O CarismaNotícias › 04/06/2018

Como falar de justiça em um país tão desigual?

trezena_sp_040618

Frei Augusto Luiz Gabriel

São Paulo (SP) – A Trezena de Santo Antônio do Convento e Santuário São Francisco de São Paulo, que começou na última sexta-feira (1º de junho), chegou hoje (4/6) no seu 4º dia, e teve como tema: “Santo Antônio Pão da justiça”. A Celebração Eucarística foi presidida por Frei Alvaci Mendes da Luz, pároco e reitor do Santuário, às 12 horas. Assim como nos dias anteriores, fiéis e devotos do santo franciscano mais popular do mundo fizeram-se presentes, tornando viva a Igreja de Cristo. “Como falar em justiça num país tão desigual quanto o nosso?”, questionou o pregador em sua homilia.

“Como falar de justiça dentro de contextos sociais, seja na época de Antônio como também nos dias atuais, onde o pobre não tem voz nem vez? Como falar em justiça num país tão desigual quanto o nosso? Como falar em justiça se nos ouvimos quase todos os dias que a economia, agricultura… está bem? Para que tantas plantações de soja, trigo se geram apenas acúmulos, enquanto muitos passam fome? Se somos um país que é o maior produtor de tantas coisas, por que no Brasil existe tanta desigualdade na distribuição da renda e da justiça? Por que tantas pessoas morrem de fome tão perto de nós? Como falar em justiça dentro deste contexto todo?”, questionou Frei Alvaci.

Neste sentido, o frade lembrou que o Evangelho apresenta uma parábola do pai que mandou seus filhos trabalhar na vinha. “Jesus diz na parábola que o pai plantou uma vinha muito bonita. Fez um tanque, cercou, deixou ela bem preparada. E de repente Deus foi mandando alguns para cobrar os frutos desta vinha. Em diversos períodos da história Deus mandou profetas, porém nenhum deles foi bem aceito. E o que os donos da vinha fizeram? Mataram uns, bateram noutros… E Deus tentou até o último momento, quando enviou seu próprio Filho Jesus”, explicou.

Para o frade, o que Cristo fez foi nada mais do que colocar na nossa cabeça a vontade de fazer deste lugar um local melhor para vivermos e nos entendermos melhor. “Jesus fez uma grande tentativa de dizer para nós que é possível enxergar o irmão, o pobre, aquele que esta a porta do templo, a viúva. O que é isso senão uma tentativa constante de imprimir no ser humano um senso de justiça? Foi isso que Jesus fez na sua vida pública. E o que aconteceu com ele? A mesma coisa que ocorreu com os profetas e com os que vieram antes dele. Passaram-se dois mil anos e eu acredito que Deus continua apostando na gente, mesmo depois disso tudo”, disse.

trezena_sp_040618_1

Esse acreditar se dá nitidamente em pessoas como Frei Antônio, observou o pregador. “Ao longo de todo este tempo, homens e mulheres, fazem com que nos lembremos do que Jesus fez e viveu. Antônio relembrou qual era a dinâmica do Reino de Deus. Relembrou o que é ser cristão no mundo, seja em 1200 ou em 2018. É a tentativa constante do Pai em mandar para a vinha pessoas que produzam frutos”, indicou.

“Que possamos ao longo desta Trezena e da nossa vida aprender com Santo Antônio, seguidor de São Francisco, homem fiel ao Evangelho, no mundo de hoje sermos promotores da justiça, e também daquilo que cremos a partir do Evangelho”, pediu.

Frei Alvaci começou sua homilia informando que a Web TvFranciscanos da Província Franciscana da Imaculada está fazendo uma série em vídeos que apresentam algumas curiosidades de Santo Antônio. No vídeo de hoje, por exemplo, o tema abordado é Santo Antônio e a Palavra de Deus. Frei Antônio era conhecido com o “martelo dos hereges”, “ele é considerado o homem e o Santo da Palavra”, destacou o pregador.

Frei Alvaci que viajou depois desta Missa para o Nairóbi, no Quênia (África), onde participará do Conselho Plenário da Ordem dos Frades Menores, entre os dias 12 a 28 de junho. Também informou que nos próximos dias da Trezena o pregador será Frei Mário Tagliari, guardião do Convento.

Amanhã, terça-feira (5/6) até no sábado (9/6), a Trezena acontecerá dentro da Celebração Eucarística das 15 horas.

VEJA MAIS IMAGENS