Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 07/07/2018

A questão do jejum

13ª Semana do Tempo Comum

sabor_070418Mt 9,14-17


“Vocês acham que os convidados de um casamento podem estar de luto, enquanto o noivo está com eles?” (Mt 9,14-17)


A expressão dos discípulos de João mais parece lamento do que alegria: “Nós e os fariseus jejuamos tanto…”. Jesus compara o jejum com o luto (v. 15). Então, acaso o jejum não é prática recomendável? Tudo dependerá do motivo por que se faz jejum.

Jejuar, na tradição judaica, estava muito ligado à necessidade de obter favores de Deus. Cumprir os mandamentos para ganhar o céu. Ora, Deus não depende da quantidade de coisas boas que fazemos para nos acudir com suas graças. Graça vem de graça; não por nossos méritos. É o que Jesus nos ensina.

E o apóstolo Paulo insiste: “É pela graça que vocês foram salvos… E isso não provém de vocês, mas é dom de Deus” (Ef 2,8). Quanto ao jejum que agrada a Deus, confira o luminoso capítulo 28 do profeta Isaías.

Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp – Paulus.