Antônio, o Santo das Famílias é o tema do 9º dia da Trezena

São Paulo (SP) - No dia 8 de junho, a Celebração Eucarística das 19 horas, presidida Frei Clauzemir Makximovitz e concelebrada por Frei Gustavo Medella, na Paróquia Santo Antônio do Pari, em São Paulo (SP), uniu dois grandes motivos para celebrar: a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e também o 9º dia da Trezena de Santo Antônio. Segundo o pregador, a Solenidade do Sagrado Coração é “uma festa em que transparece visivelmente o Amor de Deus, que faz com que seu coração literalmente não caiba em seu peito”, disse Frei Clauzemir.

Para ele, a representação do Sagrado Coração é muito significativa, pois aponta para um Deus que sente, que ama, e cujo amor pulsa em nossa direção de uma forma que não pode ser contida. “Nem leis, nem tradições, nem preconceitos conseguem conter ou barrar o Amor de Deus”, acentuou.

Para os judeus, cuja cultura Jesus foi educado, o coração é o centro do ser humano, devido à importância simbólica do sangue, que representa a própria vida. O coração do ser humano é o cerne do ser humano.

“Não tem nada a ver com sentimentalismo ou ‘paixonites’, essa relação é tardia, da época do romantismo ou algo assim. O Coração de Deus é onde nós habitamos envolvidos por sua misericórdia e seu amor. E a festa de hoje nos leva a questionarmos o que nó guardamos em nosso coração?  O que mantemos de verdadeiramente precioso em nossas vidas, a ponto de proteger no centro de nosso coração. Para o que, ou para quem, sempre temos tempo e nunca estamos cansados? Quais sonhos, objetivos, projetos não abrimos mão, nem sequer gostamos de discutir, de tão assumidos que já são?”, refletiu o celebrante.

trezena_pari_090618E continuou: “Exatamente tudo isso é que guardamos em nossos corações. E muitas e muitas vezes, são coisas que só o fazem pesar, e sofrer. Quanta angústia, quanta mágoa fazemos questão de guardar em nossos corações, ocupando espaço precioso que deveria ser das coisas realmente importantes em nossa vida, mas insistimos no rancor que só nos fere e faz sofrer. Quantas histórias ouvimos em confessionários de pessoas que há anos não se falam, e nem lembram mais porque, mas insistem na mágoa. É preciso limpar, purificar nossos corações, arrumar espaço para que Deus, o nosso Deus, misericordioso, amoroso, seja o centro de nossa vida”, ensinou o jovem frade.

Discorrendo sobre o tema do dia “Santo Antônio o Santo das Famílias”, Frei Clauzemir afirmou que é na família que se cultivam os sentimentos mais fortes e importantes. “Junto àqueles que nos são dados como família, e àqueles com os quais nos aproximaremos como família. As pessoas que com quem realmente nos importamos, essas guardamos no coração. Essas são nossa família. Isso porque família tem mais a ver com cuidado do que com sangue, com respeito, carinho, do que com compromissos legais. Ser familiar a alguém é ser próximo, presente, conhecido na intimidade da convivência”, destacou o frade.

E concluindo sua homilia, disse: “Somos todos família de Deus, pois Ele nos conhece em nosso íntimo. Santo Antônio era muito procurado também para ajudar a resolver desentendimentos dentro das famílias. Como somos até hoje, o padre, o frei é muito procurado para aconselhar naquilo que devia ser muito simples, naquilo que devia ser pautado no amor, e que acaba resvalando e caindo no orgulho, gerando mágoas. Geralmente, nós mais magoamos as pessoas que estão mais próximas de nós, porque são elas que se importam conosco, são elas que criam expectativas quanto a nós. Aprender a valorizar e respeitar isso é se parecer um pouquinho mais com nosso Deus, sempre tão carinhoso e presente. Quantas pessoas, em nossa vida, cuidaram e ainda cuidam de nós, torcem pela nossa felicidade, nos apoiam sempre que necessário”, frisou o celebrante.

E desejou: “Saibamos agradecer a Deus por nossa família, honrar esse sentimento fazendo o melhor com nossa vida, vivendo bem, para o bem e construindo um mundo melhor para todos”, concluiu.

O 10º dia da Trezena de Santo Antônio será neste sábado (9/6) e terá como tema “Santo Antônio o Santo da Paciência”. A celebração Eucarística será as 16 horas. Também neste sábado a partir das 17 horas, e nos próximos dias (10,13,16,17/06), acontece a festa externa com barracas e comidas típicas. Prestigie!

VEJA MAIS IMAGENS