalmente por judeus. Marcos, com fervorosa pregação, trouxe a paz e harmonia e acalmou as facções em Ascoli, Camerino, Fabriano e outras cidades. Contra o abuso dos agiotas estabeleceu-se casa de penhores em Ascoli (1458), Fabriano (1470), Fano (1471), em Acervia (1483), em Vicenza (1486), em Ancona, Camerino, Fermo e Ripatransone (1478).

Em 1480, juntamente com outros confrades, foi nomeado pelo Papa Sisto IV pregador e coletor para a cruzada. Ele também foi diretor espiritual da recém-canonizada Camilla Batista Varano. Também encontrou tempo para escrever vários livros, incluindo “La Tavola della Salvezza”, que publicou em Florença, em 1494.

Em 19 de março de 1496, em Vicenza, onde ele estava pregando, foi surpreendido pela morte e foi sepultado na igreja franciscana de San Biagio Vecchio, que era objeto de culto público. Em Ascoli Piceno, na igreja franciscana, há uma pintura do bem-aventurado, datada de 1506. Em Montegallo foram erguidos altares em sua honra. Não muito tempo depois de sua morte foi feito a um rito latino que exalta louvores sua vida santa.

Marcos de Montegallo pertence ao grande grupo de pregadores do Evangelho e da penitência, inatingível para o seu equilíbrio sobrenatural, como São Bernardino de Siena. Eles produziram uma primavera de vida cristã, um extraordinário florescimento de santidade.

Fonte: “Santos Franciscanos para cada dia”, Ed. Porziuncola.