Frei Marcos Vinicius Motta Brugger

marcos-830

O mineiro Frei Marcos Vinicius Motta Brugger será ordenado presbítero por Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo de Juiz de Fora, no dia 28 de abril, às 9 horas, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, no bairro Grama de Juiz de Fora (MG). A sua Primeira Missa será celebrada na mesma Paróquia no dia seguinte, tendo como pregador Frei Paulo Roberto Pereira.

Frei Marcos nasceu no dia 30 de abril de 1990, em Juiz de Fora (MG). É filho de Sandra Regina e José Brugger e irmão de Cristiano, Cláudio e José Maurício. Ingressou no Seminário Santo Antônio de Agudos em 2005, onde cursou o Ensino Médio e vestiu o hábito no dia 11 de janeiro de 2009, em Rodeio (SC). Concluiu os cursos de Filosofia em 2012 e de Teologia em 2016. Professou solenemente na Ordem dos Frades Menores no dia 6 de dezembro de 2014. Morando em Pato Branco, a partir de 2017, foi ordenado diácono no dia 22 de outubro de 2017. Acompanhe!

Site Franciscanos - Por que escolheu ser frade franciscano?

Frei Marcos – É certo que nossa Profissão da Regra e da Vida dos Frades Menores é fruto da liberdade de cada religioso, porém acredito que desde o início, tanto o chamado ao seguimento do Cristo quanto o caminho a ser realizado, foram obras da providência divina. Isto porque meu impulso vocacional começou dentro de uma perspectiva “clerical”, e apenas aos poucos o Senhor foi me revelando o que eu devia fazer.
E foi desde “pequenininho em Barbacena”, ou melhor, em Juiz de Fora, que me propus a engajar na formação sacerdotal, ou como se diz, queria ser padre. Todavia, foi apenas por intermédio de Dona Aparecida, mãe de Frei Paulo Pereira, que com 11 anos de idade conheci o carisma franciscano. Porém, a Vovó, como gostava de ser chamada, era professora de Ensino Religioso no colégio em que eu estudava e, ao terminar o ano letivo ficamos sem um contato direto até meus 13 anos. Mas isso não a impediu de guardar no coração os anseios de um ‘meninote’ do fundamental. E assim, no ano de 2004, recebi um telefonema inesperado que mudaria minha vida. Dona Aparecida me propôs começar o acompanhamento vocacional franciscano, com o intuito de entrar no Seminário de Agudos. Dito e feito, e hoje estou aqui. Como podem ver, não foi uma revelação extraordinária, apenas uma resposta firme ao chamado.
Contudo, ainda fica a questão: por que ser frade franciscano? Ora, com certeza ser franciscano não foi o resultado de uma admiração prévia por algum frade, ação social ou mesmo livro espiritual. Considero que ser frade franciscano foi uma escolha gradual dentro de nossa formação inicial. Foram os anos de trabalho, estudo, evangelização e oração numa vida de minoridade e fraternidade que me levaram a dizer, como Francisco, ‘é isto que eu quero de todo o meu coração’. Portanto, acredito que ser frade foi um movimento dialético entre o chamado de Cristo, por meio de seus agentes, e minha resposta consciente na busca de uma fé verdadeira, uma esperança firme e uma caridade perfeita.

Site Franciscanos – Qual o significado do ministério sacerdotal para você?

Frei Marcos – Quão grandiosa dignidade e admirável grandeza, dizia Francisco de Assis, quando sobre o altar o Cristo, Filho do Deus Vivo, se faz presente nas mãos do sacerdote na modesta aparência do pão. Acredito que Francisco, assim como São João Crisóstomo, deixam transparecer no ministério sacerdotal à luz da dignidade eucarística, que mescla grandiosidade e simplicidade em Deus que se dá em comida e bebida para nos salvar. Assim, parece natural chegar à conclusão de Crisóstomo. Ora se digno é esse momento, digno deve ser também aquele que foi preparado para esse serviço. E por isso, aprendemos com nossos pais e com Francisco de Assis, a honrar e respeitar o ministério sacerdotal. Santo Agostinho disse uma vez: “Nós, sacerdotes, que somos? Ministros (de Cristo), seus servidores; porque tudo o que distribuímos a vós não é coisa nossa, mas o colocamos para fora de sua dispensa. E também nós vivemos disso, porque somos servos como vós” (Sermão 229/ E, 4).

Portanto, o ministério sacerdotal, redundantemente, é serviço. É se colocar à disposição, é não reter nada de nós para nós mesmos, a fim de que totalmente nos possua aquele que totalmente se nos dá. Ser sacerdote, para mim, é identificar-se com o Cristo eucarístico, doar-se constantemente ao projeto do Pai, cumprindo a missão de fiel dispensador dos vossos mistérios, de modo que o povo renasça pela água da regeneração, ganhe novas forças do vosso altar, os pecadores sejam reconciliados e os enfermos se reanimem.

Papa Bento XVI disse em uma de suas homilias que a ordenação sacerdotal significa ser imerso na Verdade. Na Verdade, que é a pessoa de Cristo, que nasce também da atualidade e da compreensão do anúncio. Por isso, somente na consciência da Verdade feita Pessoa na Encarnação do Filho que se justifica o convite missionário “Vinde comigo, e eu farei de vós pescadores de homens”. Servir a messe do Senhor e anunciar o seu Evangelho, transformando corações pela doação total de si, este é o lema escolhido para minha ordenação.

Site Franciscanos – O que você diria a um jovem que quer ingressar na vida franciscana?

Frei Marcos – Nós, irmãos da Ordem dos Frades Menores, somos consagrados a Deus por meio dos conselhos evangélicos (obediência, nada de próprio e castidade), vivendo a radicalidade do Santo Evangelho na Igreja, assim como nos inspirou São Francisco de Assis. Somos uma fraternidade que segue Jesus, iluminada pelo Espírito Santo, nutrindo um espírito de oração, devoção e comunhão fraterna. Somos chamados a ser testemunhas de penitência, minoridade e caridade para com todos os homens, e a anunciar o Evangelho por meio de nossa vida, convidando todos à reconciliação e à paz. Vinde e Vede!

marcos-convite