Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 18/09/2018

Um grande profeta surgiu entre nós

24ª Semana do Tempo Comum

sabor_180918Lc 7, 11- 17


“Ao vê-la, o Senhor teve compaixão dela, e lhe disse: ‘Não chore!’” (Lc 7, 12b-13)


O Evangelho de hoje nos diz que “Jesus teve compaixão”. Jesus não teve pena, não chorou pela viúva, mas sentiu o que ela sentia naquele momento e, entrando fundo na vida dessa mulher, vendo que sem ninguém mais vivia por ela, seria desprezada pelo mundo. Jesus restitui-lhe a dignidade e a vida quando ressuscita o seu filho.

O maior milagre de Jesus não foi trazer o jovem à vida. Seu maior milagre foi olhar para aquela que seria desprezada pelo mundo, com um olhar diferente e cheio de amor. Ele deu vida à viúva quando ressuscitou seu filho. Sentiu com ela a dor da perda e a alegria da ressurreição.

Ousamos comparar a viúva de Naim com Maria aos pés da cruz; sofrendo com o Divino Filho e prestes a ser deixada no mundo, fora amparada por Ele, que lhe oferece como Mãe ao discípulo amado e assim também, como Mãe do mundo, pra que cuidemos de tão valioso tesouro. Só quem enxerga a grandiosidade de tal gesto percebe o extremo amor de Jesus por aquela que o Pai primeiro havia escolhido e amado.

Como a viúva de Naim, Maria seria desprezada pelo mundo com a morte de seu único Filho. Dando-a aos cuidados de João, reflete em si a experiência que viveu em Naim e que muito o marcou. Jesus devolve a vida e pede que sua Mãe guarde e gere novamente a humanidade para que nenhuma das partes ficassem órfãs. Aqui, neste grandioso gesto, reafirma mais uma vez que veio para a humanidade ferida, desprezada e abandonada pela sociedade, sendo um Deus a favor da vida!

Que aprendamos desse grande profeta do amor a doação, a percepção e o cuidado ao outro. Que aprendamos a fortaleza e a bondade, sendo hoje, pontes de ressurreição e acolhida dos irmãos, para Deus!

Paz e todo Bem!

Reflexão feita pelos noviços