Vida CristãFrei AlmirSagrado Coração de Jesus › 02/03/2018

O amor do Senhor que vai até o fim

Tempo da Quaresma, tempo da Semana Santa, tempo de contemplar o amor de Jesus até o fim, ao extremo de todos os extremos, até esvaziar o coração da última gota de sangue. Pedimos aos Padres da Igreja que nos ajudem a contemplar as riquezas do Coração do Senhor.

Frei Almir Guimarães

sagrado_010318_g

• Uma prece de Santo Anselmo

Eu te suplico, ó Majestade, ó amor suspenso na cruz! Tu és a minha esperança, meu refúgio, minha misericórdia. Tem piedade de mim e ensina-me a te adorar, a te amar; pois é meu desejo de adorar e te amar, embora não saiba como fazê-lo. Eu te peço, ó Jesus, que ouves os que te amam, pelo amor que manifestaste na cruz pelo homem; faze com que eu jamais sinta desgosto ou vergonha de estar diante de tua cruz; mas que minha alma se compraza em permanecer fielmente sob o teu olhar, e que teus divinos olhos se comprazam em me olhar misericordiosamente. Dá-me a força de chorar minha miséria, dá-me o contentamento minha tristeza mudar em alegria.

Das Orações de Santo Anselmo, bispo
Lecionário Monástico II, ´ 693-594

• Palavras de incontida admiração e gratidão

Ó Paixão, purificação do universo!
Ó morte, princípio de imortalidade e origem de vida!
Ó descida à mansão dos mortos que lança uma ponte a fim de que eles passem ao reino da vida!
Ó meio-dia da morte de Cristo, recordação daquele meio-dia no paraíso em que Eva colheu o fruto!
Ó cravos que fixam o mundo para Deus e traspassam a morte!
Ó espinhos, fruto da videira má!
Ó fel que dás a doçura da fé!
Ó esponja que lavas o mundo de seu pecado!
Ó instrumento de inscreves os fiéis no livro da vida!

Dos Sermões de São Proclo de Constantinopla, bispo
Lecionário Monástico III, p. 599-600

• A fonte que brotou do lado do Redentor

Queres compreender mais profundamente o poder do Sangue de Cristo? Repara de onde começou a correr e de que fonte brotou. Começou a brotar da própria cruz, e a sua origem foi o lado do Senhor. Estando Jesus já morto e ainda pregado na cruz, diz o evangelista, um soldado aproximou-se, feriu-lhe o lado com uma lança, e imediatamente saiu água e sangue: a água como símbolo do Batismo; o sangue, como símbolo da Eucaristia. O soldado, traspassando-lhe o lado, abriu uma brecha na parede do templo santo, e eu, encontrando um imenso tesouro, alegro-me por ter achado riquezas extraordinárias.

Das Catequeses de São João Crisóstomo, bispo
Lecionário Monástico II, p. 577-578

•  Alegre canto de vitória

Cristo está na cruz: aproximemo-nos dele, participemos de seus sofrimentos para ter parte também em sua glória.
Cristo jaz entre os mortos: morramos ao pecado a fim de vivermos para a justiça.
Cristo repousa num túmulo novo: purifiquemo-nos do velho fermento, tornemo-nos uma massa nova e sejamos para ele lugar de repouso.
Cristo desce à mansão dos mortos: desçamos também com ele pela humilhação que exalta, a fim de sermos exaltados e glorificados com ele sempre vendo e sendo vistos por Deus.
Vós que sois do mundo, sede livres; vós que estais amarrados, saí; vós que estais nas trevas, abri os olhos para a luz; vós que estais no cativeiro, libertai-vos; cegos, levantai os olhos.
Desperta Adão que dormes, levanta-te de entre os mortos, pois Cristo, nossa ressurreição, apareceu.

Das Homilias de São João Damasceno, presbítero
Lecionário Monástico III, p. 621