Vida CristãMeditação diária › 12/07/2018

Palavras ao vento

Frase para refletir:

“Para falar ao vento bastam palavras, para falar ao coração são necessárias obras” (Padre Antônio Vieira, religioso, escritor e orador português, 1608-1697).

medita_120718

Quem quer faz, quem não quer fala. Um exemplo de falar ao vento é discurso de candidato em época de eleição. Dizem tantas coisas, prometem obras, acusam concorrentes, num tom de voz convincente previamente ensaiado. Depois do pleito, tudo é esquecido, ou no final do mandato, quando novas eleições se aproximam, fazem alguma coisa para iludir seus eleitores. Um exemplo de obras é a vida de Madre Tereza, deixou o conforto do convento e se lançou para ajudar os necessitados, não com palavras, mas com ação, pois ela amava Jesus na pessoa do abandonado. Vemos o mesmo no dia a dia. Quantos prometem fazer alguma coisa e depois esquecem ou ficam adiando. Desculpas para adiar nunca faltam. Palavras ao vento são as que saem da boca sem uma base “no coração”, mesmo que seja “eu te amo”, soa vazio se o coração não arde quando é dito. Quando se ama de verdade nem é preciso muitas palavras, as atitudes demonstram. Atitudes se traduzem em obras, fatos, ações. Aí sim o coração escuta. Até mesmo a oração pode ser como palavras ao vento se as atitudes não correspondem a sua prece. “Vá primeiro reconciliar com teu irmão e depois venha orar” (Jesus em Mateus 5). Que as nossas obras precedam nossas palavras.

Bom dia! Bom trabalho!

Reflexão feita por José Irineu Nenevê


Blog: https://bomdiaebomtrabalho.wordpress.com/
Leia o Livro “Bom dia e bom trabalho, sabedoria para todos os dias”, Editora Vozes