Tempo de escuta, conhecimento e partilha

Érika Augusto

São Paulo (SP) –  Terminou nesta quinta-feira, 28/6, o Conselho Plenário da Ordem dos Frades Menores (CPO), que acontecia desde o dia 12/6 na cidade de Nairóbi, capital do Quênia. Com o tema “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz… aos Frades Menores hoje” (cf. Ap 2,7), 63 frades de várias Conferências e Entidades do mundo estiveram reunidos para partilhar as realidades onde os frades estão inseridos e ajudar o Definitório Geral na elaboração de um documento.

Do Brasil, participaram três frades: Frei Alvaci Mendes da Luz, da Província da Imaculada Conceição, e Frei Wellington Jean, da Província Santo Antônio e Frei Fabiano Satler, da Província Santa Cruz, representando a Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB).

Frei Alvaci, que participou pela primeira vez de um CPO, afirma que a experiência foi enriquecedora, pelo contato e partilha com diversas realidades dos frades no mundo. “É bonito ver a universalidade da Ordem, perceber que algumas questões que vemos no Brasil, existem no mundo inteiro”, afirmou.

“Poder partilhar aquilo que vivemos no Brasil, as realidades da nossa Conferência, mas também ouvir a realidade de frades do mundo inteiro, enriquece e aumenta nossa bagagem franciscana. Somos de fato uma Ordem universal, que tem a beleza de um carisma único, um carisma que alcança os mais simples, os mais pobres, aqueles que mais precisam. Esse aspecto aparece em todos os lugares, porque é o pano de fundo da vida franciscana: os pobres, os que mais precisam, o cuidado com a criação. Algumas coisas são únicas no carisma franciscano”, afirma.

Para ele, o trabalho com a juventude e com os migrantes são os temas abordados no CPO que mais estão em sintonia com o que é realizado hoje na Província da Imaculada Conceição. “Eu vejo que a Província tem feito trabalhos muito significativos neste campo da juventude, e que se torna até uma referência para a Ordem. Também somos pioneiros na acolhida e no cuidado com os imigrantes, através do trabalho do Sefras”, destacou.

Após o CPO, o Definitório Geral irá elaborar um documento final, que levará em consideração tudo o que foi trabalhado ao longo destas semanas em Nairóbi.