O CarismaNotícias › 02/06/2018

Os legalismos que bloqueiam o alimento da fé

trezena_sp_020618

Frei Augusto Luiz Gabriel

São Paulo (SP) – Quem passasse nas proximidades do histórico Convento e Santuário São Francisco poderia ouvir a bela música da Ladainha de Santo Antônio. Era o início de mais um dia de fé, devoção e compromisso com o andamento da Trezena em honra a Santo Antônio. A Celebração Eucarística foi presidida pelo pároco Frei Alvaci Mendes da Luz, às 15 horas. O frade também foi o pregador do segundo dia da Trezena (02/06), que teve como tema: “Pão da fé”. Segundo ele, “falar de fé hoje, ou no tempo de Santo Antônio, ou de Jesus, é falar da maior motivação do ser humano na sua relação com o sagrado”, destacou.

Com um tom bem franciscano, a Celebração Eucarística seguiu a liturgia do 9º Domingo do Tempo Comum. Em sua homilia, o celebrante enfatizou que Jesus quebra os padrões criados pelo homem, de obrigações e legalismos, pois isso fere as pessoas e, acima de tudo, a fé. “Fere aquilo que é mais sagrado: a nossa relação com os nossos irmãos que estão ao nosso lado, independente do dia, da hora, do ano”, disse o frade, ensinando que não podemos ser escravos das coisas que nós mesmos criamos, pois agindo assim não conseguiremos fazer de nossa vida algo de extraordinário. “Ficaremos apenas no ordinário, fazendo o mínimo que se é para fazer. Porém, quem permanece no ordinário não fica santo”, disse.

Frei Alvaci explicou melhor: “Sempre que recorremos aos santos, vemos claramente que eles fizeram do ordinário um extraordinário. Esses santos são homens e mulheres que quebraram os padrões e as regrinhas do sábado, do domingo, do posso ou não posso, pois fizeram a partir da fé e a partir do amor, e principalmente com base naquilo que eles acreditaram estar acima de tudo: ver no próximo o próprio Jesus”, sublinhou. Para ele, todas as vezes que não conseguimos enxergar os irmãos por conta das regras que criamos, Jesus fica triste. “É permitido ou não fazer o bem em dia de sábado? Logicamente que é. Todos os dias são, o ano inteiro é! A nossa missão neste mundo é acreditar que é possível fazer o bem, mesmo que em dia de sábado”, assinalou.

CESSEM AS PALAVRAS E FALEM AS OBRAS

trezena_sp_020618_2

Segundo o frade, falar de fé hoje, ou no tempo de Santo Antônio, e mesmo de Jesus, é falar da maior motivação do ser humano na sua relação com o sagrado. “Fé é isso! Os seres humanos sempre precisaram e sempre vão precisar possuir está relação com o sagrado, que é alimentada pela fé. Ninguém explica uma série de coisas que nascem a partir da fé. A fé é inexplicável. A fé move montanhas. Jesus já nos dizia isso no Evangelho de ontem, que a fé é capaz de fazer coisas que as mãos humanas não conseguem fazer. A fé é capaz de fazer justiça, de partilhar o amor, de dar pão aos pobres. No fundo a fé é o que alimenta a nossa vontade de um dia voltar para o sagrado”, apontou Frei Alvaci.

trezena_sp_020618_3Ele lembrou que o ser humano saiu de Deus para viver um período de no máximo 80 ou 90 anos – alguns até 100 anos – para um dia voltar a Deus. “Enquanto vivemos aqui precisamos o tempo todo nos religarmos com Deus. Isso é fé. A fé alimenta a nossa vontade de continuar porque aqui fazemos a vontade Daquele que nos mandou para cá. Com fé podemos fazer um mundo diferente e melhor. Motivado por uma fé gigantesca e inabalável foi o que fez Santo Antônio”, enfatizou.

Santo Antônio morreu bem jovem, apenas com 36 anos de idade. Neste sentido, o pregador revelou que o santo franciscano soube fazer o bem mesmo que durante pouco tempo da sua vida. “Ele era um jovem capaz de percorrer muitos quilômetros a pé motivado pela fé. Capaz de fazer pregações que arrebanhavam multidões. Muitos iam ao encontro dele para ouvir suas palavras, tanto é que até hoje esta intacta o conjunto das suas cordas vocais que ficam lá na Basílica de Santo Antônio em Pádua”, contou o frade.

“Esse mesmo Antônio é o autor da celebre frase: ‘Cessem as palavras e que falem as obras’. O grande pregador pede para cessarem as palavras e dar vida às obras. E as obras nada mais são do que a nossa fé colocada em prática”, ensinou o celebrante, pedindo que Santo Antônio ajude cada um de nós a enxergarmos os homens de mão seca que precisam da gente. Que Jesus nos acompanhe nesta bonita missão de ser cristão.

A Trezena, que começou no dia 1º de junho, vai até o dia 13 de junho. Amanhã, domingo (30/06), a Trezena acontecerá dentro da principal Missa do Santuário, às 10h30. Também no canal do YouTube da Província Franciscana da Imaculada, TvFranciscanos, diariamente está sendo lançado em vídeo um curiosidade sobre Santo Antônio. Não deixe de ver!

VEJA COMO FOI O 1º DIA DA TREZENA

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS