“A África é o futuro de nossa Ordem”, afirma Frei Giannone

Érika Augusto, com informações de Frei Alvaci Mendes da Luz 

São Paulo (SP) - A afirmação veio de Frei Carmelo Giannone, Ministro Provincial da Província São Francisco da África do Leste, Madagascar e Ilhas Maurício, durante sua fala de boas-vindas aos frades reunidos para o Conselho Plenário da Ordem dos Frades Menores (CPO), que começou nesta terça-feira, 12/06, na capital do Quênia, Nairóbi.

A segunda-feira, 11, foi dedicada para a chegada e acolhida dos participantes. O Plenário acontece na casa de encontro das Irmãs Dimesse Filhas de Maria Imaculada, uma congregação feminina de carisma franciscano, fundada por um frade, Frei Antônio Pagani, em 1579, na Itália.

No total, participam 63 frades. Destes, 44 são Conselheiros, eleitos pelas Conferências de todo o mundo. Os outros 19 frades estão trabalhando nos diversos serviços ou foram convidados pelo Governo Geral. Participam do CPO o Ministro Geral da Ordem, Frei Michael Perry, o Definitório Geral, os Conselheiros e Delegados. Frei Alvaci Mendes da Luz, pároco do Santuário São Francisco, em São Paulo (SP), é o único participante da Província Franciscana da Imaculada Conceição, representando a Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB), juntamente a Frei Wellington Jean, da Província Santo Antônio. Frei Fabiano Satler, da Província Santa Cruz, participa como convidado do Governo Geral.

A abertura do CPO aconteceu num clima bem africano, com uma apresentação cultural. Homens com tambores e roupas típicas cantaram e dançaram, representando a cultura do Burundi, país da África Oriental. Reunidos no jardim da casa de encontros, os participantes assistiram a apresentação e fizeram um momento de oração comunitária.

Em seguida, Frei Michael Perry fez a abertura oficial do encontro. Nas boas-vindas, foi lida uma carta do Secretário Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, enviada à Ordem dos Frades Menores, pedindo que os frades continuem a ser um sinal de esperança no mundo.

Em sua fala de abertura, Frei Michael Perry afirmou que o versículo escolhido como tema do encontro, “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz” (cf. Ap 2,7), norteou toda a preparação do CPO. “Permitimos que o texto bíblico moldasse nosso pensamento, nossa oração e nosso planejamento. Esperamos que estas palavras também sirvam de inspiração para cada um de vocês, os membros do Conselho Plenário, promovendo um espírito de escuta mútua, discernimento e vontade de realizar novos sonhos, para que assim possam inspirar uns aos outros e a todos os membros da Ordem”, sinalizou.

Ele contextualizou a passagem bíblica, afirmando que os seguidores de Jesus passavam por um período difícil, de confusão e sofrimento humano e espiritual. “O autor reconhecia que todo o peso da perseguição romana, a fatiga espiritual e psicológica, a distração, o atrativo de estilos de vida alternativos e diferentes concepções religiosas estavam distraindo os discípulos de sua alegria e desejo de seguir incondicionalmente seu compromisso batismal”, explicou o Ministro Geral.

Ele contou que alguns frades sentem o mesmo que os discípulos da passagem do livro do Apocalipse, sem a energia, paixão e alegria do seu primeiro amor, que consiste, segundo o Ministro Geral, em três temas centrais: amor por Jesus Cristo, pelos irmãos de Fraternidade e pela Igreja.

Para concluir, ele afirmou que o CPO deve provocar uma “crise” necessária, para abrir os corações e as mentes de todos os Frades Menores à ação do Espírito Santo, “nosso verdadeiro Ministro Geral”, afirmou, recordando as palavras de São Francisco.

Em seguida, Frei Carmelo Giannone, Ministro Provincial da Província São Francisco da África do Leste, Madagascar e Ilhas Maurício, falou aos participantes. Ele agradeceu a escolha do continente africano para sediar o CPO pela primeira vez. O frade fez um apanhado da história dos franciscanos na África, que teve início em 1983, com o pedido do Ministro Geral na época, Frei John Vaughn, na carta “África nos chama”.

O que começou com 31 frades, vindos de 21 Entidades da Ordem, é hoje a Província São Francisco, presente em 9 países: Burundi, Quênia, Malawi, Ruanda, Tanzânia, Uganda, Zâmbia, Madagascar e Ilhas Maurício. O Ministro Provincial apresentou os números de frades: 96 professos solenes, 77 professos temporários e 18 noviços, somando 191 frades. Para o ano que vem, é esperado que este número aumente para 242 frades.

“Se compararmos estas estatísticas e a de outras Entidades franciscanas na África com as de toda a Ordem, creio que posso dizer que a África é o futuro de nossa Ordem. O que nos permite ser fiéis ao Evangelho certamente não é a juventude, nem o número de frades, mas a qualidade de vida fundada na comunhão fraterna, na oração e no desejo de caminhar juntos como irmãos e menores. Vindos de diferentes países do mundo, formamos fraternidades interculturais, que tentam ser testemunhas de como é possível viver juntos, apesar de nossas diferenças”, afirmou Frei Carmelo.

Na parte da noite, os frades celebraram a Eucaristia, presidida pelo Ministro Geral na Paróquia São João Paulo II.

Confira abaixo o vídeo e o álbum com imagens do primeiro dia: