Vida CristãSantos franciscanos › 05/03/2018

São José da Cruz

Sacerdote da Primeira Ordem (1654-1734). Canonizado por Gregório XVI no dia 26 de março de 1839.

São João José da Cruz nasceu na ilha de Ischia, a 15 de agosto de 1654, na cidade de Ponte, Itália, filho de José Calosinto e Laura Gargiulo. Seu nome de batismo foi Carlos Caetano Calosinto e seus primeiros estudos foram no colégio dos padres agostinianos, ai mesmo na ilha. Aos quinze anos optou pela vida religiosa, ingressando na Ordem dos Franciscanos Descalços da Reforma de São Pedro de Alcântara, conhecidos também como Alcantarinos.

Devotíssimo da Paixão de Cristo, flagelava-se até se ferir. Tomou o nome de João José da Cruz e fez o noviciado sob a orientação do padre José Robles. Foi o mais jovem dos doze frades que, em 15 de julho de 1674, assumiram a direção do Santuário de Santa Maria de Occorrevole, onde ele resolveu construir um convento.

Diante das dificuldades encontradas no local, ele logo deu o exemplo. Não hesitou em juntar as pedras com suas próprias mãos, depois usando cal, madeira e um enxadão fez os alicerces. Estimulou assim os outros sacerdotes e o povo, que no começo acharam que ele era louco. Em pouco tempo construíram um grande convento. João José da Cruz ordenou-se sacerdote em 1677.

Ao completar vinte e quatro foi nomeado mestre dos noviços em Nápoles e, quase ao mesmo tempo, guardião da ordem do convento. João José da Cruz era muito austero, comia pouco, só uma vez ao dia, dormia poucas horas e tinha o hábito de se levantar de madrugada para agradecer a Deus pelo novo dia. Tornou-se famoso entre o povo por sua humildade e foi venerado ainda em vida pela população por causa de sua extrema dedicação aos pobres e doentes. Seu modelo de vida foi São Francisco de Assis.

Foi eleito provincial no Capítulo de Grumo, em 1703. Abriu muitas casas em Nápoles, atraindo uns 200 religiosos à observância e reorganizou os cursos. Terminado o seu mandato, o arcebispo Francisco Pignatelli o convocou para dirigir 73 mosteiros e retiros, ainda em Nápoles. Semelhante tarefa recebeu do cardeal Inácio Caracciolo na diocese de Aversa. Diversas pessoas ilustres do clero o procuravam para pedir conselhos. Também recorreram a ele São Francisco de Jerônimo e Santo Afonso Maria de Ligório.

Morreu no dia 5 de março 1734, portanto, com 80 anos de idade. Foi beatificado pelo papa Gregório XVI, em 1839. Suas relíquias foram transferidas para o convento franciscano da ilha de Ischia, sua terra natal.

Fonte: “Santos Franciscanos para cada dia”, Ed. Porziuncola.