Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 11/10/2018

A persistência em fazer a vontade de Deus

27ª Semana do Tempo Comum

Memória de São João XXIII

sabor_111018Lc 11,5-13


“Portanto, eu lhes digo: peçam, e lhes será dado! Procurem, e encontrarão! Batam, e abrirão a porta para vocês!” (Lc, 11,9)


Vamos falar hoje sobre persistência. No Evangelho, Jesus nos ensina que o cristão não pode ser acomodado e ficar esperando as coisas acontecerem. Precisa ser persistente e estar atento.

Como nos ensina Jesus, a perseverança e a persistência amolecem o coração de Deus (Cf. Lc 11,9). Mas temos que ser prudentes, pois tudo o que Deus nos concede é para
ser colocado à disposição para a construção do Reino.

Embora nem sempre o que queremos seja de fato a vontade de Deus, devemos sim ter a persistência de pedir dons e o que achamos que necessitamos. É preciso levar em
conta que o Senhor sempre nos fortalece para termos vigor e disposição de sermos pessoas melhores, com potencial de transformar a vida dos que vivem ao nosso redor, seja pela alegria de nosso testemunho, seja pelas palavras que dizemos.

Hoje a Igreja faz memória de São João XXIII, Papa que esteve tão aberto à vontade de Deus que soube ver os sinais dos tempos e iniciar o Concílio Vaticano II. Ao iniciá-lo, o Papa pediu para que as janelas e portas fossem abertas para dar a tônica de abertura ao Espírito que lhe havia inspirado. O Concílio Vaticano II promoveu uma grande reforma na Igreja em vários aspectos dentre eles: a liturgia, a pastoral, a vida religiosa, a concepção de povo de Deus etc. A persistência de São João XXIII em deixar a Igreja mais aberta e próxima do povo sem perder a criatividade e a novidade evangélica deve nos inspirar para seguirmos o Espírito de Deus. Espírito este que nos impele a pedir ao próprio Deus dons para bem servir na construção do Reino.

Reflexão feita pelos noviços.