Sefras: atividades culturais no CRAI em São Paulo

O Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes (CRAI) de São Paulo abre as portas para o público na próxima quarta-feira (20 de junho) em celebração ao Dia Mundial do Refugiado. O espaço, gerido pelo Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras) em convênio com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDHC) da prefeitura da capital, vai contar com atividades em espaço livre no jardim e no seu salão.

O dia de 20 de junho é celebrado desde 2001, quando a resolução que estabeleceu a comemoração foi aprovada na Assembleia Geral das Nações Unidas em homenagem aos 50 anos da Convenção das Nações Unidas relativa ao Estatuto dos Refugiados. Junto com os imigrantes e refugiados que são atendidos no centro, brasileiros e parceiros, o CRAI contará com rodas de conversa e oficinas de dança, sarau e música. Todas as atrações serão gratuitas e sem restrição de público.

Confira a programação:

9h00-10h30
Roda de Conversa: “Palestinos: Refúgio e Resistência”
Palestrantes: Nour Massoud (CRAI-SP), Melissa Marques (ativista em Diretos Humanos) e Taisa Leonardo (psiquiatra, psicanalista e ativista em Direitos Humanos).

10h30-12h00
Oficina “Canções de Si”: Composição Musical com Imigrantes e Refugiados(as)
Mediador: Tiago Nogueira e Julia Campos Florez (Instituto Veredas-USP)

13h00-14h00
Oficina de Dança Circular Dabke
Artista: Rawaal Sagheer (artista e ativista cultural palestina-síria)

14h00-15h30
Roda de Conversa: “Mercado de Trabalho Brasileiro: dificuldades e desafios na inclusão de refugiados”
Palestrantes: Rebeca Duran (CRAI-SP), Marilia Cintra (Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados – PARR), Prudence Kalambay (Congo) e Paulo Illes (CENTRO DE DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA DO IMIGRANTE – CDHIC)

16h30-18h00
Roda de Conversa: “RDC Hoje: Eleições, Violência Estatal e Grupos Armados”
Palestrante: Prosper Dinganga Sikabaka (ativista congolês de Direitos Humanos)

Quando: 20 de junho das 9 às 18h
Endereço: Rua Major Diogo, nº 834, Bela Vista, São Paulo-SP
Quanto: Gratuito
Público: Atração livre

Sobre a instituição

Mais do que parte das estatísticas, os refugiados e solicitantes de refúgio são pessoas com rostos, nomes e histórias. Contando com membros da equipe que possuem status de refugiados, o Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes de São Paulo busca oferecer a todos(as) um atendimento digno e humanizado. São realizados mais de 1000 atendimentos por mês. Entre os serviços estão a orientação sobre documentação e regularização migratória; atendimento social e psicossocial; orientação jurídica por meio da parceria com a Defensoria Pública da União; encaminhamento para ensino técnico, superior, cursos profissionalizantes e de português; e orientação para elaboração de currículo e encaminhamento para vagas abertas.

O espaço é gerido pelo Sefras, uma rede franciscana de Assistência Social para mais de 1600 crianças, adolescentes, idosos, catadores de materiais recicláveis, população em situação de rua, jovens e mulheres em conflito com a lei e pessoas vivendo com HIV e AIDS, além de imigrantes e refugiados. Os atendimentos funcionam em 14 espaços próprios em São Paulo e no estado do Rio de Janeiro.

Mais informações: www.sefras.org.br.